DEFCON 3: Irmãos em armas

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Leo Rocha em Dom Dez 15, 2013 10:48 am

Mulher Maravilha e Justiça Extrema:

Após a resposta de Diana, Tio Sam apenas diz:

 Arrow Sigam em paz. Espero que você perceba a besteira que está fazendo, filha. Os vilões estão ganhando. Precisamos ouvir o que o povo diz e eles querem que sejamos mais firmes.

Os dois grupos se encaram, mas a saída parece ocorrer de forma ordeira. Um conflito parecia ter sido evitado, ou adiado pelo menos...

O grupo começa a voar e rapidamente deixa o espaço aéreo americano. Gavião Negro é o primeiro a falar:

 Arrow Para onde vamos?

A pergunta estava na mente de todos os presentes e era crucial que Diana apresentasse a eles uma resposta.

*********************

O grupo voava há alguns minutos quando foi interceptado por um ser voando. Em pouco tempo, os heróis reconheceram o Capitão MArvel. Mas todos sentiam que havia algo diferente nele. Diana sabia do que haviam passado no inferno, mas não sabia o quanto aquilo afetara o jovem. Ele olha para o grupo e diz:



 Arrow Quero me juntar a esta equipe.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4076
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Leo Rocha em Dom Fev 16, 2014 7:21 pm

No satélite:

Poderosa e os demais heróis presentes na sala de comunicações (Arqueiro Verde, Canário Negro, Arqueiro Vermelho, Homem-Hora, Liberty Belle, Rajada, Ray Palmer, Sandman, Besouro Azul, Lanterna Verde Kyle Rayner) assistem à gravação do Gladiador Dourado com surpresa e emoção. O herói famoso por sua inconsequência agora se despedia afirmando que se lançaria ao maior dos sacrifícios possíveis: erradicar sua própria existência da história.
Um minuto de silêncio é feito involuntariamente e ao seu término, Ray Palmer diz:

 Arrow Nesses últimos dias pude trabalhar mais próximo dele e digo que o Gladiador é um herói maior do que sempre nos deixou ver.

Arqueiro Vermelho também se pronuncia:

 Arrow E infelizmente é uma pena só sabermos disso agora e ainda mais no momento em que mais precisaríamos de gente assim.

Canário Negro diz:

 Arrow O Gladiador não pode estar falando sério! Ele não pode ser a causa dessas anomalias. Ray, há alguma possibilidade disso ser verdade?

 Arrow Sempre há, mas Rip Hunter nos procurou antes dele iniciar a viagem e foi atrás dele. Se realmente há uma possibilidade de trazê-lo de volta, Rip o fará.

Uma esperança silenciosa preenche o ar, mas não consegue ainda se sobrepor à tensão do momento. Sandman é quem fala agora:

 Arrow Poderosa, eu estava pensando em ir para Fawcett. Tem algo naquela cidade perturbando a estabilidade da natureza. Sinto a desordem através do meu elo com a Terra. Mas se precisar da minha colaboração... ...ficarei do seu lado.

Homem-Hora diz:

 Arrow Deixa eu abrir um canal de comunicação com a equipe que está lá. Talvez haja mais informações sobre o que está ocorrendo lá.

Em poucos segundos, aparecem na tela as imagens do Homem-Borracha e Mulher-Gavião. Ele diz:

 Arrow Como vão as coisas aí em cima? Aqui a gente tá brincando de Walking Dead!

Shayera toma a frente e diz:

 Arrow Cala a boca Borracha! Estamos enfrentando criaturas que parecem zumbis em estágio de apodrecimento. Aquaman passou por aqui acompanhado do Monstro do Pântano e outras pessoas que não conheço. Ele identificou essas criaturas como agentes de uma força chamada de Podre e depois partiu rumo ao encontro do Homem-Animal em Hollywood. Segundo ele estas coisas iriam atrás do Homem-Animal para fazer mal à família dele. A situação aqui já está sob controle. Eu, o palhaço da turma e a Mary Marvel estamos contendo os últimos remanescentes do ataque. Se quiserem averiguar a situação, acho que o melhor seria ir atrás do Aquaman.

Caso não haja mais perguntas ou falas, ela desligará o aparelho.
O grupo também recebe as informações sobre morte do militar coreano interrogado por Robin e Asa Noturna e sobre a ação dos Titãs, que impediram mais um uso dos vermes para transformar pessoas em bombas humanas. Quando Liberty Belle pergunta sobre eles terem descoberto algo sobre os vermes, Ray Palmer informa que Dr. Meia Noite está em contato com o grupo no laboratório.
Por fim, eles recebem as imagens transmitidas pelas TV's de todo o mundo, mostrando a Justiça Extrema deixando os EUA sob a supervisão dos Combatentes da Liberdade. Como se traduzisse os pensamentos dos presentes, Rajada pergunta:

 Arrow Pra onde eles estão indo?

*********************

Fausto se encontrava preso. Sua mente tentava se concentrar em qual o melhor passo a dar naquele momento. Ele estava enfraquecido e ainda sentia os efeitos de tentar absorver um elemental, mas estava lúcido e, como sempre, preparado para o que quer que lhe acontecesse. Sabia que quanto mais tempo ficasse ali, mais longe estaria de seu objetivo, mas tinha aprendido que desafiar a Liga da Justiça inteira em seu QG era uma tarefa no mínimo ousada.
O Fantasma Espacial, Jade e Mestre Judoca o alocam em sua cela. Jade pede aos amigos para ficarem atentos e diz para Fausto:

 Arrow Se você tentar alguma gracinha, nenhum de nós hesitará em te deter da forma mais eficaz possível. Esse aparelho irá nos ajudar na comunicação. Seus pensamentos serão traduzidos para mim. Assim você irá me contar o que pretendia ao invadir o satélite da Liga e como o fez. Se tentar usar o aparelho para alguma coisa como me dominar ou me atingir, ele está programado para interromper suas sinapses cerebrais. Isso te dará uma bela dor de cabeça. Agora, diga o que tem em mente. Essa talvez seja sua melhor chance.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4076
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Convidado em Qua Fev 19, 2014 8:50 pm

depois de toda a dor de cabeça que Fausto teve ele via as coisas mais claramente outra vez. e ouvia atentamente oque a Jade dizia, ela parecia um daqueles vilões de filme que contam seus planos e como funcionam cada truque achando que o herói já estava vencido. Sendo impossibilitado de falar com sons aproveitou o truque da jade para falar-lhe diretamente a cabeça

Jade, eu tenho total controle de meus ímpetos, seu aparato como vc deixou claro traduz meus pensamentos, será que vc não sabe quem sou? eu poderia mostra-lhe oque eu quisesse pois suprimir meus pensamentos ou simplesmente sair do meu corpo com meu espirito e deixar vc lidando com um corpo vazio, tomar seu corpo ou lutar contra o fantasma espacial que provavelmente tentaria me impedir, tudo isso eu poderia fazer não precisaria do meu corpo para realizar minha magia, ao contrario a liberdade do meu espirito me daria mais força, porém estou perdendo tempo aqui, e muito a revez do que vcs acham n os ataquei, e definitivamente n fui mandado por ninguém por mais fortes as defesas da liga n poderiam  botar barreiras no mundo espiritual, aconselho que coloquem pessoas versadas em libertar seu espirito ou em viajar até esses reinos para proteger suas barreiras, mas cuidado aquele lugar é perigoso para quem n conhece seus segredos  

correu com os olhos cada um dos que estavam ali, ele estava suado, e ainda tremulo, falava com dificuldade e nunca havia passado por tal situação, não era a primeira vez que enfrentava a liga, e nunca foi sobrepujado, se ele tivesse sentimentos com certeza estaria com o orgulho bem ferido. Olhando nos olhos de Jade diz:

não sei ser humilde, nem sei a diferença ente humildade e arrogância, vou dizer, mesmo com esse aparelho iria demorar muito até que vc descobrisse todos os meus intentos, sou telepata além de mago, vou facilitar para vc, irei  transmitir a vc... se me permitir a todos vcs que estão compartilhando de minha preocupação oque fizeram ao tirar o Grundy de meu alcance

então se ela permitir sem querer fritar meu cérebro.....

então os olhos de Fausto ficam negros, e Jade pode ver e todos podem ver ....

Grundy sempre Ressuscita, seu corpo é puro detrito com aparência humana e um espirito atormentado preso dentro desse amalgama, ele n pode ser clonado, mas ele sempre renasce mais forte, sua força é muito grande e a unica coisa que evita que sejam destruídos todos os seus inimigos assim como manisfeste-se todos os seus poderes é sua loucura, oque vcs acham que aconteceria se ele tivesse todas as faculdades mentais........ seria isso:


sim. estou especulando, porém, com sua loucura são precisos muitos heróis para conte-lo imagina oque aconteceria se ele estivesse são? matar Grundy é jogar numa loteria do mal pois sua reencarnação é sempre diferente e com poderes diferentes da anterior. O poder do pântano que o refaz é magia espiritual e elemental, a parte espiritual prende o espirito e a parte elemental cria o amalgama, eu poderia acabar com esse ciclo, mas n puder não é. quer ver oque vi Jade quer saber oque sei??  então que seja !  


O fogo


A sedução mortal


As sete trombetas soaram como trovões


Amigos se tornaram inimigos.


A sensação de medo


E o desespero!!!!!


Me impedindo pode ser que vcs tenham condenado o mundo.

E na cabeça de Fausto assim como nos amplificadores de som do aparato cerebral ecoava uma cantiga antiga e infantil...

Nasceu numa segunda
Batizou-se numa terça
Casou-se numa quarta
Adoeceu numa quinta
Piorou numa sexta
Morreu num sábado
Enterrou-se no domingo
E este foi o fim de Solomon Grundy

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Dana em Seg Fev 24, 2014 12:13 am

Kara por alguns segundos parecia apenas refletir sobre toda confusão que se instaurava por todos os lados, como se algum Deus, ou o próprio Caos tomasse vida e estivesse espalhando-se em ondas, atingindo todos os pontos e quantos heróis existissem. Ela estava preocupada sim, a droga da responsabilidade era grande demais, e começava temer que fosse um fardo pesado em demasia para alguém como ela. Mas, não permitia que nada disso transparecesse diante dos outros, não podia demonstrar fraqueza, de forma alguma.

- Como ele entrou não sei, ainda, mas, ele vai nos contar Sandman. Por hora ele vai ficar bem trancado, e ninguém o machuca. – Ela então começa a ver o vídeo enviando pelo Gladiador, junto de todos os outros, não gostava de vídeos, eles remetiam a despedidas, sempre, como alguém que deixa uma carta pra entes queridos e vai se matar. Ela dá um passo pra frente e presta mais atenção no que aquele herói falava.
Por culpa dele foram parar no Inferno, sim. Ela começava a ouvir cada uma das despedidas dele, sem reação, ainda. Quando chegou à parte em que falava do primo, lembrou que ela também não concordava com o que ele fizera e fora isso que irritou muito Diana. Comentou de todos os heróis com quem teve mais contato, e por fim chegava nela mesma. A piada logo no inicio ela notou claramente, meneou a cabeça em sentido negativo, esboçando um traço de sorriso no rosto, mas, logo ele se perdeu, a medida que ele falava a certeza de que aquilo era uma despedida ficou evidente, e doeu demais.

- Seu idiota, babaca... – Kara descuidou do uso de sua força e acabou fechando demais as mãos, apertando demais as unhas ao ponto de enfiá-las na própria carne, acabando por sangrar um pouco, um filete lento de sangue ia escorrendo do centro das mãos dela, ate cair no chão. Não soube como agir, apenas ia apertando os punhos a cada palavra ouvida, não acreditava que ele fosse tão idiota, não a aquele ponto, em querer acabar com a própria existência pensando que ele era culpado por qualquer um dos problemas gerados ali. Os olhos marejaram levemente, mas ela passou o pulso esquerdo neles, limpando qualquer vestígio de lágrimas, não era hora. – Eu juro que se ele ainda estiver eu mesma o mato! – Falou isso constatando que se eles viam o vídeo agora queria dizer que ele não acabara consigo mesmo e sim que de alguma forma poderia estar perdido no espaço-tempo em algum lugar.

Então, ainda tinha um jeito, ele poderia ser salvo dele mesmo.

- Alguém, por favor, me lembre de quebrar a cara dele por mais esta idiotice, quando o acharmos, pois, vamos acha-lo. – Falou isso, sem olhar para ninguém, apenas para a tela e esperou que todos se pronunciassem acerca do vídeo, até que as palavras do Homem-Hora a tiraram daquele transe que mesclava raiva e tristeza, duas emoções que poderiam desestabilizar suas decisões, e ela não precisava disso agora, mas, em sua mente pensou em matar o Gladiador de muitas formas, mesmo tendo agora mais orgulho dele, do que antes, é claro, e não deixou passar a parte da fala dele sobre ela. Engoliu em seco e tornou a ficar centrada, limpando o sangue na capa do uniforme, era vermelha.

- Espere pelas noticias do grupo de lá, Sadman, então vejo onde vou precisar de sua ajuda. – O canal de comunicação é aberto, e eles ouvem as falas do Homem Borracha e da Mulher Gavião. Agora eram mortos vivos aparecendo, um item a mais na confusão geral, um fato isolado, ainda e ela torcia para que continuasse sendo assim. Respirou um pouco mais aliviada ao constatar que eles haviam controlado a situação com a ajuda de Mary Marvel. Esta ultima ela fazia tempo que não tinha visto, a fez lembrar-se do Capitão, por onde ele andava depois de ter saído do Inferno. Contudo, voltou a pensar em Fawcett, no Aquaman e no recado que ele dera.

- Obrigada Shayera, quando terminarem aí, voltem para a Torre, incluindo Mary Marvel. Se precisarem de ajuda, não hesitem em pedir! – Ela enfatizou esta ultima frase, não queria mais ninguém dos seus feridos ou coisa pior.

- Sandman, julgo eu que você fique melhor em Terra firme, literalmente, aqui no satélite suas habilidades não podem ser exploradas o suficiente. Mestre Judoca, vá junto com Sandman para Hollywood, averiguem com Aquaman acerca do Homem Animal e o ajudem, se ele precisar. Também, procurem saber quem está com Aquaman e como ele soube destes fatos, transmitem tudo que souberem para nós aqui na Torre. Quanto mais informações tivermos sobre cada fato isolado, melhor e antes vamos poder resolvê-los. – Kara fica olhando para ele, enquanto fala, cruza os braços e ignora os ferimentos leves que ela própria causou em si. Aguardaria para ouvir as respostas dos dois heróis e a designação que dera para eles. Então volta a ouvir as informações sobre os outros fatos, e começa a falar acerca de cada um deles.

- Como ele morreu? Espero que não venham jogar a culpa no Robin e no Asa Noturna. Seria uma bela desculpa pros desgraçados nos sujarem com a ONU. – Fala isso olhando para a equipe. – Dirijam um comunicado da Liga da Justiça aos Titãs, de que agradecemos a ajuda, e que nos coloquem a par dos que descobrirem a mais acerca do grupo que usa os vermes. Não podemos deixar de partilhar informações ou vamos nos desunir mais do que já estamos... Estrela Vermelha fez bem em mandar o vídeo dirigido a população Mundial, não sei ainda a repercussão que isso terá, mas logo deveremos saber. Assim os membros da ONU vão saber que nem tudo que falaram acerca de nós é verdadeiro, e que o problema é bem mais real do que todos imaginam. Não precisamos de lados, e sim de todos ajudando nesta batalha. – Falava com certa lamento na voz, olhando a imagem do grupo de Diana deixando os Estados Unidos, e ficou com aquela mesma pergunta em mente, pra onde iriam?

- Já que o Doutor Meia Noite está cuidando do assunto dos Vermes junto com os Titãs, vamos centrar nossas ações em outros pontos, confio neles para isso. – Kara dá meia volta em torno do próprio corpo e para alguns segundos para reorganizar as ideias e rever prioridades.

- Ray, há como nomear os prováveis locais que a Justiça Extrema possa usar como Base, relacionando isso com o que a Mulher Maravilha tem? – Perguntou para ele, e depois esperou uma resposta, voltando sua atenção novamente para os assuntos tratados antes.

- Arqueiro Verde, Canário e Arqueiro Vermelho, preparem seu arsenal de flechas, vão para Gothan e descubram o que está havendo por lá, quero relatórios de vocês sobre qualquer novidade ou ação mais... Problemática. Nos avisem, e como já disse para todos, quem precisar de ajudar avise a Torre imediatamente. Vamos começar resolver os problemas isolados, para juntar uma peça por vez. – Ela se volta para Ray Palmer e deixa canal de comunicação aberto com Oráculo.

- Quero que vocês trabalhem juntos e façam um esboço de cada um dos problemas que estamos enfrentando. Dos Vermes, a Coréia, Fawcett, e os demais. Oráculo, não conheço ninguém melhor do que você para montar um banco de dados acerca disso, para podermos processar melhor cada coisa, e achar as ligações, porque há ligações sim. Algum desgraçado está tramando tudo isso para nos derrubar baseado em alguma teoria de que somos o inimigo maior. Quando fizerem isso quero que me chamem, eu não vou ficar aqui apenas para socar coisa e derrubar inimigos, também tenho minha cota de massa cinzenta... – Esboçou outro sorriso, ainda que curto e esperaria eles falarem algo para então sair de perto deles e tornar a olhar para as telas, mas deu sua atenção para Rajada, a garota ainda parecia chateada com o que houve no cemitério. – Rajada, você só vai aprender de verdade, quando errar. Portanto, erga a cabeça e acalme seu espírito, você só se torna um herói de verdade quando aprende que nem sempre podemos viver apenas na teoria, é preciso errar também para ter experiências, e tirar o lado bom disso. Você escolheu vestir um uniforme, e aguenta o peso dele, por algo que acredita ou por alguém. Tenho certeza que você vai se dar bem, mas, vai ter que ter acima de tudo fé em você e paciência, garota. – Falava aquilo sem ter a entonação de voz superficial, ou fria, falava como a Poderosa falava com quem gostava de um amigo, acalorada, gentil e mesmo assim forte.

- Homem Hora e Liberty Belle, vocês vão ser meus apoios aqui para nos manter ligados, enquanto Oráculo e Ray vão fazer o que pedi. Não menosprezem a experiência que cada um de vocês tem em combate assim como para perceber o que está no ar. Uma equipe não é formada apenas de bons punhos, vocês podem ajudar Ray e Oráculo na observação dos fatos e nas investigações sim. Foi sincera ao falar aquilo, se eles haviam perdido seus poderes, ainda mantinham consigo toda a experiência que tiveram ao longo de cada batalha.

- Sandman, antes de ir me conte o que conseguiu ver no invasor. Vocês ficaram ligados, não foi? Vou falar com ele, mas, preciso das suas informações acerca dele, de qualquer coisa, para então saber o porquê do discurso dele ainda quando entravamos nos corredores. – Conversaria com ele, e dirigir-se-ia para o Lanterna. – Alguma novidade, Lanterna Verde, vocês dois estão bem? – Falara com o Lanterna e com o Besouro, já que ambos haviam sido pegos na armadilha ilusória de Fausto assim como ela e os demais ali. Depois de ter respostas a todas suas indagações e pedidos ela iria falar com Fausto, dizendo aos demais que logo todos saberiam o que ela iria fazer, pedindo também que mantivessem sempre contato com a Torre. - Ray, quando eu voltar da conversa com o Mago, tenho um pedido, a fazer. - Ela saia da sala depois que Sandman a seguisse, e esperaria por Ray lá fora, pedindo uma coisa a ele. Depois iria falar com Fausto.

Obs.: MP, narrador.

_________________
avatar
Dana

Número de Mensagens : 356
Idade : 36
Data de inscrição : 24/05/2012

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/profile.php?id=100003739988649

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Convidado em Seg Fev 24, 2014 7:28 pm

O conflito entre Combatentes e Justiça Extrema aconteceria ou não? Preparadas, certamente, ambas as equipes estavam, mas isso não significa que desejassem. As hostilidades permaneciam: olhares atravessados, rusgas alimentadas, aspereza contida nas palavras proferidas. Diana encarava a situação como limite: caso não houvesse conflito, seu grupo teria mais tempo para traçar estratégias; no entanto, se as equipe se digladiassem, sem dúvida a destruição seria grande. Apesar da postura mais radical da amazona, não era o que ela pretendia. Por isso, a guerreira usou a inteligência e jogou a responsabilidade de um possível confronto nas mãos de Tio Sam, líder do grupo do governo americano.

- Sigam em paz. Espero que você perceba a besteira que está fazendo, filha. Os vilões estão ganhando. Precisamos ouvir o que o povo diz e eles querem que sejamos mais firmes.

- Os vilões se encontram engravatados, por trás de toda essa confusão, Tio Sam. Espero que não seja tarde quando vocês perceberem que são tão meta-humanos quanto nós e que serão usados enquanto tiverem alguma utilidade para o governo. Um governo de humanos que querem isolar meta-humanos. Vamos descobrir o que há de nefasto e restaurar a ordem. Nossa partida não é um adeus, mas sim um até breve. Muito breve.

O embate fora adiado. Dúvidas ainda povoam as mentes, como qual a motivação de Victor de trabalhar para o governo. Não parece ser uma pergunta fácil de se responder.

- Para onde vamos?

A pergunta de Carter - e que era a mesma que passava pela cabeça dos demais integrantes da J.E. - rompeu um pequeno silêncio, tão logo eles partiram. Talvez todos estivessem se ressentindo pelo fato de a Mulher-Maravilha, quem convocou cada um, ainda não tivesse apresentado um plano de ação. E a saída da Sala de Justiça, da maneira que foi, poderia minar sua liderança e credibilidade perante o grupo. Isso caso não fosse ela a Mulher-Maravilha, a princesa de Themyschira, uma heroína das mais conhecidas e respeitadas da Terra e também do universo.

Era lógico que Diana tentava juntar os cacos do que sobrou da Trindade. Kal-El, após a morte de Lois, desarmou as nações, num incidente diplomático sem precedentes; Bruce deu as costas a todos, em nome de seus projetos. Como sempre. Somado a isso, a crise na Liga da Justiça, com as propostas de Arthur e Diana de uma atitude diferente - negadas, diga-se - tendo como consequências discussões acaloradas com Gladiador e Poderosa, principalmente.  

Antes que Diana lhes respondesse, foram surpreendidos pela chegada do Capitão Marvel, pedindo para participar da equipe.

-Billy, bom revê-lo. Você está bem?

A preocupação de Diana era normal, mas ela confiava no companheiro de batalha.

- Seja bem-vindo, Marvel. Precisaremos de toda ajuda possível. - disse a amazona, voltando-se para Gavião Negro - Agora vamos a sua resposta, Carter.

Poucos segundos após a fala da amazona, e todos já se encontravam no destino estipulado por ela.

- Esse é nosso QG, amigos. Chama-se Domo, nossa base flutuante.



O Domo fora um presente dado por lansinarianos à princesa.

- Vocês talvez já tenham ouvido falar do Domo. Eu o utilizava como um jato supersônico, mas ele pode assumir qualquer forma. Sua tecnologia é avançadíssima. Os lansinarianos, povo que me presenteou esse artefato, eram capazes de criar máquinas impossíveis. Qualquer tecnologia humana está a anos-luz dessa forma alienígena. Quando a Liga viajou para o futuro, Aço a conheceu e ficou assombrado com suas potencialidades.

O Domo se ligou a mim e segue minhas orientações. Sua estrutura bem como seu arsenal são invisíveis a qualquer forma de detecção. Tive a ideia de transformá-lo numa base operacional flutuante assim que cheguei à Sala de Justiça. Dessa forma, estaremos menos expostos do que se estivéssemos em solo americano - vide a chegada dos Combatentes da Liberdade às nossas portas.

A partir de agora, por prevenção, passaremos por um escaneamento, compreendendo desde a mínima estrutura atômica, passando pelo nosso DNA e nossa mente. Isso tem o objetivo de reconhecer possíveis intrusos e/ou influenciações sofridas, incluindo, entre outros os níveis sensoriais, psicológico e psíquico, detectando, reconhecendo e reagindo a estímulos que não façam parte de nossa natureza - e da natureza de nossos poderes.

Não podemos vacilar e devemos no resguardar caso atentem contra nós.


Após o escaneamento dos aliados, caso não houvesse nada errado, Diana mostraria para eles as instalações do Domo.





- O mais "próximo" que vocês podem ter conhecido da tecnologia Domo é a Realidade Aumentada e a Computação Ubíqua, mas isso ainda é absurdamente distante do que pode realizar o Domo.

Com ele, poderemos, finalmente, fazer aquilo a que nos propusemos: policiar o mundo e promover a paz.

Domo, mapeie a Terra e mostre-nos as regiões que apresentam conflitos. Dê-nos, também, informações sobre a situação atual dos grupos de heróis e vilões atuantes. Catalogue os vilões "menores" e suas atuações. Assim poderemos definir nossas prioridades.


Os membros da Justiça Extrema esperavam o surgimento das imagens e dos dados para que Diana decidisse o que fazer na primeira missão do grupo.  

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Leo Rocha em Seg Mar 03, 2014 11:42 am

Justiça Extrema:

 Arrow Billy, bom revê-lo. Você está bem?

 Arrow Nunca estive melhor..Apenas acredito que agora já é hora de fazermos mais do que temos feito. É hora de fazer mais com meus dons...

 Arrow Seja bem-vindo, Marvel. Precisaremos de toda ajuda possível.

 Arrow Então estou no lugar certo, diacho.

Após essa breve conversa, a Mulher Maravilha apresenta o domo aos heróis que a acompanhavam. O grupo ficou maravilhado com a instalação e sua tecnologia, no entanto, quando Diana falou sobre o escaneamento obrigatório, as reações foram diferentes entre os membros, desde a concordância por parte de Katana e Acrata, até a relutância por parte de Máxima, Capitão Marvel e Gavião Negro. Este último disse:

 Arrow Então agora você irá agir como eles e querer nos manter sob suspeita? Belíssima forma de fazer o mesmo de forma diferente! Eu me recuso e ser "avaliado". Não sou um suspeito.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4076
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Leo Rocha em Seg Mar 03, 2014 12:49 pm

Liga da Justiça:

Poderosa estava determinada a reverter o jogo e o vídeo de despedida do Gladiador ajudou a fazê-la se decidir sobre agir mais proativamente frente às situações de crise que estavam atingindo o mundo e a Liga da Justiça. Ela então decide redirecionar as forças da equipe, de forma a cobrir maior terreno e integrar as ações em diversas frentes.
A primeira determinação é sobre a ida de Sandman e Mestre Judoca para Hollywood. Ela acabara de ouvir as informações sobre o ocorrido em Fawcett e decidira que seria melhor enviar reforço ao Aquaman para lidar com o ataque dos mortos-vivos. Ainda sobre Fawcett, pediu aos heróis que estavam lá para irem ao satélite. Homem-Borracha e Mulher-Gavião concordaram, porém Mary Marvel respondeu que não poderia ir, pois, estava preocupada com a ausência de contato do Capitão Marvel Jr. e por isso iria procurá-lo. Assim que o encontrasse, ela iria com ele ao satélite.
Mestre Judoca estava no grupo que escoltara Fausto às celas, mas em breve Poderosa estaria lá e poderia comunicá-la da decisão de ida à Terra ou mesmo poderia acioná-la pelo comunicador e acelerar a ida dos dois, já que parecia que a situação em Hollywood era urgente.
Ela ainda pede a Sandman que conte a visão que teve ao se ligar a Fausto. O detetive dos sonhos iria contar a integra do que viu?

Poderosa também fica preocupada ao ouvir sobre a morte do militar nortecoreano e pergunta como ele morreu. Quem responde prontamente é Oráculo:

 Arrow Ele foi executado sob a alegação de crime de traição. Não sei até que ponto isso ficou associado a nossa intervenção, mas acho que vale a pena ficarmos atentos.

Sobre o comunicado aos Titãs, Liberty Belly diz:

 Arrow Esse eu faço questão de fazer! Pode deixar!

Um pouco mais aliviada com a entrada dos Titãs na questão dos vermes, Poderosa pede A Ray Palmer que tente localizar o paradeiro da Justiça Extrema. Ele a responde:

 Arrow As imagens de satélite mostram que o grupo se dirigiu a um ponto no meio do oceano atlântico. Não há informações de um destino específico. Mas dali eles podem acessar, Europa, Africa e Américas central e do Sul. Estou tentando monitorar todas as probabilidades.

Em seguida, Poderosa direciona Arqueiro Verde, Canário Negro e Arqueiro vermelho a Gotham para averiguar o que está ocorrendo lá. Caso nenhum deles tenha algo declarar, o grupo seguirá imediatamente para lá, se teleportando para as coordenadas que Oráculo conseguiu no último contato com Asa Noturna e Azrael.

Ela então pede a Ray Palmer e Oráculo que tentem montar um mapa dos problemas que surgiram e da relação entre eles. Ambos concordam e ficam contentes ao ver que poderão contar com Homem-Hora, Liberty Belle e a própria Poderosa para ajudar.

Ela também aproveitar para animar os ânimos de Rajada, Besouro Azul e Lanterna Verde antes de sair da sala rumo ao local onde Fausto aguarda. Antes de chegar nas celas, ela ainda se deteria uns segundos com Ray Palmer, que diria:

 Arrow Vou fazer o possível.

Ela segue então rumo à cela de Fausto. Pronta para argui-lo sobre o que estava ocorrendo...

*****************************************

Enquanto Poderosa saía da sala, o comunicador do Lanterna Verde toca. Ao atendê-lo, ele vê a figura de Singham, o policial indiano, que lhe diz:

 Arrow Lanterna, Besouro, descobri algo importante sobre o que vocês investigavam. Acredito que a tecnologia que enfrentamos tenha sido acumulada por uma pessoa só. Eu estou prestes a fazer um batida em um provavél galpão de armazenagem dele. Sei que há a restrição de acesso de vocês à India, mas de um policial para outro, resolvi avisar sobre a investigação e ver se vocês tem interesse em participar. Vocês teriam que entrar na surdina, mas eu depois poderia esclarecer tudo com a prisão que faremos. Vocês tem interesse?

**********************************************

Jade estava interrogando Fausto e a tarefa parecia difícil. Já de início, ele lhe lembrou que poderia fazer uma projeção astral e sair de seu corpo. Ela retruca da seguinte forma:

 Arrow E aí você não teria mais um corpo pra onde voltar, certo? Espero que possamos conversar seriamente, Fausto. Sem bravatas ou coisa do tipo.

Ele então reconhece que não invadiu o satélite a mando de ninguém. E recomenda medidas para maior proteção do satélite. É nesse momento que Poderosa chega. Ele continua a falar:

 Arrow Não sei ser humilde, nem sei a diferença ente humildade e arrogância, vou dizer, mesmo com esse aparelho iria demorar muito até que vc descobrisse todos os meus intentos, sou telepata além de mago, vou facilitar para vc, irei transmitir a vc... se me permitir a todos vcs que estão compartilhando de minha preocupação oque fizeram ao tirar o Grundy de meu alcance

E então, com a anuência de Jade, ele mostra as imagens que viu quando comungou a alma do elemental conhecido como Sandman.

O grupo assiste a tudo com bastante apreensão. Ao término Jade olha para Poderosa com um misto de preocupação e ansiedade. Eles viram uma prévia do fim do mundo e cabia agora ao grupo se preparar para a ingrata tarefa de evitá-lo.



_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4076
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Administrador em Qui Mar 06, 2014 8:40 pm

De acordo com a Mulher-Gavião, a cidade de Fawcett sofreu o ataque de uma horda de zumbis. Uma entidade chamada de "Podre" seria a responsável. Essa é perturbação na natureza que eu vinha sentindo? O sobrenatural ameaçando o equilíbrio natural?
Contudo, a heroína thanagariana, informou que tudo já está sob controle em Fawcett. O problema é que o próximo alvo do Podre é o Homem-Animal. Atualmente, ele está vivendo com sua família em Hollywood. Poderosa me designou para cuidar do caso.
Mas antes da minha partida, ela também me abordou a respeito do breve momento, em que eu compartilhei um elo psíquico com Fausto. Não era minha intenção contar o que vi para a Poderosa. Pelo menos, não agora. Ela pode muito bem tomar uma decisão precipitada na tentativa de impedir que meus pesadelos se concretizem. No entanto, eu não posso mais adiar essa conversa. Pelo bem de todos, eu espero que a Poderosa faça a melhor escolha.

- Eu não sei exatamente o que vi, Poderosa. Meus sonhos foram mesclados com as memórias de Fausto. Eu revisitei meu último pesadelo. Mas a energia espiritual de Fausto aparentemente ampliou minha visão, acrescentando mais detalhes. Vislumbrei almas queimando em um lago infernal... ...o reaparecimento de uma perigosa mulher que já esteve envolvida com Fausto... ...um inesperado confronto entre Aquaman e Mulher-Maravilha... ...a desastrosa intromissão do Capitão Marvel no conflito entre super-heróis... ...e o Homem-Animal sofrendo uma transformação. Talvez o alerta da Mulher-Gavião sobre o Homem-Animal tenha relação com o meu vislumbre. Eu ficarei contente em checar essa teoria e de voltar para terra firme. Faça bom uso do que eu lhe contei, Poderosa.

Ainda estou incomodado por não ter verificado a situação do Capitão Marvel. Pelo que eu soube, Rick recrutou Marvel para a nova formação da Sociedade da Justiça. Mas Marvel parecia diferente, dependendo do auxílio de Jason Blood, inclusive. Recentemente, a Liga da Justiça passou uma temporada no inferno. Não sei o que aconteceu com o Capitão Marvel na ocasião, mas receio que traga consequências terríveis para nós. Seria prudente a Poderosa ficar atenta aos movimentos do Capitão Marvel.
Enquanto isso, eu cuidarei para que o Homem-Animal não tenha um destino trágico. Para essa tarefa, eu receberei o apoio da Mestra Judoca, uma das recrutas do Rick. Só espero que a comunicação não atrapalhe o nosso desempenho como equipe. Japonês é a língua materna dela. Infelizmente, ela conhece poucas palavras em inglês. Eu, por outro lado, conheço cantonês, mandarim e o dialeto tibetano, mas não sei uma frase em japonês. Essa missão será longa, muito longa!

Administrador
Administrador
Administrador

Número de Mensagens : 3981
Idade : 33
Data de inscrição : 10/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Nasinbene em Qui Mar 06, 2014 10:02 pm

Kyle estava boquiaberto. Não conhecia o Gladiador tão bem assim, tinha na memória apenas histórias de fanfarronices contadas por Guy, nos momentos de folga em Oa. Várias foram as noites e as garrafas de cervejas esvaziadas no bar Warriors ouvindo as histórias dos "velhos tempos" da LJA. Por conta disso, essa vocação ao auto-sacrifício do Gladiador soava nova. Kara estava visivelmente abalada com tudo aquilo, ela conhecia bem o Gladiador. Quando ela se propõe a impedí-lo, Kyle percebe nada nesse mundo iria dissuadi-la e então se afasta para dar passagem à ela. Quando preparava-se para segui-la, uma comunicação de Singham chega a ele. Ao que parecia, o Lanterna e o Besouro haviam causado uma boa impressão ao policial indiano, pois a despeito da burocracia envolvida, Singham os convidava a participar de uma investigação conjunta. Assim que a mensagem termina, Kyle se vira ao Besouro e diz:

- Besouro, sei o quanto o Gladiador significa pra você, sei que ele foi o primeiro a lhe acolher e se quiser se juntar à Poderosa na procura a ele irei entender. Mas não posso simplesmente ignorar a mensagem de Singham. Irei à Índia novamente fazer a tal prisão com ele. Irei recarregar meu anel, caso queira ir comigo partirei dentro de dez minutos...

Dito isso, Kyle deixa a sala, vai a um dos aposentos e invoca sua bateria de poder. Uma vez com o anel recarregado, se dirige ao hangar e esperaria pelo Besouro pelo tempo que haviam combinado. Nesse meio tempo, responde à mensagem de Singham...

- Singham, é o Lanterna. Recebi sua mensagem e estou a caminho, devo chegar aí dentro de alguns minutos... Obrigado pelo aviso, amigo, sei o quanto minha presença aí é complicada para as leis Indianas... Bem, nos vemos em alguns minutos. Até breve.

Kyle então usa seu anel para travar na assinatura energética de Singham para facilitar sua localização. Iria finalizar aquela investigação o mais breve possível...

_________________

avatar
Nasinbene

Número de Mensagens : 1232
Data de inscrição : 29/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Convidado em Dom Mar 09, 2014 10:34 pm

Os últimos acontecimentos os quais presenciou não vinham permitindo a Diana esboçar muita alegria: os sorrisos eram apenas discretos diante de tantos fatos. A atitude de fundar uma equipe voluntariosa, que fizesse o que a Liga não vinha fazendo, exigiu que a amazona reunisse antigos companheiros de batalha. Apesar de parecer mais radical do que nunca, ela sabia que precisaria ajustar o tom, principalmente depois da dura fala na ONU. Era momento de ser calculista, cirúrgica, na administração dos egos. A Justiça Extrema possuía membros explosivos; em outras palavras, Diana sabia que poderia ter problemas. Carter era um deles...

- Então agora você irá agir como eles e querer nos manter sob suspeita? Belíssima forma de fazer o mesmo de forma diferente! Eu me recuso a ser "avaliado". Não sou um suspeito.

A reação de Carter não era exatamente uma surpresa, mas Diana não a recebeu de forma agradável.



Assim que Gavião Negro falou tal frase, insinuando que Diana os colocava sob suspeita - tal qual os Combatentes -, a princesa virou seu rosto, lentamente, olhando para trás, para logo direcionar o olhar aos seus colegas, mirando um a um durante poucos segundos; em seguida, caminhou na direção de Carter até se deter a sua frente, o rosto dela a centímetros do dele. Semblante sério. Firmeza na postura e na voz:

- Por um acaso eu sou uma suspeita? Olhe nos meus olhos, Carter, e diga: você suspeita de mim?

Ela também havia notado as reações adversas de Máxima e Marvel. Sem perder o foco do olhar nos olhos de Carter, ela prosseguiu:

- Máxima e Marvel, eu sou uma suspeita dentre vocês? Minhas atitudes, vocês conseguem detectar algo de errado com as minhas atitudes?

Diana estava tensa, mas seguia sua argumentação. Deixou de encarar Gavião Negro e, voltando-se para os demais integrantes do grupo:

- Vou mudar a pergunta: algum de vocês consegue afirmar, com certeza absoluta, que estou livre de alguma influência? Quero lhes dizer que, embora não gostem, o escaneamento é necessário. Eu também passarei por isso! Há interesses que podem minar nossa convivência - e não estou aqui afirmando que algum de nós seja um traidor. O governo dos EUA, os Combatentes da Liberdade, os pseudo-heróis das nações beligerantes do Oriente... há diversas ameaças que nós, com um olhar superficial, não poderíamos identificar. O Domo nos permitirá trabalhar com uma margem de segurança bem próxima de 100%. Vocês acham que eu desconfio de Donna, por exemplo, que é minha irmã e uma das pessoas que mais amo?? É lógico que não!! Nem dela, nem de ninguém aqui!

Voltando-se para Máxima, Carter e Marvel, Diana concluiu:

- Não posso obrigá-los a passar pelo escaneamento; no entanto, tenho uma responsabilidade muito grande com a proposta que abraçamos e com essa equipe. Em nome da segurança de todos nós, se queremos realizar algo seguro e grande com a Justiça Extrema, é necessário passar pelo escaneamento. Mesmo a contragosto. Ninguém foi obrigado a participar da equipe, todos vocês foram convocados e concordaram em se aliar a mim, acredito, pelas minhas proposições - e pela credibilidade que conquistei ao lado de vocês com o passar dos anos. Confiem em mim, não faria algo a nós que não fosse efetivamente necessário...

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Dana em Ter Mar 11, 2014 11:04 pm

Poderosa reforçou um pedido a Mary Marvel de que informasse sobre o Capitão Marvel, não fora procurar o herói depois de sua “estadia” no inferno, preocupada demais em sarar sua própria sanidade daquele lugar asqueroso e acima de tudo seu foco fora em seu primo, depois de todos os acontecimentos ruins. Na verdade todos tiveram perdas indo para lá, alguns mais do que os outros, mas, pensar no Capitão agora e saber quem ele era acabou criando uma ruga de preocupação mesmo que tardia na testa da heroína, apesar de todo poder, ele era um garoto ainda.

- Crime de traição? Então ele falou demais, e falou verdades. Será que é fácil assim matar um semelhante...? – Ela lançou esta pergunta ao ar, de forma retórica, não esperava que respondessem, contudo, era algo triste no mínimo, o valor da vida diminua e isso diminua também a humanidade das pessoas. Liberty Belle prontamente falava que se comunicaria com os Titãs, Kara agradeceu com um meneio positivo com a cabeça e um sorriso leve.


- Vai ser difícil sabermos de imediato onde eles estão, Diana deve ter isso planejado, uma rota para ela mesma, um local secreto que ate hoje ninguém pode ter encontrado ou ela mesma mostrado. É um problema que futuramente vamos precisar achar uma solução, mas, não agora. Temos outros pontos mais importantes a serem vistos. Mas, obrigada, Ray. – Poderosa então torna a prestar atenção nos elementos ainda restantes na sala antes de ir falar com Fausto, eram Lanterna Verde, Besouro Azul e Sandman. Todos ao que parecia tinham para onde ir.

- Vou me encarregar do paradeiro do cabeçudo do Gladiador mais tarde, Lanterna, se o Besouro quiser ir e lhe ajudar, está liberado, eu vou conversar com Fausto agora e depois disso traçar alguns planos com Ray e Oráculo aqui, ainda. Preciso ter uma visão lucida e fragmentada de todos nossos problemas, isolá-los. – Via o Lanterna Verde sair e esperava para ver se o Besouro ia junto dele ou não, caso ficasse, mais tarde falaria com o mesmo e encontraria algo que pudesse ajudar algo, com toda aquela armadura e tecnologia, não seria nada difícil ela encontrar uma utilidade rápida para ele, já provara ser um bom adversário até mesmo para o Lanterna.

- Problemas no próprio inferno, talvez. – Comentava ela acerca da primeira visão que Sandman lhe contou, agora voltando toda sua atenção para ele. – Sobre esta mulher perguntarei a Fausto, quem teria ele conhecido com poder suficiente para nos causar transtornos. – Mudou o modo como olhava para Sandman quando rememorou ele falar sobre um confronto entre Diana e Arthur. Não fazia ideia de qual dos dois poderia ganhar, ou o que poderia leva-los a uma batalha agora. Porém, era claro o que haviam falado anteriormente, que os heróis acabariam por se dividir, e a Mulher Maravilha já dera sua postura que infelizmente não agradara ninguém ali dentro da Liga. Discutiram sim com o Aquaman, e graças as forças que regem este Universo ele não estava mesmo dominado por aqueles vermes, demonstrava sim uma opinião semelhante à Diana, contudo, Poderosa acreditava ser mais fácil o dialogo com ele do que com a heroína.

- Aquaman e Diana tem visões semelhantes quanto ao trato que deveríamos dar a Humanidade, não gosto disso e pensaria ser difícil ambos brigarem ao ponto de um duelo mortal, mas é algo a se pensar, não descreio de sua visão Sandman, apenas vou procurar ver mais motivos, talvez ,ocultos para um embate entre os dois. – Olhou em volta, indo para o corredor que dava direção onde Fausto fora posto.

- Capitão Marvel influindo de maneira negativa, pelo que diz. Então suponho que devamos começar a nos preocupar com ele de verdade, é melhor procurar saber dele, espero que Mary Marvel logo obtenha noticias dele, é o modo mais confiável e rápido de conseguir isso agora. – E por fim o ultimo assunto, a transformação do Homem Animal, que era um dos pontos levantados minutos atrás, um coincidência estranha, mas louvável.

- Logo você terá o Homem Animal ao seu alcance e investiguem também o porque dele ser uma peça chave, aparentemente nesta perseguição. Tem mais coisa ai para descobrirmos, grupos assim não caçam heróis por nada, ao meu ver, por mera diversão. Eles querem algo dele. – Poderosa nem se dera conta da linguagem que poderia desunir seus colegas naquela investigação, isso lhe passou mesmo despercebido naquele momento. Ela desejava boa sorte a eles e partia para a cela onde Fausto estava. Chegando no momento em que Fausto se manifestava de forma versátil, tendo bons argumentos, como todo bom mago. Ele recitava suas capacidades como quem conta uma bela historia, contudo, de forma fria. Poderosa nada falou ate partilhar de tudo que ele pode lhes mostrar.

Seu olhar de espanto, ao perceber que o Mago tinha visto as mesmas coisas que Sandman, e ao invés de apenas ter isso contado, ela pode ver as imagens, o que conferia um peso maior a cada uma das sentenças. Ela sabia onde Grundy estava, alguém lhe comunicara a algum tempo já, mas, ela guardava tal informação para si mesma, por hora.

- Para onde levaria o corpo dele, ou como aprisionaria sua ressureição, Fausto? Se pudesse impedi-la no meio deste Caos em que nos encontramos, isso seria sim bem vindo. Você foi incauto em invadir o Satélite, poderia sim ter sido morto ou pior, matado alguém. Sandman me contou o que vocês partilharam, e ver as imagens me deixa mais inquieta ainda. Mas, como vou saber que não pretenderia levar Grundy para Diana, por exemplo? Afinal se suas intenções fossem puramente boas, você deveria ter tentado entrar pela porá da frente. – Poderosa dá um passo mais a frente e cruza os braços sem tirar os olhos dele. – Fausto, Sandman me contou de uma mulher que você possa conhecer, esta nos traria problemas. Tem ideia de quem seria? – Foi uma pergunta dita num tom de voz frio e muito sério, ele poderia revelar mais coisas, mas ao mesmo tempo ludibria-los mais ainda.

_________________
avatar
Dana

Número de Mensagens : 356
Idade : 36
Data de inscrição : 24/05/2012

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/profile.php?id=100003739988649

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Convidado em Qua Mar 12, 2014 10:26 pm

Poderosa não parece surpresa com as imagens, teria ela já ciência do mal que enfrentam?

Mulher? quase todas as mulheres que conheço ou conheci poderiam causar grandes estragos

Fausto questionava-se, olhava nos olhos dela e apenas ouvia. Maneando a cabeça num sinal negativo interrompe sua interlocutora

Definitivamente os humanos e até os super-humanos são egoístas e egocêntricos, pensar, mesmo depois de vislumbrar o fim do mundo, em suas rixas é algo peculiar que te torna mais humana do que pensa Kara.  

Dizia seu nome com um olhar mistico, e sim era magia, seu olhar não era ativado como outras magias que ele possuía, ele simplesmente tinha, por isso usava óculos escuros todo o tempo, seu olhar emite uma luz sua visão lhe permite ler a energia do alvo e coisas além, assim como lançar feitiços visuais, além disso como todo o bom telepata sem que ele se concentre pode ouvir os pensamentos mais gritantes na mente dos seres, mas com Kara não precisava, ele não precisaria olhar sua alma, ou ler seu pensamento, sabia que dentro dela existia o desejo de fazer o bem afinal de contas ela era parente do super, e esse desejo a estava limitando a uma frente de batalha apenas, ela ainda não tinha conseguido perceber que seus inimigos atuais são seus verdadeiros aliados, e que debaixo de seus olhos o verdadeiro mal se esconde

Não mataria ninguém se não fosse extremamente necessário, e se eu fosse morto voltaria logo, magos espirituais tem desses truques, barganhas, ou simples ressurreições, como disse antes não sei onde começa a arrogância ou onde termina, mas realmente fui frustrado, não lembro-me de ter sido derrotado por meu próprio poder antes, absorver o elemental não foi o problema, o sentimento foi, por segundos fui lembrado de coisas que fiz que magoam o coração humano e acometido por toda a carga sentimental perdi o controle, por míseros segundos, porém num lugar onde metade dos seres podem aproveitar esse segundo para te imobilizar eu fui infeliz, e logo estava semi inconsciente

Fausto não demonstra nada em seu rosto com feições ensaiadas, neste momento seu rosto era como uma pagina em branco, nada dos sorrisos falsos ou treinados por toda a vida, ele nesse momento demonstra ser oque é: um homem sem sentimentos

vou revelar-lhe o pq não bati a sua porta: tinha pouquíssimo tempo para explicações, eu poderia ter parado o ciclo do pântano, quando Grundy esta morto seu corpo ainda inteiro é sinal que o espirito não o deixou ainda, eu poderia ter feito com ele a passagem ou te-lo ressuscitado como homem, deixando o pântano sem um espirito ganharia mais tempo,o pântano é vivo e é quem mantem Grundy, eu poderia desafia-lo  e finalmente por fim a existência da abominação elemental e mistica que assola esse mundo, o parasita que ninguém vê, a mancha cinza que corroí o verde

enquanto falo com poderosa olho diretamente para Jade

Lutar pelo equilíbrio, restaurar a aliança antiga, digo a vc Jade posso retirar o véu que cobre toda a maldade verdadeira, e dar um motivo para que os que se separaram voltem a lutar juntos  

olhando para Kara digo

não vou lutar contra vc Kara, não vim para isso, sou um arauto do equilíbrio e nada mais

os olhos de Fausto brilham forte n com sentimento mas com senso, o brilho dos olhos de Fausto trazem serenidade e paz, ele diz a Poderosa

posso ver sua aura, sua alma, seu coração, sei de sua fraqueza contra a magia assim como seu primo, não falo em tom de ameaças pois como a Jade falou, ela pode queimar meus neurônios, mas n gosto de conversar como prisioneiro, deixe eu igualar nossos status

Se houver um segundo de aprovação


Fausto fica intangível, nesta forma espiritual não pode atacar o físico apenas o espirito, e não pode ser atacado tbm por ataques físicos, os aparatos que o prendiam caem e ele diz

esta é a forma espiritual, que uso para viajar pelos planos, posso levar heróis em segurança para qualquer lugar da terra ou além, e se me concentrar posso descobrir onde as forças espirituais e elementais estão agindo, meus olhos são os únicos na terra que podem escanear a alma de um ser, eu saberia se alguém estivesse sendo controlado pois suas linhas energéticas aparecem como uma linha de marionete e eu poderia segui-las até seu controlador, eu poderia identificar invasão biológica em um corpo apenas olhando sua energia, as energias são sempre diferentes de ser para ser, juntando meus poderes oculares com os seus poderíamos garantir 100% de certeza em quem confiar totalmente, eu me coloca a sua disposição se me ouvir

se concordar em me escutar

peço que abra canal de comunicação com Diana, e venha junto da liga encontra-la em Gothan, mesmo estando em lados opostos no momento vocês duas hoje na terra são as únicas que podem iniciar a mudança de tudo aquilo que vc vislumbrou  


M.P para o mestre


Última edição por Fausto em Qui Mar 20, 2014 1:12 am, editado 1 vez(es)

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Leo Rocha em Seg Mar 17, 2014 9:11 pm

Justiça Extrema:

 Arrow Por um acaso eu sou uma suspeita? Olhe nos meus olhos, Carter, e diga: você suspeita de mim? Máxima e Marvel, eu sou uma suspeita dentre vocês? Minhas atitudes, vocês conseguem detectar algo de errado com as minhas atitudes?

O Gavião Negro olhava seriamente para a princesa amazona e foi assim que ele a respondeu:

 Arrow Você sabe o que já fiz, Diana. Sabe que esta é uma chance de mostrar que eu não estava errado em acreditar que devíamos mudar nossa forma de agir. Então porque estamos perdendo tempo fazendo o jogo deles? Porque não começar a agir e simplesmente fazer o que heróis tem de fazer? Eu só aceitei fazer parte dessa equipe porque, mesmo sabendo de tudo, você ainda dizia confiar em mim. Essa é a sua forma de demonstrar?

 Arrow Vou mudar a pergunta: algum de vocês consegue afirmar, com certeza absoluta, que estou livre de alguma influência? Quero lhes dizer que, embora não gostem, o escaneamento é necessário. Eu também passarei por isso! Há interesses que podem minar nossa convivência - e não estou aqui afirmando que algum de nós seja um traidor. O governo dos EUA, os Combatentes da Liberdade, os pseudo-heróis das nações beligerantes do Oriente... há diversas ameaças que nós, com um olhar superficial, não poderíamos identificar. O Domo nos permitirá trabalhar com uma margem de segurança bem próxima de 100%. Vocês acham que eu desconfio de Donna, por exemplo, que é minha irmã e uma das pessoas que mais amo?? É lógico que não!! Nem dela, nem de ninguém aqui! Não posso obrigá-los a passar pelo escaneamento; no entanto, tenho uma responsabilidade muito grande com a proposta que abraçamos e com essa equipe. Em nome da segurança de todos nós, se queremos realizar algo seguro e grande com a Justiça Extrema, é necessário passar pelo escaneamento. Mesmo a contragosto. Ninguém foi obrigado a participar da equipe, todos vocês foram convocados e concordaram em se aliar a mim, acredito, pelas minhas proposições - e pela credibilidade que conquistei ao lado de vocês com o passar dos anos. Confiem em mim, não faria algo a nós que não fosse efetivamente necessário...

Marvel e Máxima se mantem calados enquanto ouvem o que é dito. Parecia que as palavras do eram as mesmas que os dois iriam dizer, no entanto suas expressões demonstravam que o tom poderia ser diferente de acordo com quem falasse. Máxima ainda digeria o fato de ter sido usada por Fernus em seu frenesi sexual. Ela havia gostado, mas não se sentiu tão bem ao ver que fora deixada de lado pelo agressivo ser que tentou matar a Liga. Tampouco ficou ficou feliz ao ver que o retorno de Jonzz ao domínio de sua essência não trazia a paixão que ela sentira. Para ela, aceitar voltar a se relacionar com esses heróis novamente era mais do que seu orgulho permitiria, mas ela não seria vista como uma vítima e isso fez a princesa de Almerac decidir.

 Arrow Vamos encerrar essa chorumela!

E Máxima foi a primeira a passar sem que máquina sinalizasse nada. Gavião Negro olha para Diana e diz:

 Arrow Certo...

Sua passagem também não desperta nenhum dos sensores. Capitão Marvel é o próximo e ao passar, a máquina detecta a energia infernal que o envolve. Ele diz:

 Arrow Essa é a nova fonte dos meus problemas. Espero que isso não impeça nosso trabalho.

Os presentes o olham com certa surpresa, mas depois de terem dado uma segunda chance ao Gavião Negro e do sermão feito pela Mulher Maravilha na ocasião, o grupo tenta não fazer juízo de mais nenhum de seus integrantes. Caso não haja nenhum questionamento por parte da Mulher Maravilha, ele permanecerá com o grupo. Caso ela o conteste, ele voará para longe alegando que não tem tempo a perder com perdedores que invejam seu poder.

Todos passam sem problemas na máquina, até que chega a vez de Donna Troy. Ela passa sorrindo pela máquina até que a mesma apita. Ela olha para Diana, fazendo um gesto como se dissesse "fazer o que, né?". Em seguida, sua forma parece mudar, até que se torna a vilã conhecida como Anjo Negro.



Ela sorri e diz:

 Arrow Obrigada pela confiança, irmãzinha! Você diz amar tanto Donna Troy que nem lembra do destino dela. Ninguém nessa Terra parece lembrar! Mas pode deixar que lhe refresco a memória... Ela renunciou à sua vida aqui pra se tornar a Precursora. Ela assimilou todas as suas versões no multiverso, menos uma.. A mais inteligente... Advinha qual?

Ela ri insanamente.

 Arrow Minha intenção era conspurcar a memória de Donna Troy. Jogar seu nome na lama. Mas você frustrou meus planos. Então vou ter que me contentar em matar vocês...

Ela investe acertando violentamente Detonador e o arremessando contra Safira Estrela. Em seguida, acerta um golpe nos olhos de Artemis. Ela sorri enquanto aplica seus golpes e se move velozmente entre os heróis.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4076
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Dana em Qua Mar 19, 2014 11:13 pm

- Eu tenho já de certa forma consciência do que me mostrou Fausto.

Foi a resposta dela a primeira frase do Mago, sua fala foi séria, e de certa forma fria, Sandman já lhe previra do que este lhe diria, aquilo era perturbador sim, mas, no momento o desespero não era um bom companheiro, usar a logica e a frieza era o mais adequado.

- Humana ou super-humana, o que importa é que eu quero junto dos outros descobrir como ajudar o Mundo que vivemos, mas, não pretendo impor minha visão, nem falar aos quatro cantos do Mundo sobre ideais, eu quero mostrar em feitos, Fausto. Não somos da Justiça por um mero acaso. Defendemos uma causa, e vamos lutar para combater qualquer coisa que venha a querer destruir o que amamos.

Ele não era arrogante, apenas tinha plena convicção de que quem era e de tudo que poderia fazer, e isso o tornava perigoso sim, contudo, seria também um bom aliado. Fausto poderia aparentar certa fragilidade na “casca”, mas, o espírito e a mente eram elaborados demais para ser subestimado.

Ela consente com um meneio da cabeça, ao que tudo indicava não poderiam mantê-lo preso daquela forma por tempo demais, era hora de dar uma segunda chance, mesmo ele tendo conquistado ressentimentos ali, fazendo alguns dos heróis lembrarem-se de coisas que lhes feriam a alma, com aquelas ilusões.

- Não consigo agora ver maldade em suas intenções, se tudo que me diz é verdade, fico apenas com receio de pensar que alguém com tamanhos poderes possa ser de certa forma um aliado, alguém bom. Creio eu que nunca devam ter se referido a você assim, Mago. Foi incauto ao entrar em nossa casa e tentar nos “roubar”, mas devo admitir que o corpo de Grundy não é nossa propriedade, então não poderia nos ser roubado.

Kara olha para os outros agora, desviando dos olhos cobertos, porem luminosos de Fausto, poderia sim ser um feitiço dele tentando apaziguar sua situação ali dentro do satélite, ou pior, poderia ser verdade tudo que ele falava. Dar o voto de confiança era algo extremamente difícil para ela, e como todo ser humano, pois ela era isso também, se enchia de dúvidas e esperanças. Dois elementos não muito bom, quando juntos num mesmo recipiente.

- Eu já vi um Mundo ser destruído, Fausto. Não quero ver isso novamente, perdi meu lar uma vez, e não vou permitir que isso aconteça novamente. Esta Terra é meu lar, agora. Meu primo pode ter pirado por algum tempo, mas, ele vai voltar. Você mesmo em toda sua onipotência voltou a lembrar como os meros mortais sentem-se quando fazem algo errado e prejudicam alguém, seja quem gostamos, ou nem conhecemos. Não nos faz bem. Creio eu que sua ligação com Sandman lhe lembrou o quanto você pode ter sido tão humano quanto eu sou, ou qualquer um dos meus companheiros aqui é. Somos humanos com super poderes, alguns ajudam outros apenas abusam do que tem e fazem o Mal.

Parou por alguns segundos e como se esperasse a aprovação dos presentes, ela concluiu sua resposta a ele, respirando fundo.

- Vou te dar um voto de confiança, eu conheci o Caos de perto e não me agrada em nada. Se você é mesmo quem diz ser, é um dos únicos que talvez possam nos ajudar a estabilizar os acontecimentos. Mas, seja prudente, e não tente nos enganar mais uma vez. Libertem o corpo dele, vamos para a sala da Liga. Temos negócios a tratar, isso se conseguirmos encontrar Diana...

Kara recebia outra noticia do Robin Vermelho, de que o corpo de Grundy se dissolvera numa espécie de reação química, e isso parecia não ser nada bom.

- Se você sente tão bem a essência das coisas, deve saber o que que aconteceu a pouco, com Grundy.


Deixava sua mente livre, e tinha lá suas dúvidas de que ela poderia suportar algum tipo de invasão mental vinda dele.

_________________
avatar
Dana

Número de Mensagens : 356
Idade : 36
Data de inscrição : 24/05/2012

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/profile.php?id=100003739988649

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Leo Rocha em Sex Mar 21, 2014 2:44 pm

Sandman e Mestre Judoca:

Sandman estava na sala de teleporte quando sua acompanhante chegou. Ela o cumprimenta com um inglês compreensível, porém ainda com um forte sotaque. Em seguida ela pergunta sobre qual será a missão dos dois e ouvirá atentamente o que Sandman terá a dizer.
Por fim, os controles são ativados e a dupla é teleportada para o set de filmagem onde Aquaman e Homem-Animal enfrentam Arcane.


Nota do narrador: Pode postar no tópico Avatares e Guerreiros!

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4076
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Convidado em Sab Mar 22, 2014 6:34 pm

Estava ele dizendo as coisas e pela primeira vez em toda a sua história alguém confiava plenamente nele. Não houve tempo de aproveitar o momento, logo sentiu estremecer o mundo espiritual...

Grundy Havia mudado de corpo

tudo oque ele tentou evitar, sua unica chance agora era unir os heróis, e convocar os sentinelas da magia, uma luta terrível iria começar.
as palavras da Poderosa vinham apenas confirmar seus medos


Se você sente tão bem a essência das coisas, deve saber o que que aconteceu a pouco, com Grundy.

Seu corpo se desfez, mas isso não é o pior, pois ja aconteceu há alguns minutos atras, eu ja sabia, o pior é o que vem depois

Ele dava espaço entre as conclusões de pensamento ja tentando formular uma estrategia

preciso correr, preciso achar Diana, e entrar em contato com o meu pai, preciso me juntar a frente de batalha

apenas um nome em sua cabeça

Gothan
Poderosa, preciso contar ainda mais com sua confiança, sua natureza deveria desconfiar de magia sempre, porém assim como o seu primo vc sempre dá uma chance a um coração, seja ele mal ou bom. não estou sendo sentimental estou apenas lhe dizendo a verdade. os Herois q estão em Gothan estão em perigo, precisamos ser rápidos
gesticulando e falando linguás estranhas ele conjura um portal direto para epicentro do caos, onde as energias estão se enfrentando, provavelmente onde estão os inimigos
não temos tempo, Jade, vc e Poderosa devem ir o mais rapido possível,eu irei encontrar Diana, posso colocar magias de proteção em vcs caso achem necessário

caso haja aceitação conjurarei magias para protege-las de ataques magicos

minha luta com Sand me rendeu uma recarga, mas preciso ainda restaurar minhas forças

ficando com seus olhos em uma luz vermelha pulsante ele diz

MENTIS

Nesse momento uma ligação psíquica é feita entre Poderosa, Jade e Fausto, a capacidade de conversa telepática duraria pouco mas era o suficiente para que uma estrategia de combate fosse traçada.

Assim vcs não serão descobertas, sejam rápidas, logo chegarei com reforços

imediatamente Fausto inicia a procura por Diana e assim que localizasse sua energia iria saber quem estava em volta e assim iria diretamente a ela.

Só o poder das duas, Poderosa e Mulher Maravilha, poderia evitar a catástrofe



Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Leo Rocha em Qui Mar 27, 2014 11:09 pm

Liga da Justiça:

Poderosa havia fornecido o voto de confiança que Fausto precisava. Ao comando da líder da Liga da Justiça, Jade libertou o mago de seus construtos e ele rapidamente se colocava de pé. O tempo em que esteve preso lhe foi útil para recarregar a energia. Ele se preparava para retomar seu objetivo quando sentiu o baque.
Fausto sentira a alteração nas forças espirituais. O que ele tentara impedir agora estava consumado: Grundy havia finalmente deixado seu corpo e ressurgido. Só que desta vez havia algo estranho, como se a energia que pertencera a Fausto tivesse sido deturpada. Ele sentia uma anomalia maior que a que estava associada a Grundy e isso o preocupou.
Poderosa retorna após atender uma comunicação e quando pergunta a Fausto se ele sabe de Grundy, o feiticeiro lhe conta o que sentiu:

 Arrow Seu corpo se desfez, mas isso não é o pior, pois ja aconteceu há alguns minutos atras, eu ja sabia, o pior é o que vem depois. Poderosa, preciso contar ainda mais com sua confiança, sua natureza deveria desconfiar de magia sempre, porém assim como o seu primo vc sempre dá uma chance a um coração, seja ele mal ou bom. não estou sendo sentimental estou apenas lhe dizendo a verdade. os Herois que estão em Gothan estão em perigo, precisamos ser rápidos.

Ele então propõe a Poderosa que ela e Jade sigam para Gotham em um portal aberto por ele, enquanto ele irá procurar a Mulher Maravilha e seu grupo. Caso Poderosa aceite, o portal a levará ao pantano de Gotham, onde ela ouvirá o combate travado no observatório e poderá aguardar Fausto ou intervir nele. Caso ela não concorde com o plano do mago, ela poderá ficar na base, seguir com ele atrás de Diana ou seguir outra estratégia.

Fausto segue até o local onde foi captado o último vestígio da energia da Mulher Maravilha e encontra o grupo envolvido com a aparição de Anjo Negro. Ele sente a energia que a criatura emana e percebe que ela não está junto ao grupo com boas intenções...

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4076
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Leo Rocha em Sex Mar 28, 2014 12:47 am

Lanterna Verde:

Kyle percebe o quanto Jayme ficou abalado com o vídeo do Gladiador e resolve lhe dar um espaço para assimilar e lidar com tudo o que estava acontecendo. Ele carregou a bateria de seu anel e, após contatar Singham, seguiu para o local onde o policial indiano o estava aguardando.
Ao chegar na India, Kyle encontra Singham preocupado. O policial diz a ele:

 Arrow Essa é uma das ações mais arriscadas que já fiz na minha vida. O galpão à nossa frente é de um dos homens mais influentes da India e do mundo. Eu não posso confiar em ninguém, nem dentro da corporação. Você será meu único apoio. Desculpe não ter te falado antes, mas somos só nós nessa empreitada e sem reconhecimento legal para não alertá-lo. Você ainda está disposto a seguir comigo?

Caso Kyle decida seguir com ele, Singham o levará ao que parece ser uma opulenta fábrica abandonada na zona industrial da cidade de Nalanda. Ao chegar ao local, Kyle percebe que alguns dispositivos de proteção porém as defesas do lugar não parecem ser acionadas. Na verdade, parece que a entrada deles é facilitada até que eles chegam a um ponto no galpão, onde se deparam com grupo de robôs.



Uma voz, saída de auto-falantes diz:

 Arrow Bem vindos! Vocês realmente pensaram que eu não saberia de sua vinda? Bom... Fiquem a vontade. Em pouco tempo providenciarei um descanso pra vocês.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4076
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Dana em Ter Abr 01, 2014 10:27 pm

Ela teria de confiar que ele não tomaria incorporasse seu espirito nela, e como aquilo era difícil, ainda mais sabendo que Fausto era um mago, e conhecia bem sua fraqueza por este tipo de poder, assim como seu primo ela também possuía limitações contra magia. O que poderia ser pior do que o corpo de Grundy se dissolver? Talvez, retornar do modo como fora previsto nas visões passadas a ela por Sandman e Fausto. E aquilo sim poderia lhe um calafrio na espinha.

- Como podemos ajudar e qual o perigo que correm?

O problema era fazer perguntas e não obter respostas imediatas daquele Mago, eles pareciam ter certa preferência por agir de forma misteriosa assim como falar de tal forma. Ele lhe dava algumas informações e pedia ajuda, procurando solucionar alguma coisa que aparentemente era deveras grave e perigosa. Poderosa tinha sim um “pé atrás” com ele, por ter invadido o Satélite assim como ter tentado ludibriar a todos, mas, seus instintos lhe diziam que deveria confiar nele agora, para quem sabe evitar um grande mau futuro.

- Jade, eu vou seguir até Gothan, Ray cuide dos grupos daqui do Satélite junto com Oráculo, e tentem concluir o que pedi antes a vocês. Enviem um informe de alerta a todos os heróis em ativa, que fiquem a postos, é provável que iremos precisar de ajuda em massa num futuro próximo. Quero todos cientes de que a situação é critica e que devem ficar atentos a rumores e situações estranhas. – Ela olha para Jade. – Eu vou confiar nos meus instintos, Jade, está livre para optar se vai ou não seguir por este portal comigo. – Ela aguardara a resposta da heroína. - Não iria obrigar ninguém a confiar em alguém que há segundos atrás estava como um prisioneiro ali naquela cela. – Mantenho vocês informados de todos os passos lá, não se preocupem comigo, e tentem manter a ordem aqui, se preciso convoquem a ajuda de mais investigadores dos nossos para auxiliarem vocês no que for preciso aqui. Mais mentes trabalhando, melhor. Não quero ninguém sobrecarregado. –Ela esperaria alguns instantes para ver se Jade iria junto e então passaria pelo portal.

A passagem foi rápida e de longe ela ouve um combate sendo travado, ficando sem saber o que fazer, desconhecendo o inimigo. Ela então procura saber quem estava ali. Não quis ir com Fausto para encontrar Diana acreditando que ele tivesse melhores argumentos do que ela para intervir na consciência da Amazona, ou mesmo em seus instintos de sobrevivência. Se o perigo era do tamanho que Fausto descrevera então eles teriam sim grandes problemas em breve. Temia pela volta de um Grundy racional, aquilo seria desastroso demais. Assim que sua audição ampliada verificasse quem eram os combatentes ela iria a seu auxilio.

_________________
avatar
Dana

Número de Mensagens : 356
Idade : 36
Data de inscrição : 24/05/2012

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/profile.php?id=100003739988649

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Convidado em Qua Abr 02, 2014 9:07 am

Todos corremos perigo, o mundo espiritual esta fervendo como se algo sem precedentes tivesse acontecido, sinto minha força mudar, esta afetando tudo, tudo.
sem tempo pra conversar ele lhe diz

Imagine se o mundo começasse a morrer, A APODRECER

com o consentimento de Poderosa ele pula nas sombras e vai em direção a Diana. Fausto chegava a um lugar parecido com o satélite da liga, mas o lugar inteiro parecia vivo, como se fosse uma existência mecânica, porém isso era o de menos, das sombras Fausto via uma criatura que exalava imenso poder e que queria destruição e morte, via tbm Diana e outros heróis, aparentemente estavam em perigo, pensou rapidamente

não tenho tempo a perder, não posso demorar e essa pessoa esta no caminho do mago errado na hora errada

Fausto não costumava abusar de seu poder, já que sempre precavido guardava reservas para uma fuga estratégica mas n tinha tempo a perder, transformando-se em um tipo de nevoa como um fantasma sai das sombras diretamente envolvendo a inimiga e sugando sua alma como um vampiro demoníaco, como um verdadeiro Demônio, desta vez ele atacava para matar, e não teria pena pois algo maior estava em jogo  

caso consiga

o corpo da inimiga ia desfalecendo, o simples toque do mago é mortal, e rouba os poderes a a alma, o mago experimentava seu poder, como um turbilhão a nevoa começava a se juntar e formar a silhueta do mago até que o mostra completamente com a inimiga nos braços e com uma grande boca em seu pescoço,nem todos podiam ver a metamorfose de Fausto aos olhos dos que conseguiam ver aquilo era um demônio com certeza.
segurando-a com a boca,  seus braços estranhamente fortes e vermelhos, com um corpo maior que o comum e chifres pontiagudos brotando de sua cabeça, e olhos brilhantes em luz negra, prendia aquela mulher pelo pescoço como se fosse um pedaço de carne em suas mãos, e sem deixar que o inimigo morresse ou que sua alma fugisse estava em forma demoníaca através de metamorfose, um pequeno filete de sangue escorria pela boca de Fausto e por pouco se segurava a lucides e resistia ao instinto de morde-la e saborear sua carne.  



poucos conseguiam ver através da nevoa e das sombras, mas o que conseguiram viram um monstro totalmente demoníaco, aquilo que Fausto sempre quis esconder e que teve de mostrar, sua verdadeira força seu verdadeiro poder. retornando a sua forma ele diz:  
Ai está, sua inimiga Diana

Se virava com um ar demoniaco e com a nevoa o rodeando, era um monstro, assim como sempre o viram, esse era ele, aquele que tinha a alma de Nebiros.
pouco a pouco seu corpo voltava ao normal, e os poderes roubados da inimiga latejavam em sua mente.


Vim para convocar a guerra, quero saber se existem guerreiros aqui?

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Convidado em Ter Abr 08, 2014 1:49 am

O jogo duro que Carter, Marvel e Máxima faziam com Diana, sobre o escaneamento, dificultava as ações da amazona, mas sua capacidade de argumentação suplantou qualquer barreira que pudesse dividir o grupo. Ela deixou claro que não fazia aquilo porque queria, mas sim por ser necessário. Ainda que contrariados, os três assentiram com a proposição da Mulher-Maravilha, passando pela verificação, praticamente sem problemas...

Praticamente.

Quando foi a vez de Marvel, a tecnologia detectou a energia que provia seu poderes, o que foi confirmado pelo próprio herói. Alguns olhares desconfiados se seguiram, Diana não viu problemas, mas fez uma ressalva:

- Espero que isso não atrapalhe nosso trabalho...

Cada um passa normalmente pelo escaneamento obrigatório, até que, quando menos se esperava, o alerta soa.

Era Donna Troy. Diana franziu a testa. Por que justamente com sua irmã? O que haveria de errado??

Donna sorriu. Um sorriso como se dissesse "fazer o quê?!"... a reação de todos foi de estranhamento, até que a verdade se revela: sua forma se modifica, até ela se tornar a vilã conhecida como Anjo Negro.

- Grande Hera!!

Diana não acreditava no que via, estava estupefata com aquela revelação. A bem da verdade, aquele fato servia para dar crédito à argumentação que ela fizera havia poucos minutos, para convencer seus colegas da necessidade de uma verificação. No entanto, seu coração doía: ela preferiria estar errada a ver a imagem de sua querida irmã sendo utilizada de tal forma nefasta.

- Obrigada pela confiança, irmãzinha! Você diz amar tanto Donna Troy que nem lembra do destino dela. Ninguém nessa Terra parece lembrar! Mas pode deixar que lhe refresco a memória... Ela renunciou à sua vida aqui pra se tornar a Precursora. Ela assimilou todas as suas versões no multiverso, menos uma.. A mais inteligente... Advinha qual?

Minha intenção era conspurcar a memória de Donna Troy. Jogar seu nome na lama. Mas você frustrou meus planos. Então vou ter que me contentar em matar vocês...


- Maldita seja, Anjo Negro!!!

A surpresa dava lugar à raiva, mas, antes que a Princesa das Amazonas pudesse agir, Anjo Negro investe violentamente contra Detonador, lançando-o sobre Safira Estrela, e fere Artemis nos olhos. Tudo em uma velocidade impressionante, que poucos poderiam acompanhar. Diana procura pensar em reagir, mas teria que ser de forma rápida: a adversária em questão não era uma qualquer, se movia velozmente, e, certamente, havia estudado o grupo. Diana precisaria traçar rapidamente uma estratégia, contando com as potencialidades do grupo.

A amazona não contava era com uma força estranha que surgiu no interior do Domo, em forma de névoa. Não parecia vir da Anjo Negro; ao contrário, buscava confrontá-la. Na verdade, aquela energia lhe era familiar e lhe proporcionava o tempo preciso para agir. Diana voou vertiginosamente em direção a Safira e Detonador, levantando-os. Olhou nos olhos de Safira e falou em tom baixo, para que apenas ela ouvisse:

- Carol, acesse minha mente, rápido!

Carol, estabeleça um elo telepático entre todos os membros da Justiça Extrema. Proteja o elo a todo custo!!

Estabelecido o elo, Diana traçaria a estratégia.

Cynthia, use suas ilusões para confundi-la; Rex, prepare uma surpresa para a Anjo Negro, mescle-se à névoa momentaneamente, até conseguir chegar perto: invada o corpo dela e transforme-se em algo que ataque seu organismo, de preferência concentre-se em seu cérebro! Devota e Máxima, utilizem sua telecinese para defender o grupo dos seus ataques, tentem freá-la! Kate, Grace, Carter, Katana e Artemis, cerquem-na; Marvel, como foi o último a chegar, você é o menos previsível. Não tenha pena dela... conte com o auxílio de Desastre e Grant. Andrea, ahora nosotras, vamos aproveitar nossas habilidades. Domo, jogue um holofote sobre a Anjo Negro.

Nota: a ideia é que Cynthia use suas ilusões contra a Anjo Negro (aproveitando-se de sua distração com a névoa de Fausto), levando-a a visualizar os integrantes da Justiça Extrema de modo equivocado, como por exemplo: quando Marvel fosse atacá-la, ela teria a imagem da Katana atacando-a; ao olhar para Cynthia, veria Grace; e assim por diante. Ao invadir o corpo de Anjo Negro, Rex se transformaria em alguma substância nociva a ela, de modo a atingi-la e abalá-la, mesmo que minimamente; os cinco heróis se disporiam em círculo, espalhando-se e procurando um ataque ao mesmo tempo. Desastre, Detonador e Marvel atacariam a distância. Mas todos serviriam de distração, com Acrata sendo o elemento-surpresa, levando Diana, por meio de teleporte, para a sombra gerada pelo feixe de luz lançado pelo Domo sobre Anjo Negro. Caso a estratégia tenha êxito:

Diana surge da sombra projetada da Anjo Negro e a surpreende:

- Que os deuses não se compadeçam de você!! - vocifera uma enfurecida Diana, desferindo-lhe um golpe com seu machado e com a Espada de Hefesto, conhecida por cortar átomos, buscando feri-la mortalmente.


Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Nasinbene em Ter Abr 08, 2014 10:12 pm

Kyle havia seguido até a Índia, atendendo a um pedido de ajuda do policial Singhan. Chegando ao local apontado pelo policial, Kyle é logo posto a par da natureza do chamado:

-Essa é uma das ações mais arriscadas que já fiz na minha vida. O galpão à nossa frente é de um dos homens mais influentes da India e do mundo. Eu não posso confiar em ninguém, nem dentro da corporação. Você será meu único apoio. Desculpe não ter te falado antes, mas somos só nós nessa empreitada e sem reconhecimento legal para não alertá-lo. Você ainda está disposto a seguir comigo?

A situação em que se encontravam não deixava a Kyle muita escolha, a não ser dar cobertura a Singhan. Resoluto, Kyle faz um sinal afirmativo com a cabeça e diz:

- Estou feliz em ajudar, Singhan. Eu tinha lhe prometido que daria cobertura e aqui estou. Bem, vamos a isso então. Mostre o caminho...

Sem mais uma palavra, o policial indiano guia Kyle a um galpão gigantesco, provavelmente um dos maiores da região em que estavam. Os anos atuando junto à Tropa tinham afiado os sentidos de Kyle, ele sentia que algo estava errado. Como um arrepio que percorre a espinha antes do primeiro golpe numa briga. Uma sondagem de seu anel indica os equipamento de segurança do galpão estavam ativos, mas convenientemente direcionados para um ponto onde não podiam detectar Singhan. Aquela infiltração estava se mostrando fácil demais...
Ao chegarem ao interior do galpão, eles se deparam com um grupo de robos, que pareciam estar ali simplesmente aguardando por eles. Aquilo causa estranheza a Kyle. Era como se eles estivessem ali apenas aguardando a chegada deles...
Apenas para confirmar os pensamentos de Kyle, uma voz ecoa nos auto-falantes do lugar:

-Bem vindos! Vocês realmente pensaram que eu não saberia de sua vinda? Bom... Fiquem a vontade. Em pouco tempo providenciarei um descanso pra vocês.

Aquilo atinge Kyle como um soco no estômago. Por mais que soubesse que havia caído numa cilada, nunca se sentia confortável com isso. Mentalmente, Kyle eleva o nível de proteção dos seus escudos ao máximo e diz a Singhan:

- Tem ideia de quem é o dono desse lugar, Singhan? Precisamos saber com quem estamos lidando aqui... Fique por perto...

Discretamente, Kyle envia uma pequena sonda pelo galpão e todas as informações colhidas seriam transferidas para o anel. Informação era imprescindível naquela situação. Tanto que Kyle prefere abordar diretamente seu "anfitrião"...

- Bem, pelo visto você tem a vantagem sobre nós... Quem é você, cara? Não sabe que é mal educado não se apresentar?

Um momento de ruptura se aproximava. E Kyle sentia que as coisas ainda piorariam muito ainda antes de melhorar...

_________________

avatar
Nasinbene

Número de Mensagens : 1232
Data de inscrição : 29/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Leo Rocha em Qua Abr 09, 2014 9:10 pm

Justiça Extrema e Fausto:

Fausto se transforma em névoa e tenta atacar Anjo Negro, mas ela consegue se esquivar do ataque, ainda que assustada com a aparição. Ela então diz:

 Arrow Ora ora.. Temos um penetra na festa. Vai lutar ou ficar brincando de nuvem?

A fala debochada com a voz que lembrava uma distorção de Donna Troy mexia com os sentimentos dos presentes. Diana, no entanto, estava atenta às oportunidades do combate e articulou uma estratégia com seus companheiros para mudar o jogo. Diana socorre Safira Negra e pede que esta estabeleça um vínculo mental entre os membros da equipe. Ela o faz e o grupo adquire comunicação direta.
Seguindo o plano feito por Diana, o grupo age de forma coordenada e precisa: As ilusões criadas por Cigana confundem a vilã, dando tempo para Metamorfo se infiltrar à névoa e se fazer ingerir por ela. Anjo Negro tenta vomitá-lo, porém, não consegue já que é atingida violentamente por Marvel Sombrio, que voava em alta velocidade. Ela cai sem conseguir respirar direito e, tonta pelo impacto, é atingida por Detonador e Major Desastre. O toque final é dado pela Mulher Maravilha que, guiada através das sombras por Acrata, aparece atrás da vilã e a fere mortalmente.
Anjo Negro mais uma vez assume a forma de Donna Troy e agoniza. Suas últimas palavras são:

 Arrow Eu encontrarei vocês no inferno...

Assim que a vilã dá seu último suspiro, Fausto se materializa convocando o grupo para a ação.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4076
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Convidado em Seg Abr 14, 2014 12:35 pm

A ação coordenada pela Mulher-Maravilha deu certo. Cada integrante da Justiça Extrema confiou plenamente na estratégia traçada pela amazona, e, graças à perícia de todos, Anjo Negro foi derrotada. A vilã ainda tenta uma última vez atingir psicologicamente a princesa, transformando-se em Donna. Mas Diana sabe que aquela não é sua irmã. Por isso, ela age com ódio, inapelavelmente.

- Eu encontrarei vocês no inferno...

- Mande lembranças minhas a Hades! - disse Diana, com um misto de ironia e desprezo pela vilã morta.

O primeiro triunfo não foi uma simples vitória. Certamente ela representava uma carga de confiança a mais entre os membros da equipe, principalmente depois do episódio do escaneamento. No final das contas, a situação mostrava que Diana estava certa, mesmo sem saber que Anjo Negro estava infiltrada.

Ela limpa a Espada de Hefesto e o machado, enquanto parabeniza e agradece a todos.

- Vocês foram perfeitos. Obrigada!

Ela ajuda Artemis, ferida nos olhos. Nesse momento, a névoa se dissipa e surge Fausto:

- Vim para convocar a guerra, quero saber se existem guerreiros aqui?

- Pode estar estar certo disso! Todos aqui somos guerreiros e estamos prontos, mas qual é a situação? Por que, afinal, você demorou tanto, Fausto? Chamei-o assim que deixei o Satélite da Liga...

Enquanto esperava a resposta de Fausto, Diana manipulava as telas da tecnologia alienígena avançada, que se assemelhavam à Realidade Aumentada e Computação Ubíqua, com o objetivo de mapear ocorrências de conflitos na Terra. A partir da resposta de Fausto e do resultado da busca do Domo, a Justiça Extrema definiria suas prioridades.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Leo Rocha em Qui Abr 17, 2014 4:48 pm

Fausto e Justiça Extrema:

Enquanto aguardava a reposta de Fausto, Diana liga os sistemas do domo em busca de qualquer ocorrência anômala ou conflito que possa ser identificado no planeta. Os demais integrantes do grupo se encontram reunidos na mesma sala. Alguns, como o Gavião Negro, Marvel Sombrio e Katana se mantém atentos ao visitante e possíveis problemas que eles acreditam que possa vir a provocar. Os outros membros verificam entre seus estados de saúde pós-batalha e conversam sobre o combate, apreensivos com o questionamento feito por Fausto.
Nas telas surgem as informações:

1)A suspeita de fabricação de metahumanos na Coréia do Norte e execução do tio do ditador
2) O ataque de zumbis ao estúdio de Hollywood, onde o Homem-Animal gravava um filme
3) Abalos sísmicos na região da Africa e a possível ligação com grupos terroristas
4) Combate entra membros dos Titãs, do Batsquad e da Liga da Justiça e metahumanos desconhecidos em Gotham
5) As informações de que os membros do movimento Ultrahumanista eram na verdade pessoas sob controle de vermes desconhecidos que tiravam seu livre-arbítrio forçando-os a cometer os crimes já noticiados, como o assassinato de Lois Lane

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4076
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 3: Irmãos em armas

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum