Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Leo Rocha em Dom Jan 20, 2013 6:38 pm

Aquela era uma manhã agitada para Clark: após uma merecida noite de descanso junto a Lois, ele tomara o café apressadamente e partira para a cobertura do encontro do prefeito com o presidente Obama, em passagem pela cidade para apreciar o programa de incentivo à produção industrial. Ele não precisava mais se deslocar para tantas coberturas quanto antes, pois agora assumira o lugar de segundo editor do Planeta Diário, o segundo homem mais poderoso do jornal, abaixo de Perry White, no entanto, um encontro deste porte merecia uma cobertura mais detalhada e, depois de todos os eventos vivenciados durante as tramóias feitas por Dabney, seria bom dar a Clark Kent a oportunidade de fazer um trabalho de campo.
Isso também o ajudaria a distrair um pouco a cabeça das preocupações cotidianas, principalmente as que envolviam Lois. Clark sentia que não estava dando a devida atenção a ela nos últimos tempos, por conta das suas atividades como Superman principalmente. Nos últimos dias os criminosos de alta periculosidade e as catástrofes naturais pareciam vir numa onda crescente que lhe tomava cada minuto, concorrendo de forma desleal com a vida de Clark Kent e com os momentos que este dividia com sua amada.
Lois. Aquela que não foi a primeira, mas a que ele escolheu para compartilhar plenamente a vida. Ele nunca havia contado a ninguém, mas nos momentos de maior tensão ou desespero, ele simplesmente concentrava seus poderes de forma a ouvir a batida do coração da repórter e com esse som restaurar o foco em seu mundo. Clark é a âncora que mantém a sua humanidade e Lois é a âncora que mantém Clark sendo a coisa mais importante para ele.
Foi enquanto pensava nestas questões que ouviu a confusão referente ao ataque do Parasita ao Lobo. Pediu licença ao fotógrafo que o acompanhava, alegando precisar fazer uma coisa urgente qualquer e rumou a um dos banheiros onde, em supervelocidade, trocou de roupas e seguiu para a emergência em questão. Ver o Exterminador pegando a Supergirl era uma péssima surpresa e ao ouvir do agente sobre o possível destino do vilão, Clark voou em uma velocidade absurda até alcançar a Coreia do Norte. Seu voo supersônico ativou os sistemas de alarme do mundo todo e quebrou um acordo estabelecido num tênue entendimento entre ocidente e oriente. No entanto, ele não se importava com isto agora. Ele precisava salvar sua prima e isso era o que era certo fazer.
Ele começava a vasculhar cada canto do país com sua visão de raio-x e se preparava quando ouviu uma voz conhecida:

Arrow Você não deveria estar aqui. Sua presença viola um acordo internacional. Volte para seu país agora!



Superman se vira e diz:

Arrow Não posso perder tempo com isso, Adam. Supergirl está em perigo e tenho motivos pra acreditar que ela foi trazida pra cá.

Arrow Ainda assim você não deveria estar aqui. Saia! Por mais que eu tenha ojeriza ao pústula que governa essa nação, ele faz parte do eixo oriental e está fora de sua jurisdição.

Arrow Não sairei daqui antes de achar minha prima!

Os dois se encaram com fúria nos olhos. A tensão é palpável e dava a impressão que iria explodir a qualquer momento.

***************************************************

A redação do do Clarim Diário vivia mais um dia movimentado. Seu staff de jornalistas estava trabalhando em sua missão de levar as notícias dos EUA e do mundo inteiro aos seus leitores. Esta rotina no entanto seria interrompida hoje com o grito do homem que entrara há poucos momentos na redação do jornal para fazer uma entrega de flores. Junto a ele, se postavam os três rapazes que se apresentaram como técnicos de informática chamados para suporte na mudança de sistema.

Arrow Todos quietos agora! Vocês espalharam um monte de mentiras que hoje cairão por terra, assim como todos vocês.

Perry toma a frente e diz:

Arrow Não vamos fazer nenhuma besteira, rapaz. Quem são vocês e por que estão fazendo isso?

Arrow Nós somos a milícia Ultrahumanista. Nós somos defensores da humanidade! Defendemos que o planeta pertence aos humanos e que aliens, metahumanos e qualquer outra aberração é antinatural e deve ser combatida.

Arrow Vocês são terroristas! Assassinos e criminosos! E essa ação de vocês hoje só comprova isso!

Arrow Srta. Lane...Nossa maior crítica... Espero que aproveite o encontro de hoje para repensar suas posições... Pretendo causar um impacto em sua vida hoje...

***********************************************

O combate entre Adão Negro e Superman gerava ondas sônicas que partiam os vidros próximos e rachavam as estruturas de concreto dos prédios. O exército de Kim Jong-Un já se encontrava a postos aguardando a oportunidade para atacar quando um sinal foi emitido numa frequência captada pelo Superman.
Os golpes trocados entre os dois eram violentos e poderosos proporcionando um espetáculo de medo e dor. É no momento mais feroz da luta que chegam os heróis chineses conhecidos como Os Dez Grandiosos.



O líder do grupo, Augusto General de Ferro grita para os dois:

Arrow Cessem o combate! Superman, você deve nos acompanhar agora sem maior resistência.

Ele teria cogitado parar se não tivesse sentido a oscilação das correntes de ar e se não tivesse visto com sua visão privilegiada o foguete que zarpou da Rússia rumo ao espaço. Em seu coração, algo dizia que Supergirl estava lá e ele não podia ignorar esse sentimento.

*****************************************************

A tensão na redação do jornal era crescente a cada minuto. Os terroristas não faziam muitas exigências, o que preocupava os repórteres mais experientes, uma vez que significava que o ataque não tinha como objetivo a obtenção de algo ou a libertação de alguém.
Lois olha para a janela ansiando que seu cavaleiro apareça em sua capa vermelha para salvá-la, porém, não se limita apenas a esperar. Ela sempre foi uma mulher independente, uma lutadora, a filha rebelde de um militar. Ela não iria assumir agora o papel de vítima. Ela se aproxima de Jimmy e diz:

Arrow Vou tentar distraí-los. Chame a polícia assim que der.

Ela então se aproxima do líder e diz:

Arrow Não vamos desafiar a inteligência um do outro... Esse ataque tem um objetivo e sabê-lo nos ajudará a tornar as coisas mais fáceis pra vocês.

Arrow Realmente há um objetivo Srta. Lane... E esse está bem claro para nós. No entanto não está em suas mãos deixar nada mais fácil pra nós. Nós estamos lutando para garantir que assassinatos como o do Senador Mills não fiquem mais impunes. Vocês são o símbolo maior dos que acobertam esses monstros! Monstros que mataram a minha filha e tantos outros inocentes! Hoje nós vamos mostrar ao mundo o poder do homem comum!

Enquanto o homem fala, Jimmy Olsen alcança o telefone. Num gesto rápido o tira do bolso discando 911 e o colocando de volta ligado. Torcia para que o resgate chegasse logo, antes que os homens fizessem um estrago maior...

******************************************

Ele se lança a uma velocidade absurda, deixando para trás os heróis e exércitos orientais e chega ao espaço a tempo de interceptar o foguete. Quando se aproxima, ele nota que há um compartimento em seu interior abrigando alguém numa espécie de câmara de contenção. Ele sabe que é Supergirl e sabe que o foguete é uma armadilha, mas ao usar sua visão de raios-x percebe que há um timer com menos de 10 segundos em sua contagem. Ele usa então sua força e arrebenta o compartimento no último segundo, voando com a desmaiada Supergirl. Porém, a abertura da contenção apenas acelera a detonação da bomba implantada no foguete. Se fosse outro herói, este teria sido o fim, mas usando sua supervelocidade, Superman conseguiu voar com sua prima até um ponto onda as ondas da explosão irradiada por kriptonita não surtissem efeito fatal ao atingi-los.
Por alguns instantes seus corpos flutuam inconscientes no vácuo do espaço...

******************************************************

Arrow Então vocês querem nos usar como exemplo. Querem provar que vão salvar inocentes matando inocentes?

Arrow Nenhum de vocês é inocente! Vocês os alçaram ao status de deuses e os aplaudem enquanto eles nos tratam como formigas! Vocês são tão culpados quanto eles e seu veredito é MORTE!

O homem abre a camisa revelando o que poderia ser considerado um colete explosivo e uma intenção macabra: explodir a redação do jornal e todos os presentes nela. Lois troca olhares com Perry e Jimmy e tenta continuar a conversa:

Arrow Você morreria para simplesmente nos punir? Você agiria como um fundamentalista? Como um louco terrorista? Pense se essa é a imagem que você gostaria que sua filha tivesse de você.. O que falaria pra ela se ela estivesse aqui?

Arrow Eu não preciso pensar nisso Srta. Lane. Eu vou me encontrar com ela agora. Pense em como será quando encontrar seu criador, porque chegou o momento.

O homem aperta um botão ao mesmo tempo que Lois se joga contra ele, tiros são dados por seus comparsas acertando Lois e a janela, mas ela ainda assim consegue se agarrar ao homem e se jogar com ele pela janela quebrada. A explosão ocorre quando eles já haviam caído cerca de 2 andares e fez com que vidros e sangue cobrissem a calçada do prédio. Um pouco do impacto da explosão atingiu a cobertura do prédio, onde ficava a redação. Estilhaços de vidro e pedaços do prédio atingiram alguns dos presentes.
Jimmy se atracou com um dos sequestradores, levando um tiro no abdômen. O pânico e a tristeza invadiram o recinto enquanto os terroristas restantes corriam na tentativa de escapar. Porém, antes de chegar à escadaria do prédio eles encontram o heróis conhecido como Magog, que lhes diz:

Arrow Terroristas não são bem vindos no meu país! Independente de serem nativos dele. Vocês cometeram seu último crime!

Sua lança energética age ceifando a vida dos 3 sequestradores.

******************************

Quando acordou, Superman percebeu que o foguete havia sido totalmente destruído . No entanto se sentia exaurido pela explosão e irritado por ter sido manipulado mais uma vez por um jogador desconhecido que quase matou a ele e sua prima. Com tantos sentimentos em mente, ele retorna à Terra e, ao chegar aos céus de metrópolis, ele busca o som que lhe traz a paz sempre que se sente assim. No entanto, desta vez ele não encontra o som das batidas do coração de Lois Lane e sim uma notícia que ecoa pelas rádios e emissoras de Tv do mundo inteiro: atentado terrorista no jornal Clarim Diário mata repórter Lois Lane e fere vários membros da equipe!

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4121
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Leo Rocha em Qua Fev 27, 2013 9:24 am

Clark não podia acreditar que aquilo era real.
A mulher a quem amara havia tombado numa ação de violência sem sentido, enquanto alguém havia lhe feito de bobo através do sequestro de seu prima.
Ele parte em Supervelocidade aos Laboratórios Star de Metrópolis e deixa a jovem lá. Em seguida, segue na direção do Planeta Diário.
Ele se detém olhando o local destruído por algum tempo. Usando todo o tipo de visão para descobrir algo que ajude a entender o que ocorreu naquele lugar. Algo que explique porque Lois não está mais ali...
Algumas lágrimas ensaiam cair de seus olhos, mas ele precisa ir... Não há mais nada que possa fazer ali...
A estupidez da raça humana lhe tirou seu bem mais precioso e ele agora precisava de um tempo para assimilar o que houve, assimilar que nunca mais teria Lois com ele...
Usando a velocidade de um raio, ele parte. Seu destino é a fortaleza da solidão.
Um lugar com um nome apropriado para o sentimento que assola seu coração nesse momento...
********************************
Ele estava a horas naquele lugar.
Não suportava respirar o ar sem Lois. Não concebia andar por entre as pessoas sem a esperança de vê-la e tocá-la.
A humanidade lhe deu vários presentes, mas agora o mais precioso deles lhe fora tirado.
Os comunicadores e telefones não pararam de tocar. Tanto Clark Kent, quanto o Superman eram procurados por amigos e conhecidos. Mas nenhum dos dois foi suficiente para impedir a tragédia e nenhum dos dois estava disponível agora.

O alarme de aproximação toca e ele olha para o monitor. Poucas pessoas tem acesso áquele lugar e menos ainda chegariam naquele momento, da forma como o grupo que ele reconhece no monitor.
Ele percebe a chegada de sua prima Karen, a heroína conhecida como Poderosa. Ao seu lado, nota o característico jato invisível da Mulher Maravilha, que chega acompanhada do herói aquático, Aquaman.
Ele fornece os comandos que autorizam a aproximação do grupo e se prepara para recebê-los.

Quando o grupo de heróis penetra na câmara principal, ele se apresenta em seu uniforme negro e com um aspecto que traduz toda a dor do mundo. O Superman então diz:

Arrow Eu agradeço a vinda de todos vocês...

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4121
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Convidado em Sex Mar 01, 2013 4:46 pm

Fazia bastante tempo que não tinha contato com com alguém que não fosse a fauna marinha, tanto tempo tempo que perdi a noção, talvez 1 mês ou mais. Esse momento de solidão terminou de maneira agradável, ouvindo a voz de uma antiga amiga no comunicador da Liga da Justiça, por algum motivo ouvir a voz de Diana me fez lembrar da primeira vez que nos encontramos.


Gostaria que a conversa parasse por aí, mas infelizmente ela continuou, trazendo consigo mais notícias. Lois Lane foi morta durante um ataque e não conseguem contactar o Clark. Ela pediu para nos encontrarmos e irmos juntos a Fortaleza da Solidão e que Karen nos encontraria no local. Hum, sempre que veja a Karen lembro da época que achávamos que ela era uma atlante, nossas origens, nosso papel no mundo, o local a qual pertencemos, são sempre questões que nos deixam confusos.


E agora chegou a vez de Clark ficar confuso, perdido, por mais que ele queira a solidão nesse momento, ele irá precisar do apoio de seus amigos. E ao chegar, é exatamente isso que vemos, ele se apresenta em seu uniforme negro e com um aspecto que traduz toda a dor do mundo.

- Eu agradeço a vinda de todos vocês...

Não é comum ver um dos seres mais poderosos do mundo, talvez do universo dessa maneira fragilizada, isso faz qualquer um pensar na sua fragilidade. Clark sempre foi diferente de todos nós, e uma das coisas que o faz diferente é que ele nunca perdeu ninguém tão próximo.

Eu e Clark nunca fomos melhores amigos, já trabalhamos muito juntos, tivemos que depender um do outro algumas vezes, mas nossa maneira de pensar a vida, as funções que exercemos já nos colocaram em conflitos algumas vezes, de uma certa forma eu me identifico mais com o Bruce.



Mas isso no momento não importa, talvez nesse momento ninguém entende mais sobre a vida, suas lutas e suas perdas do que eu. Vi meu filho ser morto diante dos meus olhos, e durante um tempo acreditei ter matado minha própria esposa, eu sei como Clark está se sentindo, e estou aqui para apoiá-lo.


Depois que elas o abraçam e dizem palavras de apoio a ele, eu estendo a minha mão e o comprimento firme, e olho nos seus olhos, como que dizendo que ele pode contar comigo, que não pode deixar se abater e que a vida segue. Não quero forçar nada, respeito o luto dele, faz parte do processo, é necessário, sento ao lado dele, não falo nada, palavras não são necessárias, espero que a presença de amigos que já passaram por algo semelhante o ajude. Nesse momento mando um amigo que trouxe comigo entrar, é um presente meu para o Clark, para lhe fazer companhia.

Spoiler:

Agora, tudo que posso fazer é ouvir o que Clark quer dizer.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Leo Rocha em Sex Mar 08, 2013 12:07 am

Clark abraça os amigos, deixando visíveis lágrimas que não se envergonham de rolar pela face do ser mais poderoso do planeta. Ele vê o "presente" que Aquaman lhe trouxe e tenta esboçar um sorriso simpático enquanto lhe diz:

Arrow Obrigado, meu amigo. Não sei se sou a melhor pessoa para cuidar dele nesse momento.. Talvez seja melhor que ele fique sob os cuidados de outro.. Mas mesmo assim, obrigado.

Ele respira lentamente antes de dizer:

Arrow Ela se foi e eu não pude fazer nada. De que me servem esses poderes se não posso salvar o que me é mais precioso?

Diana se aproxima dizendo:

Arrow Pense em quantas vidas você já salvou Kal...

Arrow As mesmas que hoje me crucificam ou condenam Lois? As mesmas que sempre me consideraram uma aberração? Algo que não tinha o direito de andar entre eles?

Arrow Nem todos pensam assim.

Arrow Será? Diana, eles nos temem. As pessoas a quem juramos proteger, estão se matando e matando aqueles que amamos não por ódio ou ganância, mas porque nos temem! Eles acham que não devíamos estar aqui. Que somos obsoletos, que nossos poderes não são usados a seu favor. Eles nos cobram mais força, mais violência e ainda assim, temem que venhamos a usar nossos poderes. Que sejamos tão mesquinhos quanto eles seriam em nossos lugares... Nós não os inspiramos, Arthur... Nós os acuamos. E em seu desespero eles tiraram minha Lois...

A conversa é interrompida pelo sinal que alerta a aproximação de um jato com formato estilizado de morcego. A princípio, todos pensam ser Batman, mas ao olhar melhor, percebem que é Asa Noturna que se aproxima. Após o pouso, ele entra no salão acompanhado de Robin. Os presentes o saúdam e Superman lhe diz:

Arrow Como vai, meu amigo?


_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4121
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Convidado em Sex Mar 08, 2013 2:58 am

Pouco depois de nos assentarmos, Clark começa a falar, nesse momento toda a sua fragilidade, tristeza, confusão e revolta são manifestadas em suas palavras. Por mais que ele seja um ícone para todos, já esperava isso dele, na verdade, esperaria isso de qualquer um. Foi bom deixá-lo falar, faz bem para ele e nós ficamos sabendo como está sendo o luto de nosso amigo.

- Obrigado, meu amigo. Não sei se sou a melhor pessoa para cuidar dele nesse momento.. Talvez seja melhor que ele fique sob os cuidados de outro.. Mas mesmo assim, obrigado.

Foi bom ouvir essa resposta de Clark, mesmo com toda essa angústia e inquietação, deu para perceber que ele continua o mesmo. Ele continua pensando em cuidar e ajudar os mais fracos, ele simplesmente não é acostumado com a idéia de ser cuidado por outro. Peguins são aves sociáveis, só por isso resolvi dar um para Clark, essa pequena ave buscará contato, assim espero que ele faça companhia ao Clark nos momentos de solidão.

- Você entendeu errado, ele que irá cuidar de você. - nesse momento o penguin abraça a perna de Clark com suas pequenas nadadeiras e eu dou um sutil sorriso de canto de boca - Mas é bom saber que você continua pensando em ajudar os mais fracos. Em todo caso, você pode deixá-lo aqui no seu zoológico. Acredite, você precisará de companhia.

Ele respira lentamente antes de dizer:

- Ela se foi e eu não pude fazer nada. De que me servem esses poderes se não posso salvar o que me é mais precioso?

Inevitavelmente essa indagação meu faz relembrar a vez que falhei em salvar meu próprio filho das mãos do Arraia Negra, um homem que nutriu um ódio por mim ao longo de sua vida. Durante anos essa culpa me consumiu, dei lugar ao ódio que cada vez mais foi crescendo e me afastando das pessoas que me amavam.

- Pense em quantas vidas você já salvou Kal...

- As mesmas que hoje me crucificam ou condenam Lois? As mesmas que sempre me consideraram uma aberração? Algo que não tinha o direito de andar entre eles?


Permaneço em silêncio ouvindo a conversa dos dois, mais uma vez me vejo nas palavras de Clark, durante toda a minha vida fui rejeitado, expulso de Atlântida por ter nascido com cabelos loiros, menosprezado e não compreendido na superfície. Dividido entre dois mundos, sendo um pária em ambos.

- Nem todos pensam assim.

- Será? Diana, eles nos temem. As pessoas a quem juramos proteger, estão se matando e matando aqueles que amamos não por ódio ou ganância, mas porque nos temem! Eles acham que não devíamos estar aqui. Que somos obsoletos, que nossos poderes não são usados a seu favor. Eles nos cobram mais força, mais violência e ainda assim, temem que venhamos a usar nossos poderes. Que sejamos tão mesquinhos quanto eles seriam em nossos lugares... Nós não os inspiramos, Arthur... Nós os acuamos. E em seu desespero eles tiraram minha Lois...


Enquanto atento a tudo o que ele diz, relembro meus anos como Rei de Atlântida, toda a responsabilidade que estava sobre meus ombros, todas as cobranças e insatisfações de meus súditos e as conspirações que rodeavam a alta cúpula do reino, além da vez que o deixaram para morrer no Recife dos Traidores... Então chega o momento de quebrar meu silêncio, logo após ele me chamar pelo nome.

- Quando Arthur Jr estava vivo eu conseguia sentir seu amor incondicional por mim, sua confiança e fé inabaláveis. Quando ele olhava nos meus olhos eu sentia que não existia absolutamente nada que eu não fosse capaz de fazer para protegê-lo... - faz tempo que não falo sobre isso, minha garganta da um nó - Pensava que nunca iria superar a morte dele, é verdade que ele deixou uma saudade eterna e que sua morte deixou marcas profundas, mas com o tempo nós aprendemos a aceitar o que aconteceu, a dor diminui e entendemos que isso é normal, não precisamos nos culpar por sentir menos dor do que antes... - durante um instante relembro meus momentos com A.J. - E vocês acompanharam, me viram seguir o caminho do ódio, da culpa, que me consumia cada dia mais, tomando tudo o que restava de mim, me afastando das demais pessoas que me amavam e que eu me importava. Foi preciso que eu me perdoasse, aceitasse meus sentimentos e compreendesse que, infelizmente, a morte faz parte de nossas vidas...

Me levanto enquanto continuo falando, fazia tempo que não falava tanto, da última vez foi em um discurso quando ainda era Rei de Atlântida, meu espirito começa a inflamar e continuo falando com mais empolgação.

- Não tem problema você se revoltar contra a sociedade, é até saudável, durante muito tempo servi e defendi o povo de atlante enquanto me pressionavam, coagiam, planejavam contra mim, foi preciso um tempo longe deles para perceber que eu não preciso agir conforme as expectativas deles, conforme seus padrões! Vocês sabem que nunca gostei do título de "super-herói" e nunca sustentei uma identidade secreta, eu, simplesmente, sempre fui eu, e faço o que sempre fiz porque acredito em valores maiores, e eu sirvo a esse propósito, a vida! E eu sei, que você também... a questão é que muitas vezes nos deixamos ser confundidos com esses esquemas políticos e societários.

E volto a me sentar, dessa vez eu coloco meu braço ao redor do ombro dele e o abraço, diminuo o volume e o ritmo da minha voz.

- Eu sei que está doendo, eu sei como é estar no seu lugar, e também sei que você irá superar isso. Não se apresse, leve seu tempo, mas não siga o mesmo caminho de ódio e culpa que eu segui, não cometa esse mesmo erro, não deixe que eles te definam, te digam quem você é e como você deve agir. É momento de você repensar quem você é, e seu lugar no universo. Eu sei que você continuará sendo um herói que sempre foi, sendo um exemplo, seja aqui na Terra ou em outro planeta distante, você que descobrirá essa resposta...

A conversa é interrompida pelo sinal que alerta a aproximação de um jato, isso me faz parar, acho que falei demais, mas ao olhar para Diana e Karen vejo que ambas foram inspiradas pelo que falei, fico atento a Clark, espero que minhas palavras tenham o ajudado e surtido efeito. Após esse momento Dick e Damien entram no salão. Esperava que fosse Bruce, mas ao ver seu antigo ajudante, penso que estou ficando velho e que fui ingênuo ao pensar que era o Bruce, ele nunca foi bom em lidar com mortes.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Drako em Sab Mar 09, 2013 12:18 am

Finalmente chego à Fortaleza da Solidão. Vejo Clark, Arthur e Diana no salão principal, eles já sabiam que eu tinha chegado, mas pela expressão dos rostos dos visitantes, posso deduzir que eles esperavam o grande morcego, não os pássaros aqui. Superman não, eu tenho certeza que ele distinguiu as batidas do meu coração e sabia que não se tratava do Bruce.

Me aproximo deles, Damian vem comigo mas continua quieto. Cada passo que dou eu sinto ainda mais a dor que o Super está sentindo, é como se fosse visível. Isso sem contar o fato dele estar totalmente de preto. Chego ao centro, faço uma referência com a cabeça para o Aquaman e outra para a Mulher Maravilha. Nunca foi muito próximo dos dois, ao contrário de seus pupilos, Garth e Donna, que são meus melhores amigos. Queria que eles estivessem aqui. Clark então me recebe.


Superman: Como vai, meu amigo?

Eu não digo nada, apenas lhe dou um abraço. Sei exatamente pelo que ele está passando, já perdi muita gente importante em minha vida, já fui incapaz de salvá-los. Não gostaria de deixar meu amigo, meu ídolo, passar por isso sozinho. Me ponho ao lado dele, com uma mão em seu ombro.


Asa Noturna: Eu... sinto muito, Clark. –Não sei bem o que dizer a ele. Me pergunto o que ele faria em meu lugar.

Olho o Damain, ele está com uma expressão meio perdida. Apesar de ser um garoto arrogante e meio mimado, ele sabe a situação e o clima em que nos encontramos e me deixa falar sozinho.

Asa Noturna: Clark, eu sei bem o que está sentindo. Sei da dor que está enfrentando agora, mas infelizmente eu não vim apenas para lhe dar meus pêsames. Estamos com um problema, um problema grave.

Tento me centralizar entre os presentes. Clark com certeza é a peça chave que eu vim buscar aqui, mas Aquaman e Mulher Maravilha seriam de grande ajuda no que está por vir.

Asa Noturna: Durante seu resgate à Supergirl, você invadiu o espaço aéreo Norte Coreano. Não preciso te contar, você sabe melhor do que eu o que aconteceu. O problema é que durante sua passagem, alguns prisioneiros perigosos fugiram da prisão de segurança máxima do país, só não sei como ainda. Agora eles estão ligando a sua passagem a esse ocorrido, dizendo que você foi uma distração para que eles pudessem fugir, e estão pedindo para que se renda.

Eu não sei como pedir isso a ele, logo agora que está passando por um momento tão difícil. Abaixo um pouco minha cabeça, pensando se deveria mesmo pedir isso a ele, mas por apenas um segundo. Quando a levanto de volta eu estou certo do que fazer e estou certo de que ele me entenderá. Ele é o Superman, o melhor de todos nós.

Asa Noturna: Preciso que você se renda a eles. Nós sabemos que você não teve nada a ver com isso, mas eu preciso de tempo para descobrir o verdadeiro culpado e não só livrar você dessa acusação, mas também evitar que uma nova guerra se inicie.

Olho para o Damian novamente, que automaticamente cruza os braços e olha para o outro lado.

Asa Noturna: Eu e Robin iremos investigar a fuga da prisão. Com o Batplano podemos entrar na Coréia do Norte de forma indectável e abaixo dos radares com o modo furtivo do Jato. De lá, também vamos precisar ficas nas sombras pra descobrir o que aconteceu. –Olho para os outros três novamente— Clark, é muito provável que quem estava por trás do sequestro de sua prima também é o culpado pela fuga. Se você se render eu posso matar 3 coelhos de uma só vez.

Me volto agora para o Aquaman e a Mulher-Maravilha.

Asa Noturna: Quando eu descobrir quem está no comando disso, vou precisar que a Liga esteja pronta novamente. Vou precisar de vocês dois, se estiverem disponíveis.

É nesse exato momento em que o Damian não se segura e começa a falar. Sei bem que vem bomba ai.

Robin: Aquaman? Grayson, a última vez que vi sua “Liga da Justiça” ela era totalmente formada por heróis de segunda categoria. E agora você pede ajuda pro Aquaman? Não precisamos dele. Quão fundo esse grupo pode chegar até terminar no poço?

A primeira frase que ele diz e é totalmente ofensiva. Ele está um pouco mais para trás de mim, ando em sua direção, passo por ele, o puxo pela capa e o arrasto até um local um pouco mais afastado. Obviamente ele ficou muito puto com isso.

Robin: Que diabos acha que está fazendo, Grayson!?!? –Ele dá um puxão na capa para me fazer soltar e logo trata de arrumá-la.

Asa Noturna: E você? Lembra o que aconteceu com você na última vez que estávamos juntos no QG da Liga? Como o Gardner te tratou? É dessa a forma que você quer ser tratado?

Robin: Gardner? Que diabos é esse? Era o palhaço vestido de verde? Eu podia cuidar dele a qualquer momento. Eu podia dar conta de toda aquela Liga de fracassados!

Asa Noturna: Não se trata de vencer ou não, se trata de respeito! Você precisa respeitar os outros, para que os outros te respeitem, independente de quem seja! Se continuar assim nunca vão deixar de te tratar como um garoto mimado!

Robin: Respeito?! Então vamos falar de respeito, Grayson! Você. Não tem. O meu. Você não é o meu pai! Nunca será!

Asa Noturna: Perca essa atitude! Ela não vai te levar a lugar nenhum!

Robin: Eu alcanço meus objetivos sozinho, independete de minha atitude!

Asa Noturna: Não, não alcança. Até seu pai precisou de ajuda, foi quando eu entrei. Verá que cedo ou tarde vai precisar de alguém, e eu espero estar ao seu lado pra salvar seu traseiro. –Dou as costas e volto até o centro, onde o Aquaman estava.

Robin: Há! Veremos! –Ele se vira na direção contrária e cruza os braços.

Paro frente ao Aquaman, com uma cara meio séria, tentando não ficar sem graça. Aquaman é um dos fundadores da Liga, eu o respeito como o tal, não queria que ele tivesse que escutar essa cena toda.

Asa Noturna: Desculpe por isso, Arthur. Ele ainda é um garoto, tem muito que aprender, apesar de achar o contrário. Espero que não leve a sério o que ele disse.

_________________
avatar
Drako

Número de Mensagens : 1769
Idade : 28
Data de inscrição : 28/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.ds-club.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Convidado em Sab Mar 09, 2013 2:56 pm

Dick chega acompanhado de um Robin, imagino que seja o Damian, ainda não o conheci, mas Bruce já me falou sobre ele, Bruce Wayne sendo pai, já era hora... mas me preocupo com um garoto tão novo seguindo a vida de vigilante. Dick acena para mim de forma discreta e eu retribuo da mesma maneira.

Asa Noturna: Clark, eu sei bem o que está sentindo. Sei da dor que está enfrentando agora, mas infelizmente eu não vim apenas para lhe dar meus pêsames. Estamos com um problema, um problema grave. Durante seu resgate à Supergirl, você invadiu o espaço aéreo Norte Coreano. Não preciso te contar, você sabe melhor do que eu o que aconteceu. O problema é que durante sua passagem, alguns prisioneiros perigosos fugiram da prisão de segurança máxima do país, só não sei como ainda. Agora eles estão ligando a sua passagem a esse ocorrido, dizendo que você foi uma distração para que eles pudessem fugir, e estão pedindo para que se renda. Preciso que você se renda a eles. Nós sabemos que você não teve nada a ver com isso, mas eu preciso de tempo para descobrir o verdadeiro culpado e não só livrar você dessa acusação, mas também evitar que uma nova guerra se inicie.

Dick toca num assunto que em si só já é complicado, mas que nesse momento toma dimensões mais delicadas. Durante nossa viagem para cá, Diana me atualizou sobre os ocorridos, ela até chamou minha atenção por não estar atento a notícias tão importantes, intimidade é uma droga. Mas as coisas não são tão simples assim, não sabemos a que tipo de julgamento e tratamento o Superman seria submetido, também não acho sábio fazer Clark passar por isso nesse momento, eu não gostaria de aborrecê-lo. Seria mais fácil se pudéssemos ligar a morte de Lois ao Superman. Nunca vou entender essa necessidade por identidades secretas.

Asa Noturna: Eu e Robin iremos investigar a fuga da prisão. Com o Batplano podemos entrar na Coréia do Norte de forma indectável e abaixo dos radares com o modo furtivo do Jato. De lá, também vamos precisar ficas nas sombras pra descobrir o que aconteceu. Clark, é muito provável que quem estava por trás do sequestro de sua prima também é o culpado pela fuga. Se você se render eu posso matar 3 coelhos de uma só vez. Quando eu descobrir quem está no comando disso, vou precisar que a Liga esteja pronta novamente. Vou precisar de vocês dois, se estiverem disponíveis.

Vendo Dick assumir essas grandes responsabilidades, me deixa orgulhoso, mas não esperaria menos da geração dele e Garth.

Robin: Aquaman? Grayson, a última vez que vi sua “Liga da Justiça” ela era totalmente formada por heróis de segunda categoria. E agora você pede ajuda pro Aquaman? Não precisamos dele. Quão fundo esse grupo pode chegar até terminar no poço?

Que maneira mais desapropriada de se agir nesse momento! Espera mais do filho do Bruce, me contaram por alto sobre a criação dele, mas isso não é desculpa! Involuntariamente dou a ele o mesmo olha de desaprovação que dou para os meus inimigos, esse não é o mesmo caso mas é força do hábito. Estou acostumado com esse tipo de comportamento na superfície, mas sendo Rei por tanto tempo, isso mexeu um pouco mais do que antes, mas o que mais me incomodou foi isso acontecer aqui, nesse momento com que Clark está passando. Dick chama-o para conversar mais afastado, nós ainda conseguimos ouvir, mas entendemos o que está acontecendo... Bruce, assim é fácil de mais ser pai...

Assim, volto a minha atenção para o que é mais importante. Falo com Clark usando minha diplomacia e meu tato, esse assunto é muito complicado. Essa é uma questão diplomática e política, a princípio devemos deixar o heroísmo de lado.

Aquaman: Nós sabemos como os líderes da Coréia do Norte podem ser irracionais, e com essa nova Coligação de Heróis do Oriente se sentem mais poderosos e podem ser ainda mais intolerantes, provavelmente irão querer retalhação caso você não se entregue. Porém, não podemos ignorar o que pode acontecer contigo a merce deles. - me viro para Diana e continuo falando - Eu e Diana ainda temos alguns contatos diplomáticos, nós podemos cobrar alguns favores e pressionar alguns contatos para que você possa permanecer sob custódia da ONU, o Alan também pode nos ajudar de dentro da Check Mate. Sem cadeias, algemas, só uma prisão domiciliar. Assim, você terá seu tempo para reorganizar seus pensamentos e amenizamos o conflito com o Oriente. - volto a olhar para o Clark, enquanto continuo falando - Podemos acionar nossos amigos na imprensa, podemos sinalizar a importância de serem feitas matérias que amenizem essa disputa, relembrando os feitos, o caráter do Superman. Não podemos perder o apoio popular nesse momento, o povo apenas precisa ser relembrado. A Liga da Justiça também pode se pronunciar sobre o assunto.

Tudo isso seria evitado se desde o início tivéssemos assumido uma postura internacional, foi um grande erro termos nos nomeado a "Liga da Justiça da América", um erro que já pontuei a Diana em nosso trajeto, mas prefiro não tocar no assunto agora.

Dick retorna após tentar ensinar boas maneiras para o Damian.

Asa Noturna: Desculpe por isso, Arthur. Ele ainda é um garoto, tem muito que aprender, apesar de achar o contrário. Espero que não leve a sério o que ele disse.

Faço um gesto dizendo para ele não se preocupar, que eu não o culpo, isso deveria ser responsabilidade dos pais da criança, ele ainda terá muito tempo para aprender a respeitar os outros, eu espero.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Drako em Sab Mar 09, 2013 4:25 pm

Mesmo enquanto dou um sermão no Damian, escuto o que o Aquaman tem a dizer ao Superman. Ele quer manter um diálogo com a Coréia do Norte. Volto e peço desculpa a ele, mas depois expresso o que penso.

Asa Noturna:
Aquaman, você não está olhando como um todo. Talvez também não tenha um conhecimento total sobre contra quem estamos lidando aqui. A Coréia do Norte não é amigável ao ponto de aceitar que o Clark fique sob custodia da ONU, diabos, eles fazem ameaças a Coréia do Sul em reuniões oficias da ONU. É um país totalmente voltado para a Guerra e isso pode ser a faísca que vai explodir essa barril de polvora. —Me viro para o Clark e continuo— E não é só isso, Clark, Adão Negro está liderando a Coalização do Oriente, e ele não é muito racional. —volto a me dirigir pro Aquaman— Não sei quanto tempo diplomacia pode segurar essa tensão. Você mesmo disse, eles se sentem poderosos e são intolerantes. Acha mesmo que ficarão parados?

Eu não creio que isso vai acontecer, mas não perder o apoio popular também é importante. Mas acredito no povo, acho difícil eles se voltarem contra o Clark agora.

Asa Noturna:
Vamos continuar com a sua ideia das matérias sobre o Superman, e vamos usar da diplomacia, sim, mas acho mais fácil eles cooperarem nos termos deles. Por isso estou pedindo para que me deem um pouco de tempo! Sei que posso desvendar esse caso, acredite em mim.

Coloco a mão no ombro do Clark, sinto um pesar grande em estar colocando-o nessa situação com tudo que está passando.

Asa Noturna:
Sei que não tenho o direito de te pedir isso, Clark, te colocar na mão do inimigo. Só te peço para confiar em mim. Mas a escolha é sua e eu vou entender e respeitar sua decisão. —Me viro para a Mulher-Maravilha agora— Diana, você deve ir com o Clark. Você entede bem de diplomacia e não responde por nenhum país, seria o ideal para “advogar” pelo Superman e mantê-lo a salvo também.

Me sinto um babaca dando ao Superman esse peso, mas algo tem que ser feito.


_________________
avatar
Drako

Número de Mensagens : 1769
Idade : 28
Data de inscrição : 28/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.ds-club.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Pedro H. Oliveira em Sab Mar 09, 2013 4:58 pm

Vou voando de SF até a Fortaleza da Solidão com a maior velocidade que posso alcançar. Não podia acreditar que Lois Lane estava morta, ela é tipo... o grande amor da vida do Clark! Isso deve ter quebrado ele em dois, preciso me apressar e chegar o quanto antes!

Ao chegar la, sigo direto ao encontro dele e nem me dou conta que haviam mais pessoas naquele lugar:

- Clark! Eu vim assim que fiquei sabendo, como você esta? - Eu não sabia o que perguntar ou como reagir... isso era algo bastante complicado. Eu considero o Clark um irmão para mim. Devo muitas coisas a ele e a Lois também... me pergunto o que se passa em sua cabeça nesse instante.

Olho para os lados e vejo que não estamos sozinhos. Aquaman, Poderosa, Mulher-maravilha e os irmãos do Tim estão por aqui também.

- Errr... Olá a todos. Desculpem por entrar assim, agi no desespero e não me toquei que estavam aqui até alguns segundos atrás.

Eu olho para a expressão em seus olhos e sinto sua dor. Seu uniforme negro também mostra o quão derrotado emocionalmente ele esta. Será q a Mãe já sabe? Acho que uma conversa com ela pode ajuda-lo um pouco.

_________________
avatar
Pedro H. Oliveira

Número de Mensagens : 870
Idade : 26
Data de inscrição : 25/06/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Leo Rocha em Seg Mar 11, 2013 8:22 pm

Clark escuta seus amigos conjecturando sobre as possibilidades. Em outra ocasião ele se sentiria contente em participar de uma reunião com pessoas tão queridas e competentes, buscando soluções para um mundo melhor. Mas dessa vez não... Não há um mundo melhor... Não sem Lois.
Asa Noturna e Aquaman discutem sobre a possibilidade dele se entregar em atendimento à solicitação nortecoreana. Diana também se manifesta:

Arrow Eu respondo por Themicysra, Dick. Sou embaixatriz oficial dessa nação, mas posso tentar interceder por Clark. É uma insensatez tentarem tratar um guerreiro, um homem como ele dessa forma.

Ela se cala, mas seus olhos demonstram a insatisfação.
Clark também se pronuncia:

Arrow Eu agradeço o apoio de vocês, mas não me entregarei agora... Não antes do enterro de Lois... Depois da cerimônia, eu me entregarei e confio no que todos vocês farão. Por enquanto, acredito que o melhor seja preparar um pronunciamento oficial da Liga da Justiça anunciando que eu estou deixando suas fileiras até que tudo seja resolvido. Não posso deixar que isso tudo acabe com o trabalho que todos tem feito. A Liga da Justiça é mais importante que o Superman. Me prometam que não importa o que acontecer, vocês não deixaram que o nome da Liga seja colocado nessa sujeira junto com o meu nome.

Sua voz soa forte, emocionada e dolorida. Ele respira fundo ao dizer:

Arrow Não quero que nenhum de vocês se exponha em situações que revertam contra vocês ou outros heróis. Esse é o meu último pedido como líder da Liga da Justiça. Agradeço a todos por tudo, mas não posso deixar que façam algo desse tipo.

Em seguida ele fala:

Arrow Acho que agora eu preciso descansar um pouco. Amanhã pela manhã nos veremos no... Foi bom vê-los aqui. Eu os amo do fundo do meu coração.

Ele se vira e segue para o interior da fortaleza, deixando claro o fim de sua participação na reunião e, quem sabe, o fim de sua participação na Liga da Justiça.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4121
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Drako em Seg Mar 11, 2013 10:05 pm

Me sinto péssimo, estou aqui pedindo ao Clark para se render a um país comandado por um louco e ele nem sequer teve tempo para o seu luto, nem mesmo pôde enterrar a sua amada. Ele está certo, isso pode esperar, a situação não vai mudar tão drásticamente apenas em alguns dias.

Asa Noturna: Vo... você está certo, Clark. Faça como quiser, vamos estar ao seu lado sempre. Descanse bem, meu amigo.

O vejo entrar mais a fundo na Fortaleza da Solidão, ele realmente precisa de um descanso, pensar bem em todos os passos, pensar bem na sua vida daqui pra frente. Espero que ele consiga superar isso, mas será difiícil. Quando ele saí, continuo a conversa com a Mulher-Maravilha, Aquaman e o Superboy, que acabou de chegar.

Asa Noturna: Diana, ele vai precisar do seu apoio mais do que nunca agora. Tanto politico, como emocional. Espero que possa ficar ao lado dele.

Fico uns segundos calado, penso em algo que o Clark disse, sobre comprometer o nome da Liga e dos outros heróis.

Asa Noturna: Eu vou ter que pensar no caso mais friamente. Entrar na Coréia do Norte sem autorização e investigar a fuga na surdina é a melhor maneira começarmos a procurar pelo culpado, mas se eu for descoberto vai jogar ainda mais bosta no ventilador. No melhor dos casos, quando eu descobrir quem está por trás disso, a Coréia do Norte pode usar esse fato contra a Liga da Justiça. Quando fazia parte dos Renegados isso não era problema, mas na Liga, pode causar ainda mais transtorno.

Olho para o Superboy e Aquaman. Superboy nunca fez parte da Liga, mas ele é um Titã, um dos meus, e o Tim e o Clark confiam nele, isso já basta para mim.

Asa Noturna:
A Liga tem que ser convocada novamente, depois do pronunciamento do Superman. Mas eu não posso arriscar o envolvimento de outros heróis e do país caso eu seja pego. De agora em diante eu e Robin agimos por conta própria, e indico o Superboy para assumir minha vaga na Liga da Justiça, creio que ele esteja pronto. E líderes e estrategistas não vão faltar nessa equipe, fiquei sabendo como liderou seu grupo a vitória lá no inferno, Aquaman. Talvez seja sua hora de tomar a frente da equipe que ajudou a fundar.

Como eu disse, é algo arriscado demais e não quero correr mais riscos do que irei ter a seguir. Se tudo der certo, talvez volte a fazer parte dessa equipe, mas para ser sincero, nunca achei que ela fosse meu lugar. Meu lugar é com a minha família, com os Titãs. Dou as costas e ando até o Robin. Passo por ele, fazendo um aceno com a cabeça, indicando a direção que estou indo.

Asa Noturna:
Vamos nessa, Moleque. Temos muito trabalho a fazer.

Robin: [tt] Finalmente!

Partirei para a Coréia do Norte assim que o enterro da Lois terminar e prestar minhas homenagens a ela.


_________________
avatar
Drako

Número de Mensagens : 1769
Idade : 28
Data de inscrição : 28/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.ds-club.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Convidado em Seg Mar 11, 2013 11:16 pm

Mesmo com o coração moído pelos recentes eventos, Clark demonstra o que lhe torna diferente dos demais, ele se rende quando muitos fariam ao contrário, por mais que tenha dúvidas e falta de esperança no momento, ele continua se posiciona visando o bem de todos.

Superman: Eu agradeço o apoio de vocês, mas não me entregarei agora... Não antes do enterro de Lois... Depois da cerimônia, eu me entregarei e confio no que todos vocês farão. Por enquanto, acredito que o melhor seja preparar um pronunciamento oficial da Liga da Justiça anunciando que eu estou deixando suas fileiras até que tudo seja resolvido. Não posso deixar que isso tudo acabe com o trabalho que todos tem feito. A Liga da Justiça é mais importante que o Superman. Me prometam que não importa o que acontecer, vocês não deixaram que o nome da Liga seja colocado nessa sujeira junto com o meu nome.

Olho para Diana enquanto respondo ao Clark.

Aquaman: Entendido, nós assumiremos a responsabilidade até você voltar...

Em momentos de crises os membros mais experientes devem tomar sobre si o fardo e a responsabilidade do mundo inteiro sobre si, mas por mais que façamos isso, sabemos que a Liga sempre será o lugar do Superman, e que ninguém consegue inspirar e trazer esperança aos outros heróis como ele. Apenas espero que ele retorne a sua velha forma e volte a fazer parte da equipe.

Superman: Acho que agora eu preciso descansar um pouco. Amanhã pela manhã nos veremos no... Foi bom vê-los aqui. Eu os amo do fundo do meu coração.

Ele se vira e segue para o interior da fortaleza, seguindo atrás dele vai o penguim, sabia que era uma boa ideia.

Ao falar sobre o enterro de Lois, ele levanta outra questão, como irei comparecer ao enterro dela, ir como "Aquaman" pode levantar suspeitas, e eu não sou acostumados a trajes civis e identidades secretas... mas não quero perder esse momento, já não compareci ao enterro de Ted, não posso deixar de ir em mais um.


Asa Noturna: Eu vou ter que pensar no caso mais friamente. Entrar na Coréia do Norte sem autorização e investigar a fuga na surdina é a melhor maneira começarmos a procurar pelo culpado, mas se eu for descoberto vai jogar ainda mais bosta no ventilador. No melhor dos casos, quando eu descobrir quem está por trás disso, a Coréia do Norte pode usar esse fato contra a Liga da Justiça. Quando fazia parte dos Renegados isso não era problema, mas na Liga, pode causar ainda mais transtorno. A Liga tem que ser convocada novamente, depois do pronunciamento do Superman. Mas eu não posso arriscar o envolvimento de outros heróis e do país caso eu seja pego. De agora em diante eu e Robin agimos por conta própria, e indico o Superboy para assumir minha vaga na Liga da Justiça, creio que ele esteja pronto. E líderes e estrategistas não vão faltar nessa equipe, fiquei sabendo como liderou seu grupo a vitória lá no inferno, Aquaman. Talvez seja sua hora de tomar a frente da equipe que ajudou a fundar.

Aquaman: Você tem razão, não podemos agravar esta situação, mas também não podemos deixar de investigar. Acredito que esta seja a melhor decisão. Uma pena, você seria muito útil a Liga neste momento, mas nós devemos fazer o que é necessário, cumprir nosso papel. Por mais que você se desligue oficialmente da equipe, não hesite em pedir ajuda, e nos mantenha informado sobre suas investigações.

Uma decisão muito importante Dick está tomando nesse momento, está assumindo uma grande responsabilidade e se colocando em uma posição perigosa. Não é atoa que sempre ouço coisas boas sobre esse garoto.

Asa Noturna: Vamos nessa, Moleque. Temos muito trabalho a fazer.

Robin: [tt] Finalmente!


Eu os vejo caminhando em direção a saída, como dois aventureiros que desdenham do perigo.

Aquaman: Ei, garoto, não faça nenhuma besteira. - um leve sorriso aparece no meu rosto enquanto aceno positivamente com a cabeça - Seria melhor você levar um amigo contigo. - olho para o Superboy, no início de sua carreira nós nos confrontamos, eu sei que ele pode aguentar situações extremas - Nunca se sabe o que você pode encontrar por lá, aquela região está muito perigosa e envolta em mistérios, e é sempre bom contar com um amigo nessas horas.

Espero a definição deles, em seguida falo com Damian.

Aquaman: E, Robin, quando vocês voltarem eu posso te ensinar a lutar contra tubarões... - deixo no ar a dúvida se fiz uma ameaça ou uma brincadeira, não o mataria, mas veremos se ele aprende a respeitar as pessoas.

Após eles saírem faço uma pergunta aos que permanecem.

Aquaman: Como vocês planejam comparecer amanhã? Não podemos aparecer com nossos uniformes, pode trazer suspeitas...

Antes de sair, aguardo a definição de Diana, se ela partirá comigo ou continuará fazendo companhia ao Clark. Ela continuando eu mergulho nas águas e entro em contato com a vida marinha para obter informações sobre a região protegida pela Coalização do Oriente, mas se ela partir comigo nós conversaremos sobre o futuro da Liga da Justiça e a situação atual.


Última edição por Aquaman em Ter Mar 12, 2013 12:42 am, editado 1 vez(es)

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Pedro H. Oliveira em Seg Mar 11, 2013 11:42 pm

Ver o Clark nessa situação era terrível. Ele é uma inspiração para mim! Até decidi vestir um uniforme de herói em homenagem a ele - mesmo que seja mantendo minhas cores. Ele adentra em sua Fortaleza da Solidão para repousar, acho que esse nome nunca fez tanto sentido quanto vai fazer a partir de agora.

- Clark... - é a unica coisa que posso dizer ao ouvir que ele ira se entregar e o ver saindo desse jeito. Aquaman, Asa Noturna e Mulher-Maravilha continuam discutindo sobre o futuro da Liga da Justiça e como irão lidar de agora em diante. Ao ouvir que o 1º Robin me quer na equipe em seu lugar me deixou um pouco assustado.

- Wow! Vamos com calma ai. Você esta falando serio? Eu? Na JL? Tipo, seria uma honra estar com vocês, sempre pensei que o Robin Vermelho fosse o primeiro de nos a "subir de cargo". - Penso por um instante. - Como eu disse, seria uma honra estar com vocês, mas acho que essa decisão não é só minha... os demais membros fundadores devem aceitar não?

Aguardo a resposta deles sobre esse assunto. O papo deles continua e respondo aos comentários de Aquaman:

- Eu quero provar a inocência do Clark, mas não sei se sou a pessoa perfeita para uma missão furtiva desse jeito, como eu posso dizer... normalmente eu faço um pouco de bagunça e não acho que seja uma boa ideia um "S" em território chines. E sobre como irmos ao enterro de Lois, legalmente eu sou Conner Kent, primo do Clark e será assim que irei comparecer ao seu enterro. Quanto a vocês.... bem... Lois Lane sempre foi uma aliada da Liga da Justiça e dos demais super-humanos. Não vejo tanto problema assim eles comparecerem em seu enterro. Mas enfim... é apenas minha opinião.

Agora eu precisava decidir para onde iria. Ficar aqui e tentar falar com Clark ou voltar para casa? Provavelmente a mãe deve estar desesperada por noticias daqui.

- Não precisam se preocupar com o Clark. Eu vou ficar aqui hoje com ele. Eu só preciso que alguém avise minha mãe em Smallville que tanto eu quanto o Clark estamos bem (na medida do possível). Pois bem, deixe-me ver se consigo fazer alguma coisa.

Me despeço deles enquanto adentro a Fortaleza a procura do Superman...

_________________
avatar
Pedro H. Oliveira

Número de Mensagens : 870
Idade : 26
Data de inscrição : 25/06/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Drako em Seg Mar 11, 2013 11:47 pm

Enquanto estou andando, Aquaman nos diz algumas coisas e nos dá um conselho. Olho para trás ao escutar sua voz. Vejo ele acenando com a cabeça para o Superboy.

Aquaman: Ei, garoto, não faça nenhuma besteira. Seria melhor você levar um amigo contigo. Nunca se sabe o que você pode encontrar por lá, aquela região está muito perigosa e envolta em mistérios, e é sempre bom contar com um amigo nessas horas.

Asa Noturna: Desculpe, Aquaman, estamos nessa sozinhos. E o símbolo da casa dos El não está sendo muito bem visto onde estamos indo, prefiro que as coisas continuem como estão.

Paro e me viro, olhando para o Superboy.

Asa Noturna: Você vai ser testado ao extremo agora, Superboy, mas a única pessoa para quem você deve provar que está pronto é você mesmo.

Me viro novamente e sigo com o Robin.

Aquaman: E, Robin... –Damian apenas para de andar, nem sequer olha para trás– quando vocês voltarem eu posso te ensinar a lutar contra tubarões...

Olho para a cara dele, senti o tom do Aquaman. Não dá para saber se era uma brincadeira ou uma ameaça. A sombra do Capuz esconde o seu rosto, até que olho atentamente. Ele está com um sorriso sínico... e quando finalmente entendo, sorrio também.

Spoiler:

_________________
avatar
Drako

Número de Mensagens : 1769
Idade : 28
Data de inscrição : 28/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.ds-club.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Convidado em Ter Mar 12, 2013 12:32 am

Superboy: Wow! Vamos com calma ai. Você esta falando serio? Eu? Na JL? Tipo, seria uma honra estar com vocês, sempre pensei que o Robin Vermelho fosse o primeiro de nos a "subir de cargo". Como eu disse, seria uma honra estar com vocês, mas acho que essa decisão não é só minha... os demais membros fundadores devem aceitar não?

Ele reage a proposta de Dick como todos costumam sempre reagir, mas não posso me precipitar no momento, as decisões devem ser pensadas com calma.

Aquaman: Tem razão, Superboy, a decisão deve ser tomada por um consenso dos membros da Liga. Mas tenha certeza, você tem o que é preciso para se tornar um membro da Liga, no momento certo, quando você estiver preparado, isso irá acontecer. Isso é tudo que posso dizer agora.

A Liga se encontra em uma situação complicada, não posso apressar a aceitação dele na Liga, caso ele não esteja preparado eu estaria queimando sua imagem com o mundo e não aproveitando todo o seu potencial. espero que minhas palavras tenham sido recebidas da maneira correta, não quero desestimulá-lo, mas também não quero criar falsas expectativas.

Superboy: Eu quero provar a inocência do Clark, mas não sei se sou a pessoa perfeita para uma missão furtiva desse jeito, como eu posso dizer... normalmente eu faço um pouco de bagunça e não acho que seja uma boa ideia um "S" em território chines.

Asa Noturna: Desculpe, Aquaman, estamos nessa sozinhos. E o símbolo da casa dos El não está sendo muito bem visto onde estamos indo, prefiro que as coisas continuem como estão.

Aquaman: Bom, se vocês irão com os uniformes, então é melhor o Superboy ficar longe mesmo. Mas continuo achando que você deveria ir com mais alguém, porém deixarei isso contigo, você é capaz de tomar suas decisões.

Hum, parece que o Bruce o ensinou tudo o que sabe, Dick também prefere assumir seus riscos sozinhos e trabalhar com a família do morcego do que envolver outros.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Leo Rocha em Sex Mar 15, 2013 5:31 pm

Em resposta à pergunta de Aquaman sobre a ida ao enterro de Lois, Diana fala:

Arrow Infelizmente a ida em nossas identidades públicas pode expor os presentes a algum risco de remanescentes do grupo que atacou a redação do jornal. Também não traria paz à cerimônia. Eu possuo uma identidade civil que tenho usado cada vez menos ao longo dos anos: Diana Prince. Será como ela que irei participar da cerimônia.

Poderosa também responde:

Arrow Eu irei como Karen Star

Diana continua:

Arrow Talvez seja hora de pensar em um disfarce, pelo menos para esta situação, Arthur. Mas podemos discutir isso depois. Agora precisamos convocar uma reunião com os membros ativos da Liga para comunicar a decisão de Clark e para pensar como faremos agora.

Com o fim da reunião, os heróis se dividem em suas tarefas e preparações...
**************************
Aquaman, Mulher Maravilha e Poderosa:

Na viagem de volta, Poderosa decide vir dentro do jato com seus companheiros. Eles conversam seriamente sobre o destino da Liga da Justiça e do herói e amigo de todos, Superman. Diana acabara de emitir um comunicado aos membros fundadores da Liga, no entanto obteve baixo índice de resposta: O Caçador de Marte, Batman e Flash não responderam ao chamado e Hal Jordan respondeu informando que estava em um sistema solar muito distante em uma missão da qual não poderia se esquivar. Diana vira para eles e diz:

Arrow Temos que nos preparar para uma possível ação de guerra. Talvez seja hora de convocar uma nova formação da Liga... Aumentar as fileiras... Encontrar os inativos... O que vocês me dizem?


****************************************
Asa Noturna e Robin:

Arrow Não sei o que é mais ridículo: Aquaman se portando como se fosse uma ameaça a mim ou você se curvando a ele. Francamente, Grayson... Você realmente não chega aos pés de meu pai...

Damian resmungara algumas vezes desde que saíram da Fortaleza da Solidão. O garoto não queria admitir, mas ficara impressionado com a postura do rei aquático. E mais do que isso, ficara ansioso com a possibilidade da missão proposta por Asa Noturna. Entre um muxoxo e outra reclamação, ele se vira para Asa Noturna e diz:

Arrow Entendo que você tenha dispensado o clone. Ele provavelmente atrapalharia nossa missão, mas não entendo porque não partimos ainda. O que te falta para iniciarmos a invasão?

Ela aparece como uma resposta à pergunta. Com seu traje tradicional e seus contornos sensualmente letais.



O garoto olha com uma expressão de contentamento ao ver a figura que se apresenta e emite o seguinte comentário:

Arrow Isso sim é um traje funcional. Não essa fantasia que me deram.

Cassandra então fala:

Arrow Obrigada. Eu acho... Você pediu que eu viesse, Asa Noturna. Pode falar.

************************************************
Superman e Superboy:

Quando Conner alcança Clark percebe que ele estava fazendo uma gravação:

Arrow ... a verdade e a justiça sempre triunfam no final. Obrigado pelo voto de confiança que vocês tem me dado e a todos aqueles que arriscam suas vidas para fazer o bem, com ou sem poderes especiais.

Clark se vira e diz:

Arrow Você não precisava ter ficado. Você tem suas coisas pra fazer... Não quero que se sinta obrigado a bancar a babá.

O pinguim se aloja na perna de Clark, recebendo um carinho na cabeça.

Arrow Conner, você tem conseguido passar um tempo de qualidade com a Cassie? O que aconteceu com a Lois.. Me fez pensar se realmente é possível ser quem nós somos e ter família, amigos, amor... Sem sacrificá-los... Eu amei.. amo.. Lois. Mas eu sinto que ainda tinha muito a dizer a ela. Muito a fazer com ela... Tanta coisa que deixei de lado para salvar o mundo. quantas vezes a deixei me esperando. Quantas vezes deixei de tê-la como minha prioridade...

Ele pega o pinguim no colo e diz:

Arrow Kara está em coma. Lois está morta. e eu não sei quem me fez invadir o espaço da Coréia do Norte. Preciso que você fique atento. Não cometa os mesmos erros que eu... tenha cuidado e cuida da mãe e do pai. Eu não sei o que acontecerá a partir de amanhã, mas sei que posso contar com você.

Ele se levanta e abraça o jovem. Em seguida diz:

Arrow Vou dormir um pouco. Preciso me preparar para amanhã.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4121
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Pedro H. Oliveira em Dom Mar 17, 2013 11:28 pm

- Não se preocupe Clark, como você mesmo disse: "Devemos cuidar da família" e é isso que estou fazendo aqui, cuidando de você. - Dou o abraço nele.

Quando Clark vai dormir, sigo para algum computador na Fortaleza da Solidão e, sem que Clark perceba o que estou fazendo, procuro por imagens de segurança vindo do atentado que matou Lois. Posso não ter o treinamento que o Tim ou Dick tem, mas não quero perder nenhum detalhe sequer. Alguma coisa tem que aparecer em algum instante em que aponte o verdadeiro culpado por tudo o que esta acontecendo.

Após examinar as pistas, caso ache alguma coisa, vou enviar para o Asa Noturna e logo em seguida, vou assistir os videos do incidente na Coreia.

_________________
avatar
Pedro H. Oliveira

Número de Mensagens : 870
Idade : 26
Data de inscrição : 25/06/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Dana em Seg Mar 18, 2013 12:50 am

“Eu também, não pude estar lá”.

Era essa a droga da frase que eu queria dizer ao homem que estava sentado ali na minha frente, com o olhar mais entristecido que eu já havia visto em minha vida. Era o maior herói que este planeta pode ter, mas, naquele momento em especial, era apenas um homem sofrendo uma perda terrível, perdeu quem mais amava neste Mundo. Provavelmente, mais do que a si mesmo, ele trocaria se pudesse a vida dele, pela dela, contudo, não podia fazer isso. E agora jazia ali, sim ele jazia, como se parte dele tivesse morrido junto, os olhos dele nunca foram tão vazios e isso doía muito nela, talvez fosse o que mais lhe machucava, vê-lo sem alegria ou esperança nos olhos, que sempre lhe passaram tanta fé na vida.


Foi algo sem sentido o atentado, como eles podiam querer machucar seus semelhantes, e ainda culpando seres como nós, pela sua fúria desenfreada? A maioria dos super seres dedica sua vida a combater o mal que eles mesmos causam uns aos outros e quando nossos iguais tentam os machucar, vamos lutar com todas nossas forças para evitar que os humanos sejam feridos ou mesmo mortos. Literalmente damos nosso sangue pelos humanos, e todos os dias de nossas vidas é assim, uma eterna luta entre combater o Mal mascarado em todas as formas possíveis e não pedimos nada em troca, nem mesmo o agradecimento deles. Boa parte deles nos agradece assim mesmo, exaltam nossa bondade e força, mas, sempre há quem acabe nos odiando pelo que somos.

“É natural temer aquilo que não se entende.”

Eu deveria então temer a mim mesma, pois, nem mesmo me entendo mais nestes últimos tempos, quem sabe não seria melhor ter explodido junto com meu planeta, com a minha Terra. Adotei este lugar como meu novo lar, dedico minhas duas vidas a ajudá-los, e mesmo assim sinto que isso não é o suficiente, e parece que meu primo acaba de chegar a mesma constatação, mas, da pior forma possível. Juro por tudo que seja sagrado neste Mundo e nos outros, que eu desejava contrariar este pensamento, e dizer a ele que estava errado. Que havia esperança, que tudo ia ficar bem e era um momento ruim apenas, os humanos iam melhorar abrindo seus olhos e nos vendo como somos, como tentamos ajudá-los e aquilo pararia. Mas, sinceramente? Eu não podia prever nada disso, e sequer eu acreditava que tal coisa pudesse acontecer.

“O que se diz pra alguém que acaba de perder o que mais lhe valia no Mundo?”

Não havia palavras que pudessem exprimir, isso, ao menos eu não consegui as achar, e busquei muito, ensaiei várias vezes em casa, tentei procurar frases celebres, e nada se encaixava naquela situação. Eu não sabia o que dizer a pessoa que mais admiro neste Mundo, por ela ter perdido quem mais amava. Diana conseguiu, Arthur conseguiu, e todos os outros que foram encontrá-lo ali na Fortaleza da Solidão, conseguiram falar algo. Tudo que eu consegui fazer foi permanecer atrás do grupo, olhando-o de forma entristecida, se fosse abraçá-lo, eu não soltaria tão cedo, choraria, também, e acabaria fazendo com que ficasse mais infeliz do que há estava. Eu me portei da melhor forma, e desejo profundamente que ele não veja isso como falta de amor por ele. Eu daria minha vida pela daquele homem, sem exitar.

“Você só vai saber o tamanho da dor de alguém se vivenciar a mesma dor.”
Era baseado nesta frase que Arthur discursava, tentando ajudar Clark, e naquele momento eu não conseguia pensar nele com Superman, nem mesmo Ka-el, era apenas e tão somente Clark Kent, o Ser mais Humano que já vi, e ele nem humano é. Confesso que fiquei triste, relembrando do sofrimento de Arthur com a perda do filho, não posso negar que esqueci completamente o que houve entre nós, porém, não era momento para me ater a ele, minha atenção era do meu primo, a dor dele era minha e o pesar da Humanidade, por fazer com aquela perversa atitude que ele repentinamente perdesse a fé neles. Claro que apenas poucos dos humanos agiam com tamanha violência contra nós, ou contra aqueles que abertamente nos defendem. Já outros tantos desacreditam que estamos aqui em favor deles, justamente por seres como nós agirem de modo errado, não os condeno, não posso julgá-los, pois, eu mesma já tive ímpetos de dar o último soco na cara de alguns elementos que tive a infelicidade de conhecer em meio a batalhas. Mas, parecem esquecer que dentre eles, também há monstros.

“Ninguém pode tirar o direito máximo de um homem, o de velar seus entes queridos.”

Foi a principal questão que me veio em mente, quando Asa Noturna chegou para dar seus pêsames, a Clark, como também, para falar sobre a droga da quebra de regra em relação à Coréia. Ela sentia ímpetos de esmagar alguns políticos e militares que usavam daquela porcaria de desculpa para piorar a situação dele. Karen não conseguia prever qual seria a reação que ele teria, fiquei observando e esperando Asa Noturna explanar o restante da questão. O herói falou o que deveria falar em meio a uma tensa discussão com seu aprendiz, que se tornava cada vez mais arrogante, em cada encontro infeliz que ele tinha com ele. Karen suspirou profundamente, sentindo vontade de erguer aquele moleque pela gola do uniforme e jogá-lo em algum buraco gelado daquele lugar, com sorte alguma Orca o comeria e todos seguiriam felizes suas vidas, menos a Orca, pois, ela teria dores estomacais, certamente.

“O que se faz quando se perde a fé nos outros e em si mesmo?”

Eu acabava ouvindo uma das frases mais me chocou em minha vida, ele estava deixando a Liga da Justiça, até que tudo pudesse estar esclarecido. Era muito ruim e estranho pensar na possibilidade de perder ele naquele grupo, mas, como sempre aquele herói em especial pensava no bem de todos, mesmo com o coração escurecido pela dor, como estava. Karen já perdeu pessoas que amava, perdeu um planeta inteiro, queria poder trocar de lugar com ele, afinal das contas era o Superman que inspirava sim as pessoas a serem melhores, mesmo ele pensando o contrário agora. Era nele que pensavam quando algo certo era preciso ser feito, não nela. Sempre fora um mero figurante perto dele, Karen tinha poderes semelhantes aos dele, contudo, não a mesma fé, e o mesmo amor daquele herói para com o que defendia, e quem defendia. Ela tentava a todo custo ter, mas, já falhara. Ele se despedia de todos, ela apenas lançou um olhar triste para ele, quando o viu sair para o interior da Fortaleza seguido pelo SuperBoy, um garoto ainda perto deles, e ao menos aquele garoto teve coragem de falar com Clark.

- Eu vou como Karen Star, é melhor não chamarmos a atenção indevida, evitando colocar pessoas comuns em perigo... – Ela falou pela primeira vez, desde que haviam saído da Fortaleza. Sua voz era apática, e olhava pra fora, observando as nuvens. Karen estava triste, não tinha a tristeza de Clark, pela perda de Lois, se pudesse colocar um nome no que sentia, era perder a fé naquela humanidade, mesmo assim nada disse sobre isso para eles. – Porque será que não responderam ao chamado? Diana apoio sobre encontrar os inativos, e saber o porquê do seu... Desinteresse no chamado da Liga. – Ela enfim vira-se e encara a heroína mais poderosa que já conheceu, dizendo num tom de formalidade estranho a sua figura explosiva. – E dependendo das respostas que tivermos deles, é sim aconselhável revermos algumas posições e termos novos membros. Mas, escolher com cuidado, acho que ninguém quer ser responsável pela morte de nenhum companheiro, afinal das contas... – Baixa o olhar, não era nenhum tipo de indireta, era mesmo insatisfação consigo mesma, por não poder ter ajudada aquela mulher que mesmo sendo humana fizera tanto bem por outros como ela, e pelos que possuíam super poderes. Não convivia com Lois, mas, conversava sobre ela com Clark, e ele tinha sempre aquele brilho especial nos olhos ao mencionar a amada. – Tem nomes em mente, Diana? – Tornou a olhar para a mulher, e depois dirigiu seus olhos para fora mais uma vez, fechando-os por alguns segundos, para então tornar a dar total atenção a companheira, vez ou outra olhava para Arthur, sem que ele percebesse. Provavelmente era primeira vez desde Atlântida que estavam tão perto e sem lutar contra alguma coisa. - Espero que não façam do enterro dela um inferno, ele precisa de paz agora, ao menos em torno dele... - DDisse por fim, ficando em silêncio e esperando Diana ou Arthur se prenunciar, encostou-se melhor na poltrona, cruzando os braços, ficando com aquela postura de "marrenta", costumeira dela.

_________________
avatar
Dana

Número de Mensagens : 356
Idade : 36
Data de inscrição : 24/05/2012

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/profile.php?id=100003739988649

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Convidado em Seg Mar 18, 2013 11:10 pm

Hum, ao que parece todos possuem identidades civis... será que eu sou o único que sou o mesmo sempre? Bom, depois eu vejo o que fazer, agora tenho um assunto mais importante para resolver.

Diana tenta contatar os demais membros fundadores da Liga, mas não obtém muito sucesso, gostaria que todos atendessem ao chamado, mas temos que aceitar que nossas vidas são sempre atarefadas, e muitas vezes o dever tem que vir antes de nossas vontades. Porém, Karen parece não ter aceitado isso muito bem, apesar de sua postura muitas vezes ofensiva, explosiva e marrenta, ela possui um grande coração, e dá pra perceber que ela foi bastante abalada por este acontecimento. Tudo isso faz parte de sua personalidade passional, em alguns aspectos ela me lembra Mera.

As duas apontam a necessidade de ser feita uma nova formação para a Liga, podendo contar com membros reservas, inativos ou novos. Diana dá enfase aos crescentes conflitos internacionais e Karen ao fato de que não podemos convocar qualquer um. Ambas estão certas, essa é uma tarefa que devemos fazer com bastante cuidado.


Aquaman: Vocês estão certas, é necessária uma nova convocação de heróis para formarem a Liga da Justiça. Mas não podemos nos precipitar e fazer essa convocação de acordo com o novo cenário internacional que vivenciamos. Dick sugeriu o Superboy, que é um bom garoto, tem muito potencial, mas não creio que seja o melhor momento para convocá-lo, acredito que ele pode entender esse chamado como um chamado para substituir o Superman, por mais que não seja verdade, seria difícil tirar isso de sua cabeça, seria uma pressão muito grande em cima dele... - paro por um instante, pensando que o mesmo pode acontecer com Karen, espero que demostremos a ela que não é preciso ser o Superman, isso é um alvo muito alto para qualquer um, todos devemos cumprir nossos deveres, não os do Superman - Por mais que tenhamos deixado para trás o "da América" do nome da equipe, isso continua algo muito marcante em nós, por mais que sejamos de outros países e até outros planetas, todos nós temos vivência nos E.U.A., nossas bases e ações são muito focadas neste país. Acredito que para suavizar o atual conflito e também universalizar nossas ações, devemos convocar membros de outros países, heróis que realmente atuem e pensem diferente dos americanos ou do Ocidente, verdadeiros heróis que são verdadeiramente estrangeiros e conhecem como as coisas funcionam em suas regiões, como são suas culturas. Isso ajudará a legitimar nossas ações por todo o globo.

Falar isso é fácil, a parte difícil é conhecer heróis dos diferentes cantos do mundo que sejam dignos de assumirem as responsabilidades da Liga da Justiça. Eu me silencio procurando pensar em alguns nomes e esperando que elas possam trazer mais alguma ideia. Por alto lembro de alguns companheiros africanos, japoneses, ciganos, mas é cedo para eu me pronunciar.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Drako em Qua Mar 20, 2013 10:35 am

Saímos da fortaleza e desde então Damian não para de falar, e já estamos em Bludhaven. Incrível como eu fico impaciente quando ele não fala nada, mas muito irritado quando ele não para de falar.

Robin: Não sei o que é mais ridículo: Aquaman se portando como se fosse uma ameaça a mim ou você se curvando a ele. Francamente, Grayson... Você realmente não chega aos pés de meu pai...

Asa Noturna: Continue falando, talvez eu preste atenção no que você diz quando eu cansar de me perguntar o porquê de eu aceitar te trazer comigo.

Robin: [tt]

Asa Noturna: Vamos entrar em uma missão difícil e eu sei suas habilidades estão mais do que preparadas para isso, mas não estou 100% certo de que VOCÊ está preparado.

Robin: Tsc, eu posso invadir a Coréia do Norte sozinho e ainda voltar a tempo de ver você crescer um par de...

Asa Noturna: Ei! Primeiro, é disso que estou falando! De agora em diante não estamos mais em uma situação confortável, em que eu possa ignorar tudo que você faz de errado—

Robin: O que eu faço de erra—

Asa Noturna: Cala a boca e escuta! Vamos entrar em território hostil. Eu preciso saber se posso confiar em você, de que não vai fazer nenhuma besteira precipitada e irá me escutar.

Robin: Por que eu deveria?

Asa Noturna: Porque sou mais experiente que você, porque sou mais inteligente que você, porque sei lidar com as coisas melhor do que você, porque lutei ao lado do seu pai por mais tempo do que você tem de vida e acima de tudo, porque sou melhor nisso do que você. Não importa que seja treinado a vida toda pela Liga dos Assassinos, eu fui treinado desde os 8 anos pelo Batman. E não sei se você sabe, mas eu e seu pai chutamos a bunda da Liga E do seu avô mais vezes do que eu posso contar com os dedos dos pés e das mãos.

Então vem um silêncio.

...

...


Robin: Mais inteligente do que eu? –Diz ele com uma cara cinica.

Asa Noturna: Ok, talvez sejamos equivalentes.

Robin: Melhor do que eu?

Me abaixo, ficando cara a cara com ele.

Asa Noturna: Esse não é o ponto. O que eu estou tentando dizer é que mesmo que você não ache, ainda posso te ensinar muita coisa.

Robin: [tt] Eu duvido. Espero que prove o que está dizendo, Grayson.

Asa Noturna: Vou provar! –Me levanto, com um sorriso no rosto e bagunço o cabelo dele.

Robin: [tt] Você é uma criança, Grayson! –Resmunga enquanto arruma o cabelo de novo.

Asa Noturna: Certo, de agora em diante não somos mais Dick e Damian, mas sim Asa Noturna e Robin, lembre-se disso.

Esperamos mais alguns minutos. Antes de sair da Fortaleza, entrei em contato com uma pessoa de confiança, mais uma pessoa da qual eu posso contar nessa missão.

Robin: Entendo que você tenha dispensado o clone. Ele provavelmente atrapalharia nossa missão, mas não entendo porque não partimos ainda. O que te falta para iniciarmos a invasão?

É quando ela chega, balançando com as cordas pela cidade. Damian pelo visto gostou do que viu.


Robin: Isso sim é um traje funcional. Não essa fantasia que me deram.[/color]

Batgirl: Obrigada. Eu acho... Você pediu que eu viesse, Asa Noturna. Pode falar.

Cassandra e eu estivemos em uma situação complicada durante o Sono dos Justos, eu estava de um lado e ela do outro, mas a menina estava fora de si. Isso também é uma forma de mostrar que aquilo são águas passadas. Separo uns minutos para contar tudo o que rolou para ela e sobre a minha missão atual.

Asa Noturna: Então Batgirl, o que me diz? Você vem comigo?

Robin: O que? Ela também vai?

Asa Noturna: Ela é quem decide, mas por mim, sim.

Robin: [tt]

Asa Noturna: Partiremos após o funeral da Lois Lane. Se quiser, pode pensar até lá, Batgirl.

_________________
avatar
Drako

Número de Mensagens : 1769
Idade : 28
Data de inscrição : 28/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.ds-club.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Leo Rocha em Sex Mar 22, 2013 7:42 pm

Aquaman, Poderosa e Mulher Maravilha:

Ouvindo as falas de Poderosa e Aquaman, a Mulher Maravilha pondera por uns instantes e diz:

Arrow Pensando no nosso quadro de reservas e nos aliados que já vimos lutar, tenho algumas sugestões que queria compartilhar com vocês. Talvez nós três consigamos chegar num consenso sobre alguns nomes.

Ela manobra o jato com facilidade enquanto fala:

Arrow A missão no inferno, enfrentando Darkseid, mostrou o valor de membros como Asa Noturna, Azrael e Arqueiro Vermelho. Eles seriam bons nomes para compor a nova formação e possuem certa experiência junto às ações da Liga.

Ela dá um tempo para os companheiros pensarem e continua:

Arrow Pensando na questão da diversidade citada por Arthur, temos nomes como Vixen, Geoforça, Fera Bwana e a Dra. Luz, que já tem experiência na Liga. Tem um novato agindo na África com o apoio do Batman, chamado Batwing. Apesar de ser novo, ele tem grande potencial.

Ela continua:

Arrow Podemos também recorrer a membros antigos que queiram retornar, como Canário Negro, Máxima, Aço, Dama de Gelo, Homem Borracha, Tornado Vermelho, Sr. Milagre e Grande Barda. Além destes, podemos ver outros nomes como Tempest e Mera. O que acha Arthur?

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4121
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Leo Rocha em Sex Mar 22, 2013 7:57 pm

Asa Noturna e Robin:

Cassandra olha profundamente para Dick. Seus olhos transmitem o turbilhão de pensamentos que passa pela sua cabeça, mas a voz é serena ao dizer:

Arrow Obrigada pelo convite, Asa Noturna. Eu prometo corresponder à sua confiança. Já estou preparada para ação, se quiser partir neste momento.

Ela diz com firmeza e quando acaba olha para Robin. Seu olhar não traduz nada ao garoto. Ela mantém uma expressão que lembraria uma Monalisa combatente do crime se tal coisa existisse. Por fim ela diz:

Arrow Um novo Robin? Ele é bem treinado? Confio em você, mas essa é uma missão muito arriscada para levar alguém em treinamento.

Ela aguarda a resposta de Asa Noturna, praticamente ignorando os resmungos de Robin e, após ouvir a resposta, dirá:

Arrow Confio em você. Sua palavra basta. Eu prefiro não ir ao funeral, então posso aguardar aqui o seu retorno?


_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4121
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Leo Rocha em Sex Mar 22, 2013 9:37 pm

Superboy:

Após Clark ir se deitar, Conner começa a investigar as imagens referentes ao atentado. Ele observa os homens invadirem e dominarem a redação do Planeta Diário. Percebe que os sequestradores não tinham intenção de fazer exigências e tampouco tinham cogitado uma fuga. Ouve o homem fazer referência a uma filha morta pouco antes de revelar o colete explosivo. Ele se emociona ao ver Lois se jogar pela janela com o homem e explodir. Depois vê Jimmy levar o tiro e a execução dos sequestradores pelo herói chamado Magog. Ele sentia que tinha algo ali que poderia ser uma pista-chave para entender como aqueles homens chegaram aquele ponto. Para descobrir quem eram os sequestradores e porque eles se tornaram sequestradores.
Após a análise das imagens do Planeta Diário, ele fez a busca por imagens da ação do Superman na Coréia do Norte. Ele avalia o poderio dos heróis do oriente e a ação das tropas nortecoreanas e o momento em que Kal parece ouvir o sinal do foguete sendo disparado. Usando imagens do satélite, ele observa a explosão que deixou a Supergirl em coma e o Superman apagado por algum tempo. Ele olha com atenção e percebe que Kara estava presa numa espécie de armadura.. Não uma armadura comum, mas a armadura da tropa dos sovietes supremos.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4121
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Convidado em Dom Mar 24, 2013 8:05 pm

Diana começa a tratar o assunto mais objetivamente, chegou o momento de falar de nomes. Essa tarefa tem que ser abordada com sabedoria, considerar habilidades, experiência, trabalho de equipe, personalidades. Ponderar todos esses fatores buscando formar uma equipe que transpire confiança e passe segurança a todo o mundo, e sendo um exemplo para os demais que procuram viver a vida como nós.

Aquaman: Dado o contexto internacional, acredito que devemos priorizar a experiência e a diversidade cultural para a nova formação da equipe, balancear membros antigos com novos. Poderes não importam tanto, com treinamento, determinação e compromisso, qualquer um pode cumprir seu dever com o Mundo.

Quando comecei a ser reconhecido na superfície poucos me davam valor, até hoje alguns insistem em fazer piadas, mas por muitas vezes lhes provei o contrário. A própria formação da Liga da Justiça em Detroit prova que calouros quando bem direcionados podem servir a nossa causa.

Aquaman: Sou suspeito de falar sobre Garth, apenas direi que ele se tornou um homem poderoso e competente em seu dever, acredito que esteja pronto para a Liga, mas ele sempre foi um Titã, melhor consultá-lo antes. Quanto a Mera... ela está bastante ocupada sendo Rainha de Atlântida.

A verdade é que por mais habilidosa que Mera seja, ela nunca foi de se aventurar para proteger outras pessoas, principalmente a superfície. Durante o tempo que ficamos juntos, eu que a arrastava para essa direção. Desde que nos separamos isso nunca mais aconteceu, mesmo que minha relação com a Atlântida tenha melhorado no último mês. Melhor eu seguir com o assunto, não quero falar sobre isso, tem coisas que devem permanecer entre o casal, apenas.

Aquaman: Muitos dos nomes que você citou me são familiares, já trabalhei com Vixen, Canário Negro, Aço, Dra. Luz e o Homem-Borracha, todos tem experiência e são capazes de assumir essa responsabilidade. Aproveito para sugerir outros membros com quem já trabalhei dentro ou fora da Liga: Cigana e Jason Blood, ambos tem experiência de combate e são versados nas artes místicas, precisamos desse conhecimento e da diversidade de habilidades que eles possuem. E quanto a Máxima, não, definitivamente não.

Ao falar da Máxima, olho para Karen e lembro da vez que essa louca colocou na cabeça que eu era o par perfeito para ela e queria um filho comigo, se não fossem Karen e outras, eu provavelmente teria um filho com ela nesse momento... só o que me faltava outro filho...

Aquaman: Prefiro deixar o povo de Nova Gênese e o Tornado Vermelho de fora neste momento.

Não dou muitas explicações, apenas não gosto da interferência de pessoas que não vivem em nosso planeta em nossos assuntos, e não acredito que um robô consiga lidar com as tensões políticas e a subjetividade desse momento.

Aquaman: Eu não acompanhei toda a ação contra Neron, apenas nos relatórios. Karen pode falar melhor sobre isso. Porém, pelo que ouço, o Arqueiro Vermelho tem habilidades que podem ter superado as de seu mentor, falando nisso, e o Arqueiro Verde, notícias dele? E os outros Lanternas Verdes, algum deles podem assumir uma posição, uma vez que Hal está ocupado. Dick seria uma ótima aquisição, mas decidiu trabalhar sozinho no momento, melhor não nomeá-lo membro oficialmente, mais tarde, talvez.

Dos nomes citados por Diana estes são os com os quais já trabalhei, o que torna mais fácil opinar, mas nesse momento oportunidades e apostas terão que ser feitas, espero que tomemos as decisões acertadas. Ouço o que Karen tem a dizer sobre o grupo que participou da última missão e continuo a dar meu parecer.

Aquaman: Os demais não conheço muito, sei que o Geo-Força participou dos Renegados, seus poderes podem ser úteis, seria bom tê-lo como aliado. Nunca ouvi falar do Batwing, mas se o Batman confia nele, podemos dar a ele essa chance, suponho que ele tenha habilidades como os demais pupilos do Batman, precisamos dessas habilidades. Temos que criar um grupo diversificado, por isso, prefiro ficar com a Vixen do que o Fera B'wana.

Acredito que posso contar com os membros que participaram da última missão, e com aqueles que não responderam nosso sinal, não seria nada bom perder o Flash e o J'onn nesse momento. Sendo assim, ainda penso que devemos ampliar nossos números e diversificar nosso grupo.

Aquaman: Ainda sinto falta de membros de outras regiões do planeta. Principalmente do Oriente, onde nossa presença está enfraquecida com esse discurso da Coalização de Heróis do Oriente. O melhor caminho é procurar membros que faziam parte dos Guardiões Globais, são experientes e são de toda parte do globo, e a Dama de Gelo é uma prova que eles tem capacidade de pertencerem a Liga. Deles, os que mais me chamaram atenção foram: Tempestade de Areia, da Síria; Demônio da Tasmânia; Estrela Vermelha, da Rússia; Brilho, da China; além da Fogo, que já participou de outras formações da equipe; e o Corvo Vermelho, um índio americano.

Espero chegar num consenso logo, não podemos hesitar agora. Estou confiante que tomaremos as decisões certas.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Dana em Ter Mar 26, 2013 9:31 pm

Por alguns instantes, no meio das falas de Diana e da opinião de Arthur acerca das possíveis novas aquisições para uma formação renovada da Liga, Karen perde seu olhar para as nuvens, parte de sua vontade ficara na Fortaleza da Solidão, junto de seu primo, e do viria amanhã, com o enterro dela. Não fazia de como o interior dele estava, a alma do Homem de Aço parecia agora ser de cristal, e estava quebrado, algo nele havia quebrado, ela desejava muito que não fosse mesmo a crença dele na Humanidade.

- Confio plenamente no Arqueiro Vermelho, é um bom companheiro e ótimo combatente. Sua atuação contra Darkseid foi corajosa. - Seu tom de voz era formal, como quando procurava falar seriamente sobre algo, já que o assunto em questão era deveras importante, não poderiam escolher algum herói correndo o risco de perder mais pessoas. Era este o ponto decisivo dela, não queria ser responsável por uma escolha tão pesada, mas, era preciso. Por sorte, Diana e Arthur tinham um bom conhecimento acerca dos membros que poderiam ser escolhidos.

- Confio em Azrael, a bravura dele contra Darkseid foi notável, Diana, mas, ele demonstra certa insanidade, as vezes, foi o que me pareceu, é uma raiva imensa dentro dele. Mas... – Quem era ela para julgar alguém com raiva, que lutava para salvar um Mundo? – Não sou a melhor pessoa para julgar o quanto alguém pode ficar insano no meio de uma batalha, ser tomado pela raiva é um dos meus defeitos, também... – E não mentia, no que estava dizendo, pois, foram muitas as ocasiões em que sentia vontade de pulverizar o inimigo a sua frente e não podia fazer isso.

- Como você mencionou Arthur, Asa Noturna, age sozinho, como Batman faz, na maior parte do tempo. Parece que herdou isso do mentor. Contudo, não discuto sua capacidade e competência de fazer parte da Liga. – Karen não acreditava no que ele chegou a fazer, na luta contra Darkseid, chegando ao ponto de se matar com aquela finalidade, primeiramente o julgou como um covarde é claro que sentiu isso, contudo, depois viu o quanto ele acabou ajudando, um dia acabaria por pedir desculpas, por tal pensamento.

- Vixen e Geo força teriam tanto bons poderes, para nos ajudar, quando ambos, tem experiência, assim como Gelo, Estrela Vermelha e Fogo. Já trabalhei com a maioria deles, e são bons nomes sim, Diana. – Seu olhar saia do dela, e ia em direção a Arthur, intercalando as falas deles, e sugestões de nomes, ao que parecia os três tinham bons candidatos a uma nova formação. – Se nenhum dos Lanternas puder atender nosso chamado, quem sabe Jade possa nos ajudar, o que acham? Poderes dela são bem peculiares... – Indagou os dois lembrando-se daquela heroína que além dos construtos de energia, ainda voava e controlava plantas. – Agora quanto a Máxima... Prefiro me opor a ela, o ego dela é insuportável e ela é um pouco doida... – Dava de ombros ao falar isso, não gostava era simples assim, aquela mulher significava problemas, sempre. Já de Mera nada falou, era ex-esposa de Arthur e aquele campo não lhe pertencia. – Canário também, tem muita participação, e é uma ótima lutadora. Confesso que sinto falta de algum especialista em artes ocultas, magia, Diana... Considero que seja importante, termos alguém por perto nesta área. – Sentia que era mesmo preciso ter alguém com bons conhecimentos nesta área, depois do impacto de lutar contra Darkseid ela ficou receosa, com o que o futuro poderia reservar a eles. – Temos bons nomes, Diana, agora precisamos fazer o convite, e ver se aceitarão... Não sei como vão reagir diante da nossa atual situação. – Calou-se, olhando na direção da janela novamente, pensando em Clark, e na sua incapacidade de ajudar de alguma forma, temia pelo futuro, novamente. Karen mostrou por um instante um pouco desanimada, como um nuvem tomando conta do olhar dela, que podia ser visto pelo reflexo no vidro, em seu interior uma tempestade parecia estar se formando.

_________________
avatar
Dana

Número de Mensagens : 356
Idade : 36
Data de inscrição : 24/05/2012

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/profile.php?id=100003739988649

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 5: Para o homem que tinha tudo...

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum