Retroceder nunca, render-se jamais!

Página 2 de 8 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Administrador em Qui Out 06, 2011 3:18 pm

Eu aperfeiçoava a minha mira no campo de treinamento da resistência quando o Tenente Alvarez me informou que os aliens capturaram alguns de nossos colegas. Então o Tenente Alvarez selecionou alguns homens para a equipe de resgate e me pediu para tomar conta do esconderijo na sua ausência. Mas para ser sincero, eu não gostei dessa ordem. Por um lado, Tenente Alvarez me deixou responsável pelo acampamento, mas por outro lado, me considerou vulnerável demais para fazer parte de uma missão tão arriscada.
Mais uma vez, eu fui subestimado. Mas eu acatei as ordens do Tenente Alvarez apesar de estar descontente. Para a minha surpresa, Zareb apareceu logo depois com novas informações. Ele disse que detectou uma divindade na área de Manhattan. Aquela era uma oportunidade única de obter a primeira parcela das dádivas de Shazam. Eu teria que ir para Manhattan de qualquer jeito. Por sorte, Manhattan era o destino do Tenente Alvarez. Então eu solicitei a permissão do Tenente Alvarez para acompanhar sua comitiva. Ele discordou do meu pedido, mas eu fui insistente. Percebendo que eu não desistiria, ele me disse para me preparar rapidamente para a viagem, pois ele tinha a intenção de partir imediatamente. Então eu evitei despedidas e fui embora sem falar com Shareena.
Shareena foi a melhor coisa que me aconteceu em muito tempo, mas ela não sabe que eu fui um super-herói. Por enquanto, é melhor omitir a verdade. Na verdade, eu tenho medo que ela me abandone se descobrir tudo. Eu não sei se ela aceitaria o indivíduo que eu preciso me tornar para salvar o mundo. Shareena é diferente de Mary ou Mia. Foi como o rapaz manco e perdido que eu conquistei o coração de Shareena. Eu chamei a atenção de Mary quando era o atleta popular do Colégio Fawcett. Por sua vez, Mia foi conquistada pelo Capitão Marvel Júnior, não por Freedy Freeman. Mas eu não sou mais um atleta e também não sou mais o Capitão Marvel Júnior. Agora sou apenas Freddy Freeman. Isso basta para Shareena. Mas como ela vai me enxergar se eu passar nos Desafios de Shazam?
De qualquer modo, é cedo para pensar nisso. Um passo de cada vez. Um manco como eu não tem condições de antecipar longas jornadas. Agora é importante que eu me concentre no meu objetivo. Mas eu precisarei do auxílio de Zareb. Ele é meu guia místico, por assim dizer. Então eu solicitei a companhia de Zareb ao Tenente Alvarez. Aparentemente, ele não gostou da presença de Zareb. Mas embora ele tenha meu respeito, o Tenente Alvarez ainda é uma incógnita para mim. Sem mais entraves, nós fomos para Manhattan, mas só os deuses são capazes de prever os perigos que aquela ilha reserva para nós. Apesar de minhas limitações, farei tudo ao meu alcance para não decepcionar aqueles que contam comigo.

Administrador
Administrador
Administrador

Número de Mensagens : 4029
Idade : 34
Data de inscrição : 10/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Convidad em Qui Out 06, 2011 10:49 pm

Ver as pessoas presas como animais...
Eles tinham uma missão e ele sabia disso. Virgil tenta não pensar nisso. Ele não é esquentado ou abalado e passaram por muita coisa pra conseguir discrição. Atacar o campo apenas pode alertar da presença de meta-humanos indo em direção a Gotham. Mas são pessoas...
Olhar nos olhos de Columba mostra claramente, ela não vai prosseguir. Puff seria capaz de ir, mas Raio de Fogo é esquentado e não é mais o mesmo, a chance de fritar aliens incendeia seus cabelos. A verdade, é que precisam de um plano, um como os muitos com os quais os metas de Dakota fazem seu trabalho...
Super-Choque: -Canalhas... Ok, pessoal. Pausa. Eu entendi. Não dá pra ignorar essa gente, mesmo que nos atrasem. Não sabemos de onde vieram essas pessoas, se há mais delas, nem qual vai ser o destino deles aqui. Seríamos responsáveis se fossemos embora sem eles. Então... eu tenho um plano...!
Virgil olha para todos e continua, ilustrando com uma leve fagulha no ar.
Super-Choque: -Puff... eu sei que já te impedi antes, mas... consegue simular Zyklon-B? Se sim, quero que assuma a forma do gás, mas evite os humanos, como é apenas você e não o ar, que se restrinja a répteis com seu controle. É, quero Zyklon-B, o gás letal dos campos do Hitler. A inspiração exige isso... Começa pelas guaritas e avança para o meio, sem dar tempo deles notarem, se mova o mais rápido que puder! Sem piedade, precisamos das pessoas vivas.
Enquanto eu cerco esse lugar com uma rede estática pra essas lagartixas não se comunicarem e terem estática o bastante nos equipamentos... hmm... Pombinha, você falou em paz... entende de luzes? Se sim, quero um show delas distraindo os soldados no meio, antes que corram até algum posto assim que os guardas da guarita começarem a andar, pra dar tempo pra Puff alcança-los. Raio de Fogo, derrete as celas e as aberturas pros equipamentos. Quando todos forem salvos, Pombinha, evacua as pessoas! Sobe com elas pra cá. Puff, assim que as pessoas saírem, quero que controle o máximo de oxigênio que puder, como quando você e Coil assaltavam os bancos de Dakota, mas dessa vez, pensa em comprimir muito... e segura até o Francis carregar!
Enquanto isso, Raio de Fogo, tenta concentrar muito fogo... eu vou puxar os equipamentos e armas que eu conseguir localizar com estática pra fora do campo. Pombinha, pede pras pessoas ficarem longe das lagartixas e pegarem o máximo de suprimentos, armas e veículos que encontrarem enquanto saem. Aí, o que tiver de importante nos registros deles, usamos. O que forem armas, passamos pros humanos... e depois que todos saírem, Francis... EXPLODE o fogo concentrado onde a Puff comprimir o oxigênio! De longe, é claro!
Precisamos fazer isso o mais rápido que pudermos, então Pombinha, ajuda os prisioneiros a saírem de lá o mais rápido que puder. Eu dou um jeito na rede aqui de longe pra que nenhum deles consiga se comunicar ou sair.
Todos dentro?


Se de acordo, era hora de esperar Puff fazer sua entrada e erguer a rede. Hoje, mais pessoas serão livres.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Scorpion em Sex Out 07, 2011 2:59 pm

Dagon saía do "covil" como um morcego. A conversa com Luna foi interessante, mas Dagon não tinha mais muito interesse pelos assuntos humanos. David Dagon sentia que estava havendo uma luta pela sobrevivência de 4 raças... deixar seu lado humano falar só o tornava uma presa para os seus inimigos. Então, ele apenas saiu e voou pela cidade. Ele avistou 2 Aracnos em um beco, mas somente depois viu a diminuta criança sendo atacada.
Dagon pousou sobre o telhado, atrás das aranhas. Dagon não usaria sua forma híbrida mais avançada. Estes dois lixos não mereciam todo este esforço.
O vampiro saltou entre as aranhas e o garoto, cortando a teia com suas unhas afiadas, libertando-o. Muito velozmente, Dagon saltou novamente, caindo sobre uma das aranhas, enfiando suas garras em suas costas e puxando como um louco, tentanto arrnacar nacos enormes de carne e ferir a aranha da pior forma possível.

Dagon: Vai ficar aí olhando, moleque? Acho melhor você voltar pro teu bueirinho! Esses aqui não fazem escravos!

Dagon continuou a retalhar as costas da Aranha. Se desse cabo de um, ou se fosse atacado, viraria névoa e se trocaria de oponente.

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2448
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Convidad em Sex Out 07, 2011 5:44 pm

Até agora a jornada havia sido tranquila. Conseguimos passar despercebidos durante todo o percurso. Quanto mais confrontos evitarmos será melhor. Primeiro porque não podemos revelar nossa posição, segundo porque os aliens devem estar atrás de mim por eu ter fugido do laboratório, então se me avistarem, estarei colocando essas pessoas em risco.

Em um momento do voo, nós avistamos o que parece ser um campo de concentração. Pessoas trabalhando como escravas, sofrendo, sendo mutiladas e talvez muito pior. Eu paro. Não posso continuar. Se Super-Choque e os outros quiserem ir, eu não vou os impedir, mas eu ficarei aqui para resgatar essas pessoas.

Virgil percebe que eu parei, e diz que também acha que devemos evacuar o campo. Ele bola um plano. Um ótimo plano. Não há falhas, e parece ser o melhor meio de resgatar essas pessoas. Eu terei que lutar, até mesmo matar, mas não me importo. Talvez esse seja um primeiro passo para um futuro de paz.

Columba:
Estou dentro Super-Choque. Vou evacuar o campo o mais rápido possível para que você não precise manter o campo elétrico por muito e para não chamar a atenção de possíveis campos próximos.

Sendo assim, no momento em que Puff faz a sua parte, simulando o Zyklon-B eu desço e emito luz numa intensidade suficiente para cegar os guardas alienígenas que estão no local. Assim que o gás de Puff faz efeito e Raio de Fogo abre as celas, eu voo pelo local o evacuo todas as pessoas. Eu as guio para o lado de fora do campo, onde Virgil está deixando os equipamentos dos aliens.

Columba:
Vamos pessoal! Me sigam! Nós vamos tirar vocês daqui e levá-los pra um lugar onde têm proteção, comida e abrigo! Rápido! Rápido!

Me certifico de que estão todos fora do campo, numa distância considerável para que não sejam afetados pela explosão. Eu tento acalmá-los e espero Virgil chegar para decidirmos juntos o que fazer em seguida. Acho que esse foi o melhor plano que conseguiríamos. Salvar essas pessoas com certeza foi o certo a fazer.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Gláucio "Speedy" Gonzales em Ter Out 11, 2011 7:21 am


Anarquia: -Eu não sou alguém que veio exaltar os pecados de vocês, eu apenas vim tentar leva-los para outra condição de vida. Se eu for condena-los e apenas o encarcerar por seus erros eu não vou ajuda-los a melhorar. Eu pretendo tirar vocês daqui para que possamos juntos sair para viver nossas vidas. Talvez você possa realmente encontrar um País das Maravilhas se procurar melhor. Eu vou até esse centro infernal, porque preciso de todos vocês e isso incluí o Batman. Ele pode estar ainda preso aqui, mas talvez seja nossa melhor estratégia para sobrevivermos. Irei até a morada do Espantalho e em cinco minutos nós poderemos ir todos juntos.

Eu falei com confiança, aguardando que o Chapeleiro me apoia-se ou tentasse me impedir. Meu objetivo é levar todos eles para treinar e fazer frente a um exército mais poderoso do que nós. Se eu conseguir direcionar a força destrutiva deles contra os répteis tiranos eu poderia finalmente fazer com que eles conseguissem encontrar a paz em seguida em um novo mundo.

Não custa tentar, afinal talvez me considerem mais loucos do que eles por eu estar aqui. Na verdade, eu nunca os considerei como simples exemplos do mal absoluto. Caminho atento em direção às trevas. Espero ser atacado, mas torço para que reconheçam o que eu desejo e preciso.


Anarquia: -Vou até o Espantalho, os conhecimentos dele sobre o medo unidos aos do Batman podem ser úteis.

O Chapeleiro disse que Azrael era pupilo do Morcego, não sei o quanto eles sabem sobre o Cavaleiro das Trevas, mas parecem saber mais do que eu.




_________________
avatar
Gláucio "Speedy" Gonzales

Número de Mensagens : 2626
Idade : 37
Data de inscrição : 19/01/2008

Ver perfil do usuário http://www.gonzalismoveloz.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Phelipe Peregrino em Ter Out 11, 2011 9:08 am

Deu certo! Eu tive que me segurar para não pular de alegria na frente da moça. Era a primeira vez que eu enfrentava criaturas como aquela e eu tinha conseguido. Queria que meu tio Conner estivesse aqui para ver isso!

Ou talvez não! Ainda mais depois que as criaturas mostram que meu plano não deu nada certo. Elas atiram uma teia gozmenta nas minhas mãos e eu não consigo me soltar.

Chris: Moça! - Eu viro para falar tentando parecer o mais tranquilo possível. Meu pai me falou que nós temos a responsabilidade de dar esperança para as pessoas. É por isso que nós devemos estar sempre prontos para ser a esperança. - Vai ficar tudo bem, tá bom? Eu tô aqui para te ajudar! Você precisa se salvar! Procure um lugar para se esconder!

Depois uma das criaturas começa a me puxar, mas eu ainda consigo resistir um pouco, com os dois pés firmes no chão. Logo, elas se lançam ao ataque. E eu uso todas as minhas forças para não ficar com medo ou começar a chorar. Eu tenho uma responsabilidade com as pessoas da Terra.

Eu já estava me preparando para o impacto do ataque das criaturas quando elas interrompem o ataque de maneira repentina. E sinto a força que me puxava em direção às aranhas afrouxar, alguma coisa havia cortado a teia. Não vi bem o quem foi, afinal, era a chance que eu precisava para pensar num plano. Eu uso meu sopro congelante na teia gosmenta nas minhas mãos. Dura e solida, ao invés de molenga e pegajosa, a teia não tem chances contra a força Kryptoniana.

Livre, eu dou uma olhada rápida tentando ver se a moça está segura. E, finalmente, eu vejo o homem que está parado diante de mim, como uma grande sombra. Ele salta em direção das aranhas e começa a atacá-las de maneira até cruel.

Chris: Batman--? - Perguntei confuso.

Dagon: Vai ficar aí olhando, moleque? Acho melhor você voltar pro teu bueirinho! Esses aqui não fazem escravos!

Chris: Tá-tá certo! - Sacudia a cabeça e me levantei pronto para atacar.

Em posição de combate, sinto meus olhos arderem e ficarem incandescentes e atinjo a criatura mais próxima com um ataque certeiro da visão de calor, enquanto avanço contra elas com um salto. Não iria deixar aquele homem falar de mim assim! Tio Conner me dizia que eu não estava pronto, e aquele homem me mandava me esconder! Eu já estava ficando cansado de me tratarem assim.


Última edição por Superman em Ter Out 11, 2011 12:56 pm, editado 1 vez(es)

_________________
avatar
Phelipe Peregrino

Número de Mensagens : 1477
Idade : 28
Data de inscrição : 27/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/phelipe.peregrino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Leo Rocha em Ter Out 11, 2011 12:04 pm

Superchoque & Columba:

Os tempos de guerra mudaram muitas pessoas. Algumas para melhor, outras para pior. No caso de Virgil, a guerra trouxe uma maturidade e liderança que já se encontravam latentes em seus dias mais calmos. Agora ele dava mais uma mostra desta evolução enquanto organizava o plano de tomada do campo.
O plano era complexo e exigia sincronicidade dos presentes. Virgil sabia que podia contar com eles e desta forma resolveram colocar em ação a proposta.
Puff é a primeira a agir e parte na direção das duas primeiras guaritas, derrubando os guardas sem maiores dificuldades. Nesse meio tempo, Virgil já empreeendia o cerco estático à base e Columba promovia o show de luzes. Raio de Fogo estava prestes a entrar quando a tropa que se encontrava no meio do pátio começou a diaparar na direção do grupo.
Ao ver seu amado no meio do fogo cruzado, Puff desceu na direção da tropa, antes de terminar com as duas guaritas restantes. Ela age rápido, tentando acertar o máximo possível de reptilianos, mas a correria que se instaurou entre os humanos presentes no pátio dificulta a ação e ela resolve abandonar a forma totalmente gaseificada e começa a soprar gases corrosivos em alguns dos soldados. Essa nova tática de ataque faz com que seu alcance seja limitado, mas evita que humanos se firam. Ao que parece, ela realmente havia mudado.
RAio de fogo por sua vez, tentava cumprir o plano de libertar o máximo possível de pessoas, enquanto os amigos atacavam.
Columba por sua vez, vendo que os guardas das guaritas restantes ainda não haviam tombado, parte para cima deles, afim de evitar que um dos colegas seja atingido.
Virgil se preparava para usar seus poderes e atrair as armas quando ouviu o urro. Ao olhar para um dos galpões, mais um grupo de 20 soldados saía acompanhado de um dragão que soltava fogo na direção de um grupo de infelizes humanos que escolheram a direção errada pra correr.
A coisa parecia estar se complicando, mas os heróis ainda sentiam que havia luta pela frente.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4164
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Leo Rocha em Ter Out 11, 2011 4:01 pm

Chris e Dagon:

Chris tentava se soltar da teia quando perceber que já não havia uma força a puxando do outro lado. Ele nota então o homem de aspecto vampírico atacando o aracno que antes lhe prendia. O homem atacava com fúria, crueldade e violência. Das poucas histórias que ouvira sobre Gotham, lembrava seu pai e seu tio falarem de um homem que defendia a cidade usando uma roupa de morcego, porém ao chamar pelo nome dele, percebeu que o homem à sua frente era outra pessoa. Mesmo não sabendo quem era o homem que o ajudava, Chris reconheceu ali a oportunidade para conter aqueles dois seres que ameaçavam pessoas inocentes. Ele então dispara, ainda que sem saber direito, um raio de sua visão de calor na direção do aracno que estava livre. A visão atinge o aracno, fazendo-o gritar e dando tempo para que o jovem pulasse em cima do alienígena desferindo socos contra ele. Se Chris fosse um kriptoniano adulto, a criatura já teria sido contida, mas sendo uma criança exposta há pouco tempo aos efeitos de um sol amarelo, seus poderes ainda precisariam de mais tempo para alcançar seu pleno potencial.
A esta altura Dagon dava o último golpe no aracno que ele havia atacado e se volta há tempo de ver o garoto lutando contra a outra criatura. A visão da criança, seus poderes e o uniforme lhe trouxeram a lembrança de heróis que lutaram ao seu lado e de um tempo em que ele acreditou que seria possível fazer a diferença sem apelar para métodos mais extremos. Ele se detém por um instante pensando nesses aspectos enquanto decide o que fará agora com essa criança.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4164
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Leo Rocha em Ter Out 11, 2011 5:23 pm

Capitão Marvel:

A partida do abrigo da resistência é rápida e silenciosa. Freddy e Zareb seguiram com Alvarez e 8 homens até a área do porto, de onde, usando pequenos barcos, conseguiram acessar Manhattan. A tensão era latente e o medo do perigo que os esperava parecia abalar os corações de quase todos os presentes, com excessão de Alvarez que durante toda a viagem instruiu e encorajou os homens.
Ao desembarcarem, o grupo saltou rapidamente e procurou um local para se esconder. Freddy no entanto, teve certa dificuldadee teve que ser ajudado por Frank, um dos homens que estava no acapamento há poucos meses e que, apesar de ser um ótimo atirador, também acumulava a alcunha de grande e arrogante idiota. Após a descida de Freddy, Frank dá um sorriso sarcástico diz:

Arrow Isso aqui não é excurssão, perninha! Se não aguenta o tranco, volta pra base e ajuda as garotas a preparar o jantar que quando eu chegar te conto como foi matar alguns aliens daqueles.

**********************

A caminhada foi complicada em meio aos destroços, mas Freddy usou sua determinação e força pra continuar. Já era noite quando eles avistaram um improvisado acampamento alienígena, onde criaturas com aparência aracnídea guardavam prisioneiros em celas improvisadas. Resolveram levantar um acampamento improvisado para aguardar o amanhecer e finalmente partir para o resgate. Enquanto os homens se preparavam, Alvarez chegou perto de Freddy e Zareb e disse:

Arrow Vocês dois sabem que eu não sou favorável à vinda de vocês nesta missão. Há muito em jogo pra perder tempo com tentativas de reafirmação. Eu preciso saber porque vocês estão aqui. Eu tenho a responsabilidade de levar todos de volta pra casa e não quero que dúvidas, medos ou o que quer que seja atrapalhem a minha missão.

Zareb ensaia dizer algo, mas é interrompido por Alvarez, que continua:

Arrow Eu gosto de vocês dois. Sério, mas não posso me dar ao luxo de falhar com essas pessoas. Vocês tem o que é preciso pra fazer essa missão dar certo?

Ele então olha para Freddy e diz:

Arrow Você conseguiria puxar o gatilho se fosse preciso? Se outra vida dependensse disso? Pois todas as vidas que estão aqui dependem exatamente de você ter a resposta certa pra essa pergunta.

*******************************
Assim que amanhece, o grupo se prepara e investe contra o acampamento. O ataque surpresa garante certa vantagem ao grupo, que pega desprevenida a pequena tropa de aracnos que guardava os prisioneiros. No entanto, eles mal tem tempo pra comemorar, ao avistarem um grupo bem maior de aracnos se aproximando. Eram cerca de 30 deles e junto com o grupo caminhava uma aranha gigante de aspecto selvagem.
Frank se colocou à frente disparando insistentemente contra o monstro, porém, foi engolido pela criatura rapidamente.


Alvarez olhou para Freddy e Zareb e disse:

Arrow Foi pra isso que vocês vieram, não foi? Então vamos ao combate!

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4164
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Leo Rocha em Ter Out 11, 2011 6:12 pm

Anarquia:

Ao ouvir as respostas de Anarquia, o Chapeleiro dá de ombros e diz:

Arrow Pois faça o que melhor lhe apetece, mas iremos embora em 5 minutos, conforme o combinado. Com ou sem você.

Ele então se dirige ao centro do salão e grita para todos os internos ouvirem:

Arrow Aqueles que ainda considerarem a remota possibilidade de voltar nossa loucura contra alvos alienígenas opressores, se preparem pois iremos à terra das novas maravilhas em exatos 5 minutos.

Anarquia segue em direção à escuridão com as palavras do Chapeleiro na cabeça. Ele sentia que só poderia levar sua missão a cabo se resgatasse o Batman, pelo menos o último a assumir este manto. E o faria, mesmo que isso o levasse ao inferno pessoal do Espantalho.
As trevas do lugar refletem as trevas contidas no interior de seus habitantes. Gritos e gemidos podem ser ouvidos ao longe. Ao descer em uma das galerias, Looney ouve um estranho som de mastigação e de gemidos. Ao apurar a visão, ele vê Charaxes abaixado, jantando alguém que parecia ser um dos internos do asilo. O homem gemia já sem forças e em choque pelo trauma de ser devorado vivo. Looney tenta passar despercebido, mas um passo em falso alerta a fera de sua presença.
Reconhecendo o herói de seu último confronto, Charaxes emite um urro e empreende um voa ofensivo na direção de Anarquia.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4164
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Leo Rocha em Ter Out 11, 2011 6:47 pm

Superboy e Robin:

A ação coordenada dos novos melhores do mundo pareceria quase um balé de força e astúcia a quem o visse, não fosse o detalhe de ser um combate mortal com forte poder de decisão no destino da humanidade.
Enquanto Superboy cuidava do lagarto gigante, Robin utilizou sua perícia contra o grupo de reptilianos. Lançando duas bombas de fósforo, Robin consegue cegar temporariamente quase todos os reptilianos, restando apenas dois deles que se protegeram durante a explosão. Ele consegue sem maiores problemas congelar os oponentes que foram cegados e cortar suas gargantas usando a lâmina feita a base de pedaços de Mecanicals.
Um dos reptilianos que conseguiu escapar se investe por trás de Robin, no exato momento em que Superboy o acerta com seu sopro congelante. O último dos invasores foge deixando pra trás os companheiros derrotados.
Robin se vira e diz:

Arrow Eu já tinha o visto.

Arrow Eu sei. É que eu fiquei entediado lá em cima... Vamos atrás do outro?

Arrow Não. Deixe que ele conte a história. O medo sempre é útil. Além disso, temos que ser rápidos e chegar ao ponto antes que eles nos encontrem. Vamos.

Os dois seguem então até o abrigo da resistência, no antigo clube do Pinguim, onde são saudados por Jim Gordon e os demais presentes. Algumas crianças vem para abraçar Conner. Em determinado momento, Gordon diz:

Arrow Acabou a festa pessoal. Agora nós precisamos de um tempo pra conversar.

Os três entram em uma sala, onde o Pinguim já se encontrava sentado. O empresário é o primeiro a falar:

Arrow Então parece que a era heróica está de volta? Então me contem o que vocês heróis tem em mente para a resistência.



_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4164
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Nasinbene em Qua Out 12, 2011 7:45 pm

De fato, os meses não acabaram com a sintonia que Conner e eu temos quando em ação. Eu já havia notado que Conner tinha vencido o Dragão, bem como percebido que estava para ser atacado por dois reptilianos que tinha escapado de meu ataque inicial. Eu já me preparava para agir, quando sinto o frio do sopro congelante de Conner. Realmente, trabalhavamos bem junto. Melhoraria quando eu pusesse a fase dois de meu plano em ação. Depois que Conner o congela, eu o executo rapidamente, deixando claro que poderia ter cuidado dos lagarttos remanescentes:

- Eu já tinha o visto.

Deus. Isso soou muito como Bruce. Às vezes penso que nem mesmo se eu fosse filho biológico de Bruce, como foi o caso do falecido Damian (que Deus o tenha e o Diabo o carregue), eu seria tão parecido. Já Conner tem sua explicação biológica para agir e parecer com Clark. O modo como ele responde, também se assemelha muito ao seu mentor:

-Eu sei. É que eu fiquei entediado lá em cima... Vamos atrás do outro?

- Não. Deixe que ele conte a história. O medo sempre é útil. Além disso, temos que ser rápidos e chegar ao ponto antes que eles nos encontrem. Vamos.

Aprendi com Bruce que muitas vezes para que a esperança floresça no coração dos justos, é preciso plantar a semente do medo no coração daqueles que o merecem. Apesar de alienígenas, os lagartos não estavam isentos do medo. Eles estariam cada vez mais arredios em Gotham. E isso os tornaria presas fáceis. Era hora deles aprenderem que há criaturas mais mortíferas que eles na noite de Gotham...
Depois de um tempo, nos certificando que não estavamos sendo seguidos, rumamos para o antigo Iceberg Lounge. A outrora imponente fachada do estabelecimento do Pinguim jazia em ruínas e era o disfarce perfeito para abrigar a resistência. Eu não gostava de ter que depender de Cobblepot, mas eu precisava de um lugar para abrigar os gothamitas remanescentes. Mas, como se diz: temos que manter os amigos perto, e os inimigos mais perto ainda. Não confio em Cobblepot. Por isso, tomei algumas precauções para evitar que o Pinguim nos entregue aos aliens. Velhos hábitos são difíceis de se mudar, mesmo diante da morte eminente.
Ele está sob forte vigilância, usando os recursos que ainda me restam. Com Gotham em ruínas, não são todos os lugares que precisam ser vigiados. Não é o caso do Iceberg Lounge...
Mal chegamos, e as crianças já correm abraçar Conner. É incrível o poder que aquele símbolo no peito tem. Inspira as pessoas, as fazem ter esperança. Espero que Conner possa arcar com as implicações de ser o maior herói da Terra...
Logo, Jim nos chama para uma reunião a portas fechadas, com o Pinguim. Não sei onde ele ainda consegue aqueles cigarros fedorentos. Talvez tivesse um estoque enorme deles pensado em dias como esse. Maluquice total, se quer saber. Como esperado, ele é o primeiro a falar, questionando dos planos. Tiro meu capuz (afinal, identidades secretas são inúteis agora) e me sento, convidando Conner a fazer o mesmo. Sobre o plano, revelo a Cobblepot apenas a parte que lhe cabe. Afinal, não confio nem um pouco nele...

- Ainda é cedo para dizer que temos uma Era Heróica em mãos, Oswald. Consegui contatar Conner, que era a fase um do meu plano. A fase dois começa agora. Ouvi rumores sobre um outro foco de resistência em Dakota. Pelo que pude averiguar, um de nossos companheiros, Super-Choque está na ativa por lá. Não posso garantir que ainda esteja vivo, pois como sabem na nossa situação atual a informação nova já chega defasada. No entanto, uma certeza nós temos. Captei transmissões recentes de sobreviventes. Há focos de resistência em Los Angeles, NovaYork e outros lugares. Precisamos agora escoar os nossos sobreviventes e prepará-los para lutar em caso de confrontamento. Jim esteve preparando alguns deles, mas o Lounge já está ficando super lotado e nossos recursos não são ilimitados. Jim, você vai liderar um grupo de sobrevivent que vai tentar chegar a Dakota. Leve o máximo que puder garantir a segurança. Oswald, você continua aqui, fazendo o que sempre fez de melhor: receptando e realocando. Sua ajuda é inestimável. Jim terá certa facilidade para chegar a Dakota, pois eu e Conner iremos por outra frente, procurando atriar a atenção, por assim dizer. A fase dois é encontrar os outros heróis. Não tenho tido notícias dos outros Titãs, apenas sabia que Conner tinha sobrevivido e ouvido os rumores sobre Super-Choque. Conner, tem alguma consideração a fazer?

Queria ouvir a opinião de Conner. Era bom ter meu velho amigo novamente comigo. Estava ansioso também para discutir a outra parte do meu plano com ele, longe dos ouvidos do Pinguim...
avatar
Nasinbene

Número de Mensagens : 1288
Data de inscrição : 29/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Administrador em Sab Out 15, 2011 9:56 pm

Mesmo de barco, a viagem para Manhattan foi árdua. O temor de todos era notável. Mas o Tenente Alvarez permaneceu destemido e transmitiu confiança para todos nós. Só que no meu caso, não é tão fácil ser confiante. Não me sinto seguro numa situação de perigo por causa das minhas limitações físicas. Mas eu terei que superar isso se quiser sobreviver. Eu dei minha palavra ao Tenente Alvarez de que faria tudo ao meu alcance para ajudar a resistência. No momento certo, eu não hesitaria em puxar o gatilho.
Em Manhattan, as coisas ficaram ainda mais complicadas. A ilha estava completamente arrasada. Os destroços e as pilhas de ossos tornaram-se obstáculos para a minha caminhada.


Eu fiquei para trás durante todo o percurso, mas desistir nem passou pela minha cabeça. Também não aceitei a ajuda de Zareb para me locomover, pois não queria ser um fardo para ninguém. Para piorar, eu tive que tolerar as provocações de Frank, o novato sabichão do pelotão. Felizmente, não demoramos para localizar o cativeiro de nosso colegas. Eliminamos alguns aracnos que vigiavam o perímetro. Mas logo apareceram mais criaturas, inclusive, uma aranha gigante que parecia estar no comando. Era o momento de pegar em armas.

- Não temos tempo, Zareb! Então usa o seu "vodu" para localizar a divindade que tá escondida na ilha. Eu te darei cobertura. Prefiro morrer em um desafio justo do que virar comida de aranha...

Após o recuo de Zareb, eu procurei um terreno que favorecesse disparos de longa distância. Como eu sou manco, eu deitei para atirar com mais eficiência. Uma vez deitado, eu atirei nos aracnos. Eu concentrei minha mira nos olhos dos aracnos. Diferente dos olhos dos insetos que atuam como lentes compostas, os olhos dos artropódes atuam como lentes únicas. Com tantos olhos, os aracnos estão atentos para tudo que está ao redor deles. Logo imaginei que a melhor maneira de desorientar os aracnos, era atingindo seus olhos.

Fiz essa recomendação aos outros membros do pelotão: - Os olhos! Mirem nos olhos deles!

Com a chegada dos aracnos, não tivemos outra escolha senão batalhar em campo aberto. Apesar da minha jornada para cumprir os desafios de Shazam ser prioritária, eu não iria retroceder. Eu dei minha palavra para o Tenente Alvarez de que lutaria até o fim.


Última edição por Batman em Qua Out 19, 2011 2:35 pm, editado 1 vez(es)

Administrador
Administrador
Administrador

Número de Mensagens : 4029
Idade : 34
Data de inscrição : 10/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Convidad em Ter Out 18, 2011 9:17 pm

Droga, um dragão?! Não podemos perder tempo aqui! Se nos acharem ou se tiverem tempo de receber reforços, nada de pessoas salvas. Eu queria esses dados, mas o jeito vai ser forçar a barra.
Super-Choque: -Pessoal, precisamos de velocidade! Evacuem todos, que eu puxo quem puder! Pombinha, garante que eles não possam ver, depressa! E corre com o Raio de Fogo daí!
Nada de puxar armas, puxo as pessoas! O que vier de equipamento, arma ou informação é lucro, revisamos depois.
Super-Choque: -Puff, Raio de Fogo, AGORA!
É o sinal. Espero que eles explodam tudo! Se sobrar algum inimigo, tentamos parar depois. Pelo menos as pessoas são livres, o campo de concentração vem abaixo e seja lá o que sobrar de pé - SE sobrar de pé - será alvo fácil sem nenhuma parede pra se escorar. Eu já vou poder parar a interferência, então é hora de derrubar o que vier... nem que seja o Tiamat, o Vingador e o Mestre dos Magos Lagartos!

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Convidad em Qua Out 19, 2011 11:03 pm

Eu estou lutando com os reptilianos quando vejo um grupo deles libertando um dragão. Era tudo o que eu queria neste momento. Não há tempo para pensar. Assim que eu vejo a chance, e antes mesmo de Super-Choque mandar, eu levanto voo - o mais baixo possível, mas alto o suficiente pra ter visão de todos os alvos. E com o comando de Virgil, eu crio um clarão - canalizado na direção dos inimigos, incluindo os olhos do dragão -, intenso o suficiente pra cegá-los e confundi-los.

Em seguida, para Raio de Fogo e Puff terminarem suas partes e completarmos o plano, eu me afasto do campo, e voo mais alto para ter uma visão completa do lugar. Agora com certeza ficará mais fácil eliminar os reptilianos restantes.

Ainda não acredito na confusão que o mundo está. Aliás, não consigo para de pensar que um desequilíbrio - a falto dos avatares - causou tudo isso. Mas chega de pensar. Atenção no momento. Vamos ver se está tudo bem com os prisioneiros.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Scorpion em Qui Out 20, 2011 1:17 am

Os dois haviam acabado de derrotar os Arachnos. Dagon utiliza-se de sua agilidade para saltar da visão de calor da criança. Aquilo acabara de ficar bem intrigante. Ele lembrou-se de lutar ao lado do Superboy e de que os poderes do fedelho eram bem parecidos. Além disso, o garoto havia resistido aos Arachnos, coisa que ninguém havia conseguido sem algum tipo de... super poder.
Aquele era um tipo ímpar de aliado,além disso, se ele era mesmo alguma coisa do Superboy, ele era seu amigo. Dagon lembrou-se de que ele e Superboy foram camaradas, então se ajudasse o garoto possivelmente estaria fazendo bem também a Conner. Dagon pousou em frente àcriança.
Dagon: Batman? Não... sou o que sobrou dele. Sou o guardião de Gotham nestes tempos sombrios. Você têm uma habilidade singular, criança. Uma habilidade que só vi em um antigo amigo. Ele era um kryptoniano. Seria você também?
Após as respostas do garoto, Dagon oferece se ajoelha para ficar na altura do garoto.
Dagon: Sei como é difícil estar sozinho em um mundo, onde tudo o que se move é um predador. Eu posso te oferecer abrigo, comida, proteção. Se vier comigo, posso te oferecer muito mais que uma chance de sobrevivência. Posso te dar pelo que lutar. Eu percebi que você ainda é jovem e inexperiente. Eu posso treiná-lo, ensiná-lo e torná-lo esperto. Você escolheu uma péssima hora para nascer, minha criança... mas isso não é culpa sua. O mundo está podre... e nós somos a cura.
David se levanta e põe amigavelmente a mão sobre o ombro da criança.
Dagon: As pessoas me conhecem como Nightrider, mas meus amigos me chamam de Dagon. Você pode me chamar assim por hora. Vamos... temos que achar algo para você comer. A nossa família não tem uma dieta que deve se dar bem com a sua.
Se Chris topasse, Dagon usaria seus sentidos para achar comida de humanos para o garoto e o levaria ao covil. Então, o apresentaria aos outros e deixaria claro que o garoto não deveria ser molestado.

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2448
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Phelipe Peregrino em Sex Out 21, 2011 9:22 am

O homem ficou me observando durante o tempo em que eu lutava contra a aranha. Tentei manter o foco mas, ter alguém me observando era muito chato. Por fim, o monstro não resistiu aos meus golpes combinados com as rajadas da minha visão de calor. Eu admito que aquilo me deixou mais cansado do que eu realmente achei que ficaria. Estava ofegante, na verdade.

"Tio Conner tinha razão." pensei "Eu não estou mesmo pronto para essa guerra... Não! Talvez, se o tio Conner tivesse realmente me ensinado como usar meus poderes ao invés de só ficar tentando me proteger..."

Fui surpreendido com o homem pousando na minha frente. Tinha me esquecido dele por um instante.

Dagon: Batman? Não... sou o que sobrou dele. Sou o guardião de Gotham nestes tempos sombrios. Você têm uma habilidade singular, criança. Uma habilidade que só vi em um antigo amigo. Ele era um kryptoniano. Seria você também?

Respondi que 'sim' sacudindo a cabeça, com medo de falar com aquele homem estranho. Olhei ao redor procurando a mulher que havia sido atacada, querendo saber se ela estava bem e se conseguira encontrar um abrigo. Ele se abaixa e começa a falar, mas eu me distrai procurando pela moça e, quando percebi, tinha perdido metade do que ele tinha dito.

Dagon:[...]O mundo está podre... e nós somos a cura.

Tentei fingir que tinha prestado atenção em tudo... Mas não sei se ele acreditou. Ele se levantou e colocou a mão no meu ombro.

Dagon: As pessoas me conhecem como Nightrider, mas meus amigos me chamam de Dagon. Você pode me chamar assim por hora. Vamos... Temos que achar algo para você comer. A nossa família não tem uma dieta que deve se dar bem com a sua.

Chris: Não se preocupe comigo, sr.Nightrider... - Eu falei, mas minha voz saiu baixinha e até mesmo assustada. - Eu--Nós, Kryptonianos, não precisamos comer ou dormir quando estamos sob o sol amarelo... Foi isso que o meu pai--

Me interrompi de maneira brusca. Eu mal conhecia aquele homem e já ia falar sobre minha vida com meu pai, Kal-El. Mesmo com aquela aparência assustadora, o homem tinha um ar de confiança... Algo digno, talvez. Não sei se era isso. Lembrei que meu pai também tinha um melhor amigo que me dava medo. Minha mãe nem queria que eu conhecesse ele, na época.

Lembrar da minha mãe fez meus olhos enxerem de lágrimas, mas eu usei toda minha força de vontade para não chorar na frente do estranho... Ele disse que poderia me fazer mais forte e eu queria ser mais forte! Eu queria poder ser o herói que meu pai já foi. Tio Conner não está mais preocupado com essas coisas. Ele quer salvar o mundo, mas não sei se ele quer ser um herói como meu pai foi.

Chris: Eu acho que vou aceitar comer alguma coisa. - Olhei para ele e sorri. - Mas primeiro quero levar a moça até um abrigo seguro... É um prazer conhecê-lo, sr. Nightrider. Meu nome é Ch--

Mais uma vez eu quase falei mais do que devia. Eu preciso aprender a pensar melhor no que vou falar. Por um segundo eu começo a pensar no que deveria dizer, sinto o 'S' crescer no meu peito e vejo o meu pai vindo em minha direção. Tão claro que posso até ouvir a voz dele em minha cabeça, dizendo 'nós lutamos por aqueles que não podem lutar por sí proprios'... E então escapou, meio sem querer:

Chris: Pode me chamar de SUPERMAN.

_________________
avatar
Phelipe Peregrino

Número de Mensagens : 1477
Idade : 28
Data de inscrição : 27/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/phelipe.peregrino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Drako em Sex Out 21, 2011 1:37 pm

Derrotamos com facilidade a equipe de reptilianos que veio nos enfrentar, isso nos dá mais confiança. Confiança em nossos poderes e esperança de um mundo melhor é o que precisamos.

Seguimos para o abrigo da resistência, o antigo clube do Pinguim, velho inimigo do Batman. Aquilo não me surpreende, mas sim as crianças que vem em minha direção. Com certeza é esse S em meu peito. Superman e Batman sempre foram dois lados da mesma moeda, opostos mas com o mesmo objetivo. Enquanto Bruce trazia o medo as ruas, Clark trazia esperança enquanto voava aos céus de Metropolis. Espero poder fazer o mesmo. Agacho e comprimento as crianças, com a mão em suas cabeças. Logo Jim Gordon nos chama para conversar sobre a situação. Entramos em uma sala onde o Pinguim nos esperava. Aquilo sim foi uma surpresa!

Superboy:
Você escolhia melhor seus amigos antigamente, Robin.

Não gosto de ter que trabalhar com o velho pássaro, mas os tempos são difíceis, com certeza eles têm uma razão para atuarem juntos. Me sento e ouço o Tim contar seu plano e me pedir alguma consideração.

Superboy:
Seu plano é bom, Tim, mas acho que mandar o Gordon sozinho com todos os sobreviventes sem um meta humano ao seu lado é perigoso mesmo conosco chamando atenção do outro lado. Eu acho que posso ajudar com isso. Chris Kent, você deve se lembrar dele Robin, o filho do Superman, está comigo na Fortaleza da Solidão. Ele está em treinamento mas tenho certeza que ele pode dar apoio ao grupo do Jim e deixar a todos um pouco mais seguros. Não seria minha primeira opção, ele ainda é uma criança, mas acho que é hora dele entrar em ação. Posso voar até a Fortaleza e voltar com ele aqui em menos de uma hora.

Eu sei que o Chris não está pronto, ele é só uma criança, mas são tempos difíceis. Ele vai ter que amadurecer mais rápido do que eu imaginava.

Superboy:
Se estiverem de acordo, estarei partindo agora mesmo.


_________________
avatar
Drako

Número de Mensagens : 1852
Idade : 28
Data de inscrição : 28/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.ds-club.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Leo Rocha em Dom Out 23, 2011 9:48 am

Superchoque & Columba:

A chegada do dragão à cena dificulta a ação planejada por Superchoque e faz com que o grupo tenha que mudar seu planejamento. Virgil começa a dar as orientações do novo ataque, enquanto todos começam a se organizar para atingir as novas metas. Columba empreende uma subida de altura para gerar um clarão que cegasse a todos os presentes, principalmente os reptilianos.
Ao mesmo tempo, Virgil usa seus poderes para puxar todos os humanos que se encontram no campo através das correntes que os prendem. Alguns deles terão lesões e fraturas, mas ainda sim poderão comemorar o fato de estarem vivos e escaparem daquela prisão.
Puff estava concentrando todo o oxigênio que conseguia, quando o dragão voou em sua direção disparando mais uma vez. Ela então olhou para os companheiros e para Raio de Fogo dizendo:

Arrow Eu sei como parar essa coisa. Se der certo, eu encontro vocês depois.

O ex-Bad boy grita:

Arrow Não inventa idéia! Segue o plano!

Ela dá um sorriso triste e diz:

Arrow Se você não correr, não vai dar pra salvar aquela velha ali.

Na direção em que ela aponta, uma velha senhora cai em meio à confusão e correria. Ela não tinha correntes e não conseguiria fugir a tempo se a explosão fosse detonada. Raio de Fogo dá outro grito, mas entende o que a amada disse e corre para ajudar a velha.
Frente a frente com o dragão, Puff prepara o oxigênio que concentrou e para potencializar a explosão, se torna metano. Basta a primeira fagulha expelida pela criatura para que o campo se torne uma bola gigante de fogo. Finalmente a missão estava concluída, mas para tal a jovem havia usado tudo que tinha.
Raio de fogo corre para os escombros em busca da amada, mas nada encontra. Columba inicia os cuidados dos feridos enquanto Superchoque tenta digerir a situação.
Enquanto atende os feridos, Columba escuta o que eles lhe dizem. Um senhor calvo e de óculos lhe fala:

Arrow Obrigado! Nós já havíamos perdido as esperanças. Pensamos que já não houvesse mais heróis...

Um mulher de seus 30 anos que, mesmo muito maltratada, ainda apresentava uma beleza natural impar fala em seguida:

Arrow Eles nos colocaram para fazer trabalho escravo! Eu.. Isso é tão surreal! Eles estavam preparando algo.. Como se eles quiser montar um laboratório ou uma máquina... Eu não sei...

As faals seguintes versaram sobre os maus tratos e a crueldade dos reptilianos, bem como a saudade do período heróico. Durante todo o tempo, Raio de Fogo permaneceu próximo ao epicentro da explosão procurando algo que mantivesse sua esperança de rever Puff.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4164
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Leo Rocha em Dom Out 23, 2011 10:35 am

Chris e Dagon:

Dagon decide acolher a criança e lhe ensinar como sobreviver na nova realidade mundial. Enquanto ele fala, Chris usa seus sentidos ampliados para identificar que a garota fugia do local correndo. De seus lábios, ele poude ouvir escapar uma palavra: Vampiros!
Chris ainda não sabia o que era isso, mas não fez muito caso como algo ruim, uma vez que o homem ao seu lado se esforçava para ser simpático com ele. Mas se tinha uma coisa que seu pai e seu tio tinham lhe ensinado é não se expor demais, então ao se apresentar Chris apenas se identifica com o primeiro nome de herói que lhe vem à cabeça: Superman.
Chris então se refere a levar a moça que havia salvo a um lugar seguro, mas como ela já havia corrido o bastante na direção oposta, ele considerou que ela já teria alguém lhe esperando e por isso sentia a pressa.
Dagon sorri por um instante ao ouvir o garoto dizer que não precisaria comer e pensa no potencial genético que a criança tem. Em seguida ele se espanta pelo pensamento em termos tão frios e segue com a criança rumo ao esconderijo. No caminho, Dagon encontra um cachorro e o leva para preparar como alimento para a criança.
************
Ao chegarem ao esconderijo, Dagon logo encontra K, que ao avistar o garoto, lhe diz:

Arrow O que é isso? Entrega delivery? Trazendo comida a domicilio?

O vampiro responde com voz gutural:

Arrow Ele é meu convidado. Ninguém deve molestá-lo! Entendido?

Arrow Tá bom, tá bom.. Não tá mais aqui quem falou...

Nesse momento, Theodore se aproxima e pergunta:

Arrow Alguma coisa errada, Dagon? Esse menino parece diferente..

Antes de qualquer resposta, Dagon chama Luna e lhe entrega o garoto falando:

Arrow Cuida dele. E se o moleque sentir fome, usa o cachorro pra fazer algo gostoso.

Ela passa a mão na cabeça da criança e pergunta seu nome. Chris responde com orgulho:

Arrow SUPERMAN.

Um segundo de silêncio precede uma explosão de gargalhadas vindas dos vampiros presentes, com exceção de Luna que abraça o garoto e de Dagon que diz:

Arrow Se vocês vissem o que eu vi não ririam tanto assim.. O garoto pode não ser o original, mas tem um potencial incrivel.

Arrow E você planeja torná-lo um de nós?

Arrow Ou planeja obter esse potencial?

Luna apenas abaixa a cabeça em silêncio aguardando a resposta de Dagon.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4164
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Leo Rocha em Dom Out 23, 2011 10:53 am

Capitão Marvel:

Freddy, Zareb e Alvarez se encontravam em meio ao combate aos Aracnos. O pelotão de Alvarez se mantinha em uma formação defensiva, porém, diante da aranha gigante selvagem que investia contra eles, os homens já começavam a questionar a possibilidade de sucesso da missão.
Enquanto disparava, Freddy perguntou a Zareb sobre a presença da divindade que ele sentira ali na ilha. O necromante olhou para Freddy e disse:

Arrow Beleza. Cuida pra nenhuma aranha me acertar que eu te digo pra onde ir.

Ele fecha os olhos por um instante e respira fundo, enquanto diz:

Arrow Vamos ter que seguir até a broadway. É lá que vamos encontrar a primeira divindade. Mas pra isso, vamos ter que passar pela aranha gigante e seus amigos amestrados...

Freddy olha para a aranha no instante em que ela come mais um de seus companheiros. Alvarez grita:

Arrow Vamos atacar com tudo! Ninguém mais vai morrer pelas presas desta criatura!

Ele se lança à frente do ataque, enquanto os outros dividem a artilharia entre oa aracnos e o monstro gigante. Freddy agora tinha duas opções a considerar: investir na busca pela divindade e retornar para ajudar aos companheiros ou ficar junto com a tropa e depois partir em sua busca pelos desafios.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4164
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Leo Rocha em Dom Out 23, 2011 11:30 am

Superboy e Robin:

No Iceberg Lounge continua a reunião a portas fechadas onde se buscavam as melhores estratégias de sobrevivência. Ao ouvir sobre a existência de uma colônia em Dakota, Gordon fala:

Arrow Quer dizer que enfrentamos terremotos, loucos homicidas e todo tipo de desgraça pra agora entregar Gotham a esses desgraçados?

Arrow E o que você sugere, Gordon? Partirmos pra cima os aliens com meia dúzia de armas, um arremedo de superman e um Robin, sem ofensas...

Arrow Eu sugiro que lutemos, oras! E se essa colônia de Dakota não existir mais? Como faremos? Vamos ficar no meio do nada esperando surgir alguma coisa?

Nesse momento uma voz conhecida pode ser ouvida:

Arrow Desculpem se interrompo a reunião. Achei que seria interessante compartilhar algumas informações. Afinal, informação sempre é importante.

Os presentes olham para o homem sem rosto que havia entrado na sala e que agora se sentava junto a Robin e Conner. Vic Sage parecia a vontade no lugar, apesar de expressar um tom mais paranóico do que o habitual no período anterior à invasão. Ele então continua:

Arrow Desde que os reptilianos finalmente se revelaram e expuseram sua conspiração de dominação mundial, eu me empenhei em usar toda a informação à minha disposição para instrumentalizar milícias e focos de resistência. Sendo assim, im cumprir meu papel junto a vocês... Andei mapeando as ações de metahumanos, heróis e pessoas com habilidades para um enfrentamento dos alienígenas. Aqui em Gotham tenho observado os esforços de dois grupos nesse sentido. O primeiro é composto por Anarquia e seus homens alegres, que fundaram uma nova Sherwood. Eles tem treinado com afinco e se preparado pra uma ofensiva. Anarquia já está bem informado sobre os invasores, cortesia do seu velho amigo, e acredita que para aumentar seu poder de fogo precisará usar os internos do asilo Arkham.

Arrow Mas esse garoto é louco!

Arrow Todos somos, Gordon.. Todos somos.. Neste momento ele está no asilo tentando convencer os internos a lutarem e tentando trazer pro jogo alguém que ele considera vital para o combate: o novo Batman.

Arrow O maluco que lutou com o sósia do Coringa e com vocês?

Superboy e Robin respondem positivamente enquanto refletem sobre a informação.

Arrow O segundo foco de destaque diz respeito a outro amigo de vocês.. Um que tem se intulado o homem morcego de Gotham: Dagon. Como vocês já sabem, ele tem criado um exército de vampiros acreditando que assim fortalecerá a espécie humana para o combate direto. Atualmente eles se escondem, mas já ouvi que há planos para tomarem uma ofensiva na cidade. Isso pode distrair os aliens, mas lançará muito sangue nas ruas, principalmente se eles tiverem necessidades de alimentação crescendo exponencialmente à medida que aumentam as fileiras e que eles precisarem de mais energia para lutar. Bom, depois de transmitir é a minha vez de receber informação. O que vocês tem pra me dizer?

**************************

Após a reunião, o Questão some da mesma forma que surgiu. Tim e Conner se dirigem a ao teto do Clube para conversar. OS dois tinham muita coisa para colocar um ao outro e utilizam esse momento para tal. Eles só terminam a conversa ao serem interrompidos por Gordon que os chama até o salão principal, onde uma mulher fala ainda bastante nervosa contando sobre um garoto superpoderoso que a salvou e que seguiu com um vampiro. Gordon se vira pra Conner e pergunta:

Arrow É o seu garoto?

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4164
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Leo Rocha em Dom Out 23, 2011 11:56 am

Anarquia e Kid Flash:

Como não houve postagem de vocês, considerem que ainda estão enfrentando as situações colocadas na última atualização.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4164
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Phelipe Peregrino em Seg Out 24, 2011 10:09 am

Para falar a verdade, eu estava começando a ficar com medo daquilo tudo... Quero dizer, não que eu não estivesse achando legal encontrar pessoas novas depois de tanto tempo preso na fortaleza, mas aquelas pessoas falavam e agiam de maneira estranha. Elas tinham vozes engraçadas e cheiravam esquizito. Não demorou nada nada para que eu quizesse que o tio Conner viesse me tirar de lá.

Meu medo só foi passando quando o Sr. Nightrider me apresentou à uma moça de olhos opacos que se aproximou de mim com um sorriso carinhoso.

Dagon: Cuida dele. E se o moleque sentir fome, usa o cachorro pra fazer algo gostoso.

Eu abraçei o cachorro tentando me colocar entre eles.

Chris: Por favor... - Falei baixinho olhando a moça de olhos opacos. - Não-não machuca ele...

Ela sorriu e passou a mão na minha cabeça, perguntando meu nome. Eu percebi que não era hora de ter medo ou algo assim. Eu não podia ter medo e nem precisava ter. O Sr. Nightrider me ajudou, ele era um heroi. Tio Conner disse que a guerra mudou as pessoas e que, agora, sobreviver era o importante. Talvez o Sr. Nightrider só tenha levado tudo isso ao extremo... Ele pode ter vivido momentos difíceis, se tornar uma pessoa objetiva pode ter sido a única solução... Por isso eu engoli em seco e tentei afastar meu medo.

Chris: Eu sou o Superman!

Todos ficaram olhando, como se, no exato momento em que eu pronunciei as palavras, o silêncio tivesse tomado conta de tudo e todas as pessoas ali puderam ouvir o que eu dizia. E, logo, elas explodiram numa gargalhada que me deixou bastante encabulado.

Dagon: Se vocês vissem o que eu vi não ririam tanto assim... O garoto pode não ser o original, mas tem um potencial incrivel.

No meio de um misto de rizadas e vozes eu não consigo distinguir quem segue o diálogo com Nightrider, mas as frases são bem claras.

????: E você planeja torná-lo um de nós?

????: Ou planeja obter esse potencial?


Chris: Do que é que vocês estão falando? - Peguntei com voz firme. - Não podem falar de mim como se eu não estivesse ouvindo!

Eu começo a voar de maneira suave, apenas para ficar da mesma altura das pessoas presentes e não parecer tão criança.

Chris: Eu sei que eu não tô nessa guerra a tanto tempo quanto vocês... - Falei tentando parecer seguro, mas alguém de ouvidos mais apurados saberia que eu estou com medo. - Quando entrei aqui eu fiquei com medo de vocês, e tive que lembrar que o Nightrider me ajudou! Guerras não pode mudar as coisas que amamos... Meu tio me disse que os tempos agora são difíceis e que o importante agora é garantir a sobrevivencia. Ele disse que sente falta das coisas boas. Mas... Se todas as coisas boas durassem para sempre, você saberia como são importantes?

Eu respiro fundo, sabendo que o que eu ia dizer poderia ofender alguns ali dentro e seguro para não chorar.

Chris: Eu-Eu não tô aqui pra ser "um de vocês" ou pra ser um "potencial à ser explorado". - Fico remoendo em minha cabeça as coisas que meu pai me ensinava e que, agora mais do que nunca, eu precisava representar. - Eu tô aqui para lutar por aqueles que não podem lutar por sí próprios! Eu tô aqui para ajudar as pessoas e salvar o mundo! E...

Sem querer, minha postura foi mudando e eu fui ficando mais tímido. Só agora eu parei para pensar bem no que eu estava falando e tive medo de que eles me expulsassem ou coisa assim. Respirei fundo e continuei.

Chris:E eu... - Engoli em seco. - Ficaria muito feliz se vocês ajudassem...

_________________
avatar
Phelipe Peregrino

Número de Mensagens : 1477
Idade : 28
Data de inscrição : 27/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/phelipe.peregrino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Scorpion em Qua Out 26, 2011 9:11 pm

Dagon ouve um de seus comparsas zombando do que seria feito do jovem Chris Kent. Dagon responde quase que como rosnando.
Dagon: Vocês entenderam errado. Ele é parente de um grande amigo meu. Isso faz dele meu parente e parente de todos vocês! Vocês conhecem as leis! Não ousem desafiá-las!
Quando transformava as pessoas em noturnos, Dagon fazia questão de deixar bem claro as leis de sobrevivência, cujas quais ele ensinaria à Chris:
1ª-Nunca se ataca um membro do bando.
2ª-Os mais fortes e experientes protegem os mais fracos e inexperientes.
3ª-Os mais necessitados se alimentam primeiro.
4ª-Nunca se morde um humano para matá-lo.
5ª-Nunca se sai sozinho ou à luz do Sol. Apenas Dagon podia sobreviver no Sol.
6ª-Nunca se traz o perigo para o covil.
7ª-Em caso de batalha ou perigo, todos lutam. Ninguém é deixado para trás.
Então, Chris chega voando, o que facilitaria o trabalho do vampiro.
Dagon: Não se preocupe, Chr... quero dizer, Superman. Estamos aqui todos em prol da humanidade... ou do que sobrou dela. Vamos fazer a diferença juntos, você tem a minha palavra.
Dagon olha para ele satisfeito por ele saber voar.
Dagon: Excelente. Então você voa, Superman. Isso é muito bom, nos poupará um tempo precioso. Veja bem, há muitos anos eu trabalhei como cientista. Foi assim que adquiri minha condição. Um colega me traiu e fui alvo de um experimento com o corpo do primeiro vampiro: Drácula. Meus genes se uniram aos dele e eu vim parar neste mundo... longa história. Não irei enganá-lo, Superman. Não sei o que você ouviu sobre vampiros, mas é o que nós somos. Somos criaturas da noite que se alimentam apenas de sangue das criaturas. Por eu já ter sido um herói e ter aprendido bastante com a filosofia do antigo Superman, eu oriento ao meu bando que jamais beba de sangue humano, a não ser que seja para transformá-lo em um de nós por vontade própria. É uma vida miserável, mas ao menos a condição vampírica nos dá uma grande chance de sobrevivência no mundo. A escolha é da pessoa se quer ou não ser transformada. A única maneira de voltar a ser humano é... com a minha morte. Eu precisarei de amostras graduais do seu sangue. Preciso ver que efeitos a radiação do Sol Vermelho tem no seu sangue. Existe uma máquina nos arredores que produz esta radiação e, se você quiser, posso tentar acelerar a maturação dos seus poderes, tornando-o rapidamente muito mais poderoso... talvez até mesmo que o Superman original. Mas precisarei da sua colaboração para isso, você me entende?

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2448
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Retroceder nunca, render-se jamais!

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 8 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum