DEFCON 5: Do fim ao começo

Página 4 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Administrador em Qui Jun 13, 2013 1:06 pm

Quem diria?! Aquaman é um maldito político paternalista! Aquele tipo que mantém o povo dependente para preservar a ordem. Ou será que não? Existe uma boa chance daquele verme ainda estar bagunçando a cabeça dele. Hora de testar a teoria.

- Já que você não entendeu meu ponto de vista, eu usarei uma metáfora que alguém com sua origem entenderá perfeitamente... ...nós temos que ensinar as pessoas a pescarem seus próprios peixes, ao invés de entregar os peixes de graça! Será que me compreendeu? Não temos o direito de agir em nome dos outros. Talvez você pense assim por ter sido um monarca. Mas você estará sempre disponível para tomar decisões pelos seus súditos? Não! Todos nós morreremos. Faz parte da vida. Se você nem tem um herdeiro para continuar seu legado, seria de bom tom preparar seus súditos para viverem sem a sua orientação paternalista. É isso o que heróis como nós fazemos. Inspiramos as pessoas para que elas lutem por si mesmas, pois não estaremos sempre presentes para lutar por elas. 

Se essas palavras não convenceram o orgulhoso Rei dos Mares, eu ainda tinha mais para discorrer, mas por acreditar que ele não tem controle pleno de suas faculdades mentais, deixei de contestar seus argumentos e mencionei o ocorrido no cemitério.

- Aliás, eu não estou certo de que você acredita realmente no que está dizendo. Não foi você que poupou o homem que assassinou seu filho? Se é tão radical como diz, por que não matou Arraia Negra anos atrás? O que quer que aquele verme tenha feito com você no cemitério, eu creio que o efeito não passou. Aparentemente, sua mente ainda está comprometida. Isso significa que você não tem juízo perfeito para liderar a Liga no momento. Recomendo que você seja examinado pelo Doutor Meia-Noite e o Caçador de Marte.


Aguardei a reação de Aquaman. Se ele não colaborasse conosco, aquilo teria de ser feito a força. Só sei que no momento, a única que tem minha confiança é Poderosa. Se alguém como Aquaman ou Mulher-Maravilha for escolhido para liderar a Liga, irei embora com a Sociedade.

Administrador
Administrador
Administrador

Número de Mensagens : 3981
Idade : 33
Data de inscrição : 10/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Ricardo Sato em Qui Jun 13, 2013 1:38 pm

ArrowSenhores é melhor se acalmarem antes que as coisas saiam ainda mais de controle.


Não é hora pra confusão com tantas ameaças ao redor...a verdade é que não sabemos de metade da verdade mas sabemos de algumas coisas.


Todos estão sob pressão,mas nossos problemas não nos dão o direito de arriscar aqueles que devemos defender.


Virando-se para o gladiador.


:arrow:Sinto pela sua perda,acredite sei bem como é,mas não diminua a coragem de seu amigo ele provavelmente não poderia ter ido de forma melhor do que defendendo pessoas ao lado dos amigos.


Nunca se esqueçam que as pessoas não nos devem nada,pois fomos nós que decidimos defende-los e não eles que nos imploraram por ajuda.


voltando-se a sala.


:arrow:Não sabia que Lois lane era realmente tão importante para Superman mas aquela foi uma atitude precipitada,também não sei como aqueles vermes funcionam....ou como eles infectam as pessoas,portanto nem sabemos se nós estamos livres de manipulação.


Como apontado pelo besouro azul(estendendo seu braço na direção so rapaz) devemos analisar bem as reações de todos antes de criar certezas.


E como dito pelo Homem hora nenhum de nós rei ou não estará aqui para sempre.


Volta-se para Aquaman.


:arrow:Em especial parece que estão se iludindo com outros assuntos,um líder deve ser aceito e respeitado pelos seus seguidores,caso se consegui-se um acordo isso poderia dar certo,mas isso jamais acontecerá.


Ninguém aceitará o soberano de outros reinando sobre si.


Isso só irá gerar guerra,e sei de que lado eu não estarei nessa guerra.


E eu espero que um grande líder como você se lembre que o bom soldado não da sua vida pelo seu comandante mas sim pelos ideais que ele representa.


E que mesmo se sacrifícios forem necessários,mesmo que a própria pessoa seja responsável por se arriscar ou não,aquele que não dá valor a esse sacrifício não passa de lixo e não merece liderar ninguém.


Com certeza parte do que disse foi no calor do momento,sei que cedo ou tarde perceberá isso e terá a nobreza de desculpar-se com quem achar que merece desculpas.

Novamente se dirige a sala.


:arrow:Uma última coisa,alguns de vocês estão se equivocando,não é hora de sair,ao contrário de mim em relação a algo que não poderia mudar, é a hora de vocês ficarem e guiarem os seus ao caminho que acham certo.


Desistir agora só lhes trará arrependimento.


Antes de parar ele se volta a Superboy.

:arrow:Está equivocado em algo rapaz(esboçando um sorriso)você não é o único titã aqui....é bom vê-lo vivo afinal.


Apesar de eu ser o primo distante que só é chamado para funerais,de fato somos família,se precisar de algo é só chamar.


Última edição por Estrela Vermelha em Qui Jun 13, 2013 11:12 pm, editado 1 vez(es)

_________________
"Bom e mal, eles se apegam as memórias porque é tudo que tem."
"Eu viverei com este fato!Não você!"
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1267
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Convidado em Qui Jun 13, 2013 4:30 pm

Já estou farto disso tudo.

Aquaman: Vocês me acusam de ser egocêntrico e não dar valor a morte de Ted. Mas não sou eu que estou inconformado sua morte, eu aceito o sacrifício dele e dou muito valor, não o diminuo em seus feitos ou o comparo a mim mesmo. Ele sabia no que estava se metendo, todos que agem como nós, sabem que estão encarando a morte todos os dias. Você diz que não me culpa, mas ao mesmo tempo culpa a liderança, qual a diferença?

Eles se dirigem a mim como se falassem com alguém que não entenda de política. Eles acham que podem me ensinar? Enquanto eles dividem suas vidas, eu me preocupava com economia, diplomacia, segurança, lutava contra os preconceitos da Atlântida... Quem pensam que são para me ensinar sobre política?

Aquaman: Olhe ao seu redor, a única coisa que inspiramos são crianças a se vestirem como nós e saírem por aí lutando contra criminosos. Não podemos tomar decisões pelos outros, mas podemos utilizar de força contra criminosos que não foram julgados pela lei? Podemos invadir propriedade privada quando suspeitamos de alguém, podemos ter posse de armamento muito superior a muitos países? A verdade é que eu assumo que o importante não são leis, existem princípios e valores acima delas, enquanto vocês só o fazem quando lhes é conveniente.

Tenho que deixar passar o comentário sobre meu filho, mas parece que esse Homem-Hora gosta de nadar em águas perigosas.

Aquaman: O que devemos fazer é nos posicionar politicamente. Lutar contra o destruição ambiental, contra a miséria, doença e opressão! Isso não se faz voando em trajes brilhantes! O mundo olha para nós esperando algo mais, devemos lutar junto com ele e parar de fingir que estamos fazendo o máximo que podemos fazer. Vocês defendem tanto a democracia como se realmente todos fossem iguais, como se tudo fosse uma maravilha, vocês se enganam com a liberdade de vocês, mas são orgulhosos demais pra assumirem isso. O povo não tem segurança, não tem comida, não tem força, precisa de alguém pra se levantar por eles, para devolver-lhes a força e a dignidade, eles seguirão um líder legítimo quando eles o verem.

Eles se enganam ao pensarem que elegem seus líderes, existe todo um sistema que governa a superfície. Mas, talvez, seja pedir demais pra eles se preocuparem com isso. Diana está certa, esse não é o papel da Liga da Justiça.

Aquaman: Fiquem aqui na órbita da lua, esperando a próxima ameaça extraterrestre, defendam um mundo em degradação e ganhem museus, estátuas e capas de jornais! O mundo precisará de vocês, deixa que eu me preocupo com as outras coisas.

O mundo já tem seus "super-heróis", e cada vez surgem mais, não precisa de mais um, ele precisa de um Rei.

O primeiro passo a unir os povos sob as águas, não podemos seguir o mesmo caminho que a superfície.

======================================================================================================

O Rei está voltando.

OFF: The King has left the building


Última edição por Aquaman em Sex Jun 14, 2013 1:18 am, editado 1 vez(es) (Razão : erros de português que foram notados, tvz tenham mais rs)

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Nasinbene em Qui Jun 13, 2013 9:04 pm

Definitivamente, aquela reunião de heróis rumava pra uma conclusão trágica. Kyle e o Fantasma do Espaço haviam posto os heróis a par da situação da fuga de Prime com as poucas informações que dispunha no momento. Kyle se mantivera em silencio desde então, analisando a discussão entre os demais heróis, formando sua opinião a respeito do assunto. Estava prestes a proferir sua opinião também quando um alerta do anel o põe a par de um perigo muito mais imediato:

Alerta! Entidade parasita hostil identificada. Medidas cautelares altamente recomendadas


Kyle se sobressalta com aquela informação, afinal todos ali eram aliados. O alerta provinha do Besouro Azul. Ao que parece, o escaravelho que lhe concedia poderes era uma ameaça tanto para Kyle quanto para os demais. Discretamente, para não alarmar ainda mais o garoto, Kyle pede mais informações para o anel:


- Anel, me ponha a par da real natureza da ameaça. Quero saber exatamente com o que estamos lidando aqui e qual seu potencial. Aproveite e amplie a capacidade dos escudos protetores. Não quero ser pego de surpresa...
avatar
Nasinbene

Número de Mensagens : 1239
Data de inscrição : 29/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Leo Rocha em Qui Jun 13, 2013 10:36 pm

A Mulher-Maravilha inicia a reunião e Estrela Vermelha apresentou sua versão dos fatos ocorridos na fronteira entre Rússia e Coréia do Norte. Após a fala do russo, Gladiador faz a apresentação do novo Besouro Azul que diz palavras um pouco curiosas pro momento. O Homem-Borracha vira para o Fantasma Espacial e diz:

 Ele tava citando uma música do Dire Straits?


 Dire o que?

 Dire Straits. Sabe como é: Money for nothing... Não? Deixa pra lá.... Pelo jeito você não curte os clássicos...

O tom da conversa fica mais tenso a medida que Diana expões as questões polêmicas que permeiam o momento. As emoções ficam a flor da pele e os heróis discutem de forma apaixonada defendendo lados diferentes de uma mesma moeda.
Será que este seria o momento que levaria a comunidade heróica a mais um racha?
Estrela Vermelha e Homem-Hora manifestaram que discordavam de uma postura mais autoritária da Liga da Justiça. Superboy, Poderosa e Gladiador também mostraram seu descontentamento com o que ouviam.
O Novato Besouro Azul, no entanto, se apresenta de forma corajosa ao lembrar que a Liga tem se preocupado mais com a atuação junto a ameaças de grande porte do que junto à população nas questões em âmbito local, nas guerras de gangues e no combate aos traficantes. Ele também contesta a alegação de que as armas nucleares são parte de um direito de defesa.
Aquaman se coloca enfaticamente, expondo uma opinião incisiva. Ele defende que a Liga deve exercer seu papel político no mundo, ampliando suas ações de forma a pressionar não só vilões e bandidos comuns, mas também ditaduras, governos corruptos e poluidores.
O Caçador de Marte se apresenta então, adotando uma fala ponderada e endossando o voto em Poderosa como líder da equipe.
Quando ouve falar de Ted, o Gladiador se exalta e desabafa:

 Deve ter entrado água demais nos teus ouvidos, cara! Eu não disse que a morte do Ted foi culpa sua! Disse que foi quando você liderava! Se você não fosse tão egocêntrico, cheio de si e fosse menos apaixonado pelo som da própria voz, você teria ouvido o que eu disse! E outra coisa! Ted não sabia onde estava se metendo! Nem você sabia, pois até onde lembro, suas palavras foram "não importa o que esteja lá, ele não pode passar!" Ou seja, nem tu sabia o que viria de lá! O teu erro, assim como o Asa Noturna também errou, foi achar que todos os desafios que eu enfrento, o ted também o poderia. Eu disparo lasers, vôo e possuo um campo de força que ninguém nesta sala poderia romper! Ted... ted era cardíaco. Entretanto, todos os líderes dessa liga têm preguiça em separar nossas atividades e acabavam sempre mandando Ted comigo! E eu não substituí Ted Kord! Eu substituí o Besouro Azul, mas os meus amigos não são substituíveis como os teus soldados!

Nessa hora, o Dr. Meia Noite decide falar:

 Eu entendo sua dor Gladiador. Sei o que é perder amigos, mas se me permite dizer, não acho que você deva enxergar as coisas dessa forma. A construção de uma equipe não deve considerar apenas os poderes dos heróis envolvidos e sim a forma como eles podem contribuir para sua união e para sua melhor ação. Eu.. Sou praticamente cego, não possuo superforça, velocidade ou mesmo solto raios, mas ainda assim eu luto todos os dias ao lado de deuses, alienígenas com poderes incríves e metahumanos extremamente talentosos. Eu sei que fisicamente sou mais fraco que muitos deles, mas não me vejo como menor ou como alguém que precise ser protegido. Eu quero contribuir, que lutar de igual pra igual e, se eu morrer, quero morrer lutando ao lado daqueles a quem amo.

Ele olha para Karen ao falar a última frase e continua:

 Bem... Nenhum de nós escolhe morrer, mas todos temos o direito de escolher como queremos viver. E por mais que essa escolha nos leve a um fim como o do Besouro Azul, ela deve ser vista como mais uma qualidade dele que sempre se sacrificou por um bem maior.


Mulher Maravilha assente com a cabeça e diz:

 Ted sempre foi um verdadeiro guerreiro. O correto a fazer nesse momento é honrá-lo por ter vivido e morrido como tal.

Homem-Hora também refuta mais uma vez as propostas de Aquaman, sugerindo que ele ainda pudesse estar sob influência do verme e Estrela Vermelha conclama todos a não dispersarem o grupo.

Homem-Borracha, que se mantinha calado até o momento, se pronuncia:

 Vocês falam de controle da mente para justificar as ações discordantes e que ninguém iria perder a cabeça ao passar por uma perda? O Hal tentou reconstruir uma cidade inteira com seu anel quando a perdeu. O Aquaman quase surtou com a perda do filho. O Gladiador quase partiu pra cima do Aquaman agora por causa do Besouro. Nós chegamos a mexer com mentes criminosas pra preservar nossas identidades. Quantas vezes a gente não perdeu a linha por perder alguém importante? Eu mesmo não sei o que faria numa situação dessas! Será que é difícil simplesmente não tentarmos competir pra ver qual dor é maior ou qual justifica fazer uma loucura? Se temos que decidir uma linha de ação, eu voto na Poderosa. Ela tem peito pra tocar essa equipe na situação atual e eu nem falei com o trocadilho...


A Mulher-Gavião fala:


 Não sei se ainda tenho direito a voto nessa equipe, mas apóio Aquaman. Acredito que ele é sincero em suas palavras e que é hora de realmente agirmos em escala maior.


Aquaman se irrita com os comentários e decide ir embora, porém Diana pede que ele fique e diz:

 Arthur, espere! Como Estrela Vermelha disse, não é hora para divisões. Todos estamos discutindo e construindo uma estratégia de ação como equipe. Eu não estou propondo uma ditadura metahumana. Estou dizendo que chegou o momento de nos posicionarmos politicamente! Nós mantivemos a cabeça enterrada na areia por muito tempo. Nos submetendo a joguetes políticos e muitas vezes mantendo no poder quem oprime e mata. Eu não propus assumir seus lugares, mas sim mostrar nosso desacordo com o  que eles tem feito. Quanto ao Superman: eu não admito que alguém o taxe como louco. Ele teve seus motivos pra agir. Sempre se doou por todos nós e no momento em que precisa de nosso apoio encontra ações e falas como essas? Ele sempre foi nossa inspiração e sempre será. Não esqueçam disso. O meu voto para a liderança da equipe vai para Jonzz. Na contagem, temos a maioria de votos para Poderosa. Então a partir deste momento ela passa a ser a nova líder da Liga da Justiça. Também me parece que precisamos discutir um pouco mais esta nova etapa em nossas vidas como membros da Liga. Não se enganem, essa é uma batalha que só venceremos se estivermos juntos. 



O anel do Lanterna Verde lhe sinaliza um alto potencial bélico no escaravelho e recomenda medidas de contenção imediatas. Ao mesmo tempo, o monitor sinaliza a notícia de um novo ataque do Solomon Grundy, desta vez na Lousiana.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4092
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Phelipe Peregrino em Sex Jun 14, 2013 7:22 am

¿Qué estoy haciendo aquí? Aqui não é o meu lugar...
Estava tudo girando. Num momento eu estava diante dos membros da Liga, os maiores heróis do mundo. Pessoas que eu sempre acreditei estarem acima de qualquer empecilho. No outro eu estava diante de pessoas que agiam como completos estranhos umas com as outras. Se acusavam, gritavam e abriam velhas feridas. Isso não pode ser a liga.
Eu olho para o Gladiador Dourado e vejo que as palavras do Aquaman o deixaram bastante irritado. Talvez seja a hora de uma "retirada estratégica".
Besouro Azul: Jefe... - Sussurro. - Acho que--
Khaji-Da: ATENÇÃO, Jaime Reyes! - Khaji-Da gritou na minha cabeça. - Fomos identificados. Ameaça extrema localizada!
Besouro Azul: Como assim ameaça extrema?
Khaji-Da: Iniciando todos os protocolos de defesa!
Sinto meu corpo se mover sozinho e tudo o que consigo fazer é assistir - como em um jogo FPS - vejo um de meus braços se transmutando, uma rajada acumulada que estalava estáticas e irradiava luz azul.
Besouro Azul: ¡Espera! - Gritei, mas eu já não tinha o controle do meu próprio corpo. - ¿Qué estás haciendo?
Só então eu notei o alvo de Khaji-Da--Não--O MEU alvo: O Lanterna Verde. Uma explosão acontece quando a rajada energética é disparada contra o Lanterna, e eu tive certeza que estava f@#$%*.

_________________
avatar
Phelipe Peregrino

Número de Mensagens : 1389
Idade : 28
Data de inscrição : 27/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/phelipe.peregrino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Nasinbene em Sex Jun 14, 2013 12:02 pm

O anel não tinha errado em sua avaliação. Um violento ataque de energia parte do Besouro Azul, procurando por fim ao Lanterna Verde. Se o anel não o tivesse avisado a tempo, provavelmente aquele ataque levaria o anel de Kyle a procurar um substituto no setor. No entanto, ainda era preciso lidar com toda aquela energia e lidar com o Besouro. Ao ver toda aquela energia canalizada em sua direção, Kyle pensa rápido e cria um cano em formato de U, com um dispositivo multiplicador em seu corpo. Também cuidou para que a ponta de saída de energia fosse mais fina que a de entrada, potencializando o efeito do impacto. Kyle redireciona de volta contra o Besouro, visando tirá-lo de combate antes que danos extensivos fosse causados ao satélite. Um estrago na estrutura naqueles condições poria em risco os membros incapazes de se manter no espaço. Era preciso cuidar daquilo de forma rápida e segura. Assim que a rajada atingisse o Besouro. Kyle então procura organizar a situação para que a coisa não fugisse ainda mais ao controle:

- Pessoal, preciso tirar o Besouro daqui antes que o Satélite seja destruído! O anel o classificou como uma forma de vida parasita hostil, de risco extremo para todos nós! Saiam todos desta sala antes que a descompressão aconteça!

Kyle tenta então uma estratégia para levar a batalha onde teria mais vantagem: levar o Besouro para o espaço. Kyle avança sobre ele rapidamente e o envolve numa película capaz de fazê-lo atravessar as moléculas das paredes do satélite.  A luta agora se daria no espaço, ou acabariam destruindo tudo ali...
avatar
Nasinbene

Número de Mensagens : 1239
Data de inscrição : 29/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Leo Rocha em Sex Jun 14, 2013 1:31 pm

Aparentemente, o jovem Besouro Azul deixava de lado a fala cordial e esperançosa e partia para um ataque direto contra o Lanterna Verde. Um disparo é emitido por ele, sendo refletido por um dos construtos do Lanterna em retorno. O escaravelho absorve o impacto fazendo com que o Besouro Azul se lançado contra uma parede próxima.
Rapidamente o Lanterna o tira do satélite através da parede e o leva para um confronto em espaço aberto. Os dois heróis se olham por um instante, enquanto o jovem Jayme se vê preso em um de seus maiores pesadelos.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4092
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Administrador em Sex Jun 14, 2013 8:27 pm

Poderosa ganhou a maioria dos votos e agora é a nova líder da Liga. Ela tem minha confiança não só por ter sido integrante da Sociedade, mas porque foi a única que tocou os corações de todos com seu discurso. Saber que a maioria dos membros da Liga concordavam com o posicionamento de Poderosa, reascendeu minha esperança de que ainda era possível fazer o que era certo. Então fiquei contente por saber que a equipe estava em boas mãos e demonstrei minha aprovação.

- Finalmente, um pouco de sanidade. Considerando as ideias extremistas que estão sendo difundidas por aqui, eu imaginei que Magog logo seria convidado para fazer parte da Liga. Porque caso sigam esse caminho, é o que acontecerá. Vocês terão apoio de gente da laia de Magog. Eu estive no Kahndaq quando o Adão Negro tomou o poder. Então acreditem quando eu digo que meta-humanos não devem se envolver com política. Mas se o exemplo de Adão Negro é o que vocês almejam, vão em frente! Só não contem comigo!


Todos esperavam pelo primeiro pronunciamento de Poderosa como líder da Liga quando o Lanterna Verde detectou uma perigosa ameaça na Torre de Vigilância, que aparentemente, vinha do novo Besouro Azul. Aguardei as reações dos heróis da Liga antes de fazer qualquer coisa. Eles conheciam o garoto melhor do que nós da Sociedade. Fiz essa recomendação para Jesse e Jennifer. Alguns integrantes da Sociedade já voltaram-se contra a equipe. Nem sempre é o que parece, como os surtos de Manto Negro provaram mais de uma vez.

Administrador
Administrador
Administrador

Número de Mensagens : 3981
Idade : 33
Data de inscrição : 10/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Ricardo Sato em Sex Jun 14, 2013 10:01 pm

Tudo estava indo de mal para pior,para se acalmando e indo direto a péssimo em velocidade estonteante.


Sem tempo a perder a cabeça de Leonid trabalhava com o que tinha ao seu redor,ele poderia sair mas teria que estar em sua forma energética,o que seria contra producente já que não poderia se aproximar de superboy e poderosa sem prejudica-los.


O tal fantasma parecia ser aliado do lanterna e lhe era desconhecido,provavelmente por ser um viajante espacial.


Gladiador e o marciano seriam importantes para descobrir a verdade e deter lanterna e besouro. 


Havia ainda a questão de não deixar o satélite vazio,já que poderia ser uma armadilha ou a base poderia ter algum dano,sem contar possíveis feridos.


Também não poderiam ignorar o ataque de Solomon grundy.


Sabendo que não tinham tempo a perder em nenhuma das frentes ele toma a dianteira e grita seu plano,tentando tirar uma reação daqueles surpreendidos pelos acontecimentos repentinos.


ArrowPoderosa,Gladiador,Caçador de marte,Fantasma e superboy tentem deter aqueles dois.



Mulher maravilha,elektrons,mulher gavião e dr meia noite guarneçam a base e ajudem quem precisar.


Eu e Homem borracha damos auxílio aos membros da sociedade para deter Grundy, se Oráculo puder nos transportar.


Não podemos perder tempo,se ninguém tiver algo contra ou plano melhor,vamos de uma vez....


Não citaria Aquaman pois não sabia no que ele estava pensando e achava que ele não aceitaria nenhum conselho antes de se acalmar. 


Sabia que não tinha direito de lhes dizer o que fazer,nem vontade de passar por cima de ninguém.


Mas havia vidas em risco e Leonid havia aprendido a muito tempo que cada segundo contava nessas situações.  

_________________
"Bom e mal, eles se apegam as memórias porque é tudo que tem."
"Eu viverei com este fato!Não você!"
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1267
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Administrador em Sex Jun 14, 2013 10:46 pm

Lanterna Verde resolveu a questão do Besouro Azul. Mas o monitor do satélite alertou que Solomon Grundy estava em atividade. Estrela Vermelha, demonstrando iniciativa, sugeriu um plano de contingência. Como membro da Sociedade, relatei o que sabia sobre o inimigo.

- Grundy? Já faz algum tempo que não temos notícias dele. Ele era inimigo do Alan. Na última vez que enfrentamos Grundy, bastou o gás do Sand para derrubar o grandalhão. Só que o nível de poder do monstro muda em cada confronto. Não me perguntem o por quê.


Embora o que Estrela Vermelha disse tenha feito sentido, eu esperei por um parecer da cadeia de comando da Liga. Mas se Grundy estava causando problemas, a Sociedade da Justiça estaria pronta para ajudar no que fosse preciso.

Administrador
Administrador
Administrador

Número de Mensagens : 3981
Idade : 33
Data de inscrição : 10/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Nasinbene em Sab Jun 15, 2013 2:34 pm

Kyle tinha conseguido tirar o Besouro de dentro do satélite, o que era a parte fácil da coisa toda. Agora vinha a parte difícil: deter o rapaz sem feri-lo ou ser morto por ele... Kyle estava frente a frente ao Besouro quando o anel finalmente lhe dá a informação que havia pedido momentos atrás...

Atenção Lanterna Verde 2814.4: inimigo identificado como entidade simbiótica/parasítica considerada extinta a muitos ciclos. Proceder com extrema cautela: alto potencial bélico confirmado


- Isso você não precisava me dizer, eu ja tinha notado...


Apesar da alta periculosidade da situação, Kyle sabia que Jaime não era culpado por suas ações e não queria machucá-lo. Tentaria uma abordagem mais sutil antes de partir pra ataque propriamente dito:


- Olha, cara sei bem como é ter uma força alienígena em suas mãos, mas o importante agora é você assumir o controle da situação. Concentre-se, Jaime use sua força de vontade para controlar a criatura... Eu sei que você consegue... Não me force a ferir você...


Kyle mantém uma postura não ameaçadora para tentar acalmar a criatura que dominava o jovem... No entanto, mantinha seus escudos em capacidade máxima. Não queria atacar o Besouro, mas não hesitaria em sem defender dele....
avatar
Nasinbene

Número de Mensagens : 1239
Data de inscrição : 29/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Dana em Dom Jun 16, 2013 12:27 am

Depois que ela terminava de falar, Kara ouvia o discurso inflamado do Superboy ameaçando impedir quem quer que fosse tentar liderar o Mundo dentre os heróis presentes ali naquela sala do Satélite, ela cruzou os braços novamente, observando o jovem herói fruto dos genes do maior herói da Terra mesclado com o de seu maior inimigo, uma combinação perigosa e explosiva, mas, o coração ainda se mantinha bom.

Em seguida do novo Besouro Azul defendia com ardor o Superman, mencionando que ninguém havia falado com o mesmo depois dele ter tirado da Terra todas as armas nucleares que conseguiu encontrar, era um fato e verdade. Por isso mesmo ela havia perguntado se era possível que algo no Satélite ou mesmo o Lanterna Verde pudessem encontra-lo. Poderosa queria conversar, enfim, com seu primo, a sós, a longe de tudo. Se ele não fosse o Kha-el eles teriam mais problemas do que podia imaginar. Um sorriso surgiu em sua face enquanto ouvia ele defender Clark, mas, logo sumiu quando começou a ouvir sobre a dor que ele trazia de sua vida por trás do uniforme. Estavam presos a aquela realidade, era outra verdade. Tinham pode de enfrentar titãs, mas, não podiam meter-se em questões mais voltadas aos problemas comuns dos humanos. Não de uma forma direta e ofensiva, porém, de certa forma mais tarde isso poderia ser discutido.

Ela não fazia ideia se o efeito do controle mental havia passado em Arthur para ele fazer jorrar de sua boca tantas frases frias e dignas de um Rei que mantinha seu povo em mãos de ferro, ele parecia sim desejar controlar mais do que poderia a ordem mundial, e definitivamente Kara não gostou de ouvi-lo falar, ainda mais suas últimas palavras, dizendo que “somos mais, e podemos  levar a humanidade a uma nova era”, aquilo tinha um o odor fétido de controle mundial, algo que ela não deseja e nem iria permitir, enquanto estivesse viva.

Talvez as palavras que ela mais tenha prestado atenção foram as de J’onn, em relação a toda situação que estava desenrolando-se ali, ou melhor, enrolando-se. Os ânimos estavam exaltados, as palavras eram mal interpretadas e consequentemente feriam mais do que apaziguavam quem as ouvia. Ela suspirou quando o marciano mencionou que ninguém deveria falar mais do Superman, pois, ele mesmo sendo quem era também, era passível de errar, como qualquer ser humano, ou não. Poderosa sabia disso, e precisava mais do que nunca conversar com o primo, para saber o porquê realmente de tudo aquilo, ou se fora como alguém havia falado um surto tamanha a dor que ele sentiu pela Supergirl estar em coma, pela  perda de Lois, e depois pelos atentados a bomba, o mundo enlouqueceu, bem era errado pensar assim, as pessoas haviam enlouquecido na verdade. Ela estava pensando longe demais, quando ouviu seu nome sair da boca de J’onn, votando nela também, para liderar a Liga, aquilo acabava pesando em seus ombros, ainda mais em um momento em que sentia-se de certa forma frágil, por causa dos problemas pessoais e pela existência de sua krytonita.

Michael exaltava-se mais uma vez, o nome Ted Kord mexia demais com ele ainda, e provavelmente sempre seria o calcanhar a Aquiles do Gladiador, por hora ele não perdoaria o Aquaman de modo algum por ter mandado sua equipe para o lugar onde seu melhor amigo morreu. Por alguns instantes ela ficava com o coração apertado por saber se fosse líder aquela responsabilidade seria dela, de certa forma um líder acabava precisando saber corretamente com poderia enfrentar o que, por dentro sentia uma grande angustia e Clark não estava ali.

O Homem Hora acabava confrontando as duras palavras de Arthur e instigando que o mesmo fosse examinado pelo Doutor Meia Noite, podendo correr o risco de ainda estar sob o controle do verme como ela também desconfiava, era ruim imaginar que alguém que ela já gostou tenha se transformado naquele homem de mente tão ofensiva.

Estrela Vermelha acabava surpreendendo a heroína pela sua percepção de como todos falavam e suas palavras eram profundas, ela acabou fixando-se em uma frase em especial, “o bom soldado não dá sua vida pelo seu comandante, mas sim pelos ideais que ele representa”. Kara acabara se esquecendo do impacto que a atitude impensada de seu primo poderia ter na Humanidade, ele era um dos maiores símbolos do que era certo, de como alguém deveria ser. O Superman, e novamente o peso do “S” estampado no uniforme vinha lhe incomodar, falaram que ela representaria melhor a Liga da Justiça por ter tido uma família, e convivido melhor com os humanos a ponto de poder passar um pouco disso para a poderosa Liga da Justiça, saiu daquele turbilhão de pensamentos quando ouviu Aquaman esbravejar aquela arrogância toda. Kara franziu a testa quase não acreditando no que Arthur dizia e da forma como ele dizia.

Era hora de Diana falar, servindo de conciliadora no meio daquele Caos, Kara ouve o Doutor Meia Noite pronunciar-se sobre o que o Gladiador havia falado de Ted não ter tantos poderes quanto a maioria ali, mas, ele fazia o mesmo que cada um por trás daqueles uniformes, lutar pelo que acreditavam ser certo defendendo quem amam. Notou claramente as palavras dirigidas a ela, que fez com que a heroína lembrasse quão humana também podia ser.

O Homem Borracha também falava, dando seu voto para Kara, argumentando que cada um ali deveria parar de competir para ver qual dor era maior e começar a parar com aquela loucura, afinal todos ali eram amigos, ao menos a maioria. A Mulher Gavião vota em Aquaman, as duas não eram humanas, mas, pensavam de formas bem diferentes, contudo, ambas tinham grande ferocidade em combate.

Diana enfim, se pronuncia e pede para Arthur ficar, a amazona vota em J’onn, porém, a maioria havia votado em Kara, que recebe a noticia com certa surpresa, não imaginando que em meio a todas aquelas turbulências algo assim poderia acontecer. Outro filho de Krypton poder ser líder, quem lá fora confiaria nela? Por hora o que importava é que ali dentro, na Liga da Justiça tinham a escolhido. Tudo que Diana falou era verdade, tinham de começar a tomar uma postura justa de verdade diante dos outros problemas que existiam na Terra, era hora de “sair de cima do muro”, e mostrar que todos ali poderiam voltar a unirem-se, mais uma vez em prol de uma causa maior, da Humanidade.

Deu um passo para frente, quando algo inesperado aconteceu, o Besouro Azul atacava o Lanterna Verde, mas, agilmente o herói acabava retardando um disparo feito pelo Besouro, jogando com ele mesmo. Kara saia da inércia em que estava, no momento que ouvia o disparo, e quase junto dele vinha o aviso que Solomon Grundy, na Lousiana. Mais problemas? Kyle acabava tirando o Besouro dali, levando-o para o espaço e deixando os outros na sala olhando a cena admirados, Homem Hora e Estrela Vermelha se pronunciavam já para ação. Mas, ela contestou as “ordens” dele.

- Sem pronunciamento de líder agora pessoal, isso fica pra outra hora! – Ia pra perto dos monitores. – Mantenham aqueles dois em nossa visão, Lanterna pode cuidar dele sim, mas, é melhor o Gladiador tentar trazer seu colega pra realidade, não creio que seja ele que esteja atacando sem sentido algum... Michael, conto com você, não conheço ninguém aqui que saiba mais sobre o Besouro Azul do que você. – Olhou para Diana. – Diana, ou estou com alguma teoria da conspiração em mente, ou começando a ver mais as coisas, mas, Grundy não deverá ser nosso único problema, creio eu que logo teremos mais algum alerta, ele pode ser um mero atrativo pra algo maior. – Olhou pra Mulher Gavião e o Homem Borracha. – Vocês podem cuidar do Grundy?  - Esperaria a resposta deles e desviaria sua atenção para o Estrela Vermelha. – Não deve haver problemas diplomáticos em você ajudar os dois, não é? Já que está com vontade de ação e tem boas intenções, vai poder ver como é fazer parte da Liga da Justiça, Estrela Vermelha.  – Deu meia volta tendo sua atenção tomada em cima do combate lá fora. – Oráculo pode teletransportar vocês, quanto antes chegarem, menos pessoas se machucam e menos danos teremos. Não creio que ele esteja atacando por estar num dia ruim... – Ela o conhecia um pouco para saber que aquele vilão não pensava muito, era mais força bruta, contudo, algo sempre o movia, um motivo. – Arthur, por favor, fique aqui, até se acalmar. Não quero você lá fora exaltado, e creio que seja melhor mesmo ser analisado por J’onn e pelo Doutor Meia Noite, se de alguma forma aquela coisa ainda mantém algum pode sobre você, não vai querer levar isso para seu Lar, não é?– O chamou pelo seu nome verdadeiro, o nome que ela já havia chamado tantas vezes em um tom de voz com menos força do que aquele, contudo, não deixava de transmitir gentileza. Não repreendia aquele homem por suas palavras ferinas, mas, sim se mostrou preocupada em ver como os que tinham tanta fé em seu Rei poderiam agir vendo-o com aquele ardor e rancor nos olhos, contra o governo dos humanos. Não seria prudente deixa-lo ir sem que fosse avaliado e constatado que nada de errado havia com o Aquaman. – Diana, você pode ficar junto dele? E se certificar que ele vai se examinar. - Referia-se ao Aquaman, afinal eram colegas antigos, e amigos, pareciam se entender bem, os membros mais antigos, pareciam ter um elo quase impenetrável, às vezes, para outros heróis, por mais que cada um tentasse passar. – Doutor, peço que estude aquela coisa nojenta, e consiga o maior número de informações possíveis dela, por favor... Precisamos conhecer esta pequena peça do inimigo, seja lá quem for. – Voltou-se para o Superboy e falou. – Você fica aqui, mas, caso seja preciso parta imediatamente ajudar a equipe da Mulher Gavião contra Grundy. – Foi até ele e pousou a mão no ombro direito do rapaz. – Calma, nós vamos descobrir quem está por trás disso, e voltar a ter paz na família... – Olhou em volta. – Nesta família, também... – Saiu de perto dele e dirigiu-se até o Homem Hora. – Já pertenci a seu grupo, Homem Hora, e desejo que não se afastem de nós, quando mais precisamos. Agora estamos enfrentando não somente nossos egos e nosso medos, mas, também, o medo dos humanos. Sei que ninguém pediu para que nos tornássemos seus salvadores, e por isso mesmo não podemos cobrar nada deles. Mas, concordo que devamos fazer a humanidade lembrar-se mais uma vez do verdadeiro sentido da palavra Justiça, o medo tem cegado a todos, inclusive a nós... – Olhou para os mais jovens, presentes ali, e deu um meio sorriso, mesmo mantendo-se séria no olhar. – Ninguém vai colocar uma coroa em sua cabeça e mostrar um caminho glorioso a Humanidade, enquanto eu viver, não vou permitir isso, mesmo assim creio eu que Diana esteja certa em pararmos de permitir que tantos males criados pelos próprios humanos prevaleçam desta forma, a Liga foi criada sim para combater o Mal em suas faces mais... Poderosas. Contudo, também devemos mostrar que não somos deuses, erramos, e reconhecendo isso, poderemos mostrar um pouco da humanidade que eles mesmos esqueceram. Precisam confiar em nós, e não nos temer... – Kara esperaria ele falar, qualquer coisa, depois voltaria sua atenção para as telas, visando o Lanterna, Gladiador e o Besouro, assim como os outros, se fossem seguir suas “ordens”. Respirou fundo, o dia seria longo, e os problemas provavelmente não iam sumir tão rápido. – Eu vou ficar aqui, se alguém precisar, vou ajudar. Mas, quero saber antes se podemos de alguma forma localizar o Superman, Diana, Oráculo, alguém sabe me dizer isso...? Preciso falar com meu primo. – Sua voz agora sim era pesada, e soava com angustia.

_________________
avatar
Dana

Número de Mensagens : 356
Idade : 36
Data de inscrição : 24/05/2012

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/profile.php?id=100003739988649

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Administrador em Seg Jun 17, 2013 10:25 pm

Eu sabia que não escutaria um discurso de agradecimento da Poderosa. Ela nunca foi de meias palavras. Então ela foi direto ao assunto, delegando funções para os membros da Liga num tom imperativo, que é característico dela. Mas eu tive que aconselhar Poderosa sobre uma questão.


- Poderosa, longe de mim menosprezar as habilidades de Homem-Borracha e Mulher-Gavião, mas vocês precisarão de mais do que os dois para refrear os passos do Grundy. Toda vez que emerge do mundo dos mortos, Grundy retorna com uma nova personalidade. Então não dá pra prever como ele se comportará ou que nível de poder ele demonstrará. Ele surgiu pela primeira vez como inimigo do Alan, para ressurgir na vez seguinte como protetor da Jade. Ele é imprevisível! Nós da Sociedade estamos habituados com Grundy. Se quiser, eu e Jesse ficaremos honrados em acompanhar Homem-Borracha e Mulher-Gavião. Vocês da Liga estão enfrentando muitas contingências. Saiba que a Sociedade está disponível para ajudar a aliviar o fardo da Liga.

Em seguida, recomendei que Rajada ficasse no satélite com o Doutor Meia-Noite, enquanto a presença da Sociedade for útil para Liga, é claro. Rajada ainda não está preparada para lidar com alguém como Grundy.

- Rajada, é melhor você ficar aqui com o restante da equipe. Grundy é o tipo de criatura que faz você ter pesadelos à noite. Até hoje a Sideral tem medo dele. Fica para a próxima!


Não menti quando disse que Courtney ainda sentia medo de Grundy. Em uma de suas muitas ressurreições, Grundy demonstrou uma certa obsessão pela Courtney. O mundo já está a beira do caos. Eu espero que Grundy não piore as coisas.

Administrador
Administrador
Administrador

Número de Mensagens : 3981
Idade : 33
Data de inscrição : 10/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Scorpion em Seg Jun 17, 2013 10:45 pm

As coisas no satélite estavam ficando animadas. Aquaman resolveu picar a mula sem ser analisado, o que faria com que a suspeita sobre estar sobre influencia do verme aumentasse. Aceitaria ele ser analisado pelo Meia Noite? Michael era extremamente desgostoso com o Dr. Meia Noite, visto que ele o havia dado um soco gratuitamente há poucos meses atrás.
Então, o Besouro Azul surpreende a todos atacando o Lanterna Verde e a nova líder da Liga da Justiça pede que ele tente conversar com o Besouro.
GD: Ir eu até posso ir, mas você sabe que eu não posso respirar no espaço, né?
Então ele teve a idéia de pedir ao Lanterna que gere um suporte de vida para ele. Ele entra em contato com Kyle pelo comunicador.
GD: Kyle, eu estou saindo! Preciso que você gere um suporte de vida para mim. Me deixe tentar falar com o Besouro, por favor. Ele é um bom rapaz, mas pelo pouco que vi dele, ele tem muito poder de fogo! Cuidado!
Michael então voa para fora da Estação espacial em direção aos dois heróis.
GD: Jaime, eu sei que isso não é você! Sei que esse negócio está te controlando de alguma forma, mas você tem que superar isso! Você optou por ficar com esse negócio nas costas quando eu era a favor de tirar e eu confiei na sua escolha... Então me mostre que eu estava errado e você estava certo! Lute contra isso e mostre a todos que você pode transformar esse escaravelho bélico em algo que luta pelo bem e pela justiça.
Michael estava preparado... Se o Besouro fosse atacar a ele ou a Kyle, ele criaria um campo de força em torno de Jaime para impedí-lode atacar e de ser atacado.
GD: Vamos, Jaime! Você tem um poder que o Ted nunca teve... Lute pelo direito de ter este poder! lute, PARCEIRO, LUTE!
Agora era com Jaime.
Se Kyle fosse atacá-lo, Gladiador também geraria um campo de força ao redor do Lanterna.
GD: Não! Não adianta neutralizarmos ele... Ele TEM que conseguir controlar esse negócio. Ele merece uma, duas, vinte chances! Eu me responsabilizarei por ele!
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2322
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Ricardo Sato em Seg Jun 17, 2013 11:40 pm

Leonid pesava as coisas que ouvia,de certa forma estava impressionado com a sutil ordem de poderosa,como Homem hora veio a perceber ela deliberadamente se restringiu a "ordenar' os membros da liga,evitando se impor aos outros.

Não sabia se era o objetivo mas respeitava o ato em si,ele mesmo teria dificuldades de agir assim.

Estrela via a todos ali,e via seu potencial como um todo,os via como uma força a ser usada e preferia pecar pelo excesso do que pela falta.

Também via onde Homem hora queria chegar,se o poder do oponente variava era melhor entrar em combate com uma vantagem.

No fim sua única certeza era que sua disposição a ação,talvez um pouco imprudente,era tão aparente que até aqueles que pouco o conheciam percebiam.

Mas o que realmente lhe martelava a cabeça é que sem perceber os membros da liga pareciam estar indo pelo mesmo caminho que Aquamen.

Embora fosse uma denominação até correta em um ambiente onde tantos eram alienígenas ou de espécies fantásticas,por assim dizer,não podia ignorar uma palavra recorrente.

"Humanos",para Leonid a impressão que dava era que a palavra era usada na verdade como um sinônimo do que ele mesmo chamava simplesmente de pessoas......

Estrela vermelha via a si mesmo como um dos "humanos" tinha habilidades diferentes por conta do acidente,mas acima de tudo ele se via como mais uma pessoa um "cara".

Muitas vezes ele era criticado por ser tão fiel a um país ao invés de seguir os outros metas e agir aparentemente sem escolher lados,mas agora ele percebia de forma diferente....por sempre se ver como mais um entre seu povo,ele nunca se sentiu mal em ser mais um cidadão russo,mais um soldado russo.

Parece que aos poucos todos ali viam os problemas dos humanos como algo separado em que eles podiam ajudar,como se eles fossem diferentes e separados.

Leonid não entendia suas diferenças com seus colegas americanos assim até ver os maiores heróis agindo de tal forma.

Sempre viu suas diferenças como sendo culpa de sua cultura ou do fato de que nunca foi um "jovem titã".

Novo sim mas jovem não,sempre separado, disposto a ajudar mas nunca alguém realmente aceito.

Acreditava na bondade deles e em seus ideais mas nem por isso seria cego para seus defeitos,para os quais eles pareciam fechar os olhos.


Seria impressão sua,seria mais uma prova de que ele teria de se esforçar para entender os outros ou seria seu instinto avisando de futuros problemas....


Mas essa não era a hora desses questionamentos... era chamado a ação e não se esquivaria.


Estou pronto quando estiverem,temos um ser que precisa de descanso e um túmulo vazio a preencher. 


As palavras poderiam soar meio rudes,mas não era essa a intenção.


Porém Leonid não perderia tempo se explicando,que eles se preocupassem em desvendar a face relaxada com que dizia isso.


Ele só estava feliz de voltar a ação,ao campo de batalha onde aliados e oponentes costumavam aparecer tão claros,ao invés daquela atmosfera tão confusa.

_________________
"Bom e mal, eles se apegam as memórias porque é tudo que tem."
"Eu viverei com este fato!Não você!"
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1267
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Convidado em Ter Jun 18, 2013 8:37 am

J'onn acena positivamente com a cabeça para Poderosa e em seguida entra em contato telepático com Aquaman.

*** ---------------***

J'onn não quer fazer nada que Arthur não queira, mas se fosse preciso, talvez seria necessário intervir pra que Aquaman não tomasse atitudes ainda mais "problemáticas".
Mas J'onn tem quase certeza que todas as palavras de Arthur tem algo muito mais complexo do que simples arrogância por parte dele, e espera que com a resposta do Aquaman, possa confirmar suas expectativas.

Depois de tudo isso ser resolvido, J'onn falará com a líder sobre voltar á se infiltrar no meio dos vilões, porque ele sabe que todo um plano está sendo feito para destruir de vez com a Liga da Justiça...

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Nasinbene em Ter Jun 18, 2013 8:15 pm

Aparentemente, Kyle teria ajuda ao lidar com o descontrolado Besouro. Logo após acabar de falar com Jaime, Kyle ouve a voz do Gladiador Dourado pelo comunicador pedindo a ele que gerasse um suporte de vida para que este respirasse no espaço. Sem tirar os olhos de Jaime, Kyle transmite uma ordem ao anel e rapidamente o Gladiador tinha um modo de respirar no espaço. Assim que este termina de falar, Kyle torna a reforçar seu discurso para que o Besouro retomasse o controle:

- Escute o Gladiador, Jaime. Convença essa coisa que ninguém aqui vai feri-la, estamos todos juntos nessa. Use sua força de vontade, busque quem você realmente é. Você controla o poder, não o inverso... Vamos, cara... Estamos todos contando com você...

Os heróis enfrentavam um impasse agora... Não queriam ferir o Besouro mas tinham que lidar que a situação...
avatar
Nasinbene

Número de Mensagens : 1239
Data de inscrição : 29/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Convidado em Ter Jun 18, 2013 10:20 pm

O fim de toda a discussão surgiu com a indicação de Karen ao posto de líder da Liga, seguido de um ataque repentino do novo Besouro Azul, juntamente com um ataque de Grundy na Terra.


Apesar de escolherem Karen como líder, é o Estrela Vermelha que dá as primeiras ordens... um soldado dando ordens... que seriam prontamente atendidas pelo Homem-Hora se não fosse a intervenção de Karen. Parece que a equipe ainda não entendeu o papel de cada um.


Nisso tudo, o que mais me impressiona é o quão rapidamente eles tem desconfiado dos seus antigos companheiros e acreditado em pessoas que nunca lutaram ao seu lado. Depois o louco sou eu. Falando nisso, parece que a "loucura" é a única explicação que eles enxergam para a diferença de pensamento ou para as ações que lhes fogem ao controle. Paciência...


Já que me querem longe da ação, isso me dá tempo para cuidar dos meus ferimentos e trocar de roupa. J'onn faz contato telepático, o respondo brevemente enquanto sigo em direção a enfermaria, com um aceno eu convido Diana a ir comigo. Dr. Meia-Noite se aproxima com cautela e nos acompanha.


Chegando a enfermaria encontro aqueles que sofreram com meu ataque.

Aquaman: Peço desculpas, sabemos que eu estava sendo controlado, mas mesmo assim, isso não deveria acontecer, peço desculpas.

Após terminar os curativos, Dr. Meia-Noite me olha meio temeroso, ele quer examinar minha mente, mas não sabe como me abordar.

Aquaman: Você acha que essa é a primeira vez que alguém controla a minha mente? Eu estou bem, pode confiar em mim. Você mesmo disse que esse verme estimula ódio aos meta-humanos e a falta de auto-preservação, está vendo algum desses sinais?

Me levanto e vou até uma sala onde encontro um dos meus uniformes reservas. Diana se aproxima esperando que eu fale alguma coisa.

Aquaman: Você tinha razão, não é o papel da Liga intervir politicamente. Pelo menos, não enquanto os "super-heróis" continuarem pensar assim. Mas a questão é que eu nunca fui um "super-herói". Desejo o melhor para a equipe, essa ameaça interdimensional parece algo grave, o mundo precisará da Liga.

Ando em direção ao teleportador da Torre, mas antes, digo umas últimas palavras para Diana.

Aquaman: Se eu fosse você, sairia daqui antes que te considerem louca.

Sorrio para ela.


Chegando no teleportador, o sincronizo para San Diego. Preciso pegar meu tridente.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Leo Rocha em Qui Jun 20, 2013 7:35 pm

Os ataques simultâneos, do Besouro Azul no satélite e de Grundy na Louisiana forçam a equipe a mais um momento de tensão.
Assumindo o posto de líder da Liga da Justiça, Poderosa inicia a distribuição das tarefas entre os presentes, enviando Homem-Hora, Liberty Belle, Estrela Vermelha, Homem-Borracha e Mulher-Gavião para a Louisiana. Ela também se levanta para auxiliar junto à situação do Besouro Azul.
Antes disso, ela solicita que Aquaman se submeta a uma análise feita por Jonzz e Dr. Meia Noite e que Diana o acompanhe.
Jonzz faz a primeira sondagem na mente do companheiro de equipe e atesta que não há sinal da influência do verme em sua mente. No entanto, detecta a frustração do soberano dos mares por conta do descrédito de seus companheiros.
Jonzz. Arthur e Diana seguem até a enfermaria, onde o rei submarino se desculpa com os heróis feridos por ele em combate. Roy Harper é o primeiro a falar:

Não esquenta, cara. Todo mundo tem um dia difícil. Só não precisava pegar tão pesado...

Ele esboça um sorriso, mas não consegue concluí-lo por conta de uma dor na garganta. Canário então se vira pra ele e diz:

Vocês tem notícias do Ollie? Ele sumiu faz dias e ninguém consegue contatá-lo. Nós precisamos achar onde ele está.

Dr. Meia Noite se aproxima de Aquaman que lhe expõe não acreditar estar sob influência do verme. Jonzz concorda com a afirmativa e o Dr. diz:

Eu não tinha dúvidas disso. Verifiquei que a contaminação do verme é realizada através de uma secreção que ele libera diretamente sob o corpo do hospedeiro. O seu caso foi uma exceção que foi impulsionada pela tentativa de uma vinculação telepática. Quando o vínculo foi rompido, você teoricamente retomou o controle de seu corpo e mente.

Após os esclarecimentos e curativos, Arthur, Jonzz e Diana seguem na direção do teleportador. O herói anfíbio segue à frente, ainda irritado pela recepção de seus colegas às suas idéias e se despede alertando a Diana sobre a possibilidade de em algum momento a considerarem louca também. Ela olha para o amigo com ternura e diz:

 Calma, meu amigo. As grandes mudanças levam tempo e assustam. Não se isole por conta destes desentendimentos. Nós precisamos de você.

**

Vodoo estava sozinha no refeitório. Jonzz havia se envolvido tanto nas questões decisórias da Liga que havia esquecido dela. Ela se sentia extremamente desconfortável com tudo que lhe acontecia desde que o marciano a encontrou. Sentia que ele queria lhe ajudar, mas desde que ele lhe libertou, ela tem presenciado e vivenciado coisas que a fazem questionar sua sanidade. Seria ela uma alienígena? Seria tão perigosa quanto o Besouro Azul lhe disse?
Ao lembrar o nome do herói azulado ela estremece. Ele já havia puxado armas para ela uma vez e agora puxava para o Lanterna Verde. Ela temia o que poderia acontecer se continuasse junto dele e dos demais heróis. Ela queria ir embora dali. Não podia ficar mais tempo. Se sentia sufocando e começava a se sentir desesperada. Ela então começa a andar pelo satélite em busca de uma forma de escapar daquele sonho surreal. E é nesse momento que ela encontra o Fantasma Espacial. Ele a olha e diz:

Você não parece fazer parte de nenhuma das equipes. O que você faz aqui?

Eu não sei... Eu vim com o marciano e os dois que estão brigando lá fora.

Entendo. E o que você estava fazendo com eles?

Eles me resgataram de uma instalação militar. Depois descobriram que eu tenho DNA alienígena e me trouxeram pra cá. Eu nem sei direito o que está acontecendo ou o que houve antes de eu ser presa. Eu estou tão confusa e só quero ir pra casa...

Talvez seja melhor você aguardar um pouco. Se as coisas estão tão confusas pra você, ficar sozinha não irá ajudar.

Ela o olha por um instante. Aquele homem taciturno e firme tinha o aspecto de alguém que há muito tempo desistiu de uma vida. Ela faz um sinal afirmativo com a cabeça e os dois seguem na direção do refeitório, onde Vodoo continuará aguardando o retorno dos homens que a ajudaram.

**

Rajada seguia pelo satélite a procura do Dr. Meia Noite. Ela passa pelo laboratório quando escuta a conversa entre Ray Palmer e Ryan Choi:

Você não participou da votação. Por que?

Eu não faço mais parte da equipe. Não depois do que Zatana e os outros andaram fazendo. Eu preciso de um tempo para digerir isso. Só vim hoje porque era uma emergência. Mas você também poderia ter votado, afinal, já foi membro ativo.

Mas estou na reserva no momento. E também não iria te deixar sozinho aqui. Afinal, os Elektrons ficam juntos.


Ela decide não interromper o momento entre os dois amigos e segue na direção do refeitório. Ao chegar lá, ela encontrará Vodoo e o Fantasma Espacial.


**
Poderosa deixa o satélite no momento em que Kyle e Michael tentavam alcançar a mente de Jayme. O Besouro disparava contra os dois heróis, usando canhões de prótons em suas mãos. Dentro do traje, o jovem travava uma luta pelo controle de seus atos:



Khaji-Da: Precisamos garantir a integridade da conjunção. Indivíduo identificado como membro da tropa dos Lanternas Verdes. Lanterna Verde do setor 2814 empreendeu um ataque a Khaji-Da, responsável pela avaria dele quando chegou a este sistema. A tropa dos Lanternas Verdes perseguiu a espécie de Khaji-Da.


**
O teleporte é rápido e os heróis chegam ao local onde Grundy se encontra. O zumbi está irritado e empreendendo uma onde de destruição na zona comercial onde está. Ao ver os heróis chegarem, ele grita:



Ninguém vai machucar o Grundy!

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4092
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Leo Rocha em Sex Jun 21, 2013 2:17 pm

Tim Drake chega ao satélite da Liga pelo teleportador um pouco antes do Aquaman se dirigir ao local para deixar o satélite. Ele havia recebido a convocação da Liga através de Oráculo e precisou adiar alguns de seus compromissos como futuro candidato para ir até o local. 
Ele estava preocupado, pois vira o que estava ocorrendo com o mundo e com a comunidade heróica e se perguntava de qual forma poderia contribuir mais: como político ou como herói?
Ele não sabia a resposta, mas sentia que atender a este chamado lhe ajudaria a chegar a ela. 
Agora ele estava no satélite e se resolvesse seguir para qualquer parte dele, encontraria as pessoas que lá estão dispostas após a reunião. Se, por algum motivo, demorasse alguns minutos para sair da área de teleporte, presenciaria a chegada de Aquaman, Mulher-Maravilha e Caçador de MArte ao local e as palavras tristes ditas pelo atlante.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4092
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Convidado em Dom Jun 23, 2013 3:53 am

Aquele dia estava sendo... Pesado, para não dizer outra coisa.

Coisas demais acontecendo, rápidas demais, sem tempo para serem assemelhadas. 
Esteve no funeral de Lois, não poderia deixar de comparecer. Manteve-se ao fundo da igreja, ao lado oposto de Bruce.  A escolha de abandonar a vida de vigilante, para tentar fazer a diferença de outro modo, o deixava receoso de aproximar-se. Por sorte, o fato dele estar tão ocupado no projeto Batmen o deixava compenetrado demais e, por enquanto, ainda não tinha conversado com Bruce.  Sem contar que Dick também parecia estar distante, ocupado com Damien, o que só ajudava.
Os olhos percorriam as fileiras, tantos rostos conhecidos. Tantas lembranças. Levou o olhar a Conner, sentando junto com sua família. Seu melhor amigo, ainda que tivessem passado por tanta coisa ultimamente. Não havia nem comunicado oficialmente aos Titãs sua saída. Vic apenas tinha lhe dado tempo, como nas vezes em que ele havia se afastado. Era difícil lidar com aquela decisão. Sentiu o smarphone vibrar, e ao apanhá-lo no bolso interno do terno, viu a foto de Stephanie. Hesitou por alguns segundos, e então passou o dedo pela tela, ignorando a chamada. Após um longo abraço com poucas palavras de conforto em cada membro da família Kent, retirou-se. Por ter saído logo após o término, estava ganhando distancia em seu Mitsubishi Lancer quando a confusão começou.
 
----

O amplo apartamento parecia ainda maior e opressor com as noticias que eram cuspidas pelo televisor. Tinha um compromisso com um dos lideres do partido, para discutir os termos da candidatura.  O ritmo das notícias era frenético, detalhando os ataques. Atirou o terno no sofá, e livrou-se da gravata, a atirando pelo caminho, conforme caminhava em direção ao quarto, ouvindo ao longe as notícias. Ao entrar no quarto, o olhar prendeu-se ao comunicador no criado mudo ao lado da cama. O comunicador que sempre deveria estar com ele, jogado ao lado da cama. Ele piscava. Alguém tinha tentado contatá-lo. Suspirou, e desviou o olhar do comunicador. Foi até o banheiro, ligando a torneira com água fria... Jogando-a contra o rosto, na tentativa de afastar aquela agonia que sentia. Por que tudo aquilo o afetava tanto? Os olhos azuis encaravam o reflexo no espelho, conforme os longos cabelos negros gotejavam contra a cara camisa de algodão. A imagem de Lois... Por que aquilo o assombrava? Como que em um golpe súbito, a imagem de seu pai com um bumerangue cravado no peito surge diante de seus olhos. Era quase que um soco na cara. Sente o mesmo nó que sentiu naquele dia, ao vê-lo naquele estado. Lembra-se do modo que se agarrou ao Bruce, sem conseguir se conter.
Mal se lembrava de ter caminhado até o comunicador, mas antes que notasse, respondia naquele tom de voz mais grave, que sempre assumia quando não usava a máscara de Tim Drake. Por que no fundo era essa a verdade, não é? Tim Drake era a máscara, o verdadeiro eu era o Robin. Sempre foi...  – Robin Vermelho na escuta, prossiga Oráculo.

----
 
Após o transporte, os olhos doíam um pouco para acostumar-se com a mudança tão brusca de ambiente. Seu apartamento era propositalmente mal iluminado, depois de tanto tempo no escuro aprendeu a apreciá-lo.
Robin estaca por alguns segundos na área do teleporte. Frequentar o satélite não era tão raro assim, ao menos não quando estava sempre com Bruce. Mas o fato dele estar sempre em mudança o faz parar para olhar um pouco o ambiente a sua volta, não só para assimilar as novas mudanças, como para identificar as pessoas ao seu redor. As lentes da mascara em formato de Robin agiam em sincronia com o computador na caverna,  os identificando e os detalhando em alta velocidade. Quando ele dá o primeiro passo para sair do teleporte, dá de frente com o atlante.

Os olhos brancos da mascara fixam-se nos azuis de Arthur. Era óbvio que o que Superman havia feito tinha afetado a todos ali. Mas por que Aquaman seria considerado louco? Tinha tão pouca informação para começar a traçar uma linha de dedução – Arthur... Diana... – Disse, em tom de voz mais contido e rouco. A mesma rouquidão “forçada” que Bruce usava, mas que depois de tanto tempo, já tão familiar entre seus “filhotes” – Vim ajudar. - Disse, optando por ignorar o que havia ouvido. 

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Pedro H. Oliveira em Dom Jun 23, 2013 3:04 pm

A confusão estava instaurada naquele lugar! Se não bastasse as discussões entre os demais membros da Liga, aparentemente o novo Besouro Azul havia entrado em combate contra o Lanterna Verde. Some isso ao fato de Grundy ter surgido na Terra e estava causando sérios problemas à população. Devido a isso, Poderosa, que agora parecia ser a nova líder designou uma equipe para cuidar desse problema, enquanto os outros cuidavam do Besouro do lado de fora do Satélite.

Por algum motivo, Karen não me enviou para nenhuma das missões, imagino que seja por causa do meu incidente em Metropolis mais cedo, devido a isso, fico apenas observando as coisas pelos monitores. Caso a situação do lado de fora ficasse mais complicada, eu iria intervir. Eu precisa do Kyle para saber melhor sobre o Prime e talvez impedi-lo de chegar aqui. Nesse instante, percebo uma movimentação no transporte da Liga... Era o Tim que chegava! Então sigo para recebe-lo o quanto antes:

- Red Robin... - me aproximo dele e vou cumprimenta-lo. - Seja bem-vindo cara. É bom ter um rosto conhecido aqui em cima!


Última edição por Superboy em Dom Jun 23, 2013 10:06 pm, editado 1 vez(es)

_________________
avatar
Pedro H. Oliveira

Número de Mensagens : 850
Idade : 26
Data de inscrição : 25/06/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Scorpion em Dom Jun 23, 2013 9:55 pm

O Besouro Azul continuava a atacar Kyle e o Gladiador.
Michael usou seu campo de força pessoal para defender o disparo do novo parceiro.
GD: Droga, Jaime! Fale conosco! Você não tá ajudando em nada, cara!
Michael então criou um campo de força em torno de Jaime para impedí-lo de atacar. Um campo de força forte o suficiente para aguentar as pancadas de Mary Marvel.
GD: Você não me dá escolha, Jaime! Não posso deixar você sair daí até que consiga controlar esse treco!
Michael esperaria para ver qual a reação da simbioente, mas estava preparado para atacar o Besouro e neutralizá-lo se possível...

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2322
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Phelipe Peregrino em Seg Jun 24, 2013 12:34 am

A rajada de energia que eu--não--que o escaravelho disparou foi lançada de volta na minha direção e me arremessa contra parede.

Khaji-Da: Estamos em perigo, Jaime Reyes!

Besouro Azul: E quem você acha que colocou a gente nessa?!

Khaji-Da: Defesas ativadas!

Um dos meus braços se torna um escudo e sinto meu corpo se mover sem que eu possa fazer nada para impedir. A aura esmeralda que me envolve me tira da Torre e eu fico, pela primeira vez, na imensidão infinita do espaço.

Besouro Azul: ¡Virgen de Guadalupe!

Em meio à imensidão desoladora, eu escuto a voz do Lanterna.

Lanterna Verde: Olha, cara sei bem como é ter uma força alienígena em suas mãos, mas o importante agora é você assumir o controle da situação. Concentre-se, use sua força de vontade para controlar a criatura... Eu sei que você consegue... Não me force a ferir você...

Melhor fazer o que ele disse!

Khaji-Da: Não! - A voz ecoou. - Ele é perigoso, Jaime Reyes. A Tropa dos Lanternas Verdes está classificada entre as maiores ameaças existentes à nossa missão.

Espera um pouco aí! Eles são os mocinhos!

Vi minha mão livre transformar-se e transmutar. Uma espada de lâmina azulada surgiu entre meus dedos.

Não!

Meu corpo para à meio golpe, mas ainda não me sinto no controle.

Khaji-Da: Eu estou tentando te proteger, Jaime Reyes. - A voz soa perplexa na minha cabeça. - Deixe-me assumir o controle dessa luta!

Não! Sem chance. Você me deve explicações. ¡Ahora!

Eu me vejo em um mundo escuro, e observo tudo como se estivesse vendo à um filme. É uma sensação estranha e me faz querer vomitar. E então me dou conta de que estou vestido um traje mais leve e sem a proteção do escaravelho. Um traje que me lembrava bastante o traje do antigo Besouro Azul. Caminho alguns passos, mas tudo é escuro, e vejo a cena do Lanterna Verde se desenrolar como uma tela suspensa diante dos meus olhos. Eu corro na direção, mas a distância nunca diminui.

Então a voz de Khaji-Da ecoa novamente.

Khaji-Da: Eu sou uma ferramenta desenvolvida pela expansão, Jaime Reynes. – Ele disse, e ao meu redor, algo que só pode ser descrito como um monitor surgiu. – Fui desenvolvido para expandir o poderio militar da Expansão, como uma arma inteligente. Mas a intervenção da Expansão é encarada com hostilidade na maioria dos planetas, e a incidência de conflitos entre o indivíduo hospedeiro e o planeta era constante. – Um novo monitor surgiu ao meu redor.

Uma cena de batalha se desenrolou e eu olhava de um monitor para o outro tentando entender tudo o que se passava.

Khaji-Da: Por isso os Guardiões ordenaram a destruição dos instrumento da Expansão, bem como o própria Expansão. – E um novo monitor surgiu, mostrando um grande confronto entre Lanternas Verdes e várias pessoas muito parecidas comigo quando estou usando o traje do Besouro. – Foi como vim parar no seu planeta, Jaime Reyes.

E vi o escaravelho vagando, sendo atacado por um Lanterna e caindo na Terra. Eu abro um sorriso. Tudo girando ao meu redor e o mundo escuro que me envolvia. Eu olho para o alto como se quisesse me referir diretamente ao Khaji-Da.

Jaime Reyes: Escuta bem o que eu vou te dizer, Khaji-Da: - Ergui minha voz. – Você pode até ser uma arma ultra moderna dessa tal de Expansão. Mas esse corpo é meu! Eu controlo ele. Essas são as regras! Ouviu bem?!

Khaji-Da: Mas o Lanterna Verde é uma ameaça, Jaime Reyes.

Jaime Reyes: Aqui na Terra não! – Gritei. – Se vamos ter que viver juntos daqui pra frente, é melhor que você deixe que eu escolha quem é ou deixa de ser uma ameaça!

Khaji-Da: Proteger a integridade do hospedeiro é a função do escaravelho, Jaime Reyes. – Khaji-Da replicou. – Se algo acontecer ao hospedeiro, a nossa conexão será comprometida e a missão estará em risco.

Jaime Reyes: Não! – Gritei.

Gladiador Dourado: Jaime, eu sei que isso não é você! – A voz do Gladiador ecoou distante. - Sei que esse negócio está te controlando de alguma forma, mas você tem que superar isso! Você optou por ficar com esse negócio nas costas quando eu era a favor de tirar e eu confiei na sua escolha... Então me mostre que eu estava errado e você estava certo! Lute contra isso e mostre a todos que você pode transformar esse escaravelho bélico em algo que luta pelo bem e pela justiça.

Jaime Reyes: Me tira daqui, Khaji-Da! – Ordenei. - ¡Ahora!

Tudo ficou claro e senti a pressão esmagadora do espaço se fechar ao meu redor. Estava no controle. O barulho dos disparos parou e caí de joelhos, chorando. O que aconteceu?! Eu não consigo respirar. Na minha frente, os dados exibidos pelo escaravelho avisavam que eu tinha suporte de vida total, mas a falta de ar era sufocante e eu sentia como se fosse desmaiar.

Besouro Azul: Jefe... – Sussurro engolindo o choro que aperta minha garganta. – Me tira daqui, jefe! Por favor. Eu não consigo respirar! – Sinto as lágrimas escorrendo, mas não sinto-as tocarem meu rosto. Essa maldita armadura! – Por favor, jefe! Me tira daqui...

_________________
avatar
Phelipe Peregrino

Número de Mensagens : 1389
Idade : 28
Data de inscrição : 27/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/phelipe.peregrino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 5: Do fim ao começo

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum