Prólogo 1: Incidentes

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Leo Rocha em Dom Nov 04, 2012 2:20 pm

Coréia do Norte:

O plano seguia conforme o programado. O grupo composto pelos mercenários Tony Consling (Alvo Humano), Robert Lucci (Shadow Leg), Robert Macnamara (Duplo Ataque), Lana Wilkins (Snow Blow) e o homem conhecido como Agente Zero chegou à zona onde estaria o silo de mísseis norte-coreano. Eles já haviam penetrado em boa parte do local, quando soou o alarme.
Consling foi o primeiro a responder e começou disparando contra os soldados que corriam na direção do grupo. O Agente Zero foi o segundo a responder usando suas granadas explosivas e flashbangs. Wilkins também acertava os mais próximos com golpes de espada de tiros de sua 9mm, usando sua força e agilidade sobrehumanas. Duplo Ataque disparava contra aqueles que se aproximavam usando suas rajadas energéticas.
De repente, um barulho chama a atenção dos presentes. O Alvo Humano é o primeiro a ser atingido, fazendo jus a seu nome. Uma espécie de vulto passou pelo atirador o partindo ao meio. Mais a frente, o vulto toma forma humana, se mostrando como um jovem soldado norte-coreano, com duas katanas nas mãos.

Arrow Merda! Eles tem um velocista! – Grita Snow Blow.

A jovem começa a atirar na direção do soldado, usando sua agilidade sobre-humana. Agente Zero reforça o ataque, sempre sem emitir palavras. O soldado resiste bem, se esquivando dos ataques sem, no entanto, conseguir chegar ao grupo.

Arrow Precisamos seguir para a rota de fuga! – Grita Shadow Leg.

Porém, quando se preparava para assumir a dianteira no plano de fuga, o mercenário é atingido pelo golpe de outro soldado. Desta vez, um de cerca de 2,5 metros de altura. O homem olha para o grupo e diz em um inglês carregado de sotaque:

Arrow Vocês acabaram de cometer a maior besteira que os ianques poderiam fazer. Rendam-se agora e iremos poupar maior sofrimento a vocês.

Arrow Vá se.. – Lucci não termina a frase, sendo atingido por soco no abdômen que o faz se curvar.

Nesta hora Duplo Ataque apresenta uma mudança de postura e voz, dizendo:

Arrow Bob chegou.. Vamos ver se essa marra continua Charlie...

Ele parte pra cima do homem, mas antes que o alcance, é atingido por um tiro de canhão que o tonteia e joga ao chão. O soldado gigante pisa em sua cabeça, aproveitando para desmaia-lo. Em seguida, ele diz:

Arrow Acabou para vocês. O senhor Kim Jong-Un deu ordens para que vocês fossem levados em interrogatório, mas não será preciso que todos sejam levados. Então, se alguém quiser tentar mais alguma estupidez, fique a vontade.

O grupo se entrega, reconhecendo a impossibilidade da fuga. Agora cabia a eles encarar o castigo destinado aos que tentavam derrubar o governo de Kim Jong-Um.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4171
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Leo Rocha em Sab Fev 02, 2013 4:36 pm

Oliver acorda com um gosto ruim na boca. Ele tenta abrir os olhos, mas sente o rosto doer bastante. Ele cospe um pouco de sangue e tenta se sentar no pequeno cômodo escuro que chama de cela.As surras estavam ficando piores, mas ele estava resistindo bem. Algumas semanas naquele lugar teriam destruido qualquer homem, mas o Arqueiro Verde já havia encarado problemas demais em sua vida para ceder fácil assim.
Ele ainda tenta entender como chegou aquele lugar, uma prisão militar coreana, sem seu uniforme e armas e sem que ninguém soubesse quem ele é. Ele esboça um sorriso dolorido ao perceber que se sair vivo dessa, pelo menos sua identidade secreta será preservada de metade do mundo.
Um barulho forte pode ser ouvido a poucos metros de sua cela e Oliver decide investigar o que está acontecendo. Ao se aproximar da porta da cela, vê um vulto negro atacar violentamente os guardas. Ele chega a pensar em Batman, mas ao olhar a criatura cravando seus dentes nos oponentes, descarta rapidamente a idéia. O invasor segura um dos soldados e grita:

Arrow Onde estão os americanos?

O guarda aponta na direção do bloco de celas onde Ollie está e o homem o arremessa longe, enquanto salta para o local indicado. Ele usa uma velocidade e força sobrehumanas para abrir a cela de Oliver e, ao vê-lo, diz:

Arrow Quem é você?

Após ouvir a resposta, ele seguirá na direção das outras celas, liberando o grupo que veio buscar: O Esquadrão Suicida.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4171
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Convidado em Sab Fev 16, 2013 11:25 pm

A porta da cela de Oliver é destruida com um estrondo que fere seus ouvidos. A criatura metahumana olha para ele e pergunta quem ele é. Subitamente, todo o cansaço e a dor que o Arqueiro estava guardando e suportando da tortura que lhe inflingiam foram esquecidas. O plano de fuga que ele estava com dificuldades para elaborar acabou de literalmente chutar sua porta.

Arqueiro Verde: Eu?


Ele se levantou de sobressalto, simplesmente ignorando o estralo no joelho que lhe implorava por descanso. Seus olhos queimavam com uma fúria e uma esperança que ele descobriu estar sufocando naquele lugar horrível.

Arqueiro Verde: Eu sou o cara que pode te ajudar no que você veio fazer aqui. Um cara louco pra dar o fora desse lugar.

Sua voz estava rouca, mas firme. Todos os seus músculos pareciam rejuvenecidos com a possibilidade iminente de fuga. O Arqueiro se sentiu mais uma vez como na ilha em que ''nasceu'': praticamente nu, sem recursos, em desvantagem brutal, mas com determinação de sobra pra sair daquela situação e esperteza para aproveitar a chance.
Agora ele esperava para ver o que a criatura faria. Adaptaria-se à situação: seguiria ela, rebateria qualquer insitência de revelar sua identidade ou, se ela decidisse tentar prendê-lo de novo, mostraria o que um homem que participou da Liga e foi treinado pelos melhores artistas marciais do mundo podia fazer quando contrariado.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Leo Rocha em Seg Fev 18, 2013 5:26 pm

O confessor olha o homem a sua frente: o rosto irreconhecível após às surras, porém uma gana que parecia irradiar a força de um sol. Um ninguém esquecido no fim do mundo. Peso morto na sua missão de resgate. Ele então responde:

Arrow Lamento, mas você não está na lista. Aproveite a ocasião e tente escapar desse inferno. Se sua alma já tiver purgado todos os pecados, então terá sucesso. Caso contrário, lhe desejo um bom descanso.

A criatura segue em direção às outras celas e rapidamente liberta seus companheiros. Em seguida, com o grupo solto, ele lhes diz que precisam seguir rumo ao sul.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4171
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Convidado em Qui Mar 07, 2013 2:08 am

A Criatura se fora e deixara Ollie com a própria sorte.

A primeira coisa que ele fez foi rapidamente examinar o lugar para ver se achava algo que pudesse ser usado como arma na fuga, como um pedaço de pedra, um pedaço destacado da porta da cela para ser usado como ''bastão'' ou qualquer outra coisa que pudesse ser iprovisada.
Já armado, Ollie sabia que, apesar de se considerar um adversário temível por si só, estava fraco e cansado das torturas, surras e alimentação horrível depois de semanas. Sendo uma sombra do seu estado normal e 100%, Ollie planejava seguir o grupo da Criatura, pois se ele entrou, deve saber um jeito fácil de sair. Mesmo que o seu libertador tenha o ''dispensado'' (e dito algo interessante sobre alma expurgada de pecados, que fez Ollie pensar um pouco sobre com que tipo de ser ele estava lidando, embora tenha abandonado essa indagação logo em seguida para se concentrar totalmente na fuga), ele concluia que estar perto de um grupo seria, nesse momento, mais vantajoso do que estar sozinho. Arranjaria novas armas e um novo traje quando já estivesse novamente junto à Liga.

O Arqueiro respirava com disciplina de um mestre ancião. Seus olhos queimavam e o único ponto de fraqueza nele, nesse momento, era desejar ardentemente que algum dos seus captores tentasse detê-lo na fuga.
Um pouco de sangue antes de voltar para a casa... mal não faria...

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Leo Rocha em Sab Mar 09, 2013 11:15 am

ARQUEIRO VERDE:

As coisas pareciam tão caóticas fora da prisão quanto dentro. Oliver ouvia estrondos da parte externa que lembravam a ira de deuses ou demônios.
Dentro da prisão, ele se aproxima dos guardas derrubados e pega alguns de seus pertences enquanto a bagunça causada pela invasão ainda lhe dava oportunidade. Na lista de pertences que ele encontrou estão: dois cassetetes, pistolas 9mm, dois fuzis, lanterna, isqueiro, cadarços dos tênis, crachás de identificação, carteiras com dinheiro e outras coisas de uso comum. Um deles portava ainda um cantil de água.
Oliver avalia o que lhe interessa das coisas encontradas e montará seu arsenal ali. Ele observa que o número de soldados nos corredores aumenta consideravelmente, superando uma centena com folga. A situação parecia ficar cada vez mais complexa, mas ele sabia que agora era diferente: ele agora tinha condições de lutar e o faria com todas as suas forças. Os 5 guardas que o cercaram iriam descobrir isso do jeito mais difícil... Ele não se amedronta com os fuzis que eles trazem quando resolve iniciar o combate. Só lhe importava alcançar sua liberdade.
Nas celas, os outros presos se agitavam pedindo para serem libertados e o grupo que o invasor tinha vindo se libertar já se encontrava reunido e pronto para iniciar uma ação de evasão. Mas antes que pudessem fazer qualquer coisa, um borrão entra em supervelocidade, atingindo a barriga do Confessor com uma lâmina. Ele solta um urro olhando para a lâmina cravada em sua barriga e a retira com uma expressão de dor. O esquadrão suicida reconhece a risada e percebe que era o mesmo velocista que matara Alvo Humano e os prendera. Quando começavam a indagar onde estaria o gigante que o acompanhava, ouvem o barulho de uma parede sendo quebrada ao lado deles.
Haveria um segundo round e o Arqueiro verde estaria presente para assistir.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4171
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Leo Rocha em Sab Mar 09, 2013 11:28 am

ESTRELA VERMELHA:

Fazia algumas horas que Leonid tinha iniciado sua viagem. Foi difícil para ele dizer as palavras que proferiu sobre seu país, sobre como o mundo estava reagindo ao super-heroísmo e sobre como ele se sentia.
Após solicitar sua dispensa do posto de herói reconhecido e apoiado pelo governo, ele resolvera se dar um tempo para pensar no que faria. Ainda estava decidindo se iria à América rever alguns de seus amigos americanos, se viajaria pela Europa ou se procuraria outro destino. Tinha tempo para decidir, mas seu coração lhe pedia uma direção e, pela primeira vez em um bom tempo, uma direção que ele quisesse tomar sem a necessidade de solicitar a permissão de ninguém.
Ele deixa a mente divagar enquanto olha para a tela da Tv, no momento noticiam a morte de Lois Lane, a repórter norte-americana que muitos conhecem em especial pelo trabalho junto às ações de heróis.
Nesse momento, um homem usando terno se senta ao seu lado e diz:

Arrow Esse não foi o melhor momento para abandonar seu posto, camarada. O seu governo precisa de você e estaria disposto a conversar para tentar dissuadí-lo de sua decisão.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4171
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Ricardo Sato em Sab Mar 09, 2013 8:29 pm

Leonid não se vira os dedos das mãos entrelaçados sob o queixo ,deixa um leve suspiro deixar sua boca,e observa o visitante pelo canto dos
olhos tentando reconhece-lo e só então responde.

(Estrela vermelha) - "camarada",(a voz carregada de ironia deixando bem claro sua desconfiança)acha mesmo que decidi levianamente deixar meus deveres.

Se achasse que minhas palavras pudessem mudar o modo de agir de nossos governantes acredita que eu teria saído?

Não ser um joguete na guerra de outros traindo minhas convicções foi um dos principais motivos para eu ir embora,mostrar para aqueles que desconfiavam dessa coligação que eles não estavam sozinhos foi outro.

Não pretendo me tornar peão de desconhecidos,nem de conhecidos......

Porém se sua causa for justa ou se eu acreditar que é válida então eu farei,não precisa de mistérios, de contratos ou hierarquia,mas eu
não sou mais um soldado e por tanto exijo saber de tudo sem mentiras ,segredos ou trapaças.

Juro que você jamais se arrependerá tanto de algo quanto irá, se tentar me fazer de tolo.


Um leve vapor deixa suas mãos e um um mero reflexo de vermelho lhe tinge os olhos.

Ele sabia que não seria deixado em paz,mas acreditava que esperariam mais um pouco para virem.

Agora era só ter a esperança de que essas pessoas estivessem do lado da justiça.
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1381
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Leo Rocha em Sex Mar 15, 2013 5:57 pm

Estrela Vermelha:

Ao ver a expressão de Leonid, o homem apenas lhe diz:

Arrow eu tenho informações para partilhar, mas não posso fazê-lo sem saber se estaria disposto a trabalhar em colaboração com o governo que acabou de renegar.

O homem acende um cigarro calmamente e diz:

Arrow Em todo caso, quero que saiba que dentro deste mesmo governo ainda há bons patriotas preocupados com o bem comum e com a possibilidade de coisas como a venda de armas que o governo aposentou há pouco tempo. A questão lhe interessa?

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4171
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Ricardo Sato em Sex Mar 15, 2013 7:45 pm

Leonid presta atenção a voz e expressão do recém chegado,enquanto pondera.

estrela vermelha-Bem talvez não tenha sido claro(sem consciência disso sua voz se suaviza um pouco
ao identificar um que de verdade no estranho,embora não deixe de notar por sua reação que realmente esse homem devia ser
muito experiente,corajoso....ou insano) se a causa for justa não tenho porque recusa-la camarada.

E eu abandonei o exército não o país e seu povo,especialmente quando armas que deveriam nos proteger são vendidas a seres
sem moral.

Deve ter algo com relação as armaduras de sovietes desativadas......como aquela que se suspeita ter envolvimento na explosão
na estratosfera durante o caso superman,ou com os mísseis em minha própria nave.

e sim não é por ter deixado o exército que deixei de ter atenção com notícias que podem afetar nosso país....ou deixei de ter amigos
nesse exército.

Muitos dos quais estão entre esses bons homens de que fala.

Bem agora se apresente camarada e se trouxe mais alguém eu gostaria de conhece-los também.

Depois vamos ao que interessa ,me dê as informações e se possível o porque de precisar de mim.


De volta a ativa mais cedo do que esperava leonid não queria admitir mas seu sangue voltava a queimar nas veias
e um sorriso meio torto apenas no lado direito da face era a única demonstração que ele deixava escapar.
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1381
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Convidado em Dom Mar 17, 2013 11:10 pm

Ollie espiou rapidamente os corredores e viu um número absurdo de soldados se juntando. Com um arsenal improvisado à sua frente, o Arqueiro escolheu ainda mais rapidamente para não ficar muito tempo de guarda baixa.

Amarrou o cadarço de tênis, improvisou um cinto por baixo da cueca, onde amarrou tão firme quanto pôde o isqueiro, um cracha de identificação e a carteira (para levar o menor peso possível amarrado desajeitadamente ao corpo) e agarrou prontamente os dois cassetetes. Pensou em alguns movimentos do Asa Noturna, tentando torná-los vivos na mente para que pudessem ser úteis depois.

Estava pronto para seguir caminho quando parou e olhou novamente para o arsenal disponível. Uma gota de suor passou pelo canto do olho enquanto ele enfrentava seu dilema. Estava tão desesperado assim? Estava sendo sentimental ao recusar melhores chances? Ele era um caçador ou um superherói? Porque ele não via como ser as duas coisas coerentemente...

Ollie voltou rapidamente, pegou as duas pistolas e as colocou atrás, na cueca.

Andou um pouco e logo se viu cercado por cinco guardas. Normalmente ele pensaria em deixar algum deles fazer o primeiro movimento para que ele pudesse avaliar melhor a situação como um todo. Mas não tinha tempo ou serenidade para isso no momento. Rapidamente visou um chute no joelho de um deles e se preparou para bater com o cassetete no mais perto do seu alvo, simultaneamente. Ele se movimentaria rápido e furioso, mas se pudessem ver sua expressão, lá estaria um meio sorriso caústico, como se dizendo ''Dêem o melhor de si, seus filhos da...''

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Leo Rocha em Sex Mar 22, 2013 6:48 pm

ESTRELA VERMELHA:

O homem acende um cigarro e diz:

Arrow Pode me chamar de Sacha. Como disse antes, trabalho com homens interessados em evitar que a Rússia seja envolvida em coisas que possam depor contra nosso país. Eu não lhe pedirei confiança, uma vez que não posso te dar muitas informações sobre quem sou eu. Mas te darei informações e com elas você poderá decidir o que fazer, certo?

Ele solta uma baforada, dando tempo para Leonid assimilar o que disse.

Arrow A Supergirl foi sequestrada nos EUA por mercenários e depois de um tempo apareceu presa em um foguete com uma armadura dos Sovietes Supremos adaptada como uma espécie de sarcófago ligado a uma bomba de kryptonita. Esse incidente levou o Superman a uma invasão ao território da Coréia do Norte e ocorreu ao mesmo tempo em que um grupo de extremistas invadiu a redação de um dos jornais americanos mais famosos mundialmente.

Ele solta mais uma baforada e continua:

Arrow As armaduras deveriam ter sido desativadas e destruídas. Como forma de garantia, usaríamos a instalação localizada em Chernobyl para isso, no entanto, acredita-se que alguém esteja desviando as armaduras. Esse envelope contém as informações sobre a instalação e a segurança dela. É um local para testes e desativação de armas especiais. Nível alto de segurança. Nós perdemos contato com os colegas que lá trabalham e avaliamos que não seria prudente deslocar o exército para um incursão ao local no momento. Se estiver interessado, você seria nossa opção para verificar o que houve. E então, o que me diz?

Ele entrega o envelope nas mãos de Leonid e o olha com curiosidade enquanto fuma. Aquele homem exalava experiência, misterio e segurança. Ele tinha uma proposta tentadora e muito perigosa em suas mãos e era hora de Estrela Vermelha decidir se entraria em seu jogo ou não.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4171
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Leo Rocha em Sex Mar 22, 2013 6:58 pm

ARQUEIRO VERDE:

Numa rápida reação, Ollie derrubava dois dos guardas. Seu olhar era de um predador acuado, mas mortalmente preparado. O terceiro homem se lança contra ele com um cassetete na mão, enquanto o quarto saca uma pistola e aponta para ele. O quinto homem não possui muito tempo para reação, pois acabava de ser atingido por um dos tiros do Agente Zero.
Ollie agradeceria a ação se não estivesse ocupado e intrigado com o resgate...
Os dois metas coreanos davam trabalho ao grupo de americanos que tentava fugir, porém a luta parecia mais equilibrada do que o primeiro encontro dos grupos. O gigante coreano media forças com Duplo Ataque e Confessor, enquanto Snow Blow, Agente Zero e Shadow Leg se revezam na missão de deter o velocista e os demais soldados que se aproximam.
Alguns prisioneiros tentam escapar após a abertura das celas, porém os soldados e o velocista também se lançam em sua contenção. Muitos destes prisioneiros tombam fatiados ao meio pelo veloz coreano.
Ao se livrar de seus atacantes, sobraria a Ollie a missão de decidir se tentaria ajudar o grupo de americanos que havia proporcionado a fuga ou se iria tentar escapar por conta própria.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4171
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Ricardo Sato em Sex Mar 22, 2013 8:54 pm

Estrela lê o arquivo 2 vezes se atentando aos detalhes e letras miúdas,se houvessem.

Procuraria sinais no papel que dessem dicas de onde vinha(mesmo sem esperar realmente encontra-los),principalmente possíveis anotações que mostrassem alguma posição mais pessoal sobre o assunto.

Tentando diferenciar se arquivo era algo recém saído de uma impressora ou se havia sido acrecido de informações por um possível leitor anterior.

Depois iria analisar se as informações davam a impressão de que a missão seria furtiva ou uma incursão direta,e também se a tática envolvia só leonid ou se era destinada a uma equipe.

Não importando a que conclusões chegasse ele faria todas as perguntas possíveis,tanto para se certificar da compreensão,quanto para ver se detalhes que ele percebeu seriam explicados ou omitidos pelo homem misterioso.

Estrela vermelha -Pois bem sacha,o governo sabe dessa missão,se sim quanto dele?
Podemos esperar apoio ou pelo menos uma "vista grossa"?
(Ele tem aliados ,mas até onde eles poderiam chegar e que recursos teriam?)

O que pode dizer dos responsáveis oficiais da instalação antes da queda de comunicação?
Quem eram as pessoas em quem você confiava lá e como posso encontra-las?...Se estiverem vivas claro.
(Tenho as informações técnicas, mas as vezes são nas manias dos homens que encontramos a saída...ou entrada.)

Você espera abordagem direta ou infiltração e reconhecimento?
Terei uma equipe de apoio ou estarei só?
(Objetivos, até agora nada está claro quanto a isso.)

Quais são os pontos de fuga?
E o objetivo é desmantelar a base caso tenha sido tomada por forças hostis ou mesmo nessa hipótese só trazer as informações?
(Contingências e contatos,quais você tomou senhor sacha?)

Tenho adquirido ao longo dos anos familiaridade com tecnologia em especial alienígena,mas bem sabe que não sou um hacker ou coisa assim.
Assim como tenho conhecimento de tática e manobras mas não sou um espião.
Acredito que esteja ciente disso.
(Essa informação é bem óbvia ,eu posso lidar com uma entrada furtiva mas não nesse nível de segurança.
Então senhor sacha você espera que eu me depare com uma base já invadida e portanto mais vulnerável,ou outra pessoa é o real infiltrador?)


E finalmente imagino que tenha a sua ideia de como proceder e você deve ter bastante experiência então,como você faria essa missão?
E principalmente quais são seus suspeitos ,creio que você tenha pelo menos alguns em mente e gostaria de ouvir.
(Existe uma outra opção.Ele deve ter no mínimo um nome que estivesse interessado nessas armas.e pode ser um nome que exija um poder de fogo alto mas não facilmente detectável....alguém como eu.


Depois das explicações ouvidas com atenção leonid se volta para o homem.

Estrela vermelha-Bem camarada sacha,só nos resta saber quando e como eu irei....não posso deixar tal ameaça sem investigação e o senhor sabia muito bem disso quando veio a mim,não.
(Confiar cegamente não é uma opção,mas anna também era muito misteriosa e ainda sim foi uma grande aliada.
Além disso não menti,esse é um risco que não posso deixar a rússia correr.)




NOTA=estou testando,tentei incluir pensamentos em verde,vamo ver se da certo...eu prefiro só narração e falas mas.....
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1381
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Leo Rocha em Dom Mar 24, 2013 5:24 pm

Analisando o conteúdo do envelope, Leonid observa plantas da instalação com códigos de segurança para acesso a todos os níveis. Havia ali fotos de satélite da área, indicando a extensão da instalação, que se situava nos subterrâneos da cidade. Ele observa que o local possui segurança de nível médio e que talvez isso se deva ao fato de se localizar numa zona ainda contaminada com resíduos do vazamento nuclear. Também conta com o fato de ser uma instalação discreta e aparentemente pouco conhecida. Foi pensada basicamente como um centro de pesquisas, porém, também andou servindo ao longo dos anos como depósito e ponto de eliminação de materiais especiais, como as armaduras dos sovietes supremos.
Na planta da instalação tem um local marcado com um círculo vermelho e indicado como "descarte". Outro mais a frente identificado como "alojamento" e um terceiro como "pesquisa 1". Pela forma como foram marcados, esses locais parecem os mais importantes da instalação.
Ele observa com atenção e percebe que o padrão dos documentos é exatamente o mesmo dos documentos emitidos pelo departamento de defesa russo. Sendo as fotos de satélite provenientes da rede de satélites russa.
Após a análise dos documentos, Ele se vira para Sacha e começa a perguntar alguns detalhes sobre a operação:

Arrow Pois bem sacha,o governo sabe dessa missão,se sim quanto dele? Podemos esperar apoio ou pelo menos uma "vista grossa"?

Arrow Camarada, uma parte do governo sabe sobre o que está havendo. Essa parte fará vista grossa ao que acontecer em Chernobyl, mas, assim como nos filmes de espionagem que os americanos tanto gostam de fazer, se você for pego de alguma forma, não poderemos ligar essa ação a essas pessoas. Ou seja, você estará por conta própria até que se avalie que possamos fazer algo com segurança.

Arrow O que pode dizer dos responsáveis oficiais da instalação antes da queda de comunicação? Quem eram as pessoas em quem você confiava lá e como posso encontra-las?...Se estiverem vivas claro.

Arrow O responsável técnico se chama Dimitry Neverenko. Ele é o encarregado de toda a pesquisa realizada na instalação e também dos processos de descarte que ocorrem lá. Ele é bastante metódico e possui formação em física nuclear. Semanalmente encaminhava relatórios para seus superiores com os avanços referentes às pesquisas, no entanto o desta semana veio peculiarmente diferente. O relatório chegou com um dia de atraso e com informações muito similares ao último relatório. Neverenko não gosta de se repetir e jamais mandaria um relatório sem novas informações. Seu braço direito é a Dra. Elissa Zabukto. Ela tem sido uma grande colabora nossa e tem sido nossos olhos e ouvidos na instalação. Também não conseguimos contato com ela há dias. O terceiro nome que você precisa gravar é o agente responsável pela segurança da instalação. O agente Górki Koroleiko é um dos remanescentes da KGB. Sério e bem concentrado. Esse homem já fez coisas impensáveis por esse país. Acabou aceitando o cargo devido o desejo de se manter em ação. Ele preferiria estar trabalhando ativamente nas ruas, mas nos tempos atuais, isso seria um problema... Afinal, Koroleiko é uma relíquia de um tempo que muitos tentam deixar pra trás. Eu particularmente o acho bem competente e dedicado, mesmo com essa história.

Arrow Você espera abordagem direta ou infiltração e reconhecimento? Terei uma equipe de apoio ou estarei só?

Arrow Você irá só. Eu recomendo que avalie a melhor opção ao chegar ao local. A cidade inteira é uma armadilha. Então acho que qualquer abordagem que seja escolhida, lhe exporá no momento que puser os pés lá. Você levará um comunicador para mantermos contato. Caso passemos mais de 3 horas sem comunicações suas, vamos considerar o fracasso da missão e tomar outras medidas.

Arrow Quais são os pontos de fuga? E o objetivo é desmantelar a base caso tenha sido tomada por forças hostis ou mesmo nessa hipótese só trazer as informações?

Arrow Se a base for comprometida, o desmantelamento é necessário. As pesquisas realizadas lá não devem ser expostas ou reproduzidas. Seu ponto de fuga será pela cidade vizinha: Prypiat. Você será recolhido lá às 06h, horário local.

Arrow Tenho adquirido ao longo dos anos familiaridade com tecnologia em especial alienígena,mas bem sabe que não sou um hacker ou coisa assim. Assim como tenho conhecimento de tática e manobras mas não sou um espião. Acredito que esteja ciente disso.

Arrow Estamos cientes disso e não pediremos mais do que sabemos que você pode realizar, camarada. Esteja certo disso.

Arrow E finalmente imagino que tenha a sua ideia de como proceder e você deve ter bastante experiência então,como você faria essa missão? E principalmente quais são seus suspeitos ,creio que você tenha pelo menos alguns em mente e gostaria de ouvir.

Arrow Acreditamos que há um grupo organizado preparando uma nova ofensiva aos grupos de metahumanos organizados. O ataque ao Superman tornou mais fortes estas suspeitas. Se isso envolve atividade metahumana, o mais indicado é que contemos com força metahumana aliada a experiência militar e comprometimento com o bem estar de todos. Isso nós encontramos em você, camarada.

Arrow Bem camarada sacha,só nos resta saber quando e como eu irei....não posso deixar tal ameaça sem investigação e o senhor sabia muito bem disso quando veio a mim,não.

Arrow Folgo em ouvir isso! Não esqueça que a instalação deveria conter cerca de 30 pessoas trabalhando lá. Desses 15 são da equipe de segurança. Você irá descer na próxima parada e de lá será levado para o helicóptero que o deixará em Prypiat. Boa sorte, meu caro! Espero revê-lo depois desta missão.

Ele se levanta e segue até sair do vagão. O trem para na estação seguinte e Leonid desce. Rapidamente um homem o aborda, conduzindo-o até um carro. Em pouco menos de 30 minutos, ele já descia no ponto de extração e começa a ação de invasão a Chernobyl.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4171
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Ricardo Sato em Dom Mar 24, 2013 10:15 pm

Se aproximando da cidade o mais sutilmente possível, Leonid decide primeiro esperar e observar,mantem contato em espaços irregulares e o mais sucintamente possível para evitar detecção na comunicação mas manter-se dentro do prazo de 3 horas.
Impressionante o poder do átomo,tantos anos e ainda a tanto a se consertar....ruínas como a cidade cientifica.

Enquanto observa,seu objetivo é verificar qualquer movimento suspeito que possa estar ocorrendo em desacordo com as rotas de transporte
e guarda definidas para a base.
E verificar a presença de estranhos.
Se fortificar nessa instalação não deve ser o objetivo,a não ser que possuam apoio governamental enorme,eles devem estar criando rotas para transporte das armas.

Durante esse tempo Estrela foca-se também em memorizar os rostos mais importantes do arquivo,responsável técnico Dimitry Neverenko,
braço direito Dra. Elissa Zabukto,agente Górki Koroleiko,tomando cuidado com detalhes pequenos que poderiam ser esquecidos por um impostor mais apressado,e também de alguns funcionários menores que poderiam ser usados em alguma mentira improvisada.
Todos podem ser de grande ajuda mas não podemos descartar traições,ficarei atento a todos,eles podem tentar me alertar sobre os outros,ou serem eles mesmos um perigo.

Além disso pondera as implicações de um grupo anti-metas atuar na rússia,local onde a famigerada milícia dos meta homens luta pelo oposto,a liberdade de metas não afiliados ao governo atuarem.
Apesar de ser mera desculpa para terrorismo.
-Claro...claro,explodir crianças em escolas realmente vai provar algo seus проклятие,provar que vocês so merecem queimar por isso.

Se lembrando deles Leonid toma outra atitude,com pedaços de metal jogados pela região ele molda sob as roupas algo como partes de armadura,
não por proteção mas para poder ser confundido com um remanescente dos "cyborgs" os meta homens criados na cidade científica a tantos anos.


Poderia usar seus poderes em disfarce,principalmente se evitasse os mais icônicos e se foca-se em sua força e resistência,o disfarce era o próximo,ele tentaria conseguir algum uniforme em algum posto de segurança ou base abandonada da cidade em especial algo para sua face,mas já que os uniformes russos costumam ter boinas além das proteções anti radiação isso seria fácil.

Depois era só se infiltrar na base com seus códigos,mas além dos objetivos primários ele tentaria definir onde prisioneiros poderiam ser mantidos,
com certeza essa seria uma de suas paradas(embora acreditasse que o próprio alojamento era o confinamento,pela presença nos pontos vermelhos).

-Se nada desse errado a ordem deveria ser pesquisa (eliminação de documentos poderia ser mais discreto).

Alojamento/prisão pela possível ajuda dos cientistas e seguranças.

E finalmente o 'descarte' afinal se tudo desse errado ou se não se pudesse recuperar a base ele tinha mais uma opção, que abominava mas faria se necessário,mesmo que significasse mais um baque em chernobyl.

Detonar a base junto com as armaduras ele sobreviveria mas seria melhor que os civis já estivessem longe....talvez fosse melhor o resgate primeiro,mas servir de babá enquanto entra na sala de pesquisa poderia ser um desastre.

Decisões,desejava mais tempo para faze-las.....seriam os funcionários primeiro, afinal eles teriam mais informações.

Sem mais tempo a perder,só posso contar comigo agora.......não é nada diferente de qualquer outro dia.
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1381
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Leo Rocha em Dom Mar 31, 2013 12:51 pm

Estrela vermelha:

Leonid seguia disfarçado pela deserta cidade. Ele anda sem maiores problemas e consegue chegar à instalação sem dificuldade. No entanto, ao se aproximar da instalação, percebe que as defesas militares foram desativadas. Ele consegue perceber alguns veículos militares vazios nas proximidades e pressente que algo muito errado estava acontecendo. Ele sente em seu âmago que não deveria ser tão fácil se aproximar de uma instalação como aquela, porém, se as coisas estavam acontecendo assim, era porque sua missão talvez estivesse em um estágio mais difícil do que pensava... Havia duas opções: ou os terroristas já haviam conseguido o que queriam e tinham partido, ou eles estavam preparando algo muito pior naquele local...
Usando os códigos, Leonid adentra o local com cautela e observa que não há nenhum sinal de seus ocupantes. A instalação parece deserta e os equipamentos parecem estar funcionando em modo automático.
Seguindo seu plano original, Leonid ruma em direção ao laboratório, onde consegue finalmente ver quem seriam os responsáveis pela tomada do local:


Martelo
O metahumano dotado de superforça e ataques energéticos



Foice - Perita em armas e com grande agilidade

A presença destes dois, dizia a Leonid que os remanescentes do grupo auto-intitulado Heróis do povo estava no comando daquele ataque. Mas quais seriam suas motivações. Ele observa com cuidado os dois discutindo:

Arrow Eu não entendo, Boris. A nossa missão era impedir a destruição das armaduras e levá-las para o comprador. Nós fizemos isso! Porque não demos o trabalho como concluído?

Arrow Esta nunca foi nossa única missão aqui, Natasha. Nosso cliente solicitou também que decodificássemos os dados das pesquisas realizadas aqui e as gravássemos para ele antes que percebam a tomada da instalação e tomem as medidas de praxe. Enquanto o comboio levou as armaduras, nós ficamos com a missão de fechar as pesquisas aqui e levar o máximo possível delas. Compreendeu nossa função aqui?

Arrow Por mim, pegaríamos os reféns e torturaríamos até que nos dessem as informações.

Arrow E aí eles nos dariam um código que avisaria Moscou de nossa presença... Tenha paciência, minha boneca. Estamos próximos de terminar... Porém, o que me intriga é o desaparecimento de uma das armaduras. Espero que não haja ninguém tentando bancar o herói nesta instalação...

Arrow Se tiver, será um herói morto... Como estão os outros?

Arrow Você fala como se fosse possível considerar os meta-homens como parte de nossa equipe... Eles são massa de manobra. Assim que acabarmos com o que viemos fazer, eles queimarão com a estação. Mas antes...

Ele ativa um comunicador:

Arrow Atenção Meta-Homens! Localizem rápido a armadura desaparecida. Temos pouco tempo antes de estourarmos o prazo.


Quando desliga, ele vira para sua companheira e diz:

Arrow Que saudade de Pravda. Se ela estivesse aqui, seu poder seria muito útil. Mas vamos terminar aqui. Eu enviei um grupo dos Meta-Homens para verificar quem falta entre os prisioneiros. Assim saberemos quem procurar especificamente.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4171
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Ricardo Sato em Dom Mar 31, 2013 7:45 pm

Leonid se mantém oculto,ativa seu comunicador para transmitir a conversa entre foice e martelo para seus aliados e sussura pedindo para os homens de sacha atrasarem se pudessem o comboio ou pelo menos localizarem-no via satélite.

Depois ele observa a sala com cuidado buscando encontrar as máquinas que trabalhavam decodificando a pesquisa.

Já havia enfrentado esses inimigos antes portanto manteria o rosto bem escondido.

Suas primeiras ações seriam o arremesso de pesados objetos sobre foice e sobre os computadores,tentando usar o fator surpresa para impedir que qualquer um dos dois pudesse fugir levando os dados durante o combate.
E também para tirar a mulher da equação,com força e rajadas energéticas poderia lidar,principalmente se martelo não soubesse de sua identidade e achasse que seus poderes seriam 100% eficientes.

Foice seria um problema principalmente porque,mesmo podendo facilmente acompanhar sua velocidade ele não sabia que armas estavam a sua disposição.

Com sorte seria confundido com o fugitivo e subestimado .

Não tinha tempo para perder ,teria de derrotar os criminosos e seus lacaios,parar o comboio e resgatar os reféns.
As coisas não estavam fáceis,mas já estiveram piores.

Seguindo para a ação ele surge arremessando partes da estrutura sobre seus alvos iniciais e forçando a voz para não ser reconhecido diz=

-TRAÍDORES DA NAÇÃO ,VENDIDOS E CANALHAS.O ÚNICO SANGUE DERRAMADO HOJE SERÁ O SEU.

Se tudo desse certo só teria que cuidar rapidamente de martelo e continuar a missão.
Os dados foram lançados, era hora da estrela de Leonid subir aos céus mais uma vez.

avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1381
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Convidado em Qui Abr 04, 2013 4:31 am

Foi a segunda vez que Olliver Queen foi resgatado em minutos.
Deixando de lado a fúria e a vontade de descontar nos guardas, o Arqueiro pôde ver com clareza o ambiente. Tudo que ele via era caos.

Um velocista parecia dizimar os prisioneiros que tentavam escapar e agora estaria visando o grupo de americanos. Ollie chegou até o homem que havia atirado em um dos seus adversário e colocou a mão no ombro dele.

Arqueiro Verde:
Como posso ajudar?

Apesar de determinado e bem equipado, Ollie realmente acreditava que em grupo sua chance seria exponencialmente maior. Estava disposto a ouvir rapidamente o que o homem precisava e colaborar. Porém, já tinha um plano dele mesmo, caso o homem recusasse sua ajuda como a criatura que o libertou da cela: obviamente, o adversário mais perigoso do momento era o velocista.

Caso ficasse por si só, Ollie ficaria perto de um dos prisioneiros que tentasse fugir, para saber mais ou menos onde o velocista atacaria. A partir daí, ele tentaria jogar um cassetete de uma forma que fizesse o velocista não ter muita opção de movimento. A partir daí, tentaria advinhar o caminho tomado pelo velocista e atacar com o outro cassetete, pegando-o de surpresa. Um plano improvisado e não muito garantido, mas que com melhor preparação e condições com certeza daria certo. Isso ele aprendeu com a convivência com Barry e Slade.

Havia algo em Ollie que o fazia ter gosto em desafiar adversários claramente mais poderosos que ele. Foi o que o levou pra prisão e o risco dele se meter em encrenca novamente era grande. Mas havia algo nele ousado, sem medo, qualidade que ele nunca entendeu se aprendeu ou ensinou a Hal.

Sempre que pensava nisso, Olliver gostava de pensar que ele tinha ensinado.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Leo Rocha em Sex Abr 05, 2013 5:48 pm

Estrela vermelha:

Leonid ativa o comunicador e em resposta escuta a voz de Sacha dizer:

Arrow Manteremos o cronograma, camarada. Mas vou tentar enviar uma tropa para interceptar o comboio. Boa sorte!

Após ouvir a fala do contato misterioso, ele partirá para a ação. Atacando o casal de mercenários com rapidez e violência. Ele arremessa equipamentos pesados que encontrou no lugar contra o casal e os computadores da sala. Sua ação possibilita a quebra de alguns dos monitores e aparelhos da sala. Duas peças pesadas acertam Martelo que se colocara na frente de Foice quando percebeu o ataque. De trás dele, a mulher começa a disparar lasers com uma pistola que sacara e energiza o instrumento em sua mão que lhe valeu o codinome.
Ela então grita:

Arrow Não há o que ser traído! Na verdade, nós estamos fazendo a nossa parte para retomar a grandeza da nação soviética! Agora, reconheça isso ou morra!

Ela disparava com habilidade impar, mirando na direção de Leonid. Alguns disparos acertaram a blindagem que ele usava e faziam um estrago nela. Ao mesmo tempo, Martelo se lançava num ataque corporal com o invasor.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4171
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Leo Rocha em Sex Abr 05, 2013 6:20 pm

Arqueiro verde:

Ollie se aproxima do atirador, mas o homem apenas aponta para que ele siga na direção da porta. Se conhecesse seu "salvador", Ollie saberia que o agente Zero nunca fala, no entanto, como não o conhece, toma a ação como mais um momento de descredito à sua perícia. Decidido a provar que pode contribuir com o grupo, ele resolve deter o letal velocista. Tentando voltar a estratégia do oponente contra ele mesmo, Ollie fica no meio dos fugitivos e, ao ver o velocista se aproximando, lança o cassetete em seu caminho. Ele sabia que precisaria ser perfeito em sua ação e, por este motivo, usou o máximo de sua concentração e habilidade.
No momento em que o velocista desviou, ele acertou seu rosto com o cassetete. O velocista caiu espraguejando com raiva por ter sido derrotado pelo prisioneiro comum que se colocava à sua frente. Um tiro no peito o silenciou.
Ao olhar para a origem ele vê Snow Blow que diz:

Arrow Boa jogada! Essa vai valer uma carona pra casa. Vem com a gente!

Usando o corpo do gigante coreano, Duplo Ataque abre um buraco na parede. Bem no momento em que uma pequena nave se coloca na frente do local. Confessor grita:

Arrow Vamos! Estamos em cima do tempo.

O grupo salta para a nave, no exato momento em que Adão Negro dá o ultimato ao Superman e esse ouve o sinal do foguete disparado, saindo em alta velocidade da Coréia do Norte e fazendo com que Adão Negro e seus companheiros o persigam. Porém, Ollie não saberia nada disso até encontrar com seus amigos na América, se os encontrasse...

Na nave, ele percebe que uma pessoa vestindo um traje tecnológico se aproxima. A pessoa se identifica como Spyware e diz que tem como missão levá-los de volta à base. É nesse momento que Spyware diz:

Arrow Peraí! Tem uma pessoa a mais aqui! Quem é esse cara?

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4171
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

entre a foice e o martelo,sem zelo,desespero.

Mensagem  Ricardo Sato em Sab Abr 06, 2013 6:54 pm

As coisas poderiam se complicar mas a surpresa ainda poderia ser sua arma final.

Mantendo-se oculto sob a mascara do uniforme ,Leonid avança e começa uma troca de golpes com martelo,mantém um ritmo que foice possa se acostumar porém sempre guiando o combate de forma a martelo servir de cobertura contra a mulher.

Cedo ou tarde ela tentará usar de sua agilidade para ganhar vantagem e atacar pelo outro lado após uma manobra eficiente.

Nesse momento Leonid usaria de uma agilidade que a mulher não poderia esperar de seu alvo,com um giro de corpo tomaria as costas de boris e o colocaria no caminho do golpe de sua mulher,ele ferido e os dois pasmos pelo acontecido seriam atrasados em suas reações.

Aproveitando-se da posição Leonid aplicaria um golpe tão famoso na luta livre russa que seria eternizado até em jogos eletrônicos,impulsionando o oponente pela cintura e arremessando seu peso para trás ele chocaria a cabeça de boris com toda sua força e todo o peso dele contra o chão.

Como um bônus o corpo do inimigo seria um escudo contra natasha , logo ela veria Leonid jogar o corpo do companheiro para o lado para se levantar,ele teoricamente vulnerável e ela tomada pela fúria, era quase certo que ela tentaria um golpe final.

O melhor ataque seria por cima e a melhor forma de aplicar toda força para atravessar a blindagem que ela sabia que o oponente tinha e evitar um golpe por baixo seria saltar para estocar,nessa hora ela ouviria uma voz que talvez reconheceria,pelo menos teria uma chace de reconhecer se a poderosa rajada de energia não tirasse sua consciência logo após choca-la com tremenda força contra a parede.

Arrow Dusvidanya camarada natasha,novamente suas ações equivocadas colocam a nação em perigo e seu destino em cheque ,deixe de ser uma marionete,corte suas próprias cordas antes que seja tarde.

Se as coisas não dessem certo ele prosseguiria a luta e se ficasse sem opção detonaria a sala sem deixar brechas para que os inimigos se evadissem.

De qualquer forma na primeira oportunidade mesmo que em combate, se possível ele pediria mais uma coisa a seus aliados distantes com um sussuro.

Arrow Camaradas preciso da gravação da conversa deles ecoando pelos auto falantes da base assim que eu der um sinal.
usem a parte em que eles dizem o futuro dos seus homens....


Em sua mente as palavras ecoavam...." Se tiver, será um herói morto... Como estão os outros?

Você fala como se fosse possível considerar os meta-homens como parte de nossa equipe... Eles são massa de manobra. Assim que acabarmos com o que viemos fazer, eles queimarão com a estação. Mas antes... ".

Ele esperava que isso o poupasse de uns bons combates e facilitasse o resgate dos reféns,se possível também aceleraria sua ida atrás do comboio.
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1381
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Convidado em Seg Abr 08, 2013 11:59 pm

Dentro da nave, Ollie sentiu toda a dor e o cansaço bater de uma só vez quando ele relaxou por um momento. Logo em seguida, voltou a levantar a guarda, mas não podia conter uma alegria eufórica: estava afinal fora da prisão! Agora precisava voltar para a América e reencontrar a Liga, mas no momento, ele se permitiria comemorar mentalmente uma pequena vitória.

Ollie olhou para os lados e foi falar com o chamado Snow Blow, estendendo a mão.

Arqueiro Verde: Obrigado por me levarem com vocês. Como te chamam? Prazer... sou Ronnie.


**Ronnie. Não se lembrava direito,mas esperava que fosse esse o seu nome backup. Apesar de não andar muito feliz com o Batman, Ollie sempre adimirou o trabalho de proteção e contingências do morcego. Bruce mantinha identidades e documentos falsos para que os membros da Liga pudessem trabalhar disfarçados ou tivessem que despistar alguma suspeita. A única coisa que o Arqueiro não sabia é se, sem ter avisado o Batman antes, sua identidade falsa funcionaria caso eles decidissem conferir os arquivos. Também não sabia como andava a situação do resto da Liga, então torceu para que fosse o caso e estivesse coberto, mesmo longe deles.

Enquanto se apresentava, o homem que se identificou como Spyware entrou na sala.

Spyware: Peraí! Tem uma pessoa a mais aqui! Quem é esse cara?

Ollie engoliu uma vez em seco. Armou uma pequena contingência em respeito, sutil o bastante para ser respeitosa mas não exagerada o bastante para parecer formal demais. Ensaiou rapidamente um discurso... ah, a autoridade.

Arqueiro Verde: Senhor. Me chamam de Ronnie e era um prisioneiro lá. Agradeço por terem me tirado de lá, mesmo não sendo seu principal objetivo. Diga como posso agradecer.

Um pouco tenso, Ollie lançou um olhar para Snow Blow, como se esperando que o atirador confirmasse a história e o valor do penetra. Desviou o olhar antes que parecesse suplicante demais.


-----


**Obviamente, aqui eu tomei uma boa liberdade ao imaginar uma precaução que Bruce tomaria para situações de perigo a identidade como essa. Caso a liberdade tenha sido demais ou mesmo atrapalhe o fluxo da história, peço para que simplesmente desconsidere esse parágrafo e Oliver simplesmente mentiu para proteger sua identidade, estando em uma posição duvidosa, acreditando que comprariam seu blefe. Se em uma próxima situação assim, for melhor em vez de colocar aqui uma observação, eu te contatar por PM, também me avise para eu adotar o método que for melhor para você, narrador, e para a história como um todo. See ya (:

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Leo Rocha em Ter Abr 09, 2013 6:31 pm

Arqueiro Verde:

Snow Blow olha para o prisioneiro à sua frente e para Spyware, dizendo em seguida:

Arrow Esse cara ajudou na fuga. Era mais um ferrado lá dentro. Não sei quem é e nem porque estava lá, mas conseguiu derrubar o filho da mãe que matou o Alvo Humano.

Shadow Leg deu um sorriso nesse momento e disse:

Arrow Não que isso seja uma coisa ruim. Eu mesmo ia matar o bucha do Alvo Humano se ninguém fizesse isso antes. Mas realmente o cara ajudou na fuga.

O Confessor então se pronuncia:

Arrow Ele sobreviveu aos seus pecados. Merece a liberdade.

Spyware então diz:

Arrow Só que não tem lugar pra ele aonde a gente está indo. Ele desce na fronteira e é o máximo que podemos fazer. Giovani me mataria se chegasse lá com um cachorro perdido. A Waller mais ainda! Se ela souber de tudo que rolou lá na Coréia...

A viagem segue com a equipe tentando se recuperar do tempo de prisão e da fuga. Em poucos minutos, eles se aproximam da fronteira e Duplo Ataque se aproxima de Ollie dizendo:

Arrow Como você ajudou a gente, toma esse rádio pra tentar contatar alguém e esse paraquedas. Se você é tão bom quanto parece, vai se virar bem com isso. Boa sorte.

A porta se abre e o arqueiro salta. Na fronteira entre as Coréias ele desce e se acomoda para passar a noite. Na no final da tarde seguinte, ele avista um jato que passa deixando três paraquedistas em modo furtivo. Ele teria que decidir se tentaria contato, os ignoraria ou seguiria para descobrir seu destino.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4171
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Leo Rocha em Ter Abr 09, 2013 7:12 pm

Estrela Vermelha:

As trocas de murros entre Estrela Vermelha e Martelo ecoam por todo o ambiente. Um golpe dado com o martelo no rosto de Leonid faz com que o elmo que protegia sua identidade voasse, junto com um pouco de sangue que escorria por sua boca. O herói aproveita a surpresa do Martelo em ver quem era seu oponente e acerta um murro em seu rosto, seguido do legendário golpe russo. O vilão amolece o corpo após bater com a cabeça no chão, sinalizando que havia perdido a luta.
Foice, que durante a luta tentara alguns disparos. Não havia conseguido atingir Leonid por conta da proximidade entre ele e Bóris. No entanto, ao ver o esposo tombar, não se conteve mais, empreendendo um ataque feroz ao herói. No entanto, antes que ela o alcançasse, um raio a atinge, derrubando-a.

Arrow Você é o Estrela Vermelha? Bom vê-lo por aqui! Meu nome é Gavin! E parece que sou o único que se encontra em condições de lutar por enquanto! Eu estava tentando achar uma maneira de impedir que eles conseguissem levar os dados da estação quando vi vocês lutando. Como não havia reconhecido você, esperei até saber se era alguém do bem ou não. E então qual o plano para nos tirar daqui?

Os dois escutam ao mesmo tempo o som de passos. Provavelmente, a gravação solicitada por Leonid foi veiculada, porém parecia ter atraído os meta-homens presentes para aquele ponto da instalação. O relógio corria e os meta-homens mais ainda...


_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4171
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Prólogo 1: Incidentes

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum