Fúria de Titãs - Prólogo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Leo Rocha em Sab Ago 08, 2009 5:08 pm

Área 2814 do universo 51. Planeta Terra. 11:30 A.M.

Num mundo onde a Liga da Justiça desapareceu após uma batalha com seus piores arqui-inimigos, restam poucos heróis. Porém o crime nunca descansa e para combatê-lo aqueles que um dia foram os parceiros desses heróis se reuniram novamente. Os protagonistas de nossa estória são os jovens Titãs, grupo originalmente composto por Robin I (Dick Grayson), Moça-Maravilha I (Donna Troy), Kid Flash (Wally West), Ricardito I (Roy Harper) e Aqualad (atual Tempest). Anos depois, o mesmo grupo retornaria com nova formação, desta vez incluindo membros como Ravena, Mutano e Estelar. Mas, essa estória já deve ser conhecida por todos os moradores do universo 51, não?
Voltando ao nosso ponto inicial, após anos tentando derrotar a Liga da Justiça através de artifícios elaborados e aliados, nem tanto.. Lex Luthor conclamou a união dos maiores vilões da Terra e partiu para um ataque final ao satélite da Liga. Em meio ao acirrado combate, o vilão Coringa conseguiu se infiltrar no laboratório principal da instalação e insanamente acionou um dispositivo que surrupiara dos laboratórios de Luthor horas antes.
O mundo inteiro assistiu estupefacto a explosão que iluminou o céu naquela noite e fez desaparecer sem deixar vestígios o satélite símbolo da justiça. Desde então, nunca mais se ouviu falar destes heróis e vilões...

Mas, nem mesmo o luto pára a ação dos criminosos e, pensando nisso, Tempest, um dos remanescentes da Turma Titã original decidiu reagrupar os titãs, convocando jovens heróis que já tenham agido sob essa alcunha. Seu objetivo é claro: mostrar ao mundo que os ideais heróicos pregados pela Liga não morreram e, mais ainda, que ainda há alguém que lute pela justiça, liberdade e bondade.

Neste momento ele espera na caverna que um dia já foi sede do grupo. Ele convocou alguns heróis e não sabe quais deles aparecerão. Cabe agora somente esperar pelos convidados...

OFF: Bom pessoal, essa é a ambientação do jogo... E também o prólogo. Então, agora podemos considerar a narrativa oficialmente aberta. Vamos manter o mesmo esquema de postagens, ou seja, por turnos. Cada um pode começar postando uma breve introdução (algo nos moldes de "o que eu estava fazendo nesse período", "qual a minha personalidade" ou "como eu cheguei na caverna"). Fiquem a vontade pra criar. Abraços.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4092
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Convidad em Dom Ago 09, 2009 6:22 pm



Rose Wilson mantinha seu olho fixo em um ponto qualquer no horizonte. Estava sentada em um banco próximo ao que sobrara de um grande edifício espelhado, e parecia ligeiramente confusa. Puxou a mochila que estava jogada no chão de qualquer maneira, procurou algo em seu interior. Dentro dela, além de algumas roupas e diversos frascos que continham epinefrina, encontrou um papel, amassado como se já tivesse sido lido inúmeras vezes. Nele havia um convite. E algumas coordenadas. E a jovem simplesmente não sabia o que fazer.

As coisas haviam mudado desde que a Liga da Justiça tinha sido destruída. Não fazia a menor diferença para ela, mas Rose percebia o medo e a incerteza no olhar de cada pessoa comum na qual prestasse mais atenção. Devastadora leu mais uma vez o papel, e martelava em sua cabeça uma única pergunta.

Por que eu?

Aquele pessoal poderia ser tão idiota a ponto de não saber que Rose Wilson não era como eles? Eles eram heróis. E ela... Talvez não soubesse explicar. Ou apenas não queria pensar a respeito, e definir a si mesmo como "garota perdida". Afinal, se havia algo que nunca conseguiriam tirar dela era seu orgulho. Nem seu pai abusivo e assassino havia conseguido. Por outro lado, considerou Rose, esse convite poderia ser a chance da qual ela precisava.

Era difícil tomar uma decisão dessas levando em conta que Rose não tinha nem mesmo um rumo. Já havia se perguntado inúmeras vezes se, caso conseguisse fazer o pai pagar por tudo que ele havia feito, sua vida ficaria completamente sem sentido. Era terrível pensar nisso. Pensar que, de certa maneira, dependia do Exterminador para ter uma direção para qual seguir...

Aquele local onde havia parado não tinha sido por acaso. Estava relativamente perto do lugar onde um dia os Titãs haviam se reunido. Rose não pensou mais em nada, somente pegou a mochila, guardou o papel e seguiu para o local combinado. Entrou na caverna ainda de uniforme, mas sem máscara. Tinha apenas uma alça da mochila presa às costas, meio de lado. Ao notar a presença de Tempest, moveu um pouco os lábios.

O herói teve a impressão de que aquilo era quase um sorriso.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Convidad em Seg Ago 10, 2009 11:40 am

Aqua-Caverna. Antes:

Após a perda de velhos amigos e verdadeiras inspirações durante sua vida, Garth havia ficado momentaneamente perdido, entregue as dúvidas e temores sobre o futuro de toda uma geraçãod e heróis.
Mas assim como ele tinha certeza que não podia se render a sua inquietação, também tinha certeza que deveria seguir em frente. Havia toda uma nova geração pronta para a ação. A necessidade de fazer algo era maior que o simples desejo de se entregar a auto-imolação pelo passado.
Temendo que muitos jovens, sem a necessária inspiração, poderiam se voltar para rumos errados, ou no minimo inconsequentes, pensou primeiro na necessidade de uma Liga da Justiça para o mundo.
Mas ele não se sentia pronto para isso. A Liga era algo grande demais, representava demais, para ser apenas uma aventura. Não, tinha de ser algo que lhe fosse familiar, algo que lhe desse a segurança do mar. Amigos, uma familia. Sim, ele precisava dos Titãs.
Um novo grupo, uma nova formação. Hoje, os Heróis de Amanhã.
Mas por onde começar, o que fazer? Sem Dick ou Roy, sem Donna ou mesmo Wally, como recomeçar o grupo?
A abordagem mais óbvia era pelos sucessores naturais dos heróis que tombaram em combate. Robin, Superboy, Moça-Maravilha... esses seriam os primeiros a serem contatados, seriam os primeiros a se oferecer um lugar no grupo.
Mas... e se nem todos aceitassem? Era preciso trabalhar com uma margem maior que apenas os parceiros mirins. Para a Turma Titã aquilo funcionara, mas esse era um tempo diferente, com necessidades diferentes.
Havia jovens heróis que conseguiram seu lugar ao sol, como o Besouro Azul, Super-Choque e a Sideral, que deveriam ser contatados também. E além disso, ainda mais necessidade teriam aqueles que andavam na tênue linha entre Heróis e... algo diferente. A Devastadora, filha do Exterminador, ou o novo Capitão Bumerangue, ente outros.
Jovens, mas com muitas possibilidades em sí. Sim, era hora de começar a trabalhar. Quanto a base, bem, ele nunca fora muito fã de Nova Iorque. O melhor inicio seria onde ele fora mais feliz. A Caverna Titã, lar do grupo original.

Sede dos Titãs. Agora:

Tirar o pó do antigo material e arrumar tudo tinha sido a parte fácil. O dificil era a espera. Tantos heróis procurados, algunsele tinha certeza que aceitariam. Outros, ele já imaginra a recusa. Mas o pior eram as incertezas. Como confiar se viriam, ou se esse seria apenas o sonho de um "Maluco do Fundo do Mar"?
Em meio a seus devaneios, o sinal da entrada indica a chegada de alguém. Seu coração momanteneamente acelera. Ao menos um já havia respondido. Mas ainda era tempo, se um havia vindo, talvez os outros também seguissem. E o mundo precisava desesperadamente de alguém para os inspirar, e Garth sabia que os Titãs seriam esse alguém.
Sem mais demora, sai da deserta sala de reuniões e ruma a entrada da caverna e mal pode esconder sua surpresa. A primeira a chegar havia sido justamente a Devastadora. Auilo tinha de ser algum tipo de sinal.
Apesar de sua atitude de Bad Girl, de seu jeito duro, Rose Wilson tinha muito potencial em seu interior. Eles tinham a chance de treinar uma nova versão do Esterminador para o bem. E, principalmente, poderiam dar um sentido a Rose, amigos, uma nova familia com os Titãs.
E, se aquilo era um sorriso, o inicio não podia ser melhor.
Respondendo com seu melhor sorriso, e aprecendo o mais cordial possível, Tempest lhe dá as boas-vindas:

- Bem-vinda, Rose. Como sempre, você surpreende. É a primeira a chegar, mas espero que não seja a única. Venha, fique a vontade enquanto aguardamos os outros.

Com um gesto, indica onde ela pode deixar suas coisas, bem como tenta deixá-la o mais a vontade possivel.


Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Convidad em Seg Ago 10, 2009 7:02 pm



Mutano antes
Sempre considerado uma aberração,sempre considerado diferente,afinal o tom de pele verde não ajudava,Garfield imaginava reunir com pessoas que não imaginariam que ele era estranho ou bizarro,só pessoas mais bizarras que ele achariam isso,ele ficava parado em cima de uma torre e virava águia ao perceber um homem roubando uma senhora,quando se aproximou dele virou um gorila verde e rapidamente derrubou ele deixando-o inconsciente,ele devolvia a bolsa para a senhora e voltava ao normal.
-obrigado...
-ah que isso senhora...não precisa agradecer basta você doar um dinheiro para mutano.com e comprar os produtos de...
A mulher saia ignorando ele,quando um homem de terno se aproximava dele
-olá garoto,meu nome é Steve Jordan...
-e o meu é Logan...
-hã?
-qual é nunca leu quadrinhos?
-bem,você parece um garoto esperto que sabe usar sua imagem certo?
-sim,claro...
-bom eu já sei como lhe ajudar,eu sou empresário...
-opa finalmente fechado...

Mutano Hoje
Em algum escritório em nova York
Garfield Logan vulgo Mutano,estava com seu empresário,Steve Jordan,Steve se inclinava sobre a cadeira
-tem certeza disso garoto?
Mutano jogava o jornal do planeta diário com a manchete na capa”Liga da Justiça desaparece!”
-claro essa é a minha grande chance,ser herói e coisas desse tipo
-ah deixa disso você é um herói,salvou aquelas pessoas de assalto,alem do mais a propaganda da rede do tio pança está dando uma grana..
-ser herói de verdade nível liga da justiça,eu tenho uma chance agora,imagine a propaganda quando eu salvar o mundo de um aqueles desastres de algum doutor maligno tosco que tenta conquistar o mundo...
-é mil possibilidades,como se chama o grupo mesmo...Jovens titãs?
-É Novos Titãs”

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Phelipe Peregrino em Ter Ago 11, 2009 10:32 am

Paco: Cara... Todo mundo sabe que quanto mais você estuda, mais dever de casa você tem. Eu não estudo, não tenho dever. Simples assim.

Jaime: Nem todo mundo vai ter úlcera antes de se formar, Brenda.

Brenda: Você poderia se sair melhor se TENTASSE. Tipo, você escreve em SEIS línguas quando joga "unreal on-line!"

Jaime suspirou. Paco e Brenda são seus melhores amigos desde que ele consegue lembrar. Cada um deles tem seus problemas, é claro, mas juntos eles pareciam se esquecer deles. Eram como irmãos e, como todos sabem, irmãos, as vezes, brigam.

Eles caminhavam à passos lentos em direção à casa de Jaime. E a mesma já começava a aparecer na esquina.

Jaime: Isso não vai dar em nada, certo?

Brenda: Poxa Jaime... Você aprendeu a dizer "apelão covarde" em SUECO.

Paco: É porque os suecos SÃO apelões covardes!

Eles pararam na porta da casa. Em quanto pegava a chave Jaime sorriu.

Jaime: Eu me sinto a babá de vocês...

Ele se despediu dos amigos e entrou em casa. Milagro estava deitada no sofá, vendo TV. Com cara emburrada.

Milagro: Nada funciona nessa casa! Eu estou assistindo Discovery Channel faz 1 hora por que o controle não quer trocar de canal!

Jaime: Você sabe que pode levantar e trocar pela TV, não é?

Milagro fechou ainda mais a cara.

Milagro: Ô, Pendejo! Tem carta pra você!

Jaime olhou em cima da mesa da sala. Lá havia um pequeno envelope com seu nome. Ele fez o que sempre fez quando recebe correspondência. Levou para dentro do quarto, livre dos olhos curiosos da Milagro.

Jogou sua mochila no canto do quarto e sentou-se em frente ao computador. Uma grande tela azul com a mensagem “Besouro Caverna On-Line” piscava no monitor.

Desde o desaparecimento dos heróis da Liga, heróis menores como o Besouro Azul ganharam um destaque nacional muito maior. O mundo parecia estar carente de figuras que servissem de exemplos para a sociedade. E até amadores como ele pareciam ter seu “lugarzinho ao sol”.

A cara de surpresa que ele fez ao ler a carta já dizia tudo...

Jaime: NOVOS TITÃS!!!

Milagro (da sala): Que?

Jaime: É... Nada... Fica aí assistindo Animal Planet e cala a boca.

Milagro: É Discovery Channel, idiota!

“Essa é minha hora de brilhar...” – Pensou Jaime. “Eles podem me ajudar a ser o herói que eu preciso ser... Ser só o carinha que protege El Paso não rola mais. Não desde o desaparecimento da Liga.”

Jaime não tinha percebido, mas já havia “vestido” o traje de Besouro Azul. Ele sorriu e pegou o papel novamente. Havia, em um canto do papel, as coordenadas do ponto de encontro.

Besouro Azul: Que diabos de lugar é esse?

Escaravelho: ¥§¢ŒƢƥƛƦƫƕǷ

Besouro Azul: Então o que esta esperando? Me leve até lá!

Ele então partiu em direção ao ponto de encontro. Mal podia imaginar que tipo de pessoas encontraria por lá. Se seriam os famosos titãs veteranos, ou se seria uma equipe completamente nova... Mas, quer saber? Isso, na real, não importava!


_________________
avatar
Phelipe Peregrino

Número de Mensagens : 1389
Idade : 28
Data de inscrição : 27/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/phelipe.peregrino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Drako em Qua Ago 12, 2009 1:40 pm

Conner Kent, Kon-el ou simplesmente Superboy.

Por muito tempo Kon-el foi apenas um garoto orgulhoso que sonhava em ser o Superman. Sonho que foi um pouco deturpado ao saber, ao lado do seu melhor amigo Robin, que não era apenas um clone do homem de aço, mas metade dele e a outra metade do seu maior inimigo.
Com a ajuda de Robin e Moça Maravilha isso foi com o tempo esquecido e as coisas pareciam que estavam ficando normais... normais até o trágico dia em que os seu mentor e todos os da Liga da Justiça morreram. Aquilo foi um choque para ele e seus amigos e por mais orgulhoso que fosse ele chorou.

Em meio a lágrimas ele jurou para si mesmo que não deixaria a morte de Superman em vão. Vingaria seu mentor e herói a todo custo, não importa o quanto demoraria. De volta a Smallville ele resolve trocar seu uniforme novamente. Para mostrar que ele mudou totalmente de atitude ele escolhe apenas uma camisa negra com seu S no peito.

Anos passaram e ele agora era o herói de Metrópolis, era o ultimo a carregar o S no peito, pois não via Kara Zor-el desde o enterro de Clark. Não tem tido mais contato com nenhum dos seus antigos amigos, com exceção de Moça Maravilha que se encontram freqüentemente.
Mesmo atuando em metrópolis ele não poderia deixar Ma e Pa Kent sozinhos em Smallville, ele deve muito a eles. Chegando na fazenda:

-Mãe, Pai, cheguei!
-Conner, meu deus! Venha ver isso!

Era a noticia que os atuais heróis tinham explodido.

-Não acredito! Quantos tem que morrer para essa guerra acabar!

Nisso o telefone toca.

-Conner, você assistiu a TV? Moça Maravilha gritando enquanto chora.
-Amor, fique calma nós...
-Donna estava lá, eu não posso perde-la também, não depois de perder Diana.

Um silêncio toma conta. Depois de uns segundos sem saber o que falar Conner diz:

-Talvez tenham sobrevivido.

Ela não responde, apenas chora... chora muito.

-Eu estou indo ia.

Tempos depois e tentando superar as novas perdas, Moça-Maravilha e Superboy em um almoço:



-A comida está boa, e a sua?
-Não tenho muita fome, mas eu quase me esqueci, você recebeu a carta para entrar nos titãs também?
-O que? Não, quando?
-Ontem, mas não poderei, tenho que cuidar das coisas em themyscira.
-Não tinha visto. Vou ver ao chegar em casa.

Em Smallville ele vê a carta e lê atentamente, pensa duas vezes em aceitar, mas talvez esse grupo novo faça a diferença, talvez eles consigam fazer o que tantos falharam ao tentar. Ele pega sua mochila, se despede de Ma e Pa Kent. Martha chora, diz para ele tomar cuidado, não suportaria perder mais um filho. Ele á beija e diz:



- Não me perderá Mãe, e quando eu voltar terá orgulho de mim.

Kon-el voa e enquanto ele se afasta ela sussurra:

-Eu sempre tive.

Conner se dirige para o ponto de encontro.


_________________
avatar
Drako

Número de Mensagens : 1696
Idade : 28
Data de inscrição : 28/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.ds-club.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Convidad em Qua Ago 12, 2009 7:56 pm

Parece que foi ontem. Cara, que irado! Quem poderia imaginar que eu, Virqil Ovid Hawkins, garoto do subúrbio de Dakota, ia estar voando(!) rumo à maior reunião da minha vida!
Nem parecem que fazem alguns anos que a explosão aconteceu em Dakota, o Big Bang. Aquilo mudou minha vida, pra muito, muito melhor! Ok, tenho problemas... mas quem não tem? O Gear vai pirar quando souber!


As memórias de Virgil caminham até dois dias atrás, na baía de Dakota, ao seu último confronto com a Meta-Raça. Pena que Ébon não apareceu naquela tarde... mas pelo menos Talon, Shiv e Aqua-Marina estão atrás das grades por mais tempo. A batalha ia bem, quando Aqua-Marina se fundiu com as águas da Baía. Teria sido uma derrota humilhante, se ele não tivesse interferido.

Aqualad.

E...
Cara, que demais! Sei que já repeti isso na minha cabeça, mas QUE DEMAIS! Não deu pra esquecer o que ele disse!

Aqualad: -O mundo precisa de você, Super-Choque, para ser um símbolo maior do que o que tem representado em Dakota. Chegou a hora de brilhar para todos, representar seus ideais de justiça como os antigos campeões da Liga da Justiça fizeram. Alguém tem de dar esperança ao coração de todos e você é como queremos ao nosso lado nos Novos Titãs.

...Como os antigos campeões...

Uma lágrima escorre no rosto de Virgil. Heróis como Batman e Super-Homem eram ícones da justiça e bondade. Nunca se esquecerá de que quando Richie falou com ele para ser um super-herói com seus poderes, era porque homens como eles antes decidiram fazer seu melhor pelas pessoas, como seus pais, Robert, com o Centro Comunitário Freeman para auxílio de pessoas carentes, e sua mãe, Jeanie, uma mulher especial e corajosa que deu sua vida para atender feridos pelas guerrilhas de gangues de Dakota sem nunca exitar em seu trabalho de Paramédica. Conquistar a atenção e o espaço para ajudar cada vez mais pessoas e representar o melhor para a vida de diversos jovens e pessoas do mundo era uma prova de que sua mãe estaria orgulhosa se estivesse aqui.

Foi pena não ter tido tempo de chamar Richie, mas Dakota precisa pelo menos de Gear enquanto figuras como Ébon e a Gangue Maldita estiverem à solta. E é precisou ouvir tudo, pra saber qual é a desses Novos Titãs. Mas se for mesmo como Aqualad falou... (Caracas, Aqualad, herdeiro da Atlântida!) estarei pronto!!!

O disco planador energizado levou pouquíssimo tempo de Dakota até a caverna indicada por Aqualad. Não fora difícil ao jovem herói encontrar as coordenadas descritas com a ajuda do Shock-Mob, instrumento criado por Gear para rastreio e localizações. Alguns Zap-Capz para dar força extra e ajudar a deter ameaças possíveis, um pouco de luzes e temos a entrada perfeita.
Com um embalo, Super-Choque adentra na caverna em velocidade alta, com os raios elétricos percorrendo seu corpo enquanto diz:



-E ae, chegou o Super-Choque! E eu vou dar choque nos seus sistemas!

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Scorpion em Qua Ago 12, 2009 11:24 pm

Dagon estava sozinho. Fazia um bom tempo que ele se mantinha nessa situação... solitário. Não por gosto ou por opção, mas por necessidade. Depois que a Tropa Titã teve sua linhagem apagada, com excessão de Terra e miragem a Tropa se desfez. Miragem deveria estar em algum lugar por aí com aquele nojento homem chamado Asa Mortal enquanto Terra estava vivendo num apartamento alugado para não chamar atenção. Uma Markov num mundo sem heróis chamava muita atenção.
O Vampiro havia se acostumado a alimentar-se de bandidos e outros tipos de criminosos. Evitava matá-los ao máximo, foi uma coisa que aprendera com os titãs deste mundo. No dia seguinte os bandidos acordavam anêmicos num hospital e depois numa delegacia. Estava unindo o útil ao agradável.
A falta de heróis fez com que Dagon fosse mais ainda visto como um vilão. Seu visual gótico associado aos seus hábitos alimentares não tinham nada de heróico. Por esta razão, Nosferatu evitava a todo custo ser visto, mesmo por aqueles que salvava nas sombras. Sempre nas sombras, porque sempre havia uma estudante idiota que achava que cortar caminho pelo beco escuro era a melhor solução.
Foi num certo dia em que Dagon resolveu fazer uma visita à Terra. Ele bateu à porta e ela o convidou para entrar.
Quer algo para beber, Dagon?
Você sabe do que eu gosto, Tara, mas duvido que tenha na geladeira.
Haha! Eu sei, foi só para quebrar o gelo. Ei, moço. Da próxima vez venha como fumaça e entre pela janela da sala, ok? Você quase matou minha vizinha de susto.
Pode deixar.
Os amigos conversaram mais um pouco e Dagon pôde ver a carta em cima da mesa de Tara. Ele a pegou e viu o símbolo dos titãs no lacre.
O que é isso, Tara?
Ah! Isso é um convite a ingressar novamente nos titãs. Eu recebi, mas estou pensando. Tenho muita coisa pra resolver e não sei se esse negócio de herói ainda é pra mim.
Foi quando a chaleira apitou e Tara foi tirá-la do fogo. Depois, ela voltou para a sala.
Sabe, David. Eu... Ah, seu grande filho da mãe!

Dagon havia virado fumaça e levado a carta enviada por Tempest para Tara. Se ela não iria aceitar, ele iria. Isso era tudo o que precisava para dar rumo à sua vida. Ser novamente um herói. Salvar vidas.
Dagon viajou na forma de um pequeno morcego em direção à caverna indicada pelo anfitrião. Ele apareceu então como fumaça, para depois tomara forma humana. Enquanto ainda se destransformava ele já falava:
Olá, pessoal. É aqui que estão reunindo os novos titãs? Mutano! Dick! Bom ver vocês, camaradas. Sempre é bom trabalhar com quem já se conhece e sabe-se que sabem fazer o serviço. Bem, para aqueles que não em conhecem sou David Dagon. Venho do futuro e já fiz parte da Tropa Titã. Acho que isso já é o suficiente, certo?

[OFF]Borracha, caso você não aceite o personagem ou o jogo não tenha espaço pra mim, apenas delete o post, ok? mas manda um MP só preu não ficar no vácuo. hehe.[/OFF]
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2322
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Nasinbene em Qui Ago 13, 2009 8:18 pm

Era estranho para Tim fazer isso sem Bruce. Patrulhar Gotham, sentir o vento gelado inflar sua capa e esmurrar os criminosos, enquanto aprendia com Bruce como se solucinava um crime (sim, de fato, Tim havia se tornado um detetive melhor que Dick).
Esses pensamento todos invadiam a mente de Tim, enquanto este saltava sobre a Quadrilha do Máscara Negra, que mais uma vez, procurava iniciar uma Guerra de Guangues no submundo da antiga cidade do Morcego.




Antiga, por que desde a explosão do Satélite e da Morte de Bruce que Gotham não tinha um Batman. Dick havia se afastado da cidade, procurando sair da sombra do pai adotivo. Dick patrulharia Bludheaven, deixando Gotham City a encargo de Tim Drake. Até mesmo sugerira que Tim assumisse o manto do Morcego, mas Tim decidiu honrar Bruce mantendo Gotham limpa como Robin, deixando o nome de Batman num respeitoso silencio.
Enquanto desbaratava a Quadrilha do Máscara Negra, Tim pensava no convite que recebera a poucas horas.
Tim deixa os criminosos amarrados e enquanto espera a chegada dos homens de Bullock, Tim re-le mais uma vez o pequeno pedaço de papel que queimara no seu cinto de utilidades durante o combate...




Superboy teria sido convidado também? Já a algum tempo não falava com Conner...
Robin imaginava se juntar tantos heróis novamente não os tornaria um alvo, como aconteceu com a Liga...
No entanto, era preciso fazer algo pelo mundo. Tim, então decide aceitar o convite de Tempest e comparecer a reunião.

- Muito bem, vamos ver de que se trata...

Tim procuraria manter-se afastado dos demais assim que chegasse ao local marcado ao encontro, procurando ocultar sua presença. Batman o havia ensinado bem a utilidade de ser sutil...
avatar
Nasinbene

Número de Mensagens : 1239
Data de inscrição : 29/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Leo Rocha em Sex Ago 14, 2009 11:42 am

Tempest observa a chegada de cada um dos Titãs convocados. Ele se alegra ao ver rostos conhecidos como Super-Choque, Mutano e SuperBoy, porém não consegue esconder a tristeza em não avistar os rostos de amigos como Ravena e Moça Maravilha.
Ele saúda a todos e diz:

Arrow Bem vindos! Após o fatídico evento que provocou o desaparecimento da liga, o mundo ficou sem uma linha de frente que pudesse conter o avanço de grupos criminosos. Todos nós temos mantido nossas atividades como heróis de forma individual, porém, isto não tem sido suficiente...

Ele abaixa a cabeça por um instante, como se estivesse entre cansado e reflexivo.

Arrow Precisamos de um novo grupo organizado de heróis. Uma organização que mantenha acesa a chama dos ideias da Liga da Justiça.

Enquanto Tempest fala, Devastadora se movimenta cautelosamente até um canto da caverna. Ela saca uma de suas espadas e diz:

Arrow Sai daí agora. Seja lá quem você for.. É bom ter convite para a reunião do clube...

Das sombras sai o Robin. Ele parece se sentir surpreso por ter sido encontrado pela Devastadora, mas prefere não esboçar nenhuma reação. Ele então apenas diz:

Arrow Pode continuar Tempest.. Eu estou ouvindo...

Tempest continua então:

Arrow Bem revê-lo Robin! Você contribuirá bastante com sua presença no grupo. Bom, não acredito que a liga tenha sucumbido daquela forma e nem pretendo tomar o lugar daqueles heróis... Por isto, resolvi reativar os Titãs. Um grupo que nasceu com o propósito de manter acesa a chama dos ideias da liga e que, agora mais do que nunca, mantém seu propósito coerente. E então? Posso contar com vocês?

O Besouro Azul e Super-Choque respondem praticamente ao mesmo tempo, expressando seu desejo em participar. Devastadora apenas faz um meneio com a cabeça. Conner diz:

Arrow Eu nem teria como dizer não... Não depois de tudo que o Superman fez por mim..

Mutano responde sorrindo:

Arrow Uma vez Titã, sempre Titã! Aliás, temos algum embargo a participar de campanhas publicitárias?

Robin é o próximo a responder. Seu semblante sério lembra bastante seu mentor. Ele então fala:

Arrow Gotham precisa de mim..

Devastadora responde:

Arrow O mundo inteiro precisa, babaca... Então corta esse papo de "filho do Batman" e diz logo se vai ajudar ou se vai correr pra sua "cidade morcego"...

Conner se ergue para defender o amigo:

Arrow Ei! Você não pode...

Ele sente uma mão no seu braço e ao olhar percebe que é Tempest. Ele então se cala, olhando para a cena com certa ansiedade.

Arrow Vocês vão precisar de mais do que isso pra combater vilões de primeiro escalão. Eu aceitarei com uma condição: Iremos utilizar todos os nossos recursos na captura dos criminosos e na busca por respostas ao que aconteceu com o Bat.. quer dizer com a Liga.

Tempest dá um sorriso para Robin e Superboy e diz:

Arrow Já esperava isso e já providenciei um upgrade no nosso laboratório para dar conta de estudos relativos ao que houve.

Dagon fala então:

Arrow Sei que não fui convidado, mas quero me juntar ao grupo.

Robin responde:

Arrow Sei quem você é. Um vampiro.. Quero te avisar uma coisa: não tolerarei assassinos... E isso inclui também os aliados.

Dagon responde:

Arrow Faz sentido.. E então? Estou dentro?

Tempest responde:

Arrow Com certeza. Nossa primeiro missão é uma missão de resgate. Recebi informações de que um de nossos amigos está sendo mantido como prisioneiro por um criminosos conhecido como MicroChip. Alguns de vocês já o enfrentaram e sabem que ele pode ser bem perigoso.

Mutano pergunta:

Arrow Quem ele pegou?

Tempest abaixa a cabeça e diz:

Arrow Cyborg... O dispositivo localizador dele nos forneceu algumas coordenadas do que pode ser a fortaleza dele na Ásia antes de ser desligado. Nós iremos até lá e regataremos Cyborg. Se quiserem, vocês terão cerca de uma hora para preparar as coisas pra viagem. Aguardarei a todos no hangar para partimos no jato-Titã.

Tempest sai da sala deixando os Novos Titãs. Ele irá direto para o hangar preparar a nave.

OFF:
Bom pessoal, taí a primeira missão.
Essa "uma hora" citada pelo Tempest corresponderá a uma rodada do jogo e pode ser postada aqui. Após essa rodada, iniciaremos a parte 1 do jogo, intitulada "Jogos mortais".
Essa será a parte ideal para a primeira interação do grupo, então fiquem à vontade para improvisar.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4092
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Drako em Sex Ago 14, 2009 6:22 pm

Uma hora era muito para esperar, não poderiam saber o que estavam fazendo ao Cyborg. Olhando a sua volta e vendo o grupo que se formou e pensa:

- Nunca pensei que esse seria o nosso grupo, achei que Bart estaria aqui. Será mesmo um grupo confiável? Rose Wilson já enfrentou os Titãs na minha época, além de ser totalmente estourada é meio maluca. Mas ela não me parece ser o pior problema... esse vampiro não me inspira confiança, vou ficar de olho nele.

Ele ouve alguém cochichando sozinho, era o tal do novo besouro azul que realmente parecia estar falando sozinho para ele. Conner sorri.

-Vou pegar um pouco no pé desses novatos, ser herói não é esse conto de fadas que eles pensam.

Mas nem tudo era tão ruim, ali tinham alguns de seus amigos... Mutano e Robin. Pegando sua mochila do chão, ele se aproxima de Robin:

-Ei, Tim! Fazia tempo que não nós falávamos. Depois que Superman morreu eu tenho estado um pouco ocupado e tenho certeza que você também. Como está você e Gotham City?



_________________
avatar
Drako

Número de Mensagens : 1696
Idade : 28
Data de inscrição : 28/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.ds-club.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Phelipe Peregrino em Sex Ago 14, 2009 6:39 pm

Escaravelho: ¥§¢ŒƢƥ ƛƦƫƕǷ ¢ŒƢƥ

Besouro Azul: Eu to nem aí pra quantidade de formas que você poderia matar alguém aqui dentro!

Escaravelho: ¥§¢ŒƢƥ

Besouro Azul: Por que isso não me interessa!

Jaime caminhava lentamente pela caverna, um misto de nervosismo e ansiedade o consumia. Alguns rostos conhecidos o saldavam de forma amistosa, ver o Robin e a Devastadora era algo acolhedor, daria o tom familiar ao grupo. Outros ele só conhecia pela TV, como o Super-Choque, o herói de Dacota.

“Ele deve ter pensado o mesmo que eu!”

Outros eram figuras lendárias.

“Cara... Aquele é o Mutano! Que demais!”

Já outros...

Escaravelho: ¥§¢ŒƢƥ ƛƦƫƕǷ ¢ŒƢƥ

Besouro Azul: Ele é o que?!? – Disse Jaime olhando em direção ao ser de aparência cadavérica que caminhava pelo hall.

Escaravelho: ¥§¢ŒƢƥ

Besouro Azul: Tipo nos filmes? Ta brincando...

Jaime então notou que o Superboy o observava.

“Puts, cara! Aposto que ele pensa que eu to falando sozinho...” Jaime fez aquela tradicional cara amarela que fazemos quando ficamos sem graça. “Agora ele vai achar que eu sou maluco.”

Escaravelho: ƦƫƕǷ ¢ŒƢƥ

Besouro Azul: Ninguém te perguntou nada!

“Acho melhor procurar alguém mais familiar...”

Ele caminhou em direção da Devastadora, a pessoa que melhor lhe acolheu nos Titãs... Seria uma boa forma de começar...

_________________
avatar
Phelipe Peregrino

Número de Mensagens : 1389
Idade : 28
Data de inscrição : 27/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/phelipe.peregrino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Scorpion em Sab Ago 15, 2009 9:57 am

Dagon ficou quieto na sua. Ele sabia que alguns membros poderiam não ir muito com a sua cara, enquanto outros pareciam olhar para ele com um misto de ansiedade. Já estava acostumado com isso. Não nascera vampiro, mas sabia que as pessoas não gostavam de seus hábitos. Fazer o quê? Precisava sobreviver... e antes ele para poder salvar o dia mais vezes do que bandidos que iriam causar mais mal.
O Vampiro fica recostado na parede esperando que a missão comece. Só falaria caso alguém falasse com ele.
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2322
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Nasinbene em Sab Ago 15, 2009 12:56 pm

Robin permanece impassivel diante das palavras ásperas da Devastadora enquanto ocorre a aprentação dessa nova formação de Titãs. Tempest explica a todos o que tem em mente, e diz aceitar a condição de Tim, que só se juntaria aos Titãs se pudessem pegar os responsáveis pelo que houve com a Liga.
Após a saida de Tempest, Robin se vira para Dagon e, com uma expressão muiot séria, reafirma o que havia dito:

- Eu falei sério quando disse que não aceitaria assassinatos. Não me faça repetir isso...

Em seguida, Robin olha para devastadora de canto de olho:

- E isso vale pra você também. Eu não irei "bancar o filho do Batman" se você não agir como filha do seu pai. Estamos de acordo? Muito bem. Ah sim, nunca mais aponte essa coisa pra mim, está ouvindo?

Em seguida, Robin aproxima-se de Superboy. Estava realmente contente em ver o amigo ali. Tim aperta a mão de Superboy, enquanto diz:

- Realmente faz um tempo, Conner... Como estão seus pais? - Tim faz questão de não mencionar o nome Kent diante dos demais. Não tinha certeza se todos ali conheciam a familia do Superboy - E a Moça-Maravilha, tem visto? Imaginei que ela estaria aqui com você...

Tim segue conversando com Conner. A situação era nova, Tim não confiava em todos ali e sempre era bom ter uma amigo por perto nessas horas...
avatar
Nasinbene

Número de Mensagens : 1239
Data de inscrição : 29/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Drako em Sab Ago 15, 2009 1:56 pm

Conner e Tim depois de um grande período sem se falarem finalmente podem conversar novamente:

- Realmente faz um tempo, Conner... Como estão seus pais?

Olhando os demais membros do grupo de braço cruzado e com a cara fechada ele responde:

- Mãe ainda chora pelo Superman de vez enquando e o Pai é a estrutura da família, sem ele acho que a Mãe não agüentaria.

Ele tenta mostrar aos outros membros que mesmo conversando está sempre de olho neles, Robin continua:

- E a Moça-Maravilha, tem visto? Imaginei que ela estaria aqui com você...

- Nós ainda estamos juntos, nós encontramos sempre. Ela não pode vir, com Diana e Donna falecidas ela tem que cuidar dos assuntos de themycera.

O tempo vai passando e eles seguem conversando. Faltava pouca para a hora sobrando deles acabar.

- Nosso tempo está acabando, te encontro no T-Wing. Ele diz.

Ele sai da caverna para tomar um ar antes de começar a missão. Passado uns 5 minutos e ele se dirige para o T-Wing.

_________________
avatar
Drako

Número de Mensagens : 1696
Idade : 28
Data de inscrição : 28/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.ds-club.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Convidad em Sab Ago 15, 2009 7:46 pm

Enquanto Conner caminha ate o T wing Garth meio que atrapalhado se aproxima dele,é um dos poucos momentos que Garfield parecia serio,parecia meio surreal comparando ao sempre brincalhão Mutano
-Conner..eu...
Mutano tenta conversar porque ao contrario da maioria das pessoas da sala Mutano não tinha perdido realmente alguém,só sentia a perda de seus amigos,eles eram as pessoas mais próximas de irmãos que ele tinha e mesmo assim não sabia direito o que falar
-Conner,eu nem sei o que dizer cara...olha eu não sou bom nessas coisas mas...eu lamento sei o quanto...era importante...cara você pode saber que pode contar comigo,sei que eu sou um idiota a maior parte das vezes mas nos somos os titãs cara,somos irmãos...bem....é basicamente isso...você não está sozinho cara se quiser conversar com alguém...sei que não sou bom nessas coisas mas todos aqui se preocupam muito com você cara...err...bem é isso...
Mutano não sabia mais o que dizer nunca foi bom nessas coisas,não sabia nem como encarar robin já que Batman era como um pai para ele,ficava apenas olhando essas pessoas que tinha perdido tanto,sem saber exatamente o que dizer.


Última edição por Homem-Animal em Dom Ago 16, 2009 7:25 pm, editado 1 vez(es)

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Convidad em Sab Ago 15, 2009 10:33 pm

Não faziam nem vinte minutos que Virgil havia chegado e o herói se recordava do porquê havia negado outros convites para integrar grupos e o porquê de ele ter tantos problemas em ver o Homem-Borracha, Shee-Bang e Gear quererem trabalhar todos juntos... desordem!
Próximo de Tempest, o jovem herói negro se expressa com voz tímida.

-Cara... sua idéia é boa, mas vai mesmo funcionar? Já vi bandos de gangues mais organizadas na costa leste...


Em seguida, Virgil assume uma posição mais adequada aos eventos. Ele se energiza com uma carga extra de um Zap-Capz, garantindo energia suficiente para talvez dias sem uma recarga, natural ou externa, se dirigindo em seguida ao jato, com a seguinte frase:

-Ok, não temos muito tempo a perder. - Usando seu poder para simular uma esfera de energia - Eu tenho uma bola, quem joga no meu time?

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Scorpion em Dom Ago 16, 2009 2:47 am

Dagon levanta a sombrancelha curioso sobre a afirmação renovada de Robin. Ele diz friamente.
Garoto. Nós vampiros somos muito conhecidos por várias coisas, entre elas nossa grande audição. Eu ouvi da primeira vez que você falou. Não sei qual a sua, mas o outro "filho" do Batman confiava em mim. Quanto a meus hábitos alimentares, você pode ficar tranquilo. O corpo humano pode perder meio litro de sangue antes de ficar anêmico. Felizmente eu tenho de beber metade disso para me alimentar e só o faço de criminosos. Batedores de carteira anêmicos... tenho certeza que você pode viver com isso, não é? As fraturas que vocês, vigilantes de Gothan causam neles é bem pior do que isso, tenho certeza.
Depois dessa lição de moral, David continua na sua e esperava não ser mais importunado por sua condição vampírica.
Além disso, eu vim aqui pelos motivos certos, Robin: ser um herói num mundo deficiente deles. E você? Será que vingança é um motivo bom o suficiente para voltar aos titãs? Não julgue o livro pela capa, meu amigo. Não acredite em tudo o que você vê nos filmes sobre vampiros. Nem todos nós somos os vilões...
Ele então extende a mão para Robin como um gesto de boa fé.
Companheiros? Sei que você gosta mais de morcegos do que qualquer um aqui. Então já temos algo em comum.
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2322
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Convidad em Dom Ago 16, 2009 12:14 pm

Devastadora ouve as palavras de Robin com uma expressão mal humorada no rosto. Ao ouvir o nome de seu pai, instintivamente leva a mão até uma das espadas, mas parece desistir antes de desembainhá-la.

- Não confia em mim, gatinho? Não era eu quem estava escondida nas sombras...
- falou com um sorriso de desdém, antes de dar as costas para o herdeiro do Morcego. - E eu lembro de quem é meu pai cada vez que olho no espelho. Não preciso de um pirralho pra me lembrar disso. Cuidado com as palavras, Morceguinho.

Rose se afastou. Não tinha a menor vontade de falar com ninguém ali, e mais uma vez se questionava se ir até lá tinha sido uma boa idéia. Até que nota a aproximação do Besouro Azul. Era um dos poucos ali pelo qual Rose tinha um certo respeito. Ela sorri pra ele de forma irônica, enquanto comenta.

- Parece que pouca coisa mudou. Ainda me sinto no meio de um maldito concurso de popularidade.


Então teriam mais uma hora. Após permanecer ao lado do Besouro Azul por mais alguns minutos, saiu, mas ao contrário do Superboy, se dirigiu para algum lugar no interior da caverna.

- Nos vemos na nave.




Tomando cuidado pra não ser seguida, Rose Wilson caminha pelo local, procurando algum lugar que pudesse ser trancado, ou ao menos tivesse a certeza de que não seria incomodada.



Seu coração começou a palpitar mais rápido, sua pupila tornou-se dilatada. E a mente de Rose Wilson se abriu, de modo que se tivesse uma premonição, poderia confiar nela. E sentiu-se mais confortável. Pouco tempo depois, caminhou até a nave.

"Então, é isso... Tu está do lado dos samaritanos de novo, Rose."



Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Convidad em Dom Ago 16, 2009 4:34 pm

Como já era previsivel, as coisas realmente não estavam indo como o esperado. Disputas internas e falta de entendimento entro os membros ainda eram os piores inimigos que os Titãs já haviam enfrentado.
O segredo era conseguir superar aquilo e avançar em um novo nível.
Apenas uma unidade bem alinhada poderia dar resultado no futuro. Era imprescindivel agir como um time, cada um confiando no outro e apostando em sua defesa nos momentos mais dificeis.
Em meio a seus pensamentos, não pode deixar de sorrir as palavras do Super-Choque. Com certeza ele tenta esconder seu nervosismo por trás de uma ação inconsequente.

- Calma, Choque. Não somos uma "Gangue", somos uma equipe. Não tentamos ignorar nossas diferenças, agindo como se fossemos todos uma única pessoa, motivada por uma única idéia. Nâo, nosso objetivo é desenvolvermos o que nos torna diferentes, aceitar isso e nos complementarmos. Devemos nos tornar uma unidade de combate coesa e eficiente. E devemos lembrar sempre que todos nós somos humanos, com direito a cometer erros e, o mais importante, nos desculpar e seguir em frente quando isso acontecer. e pode ter certeza de uma coisa, isso vai acontecer.


Se dirigindo ao jato para uma avalaição completa de suas condições, nota a conversa entre Dagon e Robin, bem como a saida da Devastadora. Ás portas do jato, vira-se e fala em voz alta para todos os presentes:

- Lembrem-se todos: agora, nós todos somos os Titãs. Não importa o que pensam uns sobre os outros, nós devemos agir como uma equipe. Em combate, a vida de um depende da habilidade do outro. Se alguém tem um problema particular, esqueça. Agora não é a hora de lidar com isso. Vamos ter nossa conversa depois da Missão. Eu não sou frio como o Asa Noturna, mas também não sou tão amigável como Tróia. Então não subestimem o potencial dessa equipe.


Tempest havia se acostumado a comandar durante o tempo que convivera em Poseidonis, tinha assumido muito dos aspectos de Aquaman e de Atlan, seus professores em caminhos diferentes.
Sob muitos aspectos, Tempest é um sujeito muito diferente daquela que outrora fora Aqualad, muito mais confiante em seus poderes e sua função para a equipe. E agora, como lider dos Titãs, não estava preocupado em provar nada a ninguém, mas levava muito a sério sua missão de substituir a Liga da Justiça.
Sem mais nada a dizer, entra na nave e passa a checar todo o sistema e prepará-la para o vôo.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Nasinbene em Ter Ago 18, 2009 9:04 am

Robin olha pra mão estendida de Dagon por um momento e em seguida, retribui o cumprimento, olhando diretamente nos olhos do Vampiro. Um leve sorriso se forma nos lábios de Tim e ele responde:

- Batedores de carteiras anêmicos. Claro, posso viver com isso perfeitamente. De fato, soa até meio irônico... Muito bem, Dagon se o Asa Noturna confia em você, não vejo motivos pra eu não confiar... E só pra esclarecer, Dagon. Não vim por vingança. Se eu quisesse me vingar, haveria meios mais eficazes de fazer isso sem recorrer aos Titãs. Eu vim por justiça.

Embora não mentisse quando disse que confiaria no vampiro, Tim manteria um olho aberto. Nunca se sabe quando as coisas podem escapar ao controle e não seria por falta de cuidado que isso aconteceria. Se Conner, que era o melhor amigo de Tim havia sucumbido momentâneamente à influência de Luthor, por que isso não poderia acontecer com Dagon, que estava sempre sob uma influência ainda pior, no caso a fome?
Enquanto falava com Dagon Robin ouvia o que dizia a Devastadora. Já esperava aquela reação. Ao mencionar o nome do pai de Rose, Tim observara cada reação dela. Os arquivos da Caverna diziam que Rose já havia sofrido forte influência de Slade Wilson no passado. Tim não sabia até que ponto aquela reação da jovem ainda era resultado daquela influência ou se era indignação pura e simples. O tempo responderia isso...
Após a saída de Conner, Tim também deixa o local, revisa seus equipamentos e armas, bem como seu bastão. Faz isso com atenção e em silêncio. Logo, Robin está pronto e parte rumo à nave...

off: Borrachudo, pessoal, sei que já estamos em outro tópico mas senti a necessidade de postar aqui antes de irmos pra aventura propriamente dita. Caso não esteja de acordo, Leo, fique a vontade pra apagar a postagem, ok? Ainda hoje posto no tópico da Missão. Abraço
avatar
Nasinbene

Número de Mensagens : 1239
Data de inscrição : 29/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Leo Rocha em Ter Ago 18, 2009 10:26 am

Nota do narrador: Tudo certo Pássaro Verde! Pode continuar no outro tópico.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4092
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fúria de Titãs - Prólogo

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum