CAPÍTULO 4

Página 4 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Renata C. em Seg Mar 07, 2016 9:54 am



Quando Dag Oneth se aproximou dela sorrindo, Rowena virou o rosto, se afastando. Era difícil encarar aquele sorriso sádico.

Lembrou-se das palavras de Obi-Wan sobre os Sith. Eles usam seus medos, suas fraquezas, contra você. E Rowena estava ali, diante de um Dag Oneth que dizia que podia "ler" o que ela pensava. Todas as suas dúvidas...

Não deixe ele usar suas dúvidas contra você, Rowena. Esperou que ele terminasse de falar. Era perturbador para a garota estar numa situação assim tão.. vulnerável.

- Eu não tenho mais mestre. Meu mestre morreu no dia em que eu vi o sabre de luz dele atravessar o corpo de um inocente. - falava dessa vez encarando Sarin nos olhos. A garota passava convicção no que dizia.

Era por isso que ela olhava para você, mas não te enxergava, Dag Oneth.

Não existiam perguntas certas. Não haviam perguntas a serem feitas. O meu lugar no universo é onde eu quiser estar.

- Eu não sei pra que você precisa de mim. Mas é melhor me matar no processo, porque eu NÃO vou te ajudar.

Rowena permanecia convicta e impassível, encarando o ex-mestre.

_________________


"Miracles aren't free, you know. If you wish for something good to happen, a whole lot of bad stuff is gonna happen too. I guess that's how the world stays in balance, good bad, everything zeros out. "
avatar
Renata C.

Número de Mensagens : 523
Idade : 32
Data de inscrição : 27/08/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Gláucio "Speedy" Gonzales em Seg Mar 07, 2016 10:49 am

Isso não pode ficar assim, fica óbvio que o erro do meu pai esta sendo usado como estratégia de retaliação... Os jogos políticos continuam.

-Certo, um momento, pai. Precisamos descobrir quais as alegações sobre isso. A movimentação de recursos da República para achar um senador que representa o povo da galáxia é uma ação real de preocupação com esse povo e da democracia. Não se preocupe, meu pai. Eu irei resolver isso quando voltar.

A casa de meu pai cair totalmente é algo que não esperava, ao que parece a princesa Amidala esta realmente jogando pesado sobre meu pai. Será que os adversários políticos dele no senado são os responsáveis por isso?

-Padorum, mesmo sem essa influência, precisamos nos organizar. Irei tentar descobrir mais sobre meu irmão, retire as tropas. Eu em breve farei um pronunciamento sobre isso... Cuidem desse caso, pai. Vou trazer meu irmão de volta! Conto com você para proteger meu pai e sua posição no senado.

Malditos, porque não se contentam com o que tem? A maldita princesa já não tem uma droga de planeta para administrar? Por que vir para cima do meu pai? Tenho de lidar com os Sith, com a princesa e o que mais?

Que seja, vou sair daqui imediatamente. Já me viram, hora de auxiliar Lak´Tur. Retorno a nave e ajusto as coordenadas para as mesmas que as dele para em encontrar com ele.

_________________
avatar
Gláucio "Speedy" Gonzales

Número de Mensagens : 2614
Idade : 37
Data de inscrição : 19/01/2008

Ver perfil do usuário http://www.gonzalismoveloz.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Ricardo Sato em Seg Mar 07, 2016 12:58 pm

Corriam em direção a cidade e no meio do caminho Qui gon quebrava o silêncio.

Qui-Gon: Seraph, mostre-me o Cristal Negro que disse que acharam. Eu temo que ele seja mais que um simples cristal de construção de sabres. Não acho seguro que você fique com ele.

Seraph observa o homem e calmamente retira uma algibeira de dentro do robe.

Aqui está,admito que esperava que isso trouxesse Dag até mim...mas o objetivo sempre foi entregá-lo ao conselho,se o mestre se responsabiliza por ele,não tenho objeções.

Chegando ao mercado Seraph bradou por explicações. Qui-Gon colocou a mão em seu ombro, acalmando-o.

Qui-Gon: Acalme-se, Seraph. Nossa ordem não possui autoridade ou poder de policiamento. É melhor descobrirmos as coisas de maneira sutil.

Seraph olha sua postura e ao perceber não deixa de sorrir,aquele sonho tinha tido mais repercussões do que imaginara.

Mestre me desculpe,apenas percebi o medo da população e achei que seria o meio mais rápido de chamar-lhes a atenção e adquirir as informações ao mesmo tempo em que daria a eles um pouco de segurança.....creio não ter sido a postura correta,mas acabo agindo assim quando preocupado...acho que é de família.

As informações porém não foram necessárias,já que Obi wan surgia com notícias preocupantes.

Qui-Gon: Obi-Wan! O que aconteceu aqui? Onde está a jovem?

Obi-Wan: Ele... ele a levou, mestre. Dag Oneth esteve aqui, fez todo este alvoroço e levou a garota! Bem debaixo do meu nariz, droga!

Qui-Gon: Mantenha a calma, Obi-Wan... Nós iremos encontrá-la!

Obi-Wan: Eu me pergunto... como ele a achou tão rápido? E no meio de um mercado lotado? Isso não é normal.

Qui-Gon: Isso... é o que pretendemos descobrir.

Precisamos de um piloto e de uma nave veloz,talvez ainda haja tempo.....

É quando algo chama a atenção de Seraph e ele estreita os olhos ao observar a figura adiante.

E temos outro problema,acabo de ver alguém que não deveria estar aqui...mais do isso,deveria estar morto.

_________________
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1348
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Jor-El em Seg Mar 07, 2016 3:28 pm

Não funcionou. Eles continuam a avançar. Como se nada os assustasse. E Lehane continua a provocar. Obvio que continua. E o garoto esperneando. Meu deus, eu espero que o Jabba REALMENTE possa nos ajudar, porque o moleque enche o saco. Foi quando... bam! Jango Fett traiu o sith. E, caramba, ele abriu o caminho pra gente. O que foi isso? Eu achava que não entendia as mulheres. Agora, os homens também? Pelo menos podemos sair facilmente pelo caminho que ele saiu. Melhor do que trocar disparos enquanto temos um mini hutt a tiracolo. As chances dele se ferir, ou pior, de eu me ferir eram imensas.

Nate: Relaxa, júnior. Foi apenas um blefe. A gente sabe das consequências de mexer com você.

Enquanto isso, dou cobertura para a Faith. Apenas pra assegurar que o caminho vai estar livre e que não vão nos emboscar.

_________________
avatar
Jor-El

Número de Mensagens : 993
Idade : 27
Data de inscrição : 11/09/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Darbis em Seg Mar 07, 2016 8:30 pm

Hmmm? Seraph? Seraph... Humpf... Maldito Jedi... Ele me viu, eu sei que ele me viu, está apontando pra mim... Mas aqueles dois com ele, parecem Jedi também... Melhor chegar com cautela.

*Nesse momento imagens começam a surgir na mente de Lak'tur. Ele então começa a ver em sua mente Seraph dizendo que Rowena jamais o seguiria. Que Rowena o pertencia. Que ele era o verdadeiro protetor e irmão dela. Em sua mente ele via Rowena abraçar Seraph e dizer "ele é meu irmão... você não é nada..." Seraph dizia "você não é nada... eu sou um Jedi e você não é nada..." "você não é nada..." "nada..." Todos diziam ao mesmo tempo "você não é nada..." Lak'tur não conseguiu se mover e suas pernas quase perderam a força. Mesmo sem entender a raiva começava a fluir por ele. Porém ele precisava manter o controle. Ele precisava ser convincente até aquele momento e talvez até mais. Ele precisava do cristal a qualquer custo. Lak'tur então respirou fundo e pensou em Nisa. Lembrou-se de seus olhos profundos e seu sorriso aconchegante. Assim conseguiu se acalmar. Depois de um tempo ele aproximou-se de Seraph e seus companheiros.*

- Seraph... Não sei se devo dizer que é um prazer em rever você, mas é bom ver que pelo menos você está vivo. Ao contrário do Embaixador... O que aconteceu com os outros?


Acalme-se Lak'tur... Agora você é Voors, O Encouraçado, seja assim... Por Nisa.

_________________


Sabe porquê eu posso? Porque meu pai é o Batman!
avatar
Darbis

Número de Mensagens : 391
Idade : 29
Data de inscrição : 27/03/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Ricardo Sato em Ter Mar 08, 2016 12:17 am

Como sobreviveu Voors,onde estava e como diabos me encontrou aqui sem encontrar-se com os outros?......não há tempo,terá de esplicar-se depois.

Os outros precisam de sua ajuda,Katarn está desaparecido...acreditamos que Darth Sarin está com ele,Nate e Faith foram errôneamente acusados pela morte de Valoruum,você deve ir até a capital para colocar as coisas em pratos limpos e acabar com a caçada a eles.

Eu vou atrás de Rowena....Mestre Qui gon,Obi Wan..precisamos de uma nave antes que seja tarde.

_________________
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1348
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Scorpion em Ter Mar 08, 2016 1:12 am

FAITH E NATE

A atitude de Jango fez com que Faith e Nate ficassem sem entender. Entretanto, ambos eram inteligentes e não ficaram ali para fazer perguntas. Rotta deu um "salto", se é que aquilo poderia ser chamado disso, para os braços de Faith e quase a desequilibrou pela ponte. De fato, Rotta era bem pesado, visto que era muito massudo e atirar com ele nos braços era uma tarefa quase impossível.
Enquanto ia saindo como podia com o Hutt nos braços, Nate ia dando cobertura para Faith. Nate era um exímio atirador e nos três primeiros tiros derrubou dois dos droids. Entretanto, a mira dos droids estava melhorando e Nate tinha de vazar dali enquanto podia.

Os dois seguiram por um corredor às pressas e com os gritos desesperados de Rotta enchendo os corredores de ecos e entregando a posição. Foi quando saíram em um hangar e apenas uma nave estava ali, prestes a decolar, mas com a rampa de acesso aberta para os heróis. Dava pra ver que Jango Fett estava no cockpit, mas estava prestes a partir. Não havendo outra saída dali, a idéia mais sensata era aceitar a carona do Caçador de Recompensas.

Já no interior da nave, Jango fechava a escotilha e manobrava a nave flutuando, para sair pela abertura da fortaleza. Droids apareciam e começaram a disparar contra a nave, mas ela podia fazer pouco contra os escudos da mesma. Rotta descia dos braços de Faith e começava a bravatar.

Rotta: Finalmente estou livre! Levem-me a meu pai e ele lhes cobrirá de créditos! A gratidão de Jabba é o melhor prêmio que Caçadores de Recompensa possam querer!

Jango colocou a nave em piloto automático e traçou a rota para Tatooine, onde possivelmente Jabba estaria. Então, ele levantou-se da cadeira e caminhou até os heróis. Ele parecia não dar a menor moral para a existência de Nate, focando-se apenas em Faith.

Jango: Essa foi por pouco. Mas o tiro que eu dei em Savage Opress não foi fatal. Matá-lo não era a minha intenção. Você está bem, Faith Lehanne?

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2429
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Scorpion em Ter Mar 08, 2016 1:23 am

ROWENA

Dag Oneth apenas levantou uma sobrancelha quando ela disse que o mestre dela havia morrido. Seria aquilo mesmo?

Sarin: É isso mesmo que você pensa, Rowena? Que seu mestre morreu porque atacou um Ewok? Criança... você ainda tem tanto a aprender. Mas se há uma certeza neste universo é a de que o aluno sempre acaba por virar o mestre... e você entenderá o que estou dizendo.

Então, Rowena falou sobre não ajudá-lo em nada. Ele riu...

Sarin: Hahahaha! Minha cara... toda a ajuda que eu vou precisar de você é que você fique assim, como está: parada! Certas coisas estão além do alcance da vontade de todos nós. Nós só podemos aceitar, minha jovem...

Ele olhou no fundo dos olhos dela.

Sarin: Você tem tido pesadelos constantes, não é, Rowena? Pesadelos com um homem de máscara branca e voz macabra. Quando isso começou? Logo após você experimentar um pouco do Lado Negro, não foi? O que você fez? Vamos, me conte... estou curioso. Você abusou dos seus poderes? Usou habilidades do Lado Negro? Usou A Força para tirar uma vida inocente? O que?

Ele levantou o queixo dela....

Sarin: Às vezes, pesadelos podem ser bem mais do que imaginamos, minha cara. Especialmente para os sensitivos À Força, como nós dois.

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2429
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Scorpion em Ter Mar 08, 2016 1:32 am

NISA

O Chanceler parecia um tanto sem chão, quando Nisa falou as primeiras coisas com ele.

Pai: Dawis não era um Senador, minha filha... era um Embaixador de Zonas de Guerra. Ele conhecia os riscos, é por isso que o Senado está em polvorosa com a nossa movimentação. Além disso, o uso de Mercenários e também... dois jedis sendo procurados, nos fez perder o apoio do Conselho Jedi. Nossa situação está caótica, minha filha...

Nisa então meio que solicita coisas a Pandorum. Entretanto, o rosto sempre amigável de Pandorum converteu-se em um olhar superior e, porque não, prepotente.

Pandorum: Eu sinto dizer, senhorita Vallorum, mas a senhorita não me dá ordens. As tropas serão trazidas de volta com ou sem o seu consentimento. Quanto aos Mercenários que a senhorita contratou, eu não tenho qualquer poder ou influência sobre eles, mas caso eles firam os Jedi, a senhorita será a responsável por isso. De qualquer forma, eu auxiliarei o ex-Chanceler da forma que puder, em nome de nossa antiga amizade, mas nada que me comprometa.

Ele caminhou alguns passos e falou de costas para Nisa.

Pandorum: Eu tentei unir nossas famílias. Agora, a sua tem pouco a me oferecer, senhorita. Deveria ter escolhido seu caminho com mais cautela.

E partiu...

Nisa entrou na nave e partiu em rumo à Cerea, onde apontava a nave de Lak'Tur.

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2429
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Scorpion em Ter Mar 08, 2016 1:42 am

SERAPH E KATARN

Abtes de Voors chegar, ao longe ele podia ver Seraph entregando algo para um velho jedi. O jedi olhou o que Seraph o entregou contra o Sol e era negro, mas estranhamente brilhava quando a luz do Sol de Cerea batia nele... Parecia, de fato, ser o cristal negro. Então, o velho o guardou em algum lugar do seu robe.

A presença de "Voors" ali era meio que uma surpresa. Como e quando ele conseguiu sair de Endor era meio que um mistério para Seraph. Entretanto, o jedi era muito empático e o que ele podia sentir de Voors era uma raiva contida muito grande, assim como um sentimento apaixonado por alguém, algo ou situação. Sentimentos perfeitamente plausíveis, visto que Voors havia sido "abandonado" em Endor. Mesmo assim, o Encouraçado encontrava-se lá.

Obi-Wan: A nave de vocês partiu com os mercenários que foram atrás do filho de Jabba e a nossa partiu com mestre Mundi. Tecnicamente falando, estamos ilhados neste planeta.

Qui-Gon: Bem, eu irei mandar uma mensagem para os colegas de Seraph, para que voltem assim que puderem. Roth não é longe daqui. Pedir uma nave de apoio do Conselho demorará muito.

Obi-Wan: Mestre, eles partiram em uma nave de transporte de droids. Aquela nave não deve nem realizar velocidade de dobra.

Qui-Gon: Tenha fé, padawan. Confie na Força para nos ajudar a ajudar aquela garota.

Então, Qui-Gon pegou o comunicador e mandou uma mensagem para Faith e Nate Reynolds...

Obi-Wan olhou para Voors e comentou.

Obi-Wan: Essa é uma armadura Mandaloriana, não é? É coisa muito rara! Onde conseguiu ela e a Espada?

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2429
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Alexandre em Ter Mar 08, 2016 9:10 am

Os dias mais simples na vida da Caçadora de recompensas pareciam perdidos em um passado distante: Ela acreditou precipitadamente que ao deixar de ser companhia de um par de Jedis, que acreditou serem apenas histórias para dormir por grande parte de suas vida as coisas voltariam a um ritmo normal, ao menos "normal" dentro de seus critérios. Droids atirando em sua direção e uma missão suicida faziam parte dos planos...

Mas ser salva por Jango?

Enfim, não havia tempo para filosofar a respeito conforme dito, era acreditar na lendária má pontaria dos droids e tentar não cair com o tão querido herdeiro dos Hutt literalmente nos braços enquanto se deslocavam pelos corredores. Finalmente pareciam ter escapado daquele complexo e logo viam a nave do segundo melhor caçador de recompensas do sistema...

Bom, porque parar de testar a sorte agora?

Entravam na nave que logo decolava, deixando para trás em uma cena mais do que comum para atuantes no ramo, robos atirando inutilmente frente ao sucesso da missão. Rotta logo descia, o que por si já era um alívo. Faith se direcionava ao alienígena, que parecia satisfeito por hora:

- Estamos indo para la, precisamos falar com seu pai... Mas isso vai ficar para depois, não se preocupe...

Faith olhava para Reynolds, deixando Rotta se locomover pela nave como bem preferisse, afinal a nave sequer era dela! Parecia tentar escolher bem o que dizer, ou o que iria compreender quando Jango se levantava com a maior naturalidade do mundo, como se fossem amigos de longa data ou colegas de profissão...

Ok, a segunda parte era verdade, mas isso era mais um problema do que uma vantagem.

Faith ouvia aquelas palavras demoradamente, atenta, confusa, pensando no que se tratava. Apesar do que ela e Nate haviam "brincado" instantes atrás, não pensava que alguém profissional como Jango estava fazendo aquilo por questões pessoais ou sequer envolvendo sentimentos. Ele não se prejudicaria tanto. Poderia ser que ele simplesmente estivesse querendo cair nas graças de jabba da mesma forma, mas aquela parte sobre ter ouvido o mesmo dizer que "Ela era dele" ainda martelava em sua cabeça...



Após um instante longo demais, ela parecia recuperar a fala:

- Me falaram que Siths são meio vingativos, não que você importe... - Ela ainda olhava desconfiada, olhava para Nate e Jango trocando olhares entre os dois, como se procurando uma resposta inexistente ali - Olha só...Eu não quero parecer a ingrata mas, vamos ser praticos e objetivos como nossa reputação diz: Porque exatamente você me...Nos tirou de lá? Ouvimos a sua conversa com Savage, e como disse que... Bom você sabe o que disse. - Não iria repetir aquilo. Olhava mais uma vez para Nate e logo se direcionava mais uma vez a Jango.

- Então...Qual o truque Jango? Estou levemente lisonjeada, parcialmente confusa e se apenas dessa vez fosse possível quebrar a regra de discutir seus objetivos...

Porque não pareço prisioneira, e isso de alguma forma é bem incomodo.

Umas respostas cairiam bem agora.

Especialmente a parte de ser "pessoal".

_________________


"I'm the guy who died playing the game your way, and didn't even get a gravestone as thanks. And you know what? That's fine by me, because now I know how the world really works."


"Just you and me, children. Saving the world. From itself."

avatar
Alexandre

Número de Mensagens : 409
Idade : 33
Data de inscrição : 07/09/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Gláucio "Speedy" Gonzales em Ter Mar 08, 2016 10:32 am

Oh, como se revelam facilmente traidores todos os que se aproximam de meu pai! Que cretino! Ao ouvir a resposta antes de sair se faz necessária.

-Achei que nosso acordo ainda estava de pé! E eu não lhe dei ordem alguma, Pardorum! Foi você quem decidiu nos ajudar com tropas, com apoio mercenário e é SEU nome que exigiu a ida deles. É  justamente em nome dessa amizade que pedi ajuda e por conta disso que vou salvar meu irmão e a SUA reputação. A luta de Padmé e Palpatine é a busca por poderes absolutos. Vou ir salvar seu status no Senado, ainda "não temos o que oferecer", Senador... Tenho certeza que se a Princesa ficar em perigo vai convocar todas as forças da República para protege-la.

Crápula, creio que precisa de mais sugestão mental para entender do que sou capaz! Já não basta o maldito Palpatine atormentando meu pai há anos e se passando por bom moço! Eu não espero a resposta, as coisas estão bem ruins. Preciso imediatamente encontrar Lak´tur e a maldita joia. Antes que esses abutres avancem mais... Tolo Pandorum, não faz ideia de quanto poder esta abrindo mão se tentar me trair e se focar só nos cargos da República.

_________________
avatar
Gláucio "Speedy" Gonzales

Número de Mensagens : 2614
Idade : 37
Data de inscrição : 19/01/2008

Ver perfil do usuário http://www.gonzalismoveloz.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Jor-El em Qua Mar 09, 2016 12:06 pm

Conseguimos andar razoavelmente rápido, apesar de carregar um peso extra. Isso sem falar nos droids. E eles tem praticado. Chegaram perto de nos acertar algumas vezes. Mesmo assim, conseguimos chegar a uma saída e a nave de novo desse cara.

Mesmo assim, temos mais chances contra ele do que contra todos os droids de uma fortaleza. Entramos rapidamente e o hutt começa a prometer dinheiro.


Nate: Tecnicamente, apenas eles dois são caçadores de recompensa. Eu sou mais contrabandista. Vendo produtos abaixo da linha do radar. Inclusive, se seu pai achar que o arsenal da organização dele estiver desatualizado, ele pode me contatar a qualquer hora. Mesmo assim, eu aceito ser coberto de créditos.

Depois, eu apenas contemplo enquanto Faith interroga Fett. Eu tenho as mesmas perguntas. Mas ele provavelmente vai abrir a boca mais facilmente pra ele. Primeiro, porque ele tem algum interesse nela. De qual ordem, eu não sei se quero saber, honestamente. Fora isso, ela tem o mesmo receio dos Sith voltarem e isso realmente leva a uma questão interessante: por que o deixou vivo e por que nos ajudar? Se os Sith realmente estiverem aliados a Câmara do Comercio, eles tem mais dinheiro do que qualquer Deus de qualquer religião, que dirá de um mero criminoso como o Jabba.

E, apesar de ser um idiota, eu tenho o minimo de respeito pelas pessoas e deixo a Faith perguntar o que a intriga. Acho que ela tem esse direito. Fora não ser honestamente da minha conta ou do meu interesse. Eu puxo um pouco o Rotta.


Nate: Vamos, garoto. Vamos achar algo pra você brincar. O caminho de volta pro seu pai pode demorar.

_________________
avatar
Jor-El

Número de Mensagens : 993
Idade : 27
Data de inscrição : 11/09/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Darbis em Qua Mar 09, 2016 9:34 pm

~Enquanto Seraph falava algo sobre ir para Coruscant para acertar uma tal caçada por eles~

Hmmm... Então ele está com o tal cristal... Melhor manter ele perto de mim e mandar uma mensagem para Sarin assim que possível.

Obi-Wan: A nave de vocês partiu com os mercenários que foram atrás do filho de Jabba e a nossa partiu com mestre Mundi. Tecnicamente falando, estamos ilhados neste planeta.

Qui-Gon: Bem, eu irei mandar uma mensagem para os colegas de Seraph, para que voltem assim que puderem. Roth não é longe daqui. Pedir uma nave de apoio do Conselho demorará muito.

Obi-Wan: Mestre, eles partiram em uma nave de transporte de droids. Aquela nave não deve nem realizar velocidade de dobra.

Qui-Gon: Tenha fé, padawan. Confie na Força para nos ajudar a ajudar aquela garota.

Então, Qui-Gon pegou o comunicador e mandou uma mensagem para Faith e Nate Reynolds...

Obi-Wan olhou para Voors e comentou.

Obi-Wan: Essa é uma armadura Mandaloriana, não é? É coisa muito rara! Onde conseguiu ela e a Espada?



Hmmm... Em missão... Estão todos dispersos... Ótimo. Pior tática militar de todas, dividir para conquistar só funciona se forem todos para um ponto só. Nesse caso eles se separaram demais. É hora de dividir mais ainda.

- Se é uma nave que vocês precisam, usem a que eu vim nela. Dei uma sorte danada em encontrar ela...

*"Voors" vira para Obi-Wan*

- Sim, é aço Mandaloriano. Vamos dizer que seja herança de família... Mandalorianos não contam muito sobre as próprias coisas para outras pessoas...

*"Voors" então começa a ir em direção à nave esperando que os outros o sigam, mas ainda frisa*

- Se sairmos agora talvez ainda possamos alcançá-los... VAMOS!

*Lak'tur no caminho então manda uma mensagem decodificada, quase um morse, para Sarin através do comunicador dizendo "O Cristal Negro está com os Jedi que estavam com a garota, estou tentando levá-los atrás de você, prepare uma emboscada. Lak'tur desliga."*

_________________


Sabe porquê eu posso? Porque meu pai é o Batman!
avatar
Darbis

Número de Mensagens : 391
Idade : 29
Data de inscrição : 27/03/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Renata C. em Qua Mar 09, 2016 10:40 pm


I just can't help myself
I'm feeling like I'm going out of my head
Tears my heart into two
(...)
Something's awfully familiar
The feeling's so hard to shake
Could I have lived in that other world
It's a link that I'm destined to make

I'm still searching but I don't know what for
The missing key to unlock my mind's door



Eu não quero aprender nada com você. Eu não sou como você. Não vou NUNCA ser como você.

Sarin estava próximo e olhava para uma Rowena de uma maneira que parecia ler a sua alma. Ele dizia algo sobre o aluno se tornar o mestre. As palavras dele não faziam muito sentido para a garota, e na verdade ela não tinha muita certeza se queria descobrir sobre o que ele estava falando.

E então Sarin seguia dizendo que toda ajuda que precisaria dela era que ela ficasse onde estava.

- Eu não vou aceitar nada! - para a posição em que estava, até que a garota estava sendo corajosa. Ela encarava o antigo mestre sem demonstrar estar com medo.

Ele começava a falar sobre os pesadelos. Como ele sabia? Será que era assim com todos que eram corrompidos pelo lado negro? A figura sinistra aparecia no sonho e pouco a pouco ia os enlouquecendo, até que se tornavam maus?

Virou o rosto bruscamente quando ele segurou seu queixo. Não queria que ele encostasse nela. Ela parecia ponderar o que ele dizia.

- Ele aparece pra você também? - O tom de voz mudara um pouco, dessa vez Rowena parecia até levemente interessada. Mas na verdade, não queria falar com Sarin sobre o que tinha acontecido. Porque... qualquer detalhe que Rowena falasse seria mais uma fraqueza para ele explorar. Será que ele perceberia? Que ela só tentava ganhar tempo?

Quer alguma informação de mim? Vai ter que arrancar, Sarin.

_________________


"Miracles aren't free, you know. If you wish for something good to happen, a whole lot of bad stuff is gonna happen too. I guess that's how the world stays in balance, good bad, everything zeros out. "
avatar
Renata C.

Número de Mensagens : 523
Idade : 32
Data de inscrição : 27/08/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Ricardo Sato em Qua Mar 09, 2016 11:18 pm

Uma nave era uma nave,e quanto mais rápido fossem atrás de Rowena melhor,mas Seraph não deixava de atentar que Voors a nada respondia....sobreviveu quando o senador morreu,encontrou uma nave por sorte nas luas de endor,não se encontrou com ninguém e ainda sim veio exatamente aonde estavam,veio pelo senado mas jamais disse ser ligado a Valorunn,que também jamais lhe dirigiu a palavra como contratante para dar ordens...um mercenário sem face e sem boa reputação contratado pelo mesmo senado que agora os caçavam....seria Voors o tempo todo um traidor?Teria Valorunn morrido pela espada?Gostaria que Katarn pudesse confirmar,o embaixador não deveria ter poucos inimigos no governo,Seraph se lembrava que a família dele era importante.....
A única certeza é que todo aquele ódia não condizia com as palavras tranquilas....enquanto o mercenário se dirigia a frente mostrando o caminho da nave e fazendo uma comunicação,Seraph de forma sutil se dirige aos outros.

É a nossa melhor chance de alcançar Rowena,a menos que tenham algo contra,tenciono aceitar,mas cuidado,não o conheço direito...mas acredito que os dois sentem todo aquele ódio...e todo aquele cheiro de sangue....cuidado.

_________________
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1348
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Scorpion em Qui Mar 10, 2016 11:49 pm

FAITH E NATE

Enquanto Nate ficava em vão tentando conversar com Rotta, Faith e Jango travavam um diálogo.

Jango: Por esta razão, de eles serem vingativos é que eu não o matei. Ferí-lo desta forma fará com que ele venha atrás de mim... sim, eu posso lidar com Savage Opress. Entretanto, se eu o matasse, eu teria de lidar com o irmão dele... um sujeito que eu não gostaria de irritar. Duas vezes mais hábil e dez vezes mais perigoso que Savage. Não, obrigado.

Jango riu quando Faith falou sobre quebrar a regra e perguntou a razão de tudo aquilo.

Jango: Isso chama-se "proteger a espécie", Faith Lehanne.

Vendo a cara de desentendida ainda de Faith ele explicou.

Jango: Há algum tempo eu fui procurado por um homem sobre o meu código genético. Tratava-se do fato de que eles precisavam de mim por ser o "último Mandaloriano". Bem... eu decidi ir atrás das minhas origens e me aprofundei no estudo da história Mandaloriana. Através de alguns arquivos que eu não vou me prender a detalhes exibicionistas de como tive acesso, eu consegui um rastro que me mostrou que eu não era o último.

Ele meio que balançou a cabeça como quem esquece algo.

Jango: Bem, o "último" eu realmente sou, mas a última...

Ele fez um gesto apontando com a mão para ela.

Jango: Você nunca estranhou a sua capacidade de se meter em problemas e batalhas e sempre conseguir sair viva delas? O jeito como as lutas parecem "divertidas" pra você? Que uma aventura, uma batalha ou até mesmo uma guerra te atraem? Aceite, Faith Lehanne, você pode nunca ter tido ciência disso, mas, até onde sei... nós dois somos os últimos Mandalorianos da Galáxia. E se eu fosse você, eu guardaria muito bem este informação.

Se Faith não tivesse mais nada a dizer, ele voltaria para o cockpit para iniciar o pouso em Tatooine, no Palácio de Jabba.



Os heróis foram recebidos por um "olho Mágico", no mesmo estilo do que recebeu Nate Reynolds em Tatooine, mas bem mais rústico. Assim que o Olho viu Rotta que gritava e esperneava, o portão metálico se ergueu, fazendo um rangido característico. Os heróis foram conduzidos por um corredor até a presença de Jabba, onde Rotta saiu correndo, gritando por seu pai.

Jabba então falou na língua dos Hutts, que Nate não entendia, apenas Faith, mas havia um servo que traduzia tudo.

Tradutor: Meu senhor Jabba está abismado e, porque não, lisonjeado que o lendário Jango Fett, a indômita Faith Lehanne e o desprezível Nate Reynolds estejam em sua presença ao mesmo tempo. Ele diz que está muito agradecido de vocês terem devolvido a ele o seu adorável filho Rotta, o Hutt.

Jabba fala algo apontando para Nate.

Tradutor: O magnânimo diz que não esqueceu que você tem contrabandeado pelo território Hutt e que deveria arremessá-lo para a criatura, entretanto, seria péssimo para a reputação de Jabba mostrar pouco agradecimento. Ele pede que você acompanhe os guardas para a sua recompensa, Nate Reynolds.

Então, dois guardas que lembravam porcos verdes com rifles blasters foram acompanhando Nate e o tradutor de Jabba. Não era algo opcional, e nem sensato fazer nada ali, então, Nate começou a temer por sua vida. Mas logo, Nate viu que a recompensa era algo talvez até broxante... Uma nave velha e que parecia meio acabada...



Tradutor: O magnânimo diz que ainda não gosta de você e, que se pegar você contrabandeando novamente pelo território Hutt, ele irá arrancar sua genitália e fazer você comê-la. Esta é toda a recompensa que você terá, Nate Reynolds... Se quiser, aguarde sua amiga e depois parta. A paciência de minha alteza é pequena como suas pernas.

Dizendo isso, o tradutor e os guardas entraram.
Enquanto isso, Faith e Jango estavam conversando com Jabba, na língua dos Hutts.

Jabba: Nate Reynolds é um homem desprezível, mas não posso ser ingrato com quem ajudou a devolver Rotta. Eu o recompensarei à altura, descontado por todos os problemas que ele já me causou. Quanto à vocês, eu pergunto: Como posso ser grato?

Jango Fett se adiantou e disse.

Jango: Os contratos. Quero prioridade em todos os contratos de cabeças que você estiver oferecendo. Eu escolho quais aceito, quais não, mas devo ser sua primeira opção, senhor Jabba... sempre!

Jabba: Um pedido ganancioso... veremos se você é capaz. E você, Faith Lehanne, o que deseja de Jabba?

Enquanto isso, do lado de fora, Nate recebia uma mensagem pelo seu holocron. Tratava-se de QUi-Gon.

Qui-Gon: Nate Reynolds, aqui é Qui-Gon Jin. Precisamos que você traga aquela nave para Cerea novamente, assim que puder. Rowena foi capturada, temo que se não nos apressarmos, será tarde demais para ela...

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2429
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Scorpion em Sex Mar 11, 2016 12:06 am

NISA

Pandorum pára para ouvir o que Nisa tinha a dizer. Ele cerra os olhos e sacode a cabeça como se tentasse espantar algo de sua mente. Nisa então teve a certeza de que seu poder de sugestão era ainda fraco para influenciar uma mente como a do Senador. Seu mestre a havia alertado sobre isso... algumas mentes eram mais fortes do que outras, e Pandorum era uma delas.

Pandorum: Sim, senhorita Nisa, eu ofereci. Mas até onde me lembro, seu pai também ofereceu uma união entre nossas famílias, que tornaria a nossa influência sobre o Senado muito maior. Entretanto, o que a senhorita fez até agora? Enrolou-me e tem me feito rodar como bobo, coisa que não sou. Se a senhorita tivesse enxergado nossa futura relação de uma maneira mais política e fantasiado menos com idéias sentimentalistas nós poderíamos ter construído muito juntos.

Ele virou-se e encarou Nisa nos olhos. Aquele homem parecia ter mais fibra do que o reles pavão por qual Nisa havia julgado-o.

Pandorum: E como a senhorita mesmo disse, eu autorizei o envio de tropas atrás de Dawis, mesmo contra a vontade do senado, ou seja: Eu também prejudiquei a minha reputação na falsa promessa de que nossas famílias se uniriam por poder. Sinto muito, senhorita Vallorum, mas a minha amizade só se estende até o momento em que a minha reputação e o meu status arrisca cair. Passe bem.

Então, o Senador partiu, se Nisa não tivesse mais nada a dizer.

NOTA: GLÁUCIO, PALPATINE NÃO EXISTE NA MINHA CRONOLOGIA, ASSIM COMO ANAKIN SKYWALKER.

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2429
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Scorpion em Sex Mar 11, 2016 12:21 am

SERAPH E LAK'TUR

Enquanto Seraph tentava entender o que se passava com os sentimentos de Voors, o Encouraçado guiava os três para a sua nave. Obi-Wan então com seu jeito irônico de encarar as coisas coçou o queixo e perguntou.

Obi-Wan: Entendo... é uma bela nave, mas como faremos isso? Iremos uns sentados sobre os outros até sabe-se-lá-onde Dag Oneth levou a garota?

Qui-Gon tentava nesse momento se comunicar com Faith e Nate...

Nota: Pessoal, sinto muito, mas não tive muito o que narrar no turno de vocês porque ambos se equivocaram quanto à nave. Eu descrevi bem há 4 turnos atrás...

Scorpion escreveu:LAK'TUR E NISA

(...)

Nisa, na saída existem duas naves pessoais estacionadas ali. Ambas não estão tripuladas, mas possuem o módulo de aceleração para o Hyperespaço e ambas possuem o símbolo da república. Restava agora que ambos decidissem para onde iriam. No localizador das naves indicava que Darth Sarin havia ido à Cerea, enquanto que Conde Dookan havia se retirado para Genosis.

A Nave é PESSOAL, como as que Anakin e Obi-Wan usam no começo do ep. 3, ou uma X-Wing. Este tipo de nave transporta apenas UMA pessoa.

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2429
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Scorpion em Sex Mar 11, 2016 12:41 am

ROWENA

Sarin olhava com certo... orgulho(?) para Rowena...

Sarin: Não se preocupe, minha cara. Quando chegar a hora, não haverá mais o que aprender.

Então, falar sobre o sonho tocou um pouco em Rowena. Ele percebeu aquilo... e ele decidiu que a máscara não deveria mais existir.

Sarin: Se ele aparece para mim? Sim, minha cara... sempre. Ele me salvou... a primeira vez que ele apareceu para mim foram poucas horas após o meu nascimento. O meu...? Não... o nosso. Não o seu e o meu, mas o meu e o de meu irmão... Dag.

O sorriso dele se tornava um pouco mais psicótico. Era como se Dag Oneth fosse outra pessoa.

Sarin: Meu nome é Bar Oneth e eu sou o irmão daquele que você chama de "mestre". Eu e Dag nascemos grudados um ao outro, pela cabeça. Nossa família era pobre em Corruscant e nossos pais decidiram por não fazer a cirurgia que poderia salvar os dois... era mais custosa. Eu precisaria de implantes cibernéticos, orgãos tecnorgânicos... então um de nós seria descartado. E adivinhe quem foi o felizardo?

Os olhos de Bar Oneth começavam a molhar-se com lágrimas de ódio. Era possível ver os olhos avermelhando.

Sarin: Eu fui privado do amor de uma família... atorado à uma unidade de lixo e descarte, para morrer... mas eu não morri. Eu absorvi todo aquele ódio, desprezo, abandono... e aquilo me alimentou por longos dias. Foi quando ele me visitou pela primeira vez... em meus sonhos, a máscara branca... o lord Sith conhecido como Darth Nihillus, desaparecido há muito tempo... tão ávido pelo Lado Negro que se alimentou dele durante a vida e acabou se tornando um Espírito assombrado da Força. Ele me encontrou... sentiu a Força em mim e em meu irmão... mas eu estava mais acessível. Estava ávido por qualquer coisa que me salvasse, que me alimentasse, que calasse meu choro... e ele o fez. Ele me nutriu por dias com o Lado Negro da Força, até que o meu corpo infantil não aguentou mais, pela fome e pela sede... e eu morri.

Ele olhava para as próprias mãos, com ódio.

Sarin: Mas a morte não é o fim... é o início do ciclo! Eu ascendi ao lado de meu mestre... e aguardei. Aguardei até o momento em que eu seria útil... e cobraria o que me foi negado! Quando meu irmão Dag estava fraco... eu pude tomar o seu corpo. Não se engane, Rowena... este é o corpo de seu mestre! Mas a alma dele, seu espírito... estes não mais estão aqui! Eu tomei o controle! Eu vivo no lugar dele agora... quarenta e oito anos que me foram negados, mas o corpo tem bela forma física... e terá muita serventia para os planos de meus mestre...

Ele olhou de volta para ela e sorriu, com lágrimas que brotavam e molhavam as bochechas...

Sarin: Aí, e só aí... nós aniquilaremos os Jedis da Galáxia! Masnão se preocupe... seu papel será essencial no fim disso tudo. Meu mestre precisa de uma forma física... e eu demorei muito para achar a forma que estava destinada a ele... quando eu a achei, eu tomei o lugar de Dag Oneth... porque só assim, eu conseguiria atraí-la para tudo isso. Como eu disse, Rowena... a aluna se tornará o mestre. Darth Nihillus viverá em você quando tudo isso acabar... e não há nada que você possa fazer para impedir isso.

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2429
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Darbis em Sex Mar 11, 2016 12:55 pm

Obi-Wan: Entendo... é uma bela nave, mas como faremos isso? Iremos uns sentados sobre os outros até sabe-se-lá-onde Dag Oneth levou a garota?



- Vocês tem como pedir ajuda jovem, Seraph e eu podemos nos espremer na nave e partir o quanto antes e mandar a localização para vocês depois. Ou você realmente acha que eu levaria vocês todos em uma nave pequena? Ela só é rápida rapaz...


Porcaria... Eu devia descer a porrada nesse carinha... Tá se achando demais Jedi, pode acabar perdendo uma mão ou outra.

_________________


Sabe porquê eu posso? Porque meu pai é o Batman!
avatar
Darbis

Número de Mensagens : 391
Idade : 29
Data de inscrição : 27/03/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Ricardo Sato em Sex Mar 11, 2016 5:08 pm

A nave era minúscula,mas o aparato de hiperdrive seria muito útil.

Com esta nave tenho certeza de que podemos alcançar Oneth se ele realmente estiver em uma nave de transporte,mas devo admititir que mesmo que termine meu treinamento ainda sim seria duvidoso que pudesse enfrentar Sarin no momento é quase impossível.
Se realmente apenas um ou dois puderem ir ,somente mestre Qui gon tem alguma chance de salvar Rowena,ele deve ir e se for possível "se espremer" que leve a mim ou Obi wan,mas ao menos que vá sozinho....sinto muito Voors mas sem saber de suas defesas mentais colocá-lo no combate a um sith seria um risco.

É melhor que peça um novo transporte mestre Qui gon,nos o esperaremos aqui enquanto você parte atrás de Sarin,iremos assim que o transporte chegar desde que nos dê as coordenadas.
Creio ser a estratégia mais sensata.....concordam?

_________________
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1348
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Darbis em Sex Mar 11, 2016 11:13 pm

- Sim... Se Qui-Gon é forte o bastante para ir atrás de Sarin até nós chegarmos essa é a melhor estratégia.


Humpf... Só andem logo... Espero que esse tal Qui-Gon saiba pilotar uma nave...

_________________


Sabe porquê eu posso? Porque meu pai é o Batman!
avatar
Darbis

Número de Mensagens : 391
Idade : 29
Data de inscrição : 27/03/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Alexandre em Sab Mar 12, 2016 10:43 am

Faith permanecia ali ouvindo as explicações com uma rara atenção. Então Jango conseguia lidar com Savage Opress?

- Sabe lidar? A última vez que enfrentei um precisei de uma granada...

Não achava necessário dizer quem era e sair por ai trocando histórias de guerra, eram apenas negócios. Ambos eram bom profissionais e talvez como ela, Jango não estivesse assim tããõ interessado naquilo. Claro que frente a cara de interrogação de Faith, Jango logo começou as suas explicações.

Okay.

Entendi.

Ceeeeeeeeeeerto.

É até meio difícil saber o que comentar.

Ok, ponto para o cara de capacete fechado: Protege completamente em saber o que ele esta querendo insinuar dizendo aquilo. Talvez fosse tudo apenas mais uma história, Jango pode estar apenas querendo mexer com a minha cabeça e me confundir...

Mas parece bem convencente.

Ela estava em silêncio a tempo demais, então desviou o olhar em outra direção dando as costas antes de Jango sair.

- Certo eu...Vou guardar.

Tipo, muito bem.

Porque no que dependia dela, Jango podia sair "perpetuando a espécie" de um lado, e ela do outro.

Argh. Porque ainda estava pensando naquilo?

-----------------------------------------------

Era quase um alívio estar ali no antes tão temido palácio dos Hutt. Jabba não era exatamente a figura mais carismática da galaxia, mas eles aviam feito por merecer serem bem recebidos. Para a surpresa de Faith FINALMENTE alguém mais havia se dedicado a aprender idiomas e ela não precisava ficar traduzindo tudo. Jabba logo mostrava sua satisfação com o ocorrido:

- "Indômita"... Eu até gostei. - Comentava pensando alto consigo mesma, e logo ouvia os detalhes a respeito de Nate. Faith cerrava os dentes em uma expressão estranha olhando para ele, como sempre fazia a se preocupar com algo e apenas olhava enquanto o mesmo era acompanhado dos guardas, dando um aceno bem humorado - Tente voltar vivo "capitão"!

Logo ficava em silêncio mais uma vez, ouvindo o que era dito pelo próprio Jabba. Ela pensava como levantar a questão que havia os colocado em tudo aquilo, quando Jango tomava a frente e fazia aquela...Exigência? Faith colocava as mãos nos bolsos de trás, acrescentando quando Jango falava em voz baixa - Caso precise, eu ficaria feliz em ser a segunda...

Mas logo a pergunta era direcionada a ela.

Muita calma agora.

- Bom primariamente...O de sempre, apenas restoque de suprimentos. Sabe, foi uma viagem longa, eu perdi um bom blaster...- Pensava nas palavras do filho de Jabba a respeito de todos aqueles créditos, mas sabia que havia algo mais importante em questão. Sua expressão agora era mais séria:

- Eu gostaria de...Propor uma aliança sua com a República. - Esperava as reações de surpresa que surgiria, para logo acrescentar: - O conselho jedi se propos a endossar isso. A Câmara do comércio, eles estão agindo aliados com Siths, e provavelmente tenham sido até responsáveis pelo sequestro de seu filho. Temos razões que eles estejam prestes a iniciar uma guerra civil, e isso pode afetar todo o universo. Seria importante seu apoio...

Silêncio.

Para ela ainda era incerto o que aconteceria.

Como sempre.

_________________


"I'm the guy who died playing the game your way, and didn't even get a gravestone as thanks. And you know what? That's fine by me, because now I know how the world really works."


"Just you and me, children. Saving the world. From itself."

avatar
Alexandre

Número de Mensagens : 409
Idade : 33
Data de inscrição : 07/09/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Jor-El em Dom Mar 13, 2016 2:22 pm

Ei! Por que desprezível? Tudo bem que eu posso ter armado as gangues que se opõem ao Jabba. Mas foi tudo uma transação comercial. Faz parte do show. Nada pessoal. Mesmo assim, o Hutt ainda me concede um agradecimento e me mantem vivo. Conhecendo a fama do sujeito, melhor considerar um lucro.

Nate: Tudo bem! To indo! To indo!

E que gratidão, ein! Meio velha, mas linda. E, pelo que posso ver, potente. Mesmo assim, o Hutt quer me ver longe daqui. Entendo. Justo. Mas estou com a Faith. Ela me manteve vivo esse tempo todo e prefiro que ela esteja logo ao meu lado ao invés de me rastrear pelo resto do universo.

Nate: Ok. Eu saio agora. Apenas ela terminar de falar. Diga ao senhor Jabba que sou muito grato por sua paciência e gratidão. E que vou cuidar muito bem da nave.

Estava checando a nave, para saber como funciona, quando recebo a mensagem de um dos Jedi. Um dos outros jedi. A garota que nos ajudou em Endor. E, se ela foi capturada, isso significa que tem interesse nela. Como falaram antes. Que ela tinha predisposição a ir para o lado dos Sith. Bem que tava demorando para algo de ruim acontecer.

Nate: Quigo-Jim. Eu estou no palácio de Jabba. Assim que Lehane terminar de falar com ele, vamos partir imediatamente.

_________________
avatar
Jor-El

Número de Mensagens : 993
Idade : 27
Data de inscrição : 11/09/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CAPÍTULO 4

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum