Ato 2 - Ano letivo começa...

Página 4 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Phelipe Peregrino em Sex Out 06, 2017 8:12 am

Enquanto contava seu plano, Chris não tinha certeza se alguém iria, realmente, ouvi-lo. Para sua surpresa, alguém ouviu. Para sua surpresa maior ainda, nenhum deles foi seus amigos. "Isso é pra você lembrar: Todo mundo odeia o Chris!" Gray, Ushio e Kazuki buscaram as pesadas mesas das salas e juntos formaram uma barricada. Kouga e Hoshi atraiam a atenção dos kabanes, que se aglomeravam no corredor. Eles deixaram uma pequena passagem em um dos cantos, para que a dupla pudesse voltar para a segurança depois de atrair a atenção das criaturas, passagem que foi rapidamente fechada logo depois que isso aconteceu.

Chris: Hoshi, Ushio e Kazuki... - Agora viria a segunda parte: Se livrar das criaturas. Todo o objetivo do plano era poupar energia. Não ficar lutando à esmo. No fundo, Chris esperava contar com a habilidade de espada do Isao e até do Yamamoto. Mas nenhum dos dois estava lá. Chris encarou as criaturas. Hoshi e Kazuki invocam armas, e Ushio, em sua forma bestial, não teriam problemas pra ajudar. Ainda mais estando numa posição tão vantajosa do campo de combate. - Agora é com vocês. Acabem com essas coisas! Gray, Kouga... Nós precisam garantir que essa barricada fique de pé.

E assim o combate começou e o primeiro sangue no corredor foi derramado. Não era bem um combate, de fato, porque os adversários mal tinham chance de se defender. As artérias perfuradas das criaturas espirravam um sangue negro e mal cheiroso, de aparência e textura desagradáveis, mas isso não impediu ninguém de seguir com seus objetivos. As lâminas de Hoshi cortavam, a lança de Kazuki perfurava, e as garras de Ushio dilasceravam. Enquanto isso, Chris, Gray e Kouga apoiavam a barricada para que ela não caísse sob o peso das criaturas.

A vitória da batalha, "mas não da guerra", parecia próxima, afinal.

???: Boa ideia, boa ideia. Hihi.

Parecia.



???: Acabem logo com isso... - A voz o atingiu e lhe arrancou arrepios. - Eu também quero brincar!

Teste de Percepção:

Quantidade aleatória (1,30) : 19

_________________
avatar
Phelipe Peregrino

Número de Mensagens : 1417
Idade : 28
Data de inscrição : 27/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/phelipe.peregrino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Phelipe Peregrino em Sex Out 06, 2017 1:16 pm

???: Acabem logo com isso... - A voz o atingiu e lhe arrancou arrepios. - Eu também quero brincar!
 


A voz o atingiu, mas o que fez seu coração palpitar e o suor brotar de sua pele não foi a voz... Foi a aura. Uma aura macabra e terrível. Tão cruel quanto a aura da criatura no pátio. Sádica de uma forma juvenil. Os pelos do seu braço se arrepiaram e cada instinto de sobrevivência de seu corpo gritava para que fugisse dali. Olhando ao redor, ele reparou que nenhum dos colegas tinha sentido a presença massacrante da menina que balançava jocosamente diante de seus olhos.

Chris: Ash...

Chris sussurrou, sua voz falhando em sua garganta. Engoliu em seco, depois gesticulou bem lentamente para que o colega ficasse imóvel. A menina balançava as pernas de forma inocente, talvez estivesse cantarolando, mas ele já não saberia dizer o que era só imaginação. Sentia como se uma aranha rastejasse por sua espinha, e a sensação era paralisante e sufocante. Já sentira algo parecido? Sim, quando encontraram a criatura que devorou o Mr. Justice. Aquela sensação que só poderia significar que estavam diante de alguém que era puro mal.

"Ela vai nos matar". Ele acertou a postura. "Não vai nos deixar sair daqui vivos". Encarou a menina nos olhos. "Eu posso sentir isso...". Seu punho cerrou. "Não posso deixar que ela entre em combate com a gente. Tenho que proteger meus colegas. Como? Só com a aura eu sinto que ela poderia nos esmagar! E se meus colegas não sentiram, significa que ela está mantendo a própria aura oculta! Ela deve ser mais poderosa do que isso... Preciso trazer a luta para os meus termos. Nos dar alguma vantagem. Preciso garantir que meus colegas saiam daqui vivos. EU preciso sair daqui vivo. Como? Que saco! Pensa, Chris! Vamos! O que você tem que ela não pode te superar?! O que você sabe sobre ela que pode te dar alguma chance? O quê? "É uma menina..." Não é o suficiente! "Criança!". Você pode fazer melhor do que isso. "Toda enfaixada." Isso não vai te ajudar. "Ela é má." Isso não ajuda. "Ela é má." Você já disse isso. "Ela é má." PENSA, CHRIS!

Flashback escreveu:???: Acabem logo com isso... Eu também quero brincar!

Chris: Ela quer brincar... - Sussurrou.

Ele deu um passou firme. O som de seus colegas lutando com os monstros à suas costas tornava o cenário ainda mais surreal. Parou diante da menina e disse com voz firme, tentando passar uma confiança que não fazia o menor sentido.

Chris: Eu brinco com você! - Ele respirou. Cada palavra era planejada com cuidado. Cada palavra sendo potencialmente a sua última. - Que tal... Adivinhações? Você tem cara de que é muito boa nesse jogo. - Chris ficou imóvel por um segundo, tentando ler alguma reação por parte da menina. Ele ergueu a mão, mostrando cinco dedos. - Cinco perguntas pra cada. Cada pergunta que eu vencer... - "O quê? O que eu quero?! Ela não vai deixar a gente ir, mesmo perdendo. Não posso abusar da sorte. Preciso aproveitar a oportunidade pra virar o jogo pro nosso lado. Ganhar tempo e informação." - Cada pergunta que eu vencer você me responde uma pergunta. Qualquer pergunta. E não pode mentir!

Ele mais uma vez respirou fundo. Agora vinha a parte difícil. A parte que faria o jogo ser irrecusável para ela. "Ela é má". É, ele sabia. Por isso a solução tinha que ser má.

Chris: Cada pergunta que você vencer... - Ele pensou por mais um breve segundo. - Você quebra um dos meus dedos.

Ele aguardou um outro momento. Breve.

Chris: O que me diz? - Ele tentou soar natural. - Não estou pedindo pra você soltar a gente nem nada. Sei que você vai nos matar de qualquer forma, e também não vou tentar fugir. Eu só quero brincar. - Ele deu de ombros. - Uma última vez. Aceita?

_________________
avatar
Phelipe Peregrino

Número de Mensagens : 1417
Idade : 28
Data de inscrição : 27/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/phelipe.peregrino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Renata C. em Sex Out 06, 2017 7:45 pm



"I always thought I might be bad
Now I’m sure that its true
‘cause I think you’re so good
And I’m nothing like you"

--

A garota de cabelos vermelhos estava sentada na cama, diante de algumas roupas, itens de higiene pessoal, que empacotava enquanto se preparava para ir para sua nova escola. Olhava para as peças que tinha escolhido, atenta. Depois dava um suspiro. Aquilo tudo era realmente necessário?

Por fim sentava-se na beira da cama, uma das mãos com as unhas pintadas de esmalte preto alcançava um saquinho de pipocas, pegava um punhado e enchia a boca com elas.

Porque eu tô fazendo isso mesmo?

Já iria perder os primeiros dias de aula, por conta de uma documentação que ainda estava faltando. Porque ela havia deixado tudo pra última hora, bem, como todas as outras coisas. O trem partiria em duas horas e ela estava ali ainda, escolhendo roupas.

Tantas pessoas que dariam qualquer coisa para estar no lugar dela, e ao invés de ser grata pela oportunidade de frequentar a Universidade de Heróis, ela se perguntava se deveria mesmo ir.

Não porque não era o sonho dela se tornar uma heroína. Mas, com uma habilidade como a dela, Akane era mesmo capaz de defender alguém? Estava mais para causar destruição por onde passasse. Além de seu temperamento que variava entre a total apatia e o péssimo humor. E esse péssimo humor influenciava sua individualidade a ponto dela se tornar um perigo para as outras pessoas. Um dos motivos pelos quais ela havia se inscrito era aprender a controlar melhor seus poderes.

Isso ficava martelando na cabeça da garota, porém não era algo que tinha coragem de falar para outra pessoa, nem mesmo para os seus pais. Que por sinal estavam tão orgulhosos da filha que mal podiam se conter. Porque eles acham que eu posso fazer todas essas coisas?

Finalmente terminou de arrumar a mala, se despediu de seus pais e saiu na direção da estação de trem, por um milagre ainda tinha algum tempo antes dele partir e a garota aproveitava o tempo livre no enorme fliperama que havia do lado da estação.


E após algumas horas, estava lá. Era isso.


Ouvia a musica com enormes fones de ouvido que pareciam protetores de orelha, os olhos fechados e movendo as mãos conforme as batidas da bateria.

Não havia muito além disso para fazer. Estranhamente, um dos alunos havia sido assassinado, bem no dia que ela chegou, o que impossibilitou o início das aulas, bem como que fizessem qualquer outra coisa. Sentia vontade de sair por aí investigando o que aconteceu, mas pensou que talvez fosse melhor ficar longe de problemas, ao menos no seu primeiro dia. Sem contar que a escola deveria ter um número de heróis que era suficiente para...

Quando Akane abriu os olhos, viu que sua colega de quarto olhava pela janela, um tanto aflita. Por isso, a garota levantou-se, deixando os fones de lado, e indo olhar também. Estavam sob ataque? Se preparava para sair e enfrentar seja lá o que estivesse causando tanto barulho lá fora, afinal poderiam precisar de ajuda. Mas eram impedidas de sair por uma barreira de luz, que era criada por um dos garotos.

Humph. Típico herói metido a machão?

Akane: Quem disse que precisamos de sua ajuda?

Uma horda de coisas parecidas com zumbis golpeavam a redoma de luz, se amontoando diante deles. O garoto dizia que a escola estava sendo atacada não somente por monstros, mas por vilões também. Mas não deu muito tempo de pensar a respeito, pois.. um deles estava ali dentro.

Haviam uma lista de coisas das quais poderiam chamar Akane: boca suja, largada, sem juízo, e por aí vai. Mas com certeza uma coisa que não poderiam dizer é que ela era burra. A primeira coisa que reparou no vilão que agora os ameaçava era que ele usava algo como uma máscara de gás? Talvez tivesse relação com os seus poderes? O que parecia meio óbvio, era que manter a redoma era uma péssima ideia se aquele desgraçado tivesse intenção de envenenar todos eles ou matá-los sufocados.

Era difícil pensar no que fazer enfrentando um cara que nem sabiam qual era a habilidade. A garota de cabelos vermelhos apontava para os zumbis.

Akane: Tem uma forma de acabar com eles rápido? Manter essa redoma por muito tempo me parece uma péssima ideia. Eu vou descobrir o que ele é capaz de fazer.

Não esperava ser capaz de vencer o vilão sozinha, era óbvio. Mas sim ganhar tempo e pensar num plano melhor, desta vez sabendo o que enfrentava.

Então caminhava na direção do vilão, faria o que sabia de melhor: ser irritante.

???: Não temam... será indolor.


Akane: Pena que não posso dizer o mesmo para você!

_________________


"Miracles aren't free, you know. If you wish for something good to happen, a whole lot of bad stuff is gonna happen too. I guess that's how the world stays in balance, good bad, everything zeros out. "
avatar
Renata C.

Número de Mensagens : 495
Idade : 32
Data de inscrição : 27/08/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Drako em Sex Out 06, 2017 7:54 pm



Memórias difíceis brotam novamente na cabeça de Ray Callitri, do momento em que teve que pedir perdão para a garota que ele gostava. Os jovens a sua frente e o sentimento que eles nutriam um pelo outro o fizeram abrir essa cicatriz há muito enterrada.

Porém, o presente também não lhe guardava boas notícias. Kaneki e Touka se revelaram como infiltrados na universidade de heróis e estavam prontos para lutar com ele. Apesar de tudo, sentiu que Kaneki Ken estava balançado, ele não queria fazer parte daquele ataque.

Ele inicia um plano para atrair o garoto até ele. Conta sobre o seu trauma de quando matou todos os seus amigos e que não queria perder mais nenhum. Se ajoelha e diz a Kaneki que deveria mata-lo, que não iria lutar mais.

Ken olha assustado, ele não queria matar Ray, mas estava numa encruzilhada, pois aquela era a sua missão e a felicidade dos dois dependia daquilo. Ele anda alguns passos e para, olha para Touka. Quando volta a andar até Callitri, a garota resolve se manifestar.

Touka: Não seja tolo, Ken!! Acha que alguém como ele se entregaria desse jeito?!!

Ela corre até Kaneki e para a frente dele, há alguns metros de Ray.

Touka:
Já chega de sentimentalismo, Ken! Vamos acabar logo com isso!


Ela abre da área dos ombros o que parecia ser uma asa, vermelha como sangue, que flui como água. Ken continua atrás dela, mas não mostra nenhuma reação, ele não pretendia atacar por enquanto.

Touka: Pouca gente viu um Kagune de um membro do nosso clã e viveu para contar a história. Vou me certificar com que você não seja o primeiro!!

Ela balança seu Kagune e vários projéteis vermelhos em formas de penas são lançados na direção de Ray, que se mantinha ajoelhado.

Touka: Tenha a morte de guerreiro que tanto quer.


Off: Rapha, faça um check de agilidade. Seu personagem não é ágil, por isso o nível de dificuldade é maior. Além disso, você se ajoelhou em frente ao inimigo julgando que o Kaneki iria até você. O garoto está balançado, mas ela não. Os dois tem o mesmo objetivo, mas ela está pronta para matar todo mundo se isso der a liberdade para eles.

Você tem 10 de agilidade, jogue um d20. Precisa somar 25 para passar. Quanto mais longe dessa marca você tirar, maior o dano.

_________________
avatar
Drako

Número de Mensagens : 1759
Idade : 28
Data de inscrição : 28/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.ds-club.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Scorpion em Sab Out 07, 2017 12:22 am

Parece que a menina não caiu mesmo no truque... Porém, o pobre do garoto parecia não querer brigar. Aquilo era bom, porém, Ray não era estúpido... ele teria de tentar nocautear os dois de uma vez. Se fosse para cima de Kaneki, a garota se aproveitaria da situação e o atacaria por trás... Se atacasse a garota, Kaneki ficaria possesso.

De acordo com ela, eles eram Kagunes de um certo clã... Um clã que Ray nunca ouviu falar e nem se interessava, no momento. Ele estava ajoelhado, quando ela gritou que daria a ele a morte de um guerreiro que ele tanto queria.

Ray: Dá o seu pior, então...

Péssima escolha de palavras, Callitri. Ray arregalou os olhos quando viu aquelas penas de energia vermelha saindo das costas dela e sendo atiradas violentamente em sua direção! Ele tentaria esquivar apenas com um rolamento de costas, fazendo com que as penas não o atingissem, ou atingissem o chão.

Quantidade aleatória (1,20) : 5

[OFF]: Drako, vou postar assim e logo abaixo fazer o post da minha ação, pois como não tenho como saber o resultado do dado, isso vai infuenciar diretamente o que vou fazer. Abraços!

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2403
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Scorpion em Sab Out 07, 2017 12:37 am

Aquelas coisas acabaram me atingindo bem em cheio... A dor era grande. Ray caiu no chão sentindo uma dor escruciante... mas, será que já estaria derrotado?

O cheiro da grama molhada se fazia muito presente agora. Talvez nunca tivesse sentido tanta dor na vida... mas se estava ali, era para se tornar um herói... então, tinha de lutar até o fim! Não podia entregar os pontos e nem deixar os seus outros colegas na mão.

A traição de Kaneki e Touka iraram Ray... porque se havia algo que Ray Callitri prezava era a fidelidade. Se Kaneki não queria ferir ninguém, porquê tentar levar alguém junto para procurar Touka? Certamente o garoto estava perdido nos pensamentos... mas quer saber? Ray não ligava...

Se ainda tivesse condições de lutar, Ray ainda abaixado se aproveitaria de que os inimigos não sabiam se ele estava em condições ou não... porém, fagulhas de eletricidade começaram a brotar no ar. Aquele som característico do pipoco de eletricidade estalando ao chocar-se com as moléculas de água do ar úmido... O único olho bom de Ray estava carregado de eletricidade... Mas ele não iria usar seu ataque máximo... Não....

Ele estava aprendendo a controlar cada vez mais o seu poder. Na verdade, era um dos melhores alunos da classe naquele quesito! Era hora de aquele casal ver o tamanho do buraco que se enfiaram... Por amis que a menina fosse ágil... ela não deveria ser mais rápido do que... um relâmpago caindo bem em cima dela com 20 mil volts.

O herói foi se levantando aos poucos, como aqueles heróis de anime quando estão feridos.

Ray: Você vai pagar por isso, garota...

O olho de Ray brilhava em um azul faiscante, tornando impossível ver suas pupilas...

Ray: Kaminari no haru!!! *TROVÃO NASCENTE!!! (técnica nível 2: 20MP)



_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2403
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Drako em Sab Out 07, 2017 10:44 am


Jay e Akane estavam presos no dormitório junto ao inimigo. Alburn prefere não fazer o primeiro movimento e analisar a situação. Ueno, por sua vez, resolveu caminhar até o vilão e tentar ser irritante com ele.

Akane: Pena que não posso dizer o mesmo para você!

O homem atravessou a distância entre os dois em um segundo, segurando a menina pelo pescoço e levantando-a. Ele aperta, mais e mais, enquanto a garota se contorce no ar, agitando as pernas e tentando tirar a mão dele de seu pescoço.


???: Eu disse que seria indolor? Bem, eu menti.

Akane se preparava para liberar seu poder de fogo, quando o vilão é acertado pelas costas. Uma das meninas, Mumei, tinha se teleportado para trás dele levando junto outra colega de classe, Morgiana, que o chutou fortemente nas costas.

O chute o fez soltar Akane, que no mesmo instante se afasta se juntado ao grupo atrás dela. As outras duas fazem o mesmo.


Asuna: Alguém ai tem algum plano?!

O vilão se recupera do chute, que foi potente, mas não forte o suficiente para lhe causar algum dano. Ele continuava com a mesma expressão fria nos olhos, não dava para saber muito bem o que aquele cara sentia no momento. Eles ficam em um empasse, até que seus olhos se tornam negros, com a íris vermelha.

???: Vamos levar isso mais a sério, que tal?

De suas costas brotam um enorme tipo de cauda, vermelha, que brilhavam em certas partes, como se fossem veias. O tamanho era tão grande que poderia alcança-los com facilidade daquela distância.


E ele ataca todos os seis alunos ali, primeiro indo em direção de Mumei, que se teleporta para fugir do ataque. Quando a cauda dele atinge o chão, abre um buraco no piso, podendo ver o andar de baixo. A cauda se levanta rapidamente e ataca Morgiana e Asuna, também conseguem desviar, porém Asuna foi atingida no braço, abrindo um corte profundo. Ela tenta estancar o sangue com as mãos.

Não só a força daquela cauda era imensa, mas era afiada como uma espada.

Os próximos ataques seriam em Jay, Akane e Ceresa, nessa ordem.

Off: Sato e Renata, check de agilidade. Usem o D20. Agilidade do Jay é 13. Akane é 15. Boa sorte. Somatório de 25 para fugirem do ataque.

_________________
avatar
Drako

Número de Mensagens : 1759
Idade : 28
Data de inscrição : 28/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.ds-club.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Drako em Sab Out 07, 2017 11:49 am

Enquanto isso...


O ataque à universidade tinha começado e no centro dele estava um grande monstro ameaçador. Sua mera presença criava uma pressão excruciante, como se a gravidade tivesse aumentado por uns instantes. A sua volta havia uma horda de Kabanes, que corriam para todas as direções da universidade. Por sorte, não havia alunos andando pelo campus, pois a ordem era que todos ficassem nos dormitórios até o dia seguinte.

O monstro começa a andar e pela direção que ele seguia, dava a entender que pretendia chegar aos quartos dos alunos.

Porém, o nome daquele lugar não era Universidade de Heróis atoa. Se os alunos eram aspirantes a heróis, os professores eram profissionais.

Michelle: A audácia que vocês têm de fazer toda essa destruição aqui, na minha casa, me dá nos nervos. Pensei que não tinha como eu ficar mais furiosa hoje, mas vocês conseguiram me deixar puta!


Ela saia das chamas criadas pela explosão que trouxe os monstros até a universidade. Os alunos não sabiam, apesar de terem aulas com ela todos os dias, que Michelle K Davis era uma dos heróis mais fortes que existiam. Portando o Tier 4, um dos mais raros, ela era um dos principais membros do grupo de heróis chamado de World of Heroes. Seu nome era temido entre os vilões, a mulher mais poderosa do mundo.


Alpha: Não vou perdoar nenhum de vocês! Não depois de tudo que fizeram!

O monstro parou em frente a ela. Os kabanes que estavam em volta dele foram rapidamente destruídos por quatro sombras. Em segundos o monstro estava cercado.

Eram Zodiac, String, Sportsmaster e The Dragon.


Zodiac: Vamos acabar logo com isso e ir atrás dos alunos.


Sportsmaster: Ah não, vamos fazê-lo sofrer pelo que fez. Começando pelas pernas, depois os braços e depois...


The Dragon: Estou irrado!!! Meus preciosos alunos... ninguém mexe com meus preciosos alunos!!


String: Não temos muito tempo! Andem logo!




Enquanto os outros professores lutavam com o monstro, SmartGirl corria até a sala do diretor, matando Kabanes durante o percurso.

Chegando próximo ao local, ela viu dois alunos mortos, cobertos de sangue.

SmartGirl: Hmm...

Abriu o gigante porta da sala do diretor.

SmartGirl: Diretor Drayden—

Olhou em volta, mas ele não estava lá. Foi até a mesa do diretor, todas as câmeras estavam abertas, ela pode ver que os alunos da turma 2x17 estavam enfrentando vilões. Sentou-se à mesa, entrou no changelog do computador. Estava apagado.

Abriu os códigos completos do sistema, eram meio complicados, mas nada muito difícil para ela. Só o diretor tinha acesso completo a todo o sistema de segurança da universidade, mas ele era tão acima de suspeitas que ninguém chegou a cogitar a possibilidade dele estar envolvido em nada. Minutos depois, com ajuda do acesso superior da conta de Drayden, ela tinha recuperado as imagens perdidas do dia. De quando King tinha sido assassinado. Ela se levanta surpresa! Olhos arregalados! Ligou o comunicador e falou com Alpha.

SmartGirl: Alpha... quem matou o King foi o diretor Drayden!

Mas o comunicador começou fazer um ruído, tentou os telefones, mas todas as comunicações estavam fazendo o mesmo ruído. Ela corre até a janela e vê algo se formando lá fora.




Os dois homens ainda estavam em cima do mesmo prédio, olhando tudo ocorrer. Um olha para o outro e balançam a cabeça afirmativamente. Pularam do prédio e correram um para cada ponta da universidade. Ligaram o comunicador.

???: Pronto, irmão?

???: Sim!

Um em cada extremidade da universidade, juntaram as palmas das mãos, que brilharam, e tocaram no chão, gritando ao mesmo tempo.

???: BARRIER!!

Surge então em volta da universidade uma enorme barreira que sobe até os céus, prendendo todos os que estavam lá dentro. Ninguém entraria, ninguém sairia.

_________________
avatar
Drako

Número de Mensagens : 1759
Idade : 28
Data de inscrição : 28/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.ds-club.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Guima em Sab Out 07, 2017 2:50 pm

Ash: Mas é um caralho mesmo!!

Vejo que o plano de Harry não foi muito bem executado. Agora ele e o Isao estão cercados daqueles Kabanes... Pra ajudar a guria mumia aparece perto de mim e de Chris dizendo que quer brincar... brincar do que ? Mano... O Chris ta passando um cagaço da porra... e eu também. Essa guria é muito sinistra.... Tipo a Samara do Chamado, mas bem pior...

Carai... o Chris a desafiou pra um jogo. Enquanto ele distrai ela, eu vou pra cima dos Kabanes que estão cercando a gente. É a melhor opção no momento. Ta na hora de porrar... Vou mostrar pra esses putos o que é uma briga de verdade.

Estralo meus dedos e soco a palma da minha mão esquerda. Hora de Porrar!

Ash: Ô CDF! Enquanto você brinca de verdade e desafio com a Samara Mumia, eu vou partir pra cima dos Kabanes que estão se aproximando. Se precisar de ajuda grita, estarei por perto.


Muscular Unleash! Modo Fierce!

Em modo Fierce minha força aumenta exponencialmente em mais 15% suficiente para lidar com esses Kabanes. Mas mesmo assim preciso tomar cuidado. Tenho força suficiente para destruir blocos de concreto... Com as duas mãos eu soco o chão arrebentando o concreto para que ele se quebrasse em alguns blocos grandes. Pego esses blocos e faço-os de "luvas" para atacar os Kabanes com uma certa segurança...

Podem vir! Hora de comer grama pela raiz. Tomem Isso!

Parto pra cima metendo a porrada sem dó.


_________________
avatar
Guima

Número de Mensagens : 2280
Idade : 32
Data de inscrição : 12/12/2009

Ver perfil do usuário http://www.remistico.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Drako em Sab Out 07, 2017 5:01 pm


O plano de Chris tinha dado certo. Eles conseguiram juntar uma boa quantidade de zumbis no corredor e dar cabo dos monstros. Por um segundo ele sentiu o gostinho da vitória, que pouco durou. Ao ouvir a voz da garota, ele sentiu a aura macabra que vinha do corpo dela. Percebeu que não se tratava de um inimigo qualquer, ele sentiu a mesma pressão esmagadora que aquele monstro gigante proporcionava, porém a “garota múmia” conseguia esconde-la, tornando-a muito mais perigosa.


Ao notar a situação que se encontrava, Stone tenta um diálogo. Revirou sua mente em busca de algo que poderia lhe ajudar, e se prendeu a fala da menina de que queria brincar. Fez daquilo uma aposta e tentou realmente brincar com ela.

Chris: Eu brinco com você!

Ela vira a cabeça na direção dele bruscamente e abre um sorriso macabro que podia ser visto por baixo das ataduras. Ela salta e para em frente a ele.

Chris: Que tal... Adivinhações? Você tem cara de que é muito boa nesse jogo.

Ela cruza os braços.

???: Chaaaaato.

Chris: Cinco perguntas pra cada. Cada pergunta que eu vencer...  Cada pergunta que eu vencer você me responde uma pergunta. Qualquer pergunta. E não pode mentir! –Diz ele erguendo a mão com os dedos estendidos.

???: E eu? –Ela fala apontando o dedo para o rosto.

Chris: Cada pergunta que você vencer...  Você quebra um dos meus dedos.

O sorriso volta para o rosto dela, ficara tão feliz em ouvir aquilo que se contorcia toda.

Chris: O que me diz? Não estou pedindo pra você soltar a gente nem nada. Sei que você vai nos matar de qualquer forma, e também não vou tentar fugir. Eu só quero brincar. Uma última vez. Aceita?

???: Tá!! —Ela balança a cabeça para cima e para baixo, com muita alegria.—Mas se eu acertar todas as cinco eu vou te matar logo, tá bom?!

Ela senta no chão, na posição da perna de índio, com as mãos no joelho esperando pacientemente as charadas do Chris.


Enquanto isso, Ash ativa seu Muscular Unleash, Modo Fierce (-5 MP) e volta a sua atenção para os novos Kabanes que começaram a aparecer no corredor. Ele tem a ajuda dos colegas de classe que seguravam a barreira improvisada.

Ash soca o chão, quebrando o concreto em grandes pedaços e as usa de luva. Assim que se sentiu seguro, ele correu até os zumbis e começou a limpa no lugar.

Ash: Podem vir! Hora de comer grama pela raiz. Tomem Isso!

Não demorou muito, o número de Kabanes era menor, então não tiveram problemas. Alguns minutos depois, só tinham zumbis no chão e sangue negro espalhado. Ash limpa o sangue de perto da boca na blusa.

Por alguns segundos só podiam ouvir o barulho do vento entrando pelas janelas e o corredor. Até que o prédio treme. Foi um tremor rápido, como se algo tivesse batido no chão.

Então tudo treme de novo.

E de novo.

E de novo. Em uma forma rítmica. Pareciam passos.

Enfim, os jovens puderam ver, virando o corredor e subindo as escadas até eles.


Era um Kabane enorme, um pouco maior que o próprio Ash, forte e desproporcional. Ele carregava o corpo de um dos alunos de outra classe. Sua boca estava suja de sangue.

Quando vê os garotos, ele dá um urro. E parte para o ataque. Ash estava na frente e é o primeiro a ser acertado com um soco potente.




Ash> MP: 55
Chris> MP: 60

Off: Lib, jogue no chat 5 dados de 10, representando as 5 rodadas de perguntas. Após você fazer isso, eu vou jogar 5 dados de 10 também. Quem tirar o maior número em cada rodada vence. Em caso de empate a vitória é sua. Boa sorte!

Guima, faça no chat um check de resistência. Jogue um d20. Como você está com o Muscular Unleash, seu teste será mais fácil. Você tem 11 de resistência. Precisa somar 20 com o dado. Boa sorte!

_________________
avatar
Drako

Número de Mensagens : 1759
Idade : 28
Data de inscrição : 28/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.ds-club.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Ricardo Sato em Sab Out 07, 2017 7:59 pm

O vilão aparece e nos ameaça....sendo ele de um grupo que recrutou meu pai eu acredito nas ameaças,mas isso também quer dizer que como antes eu não vou me render.Uma garota que não conhecia vai até ele,percebo que foi a primeira que gritou comigo,respeito sua MÁ atitude e deixo escapar um sorriso,mas o contra-ataque do homem é rápido e só não acaba pior por causa da ação rápida das garotas.

Boa....

Logo até mesmo tenho dúvidas sobre se aquilo é um homem e não um monstro,uma cauda feita de sei lá o que surge,mas seu poder é inegável,logo todos somos atacados em um instante....percebo aquilo vindo em minha direção e me lembro de que a garota tinha dito pra derrubar a barreira,o que era ótimo pois não posso me mover livremente enquanto mantenho Shield of Light.

Cuidado com os zumbis!!!!

Jogo o meu corpo lateralmente enquanto deixo o escudo cair,coloco uma mão no chão e completo uma "estrela" em direção as garotas...a frente de Ceresa,ela pode odiar aquilo ou mesmo a mim,mas não me importa se pra gritar comigo ela tem de estar viva.....ainda no ar sigo com meu plano.

Light rain!!!

Logo onde a parede estava incontáveis pequenas esferas de luz surgem e de cada uma um raio de luz que ricocheteia entre os zumbis os atingindo,tento eliminar uma boa área ao nosso redor mas logo antes da minha capacidade de ricochete acabar tento direcionar os raios para o vilão....digo tento porque quando finalmente toco o chão percebo uma coisa.

Acreditava que estava a salvo do golpe mas me enganei por 3mm,quase sai da frente mas sinto que o golpe raspou minha carne...aquela coisa era tão afiada quanto forte,felizmente não treinei tanto a toa,engulo a dor e lembro das horas com o professor Sportsmaster e seu treino brutal enquanto tento ficar de pé,mas percebo que um outro golpe vem,aquele que ia contra Ceresa....aquele no qual me pus no caminho.

off escreveu:Drako,considerei que consegui resistir um pouco porque tenho especialização em fortitude e boa resistência...mas principalmente porque vc disse que o dano é proporcional a diferença entre teste e dificuldade(no post pro Rapha)...e eu literalmente falhei por um,mas se não estiver de acordo só avisa que edito,vlw.

_________________
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1319
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Leo Rocha em Sab Out 07, 2017 10:32 pm

Isao lutava com garra e se fortalecia ao ver que seus companheiros não esmoreciam durante o combate, porém ele sabia em seu âmago que se permanecessem por muito tempo ali, iriam se cansar e virar presas fáceis.

********
Alguns anos atrás:

Arrow O exercício começa agora. Sua meta é aguentar até que eu ordene que ele seja encerrado. Comecem.

Os dez aprendizes cercam Isao e começam a bater. Ele tenta esquivar deles no início e até consegue escapar de dois ou três golpes, mas um soco lhe tira o equilíbrio, fazendo com que ele baixe a guarda. Outros golpes se sucedem, até que ele não consiga mais distinguir de onde vem os golpes. Apenas a dor se manifestava de forma onipresente. Depois de um tempo que parecia uma eternidade, o sensei Shang Chi dá o comando para que o exercício pare.
Isao se levanta com dificuldade. O kimono ensanguentado e o corpo machucado. Ele olha para o sensei e se coloca em posição de guarda.
Shang Chi o olha com atenção e diz:

Arrow Você sabe apanhar e aguentar os golpes. Agora tem que aprender a evitá-los.

********



Arrow Já fizemos barulho suficiente aqui. Agora temos que sair antes que não seja mais possível...

Mais golpes são desferidos, enquanto ele esquiva e tenta combinar com os colegas a melhor tática. Nesse momento, o estranho homem se aproxima. Isao, percebe que as criaturas não o atacam e sente que aquele é um dos vilões que está arquitetando o ataque. Ele então se vira para Galahad e Harry, dizendo:

Arrow Temos que sair daqui agora! Galahad, precisamos de espaço. Harry, vamos precisar subir agora!

Ele se preparou e torceu para que houvesse tempo.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4120
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Renata C. em Dom Out 08, 2017 9:28 pm


Ah, qual é, pensei que a máscara do cara ao menos fosse devido à sua habilidade. Vai ver ele só tem uns dentes meio feios. Enfim, onde estava mesmo? Ah é, sendo enforcada por ele.

???: Eu disse que seria indolor? Bem, eu menti.

A sorte desse cara era que Akane preferia guardar seu fôlego para tentar sair dali ao invés de dar uma resposta mal criada. Numa ação que era mais instintiva que qualquer outra coisa, Akane tentava se livrar o aperto que a sufocava, mexendo as pernas na tentativa de chutar o infeliz e tentando afrouxar o aperto em seu pescoço com suas mãos puxando as do vilão. Mas nada disso parecia ser o suficiente, sua visão já começava a ficar turva, o que fazer?

USAR SUA HABILIDADE SUA TONTA!

Já se preparava para torrar as mãos do cara com as suas, quando uma das garotas se teleportou bem nas costas do vilão, trazendo outra das meninas que deu um forte chute, que foi o suficiente para que Akane se livrasse do aperto em seu pescoço.

Akane: O-Obrigada.

A garota ainda meio que recuperava o fôlego, massageando o próprio pescoço. Mas deu um sorriso em direção às meninas, ao agradecer.

Asuna: Alguém ai tem algum plano?!

Akane: Ahn... eu não sou exatamente a melhor pessoa com planos, mas... Diria para todas nós atacarmos ao mesmo tempo.

Era seu primeiro dia ali e não fazia muita ideia da extensão dos poderes dos colegas do primeiro ano. Mas, quem estou tentando enganar? A maior parte dos planos de Akane eram compostos por "VAMOS DESCER A PORRADA NELE E PRONTO" mesmo.

???: Vamos levar isso mais a sério, que tal?

E então os olhos do cara ficam vermelhos e tudo fica meio sinistro. Sem contar o enorme rabo - eu sei que se sobrevivermos a isso vamos rir da situação um dia - que os atacava antes que pudessem decidir efetivamente o que fazer. Afinal, real, não um vídeo game onde você pode dar pause e decidir qual vai ser a melhor estratégia. A não ser que seja um jogo online... mas ok, vocês entenderam meu ponto.

Quando aquela cauda enorme vem em sua direção, Akane salta para o lado, escapando do ataque por pouco. Uma das garotas, Asuna, era atingida num dos braços, e estava sangrando. O rapaz que até então vinha mantendo os zumbis afastados, também era atingido.

Akane: Certo, mudança de planos! Alburn, acha que ainda consegue utilizar seus poderes para ofuscar a visão dele ou ao menos distrair? Mumei, fique com Asuna, tentem não se arriscar muito. Ceresa, se puder dar uma força pra gente, mas não fique muito perto da luta. Morgiana, nós vamos descer porrada nesse babaca!

Não gostava muito de dizer aos outros o que deviam fazer mas a situação era séria. Asuna já estava machucada, com os poderes de Mumei seria mais difícil que a atingisse de novo. Mas além disso, Akane pegava algo dos bolsos e lançava para Asuna.

Spoiler:

Ao menos, ela teria algo que poderia usar seus poderes para energizar e atirar no vilão.

Quanto a Akane, ela se concentrava por um segundo antes de atacar, os punhos brilhavam com chamas vermelho vivo, e ela corria na direção do vilão preparada para dar um soco com toda sua força, ao mesmo tempo em que Morgiana também atacasse.

Akane: Moeru ken!!!

_________________


"Miracles aren't free, you know. If you wish for something good to happen, a whole lot of bad stuff is gonna happen too. I guess that's how the world stays in balance, good bad, everything zeros out. "
avatar
Renata C.

Número de Mensagens : 495
Idade : 32
Data de inscrição : 27/08/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Phelipe Peregrino em Seg Out 09, 2017 1:30 pm

????: Tá!! - Ela responde empolgada, sentando-se no chão. - Mas se eu acertar todas as cinco eu vou te matar logo, tá bom?!

Chris engole em seco, e concorda com um asceno de cabeça. Depois, se senta na mesma posição que a menina. Era uma estratégia simples, imitar os movimentos de alguém faz com que, subconsicentemente, a pessoa ache que existe uma conexão entre vocês. Porque o Chris estava fazendo isso? Ele não saberia dizer, mas achava que qualquer coisa que pudesse dar a ele uma chance valeria a pena ser explorada. Ela o encarava com empolgação, sacudindo maniacamente o corpo de um lado para o outro. Sentado, ali, pertinho de uma criatura tão perigosa, Chris se perguntava, afinal, o que estava tentando conseguir com esse jogo? Ganhar tempo? Informações? Nada parecia fazer realmente um sentido.

Chris: Bom... - Ele começou. - Menu nome é Chris. - Ele disse, tentando soar tranquilo. - Qual é o seu? Todo mundo tem um nome, e eu acho que as pessoas precisam se conhecer para jogarem juntas, não concorda?

Por fim, ele respirou profundamente, e começou:

Chris: Não se pode ver, não se pode sentir, não se pode cheirar, não se pode ouvir. Está sob as colinas e além das estrelas, cavidades vazias – ele vai enchê-las. De tudo vem antes e vem em seguida, do riso é a morte, é o fim da vida.

A menina se contorceu, pensou, bufou e, por fim, admitiu que não sabia a resposta.

Chris: O escuro. - Chris disse se esforçando ao máximo não soar como se estivesse zombando. - Isso me dá direito à minha primeira pergunta: - Chris olhou fixamente para a menina. - Qual é o real objetivo de vocês aqui na escola?

A segunda charada foi lançada:

Chris: Como a morte, não tenho calor, vivo, mas sem respirar; sem sede, sempre a beber, encouraçado, sem tilintar. - Novamente a menina não soube responder. - Peixe. - Chris respondeu. - Lá vai minha segunda pergunta: Quais são os poderes dos vilões que estão atacando a UH?

Quando estava prestes a lançar a terceira charada, uma energia se materializa, subindo até os céus. Chris não teve dúvidas: eles estavam prezos. Ninguém poderia sair da escola agora, ou pior: ninguém poderia entrar. Mesmo assim, ele manteve a calma e fez a terceira charada.

Chris: Caixinha sem gonzos,tampa ou cadeado, lá dentro escondido um tesouro dourado. - A menina chegou a chutar uma "caixa de jóias", mas Chris corrigiu. - Ovo. - Ele sorriu, tentando soar carinhoso, sabia que a sequência de derrotas poderia fazer com que a menina perdesse o controle e o atacasse, por isso estava mantendo as coisas calmas. Tinha uma outra pergunta para fazer e não teve dúvidas: - Como nós podemos destruir essa barreira?

Próxima charada:

Chris: Essa é a coisa que a tudo devora. Feras, aves, plantas, flora. Aço e ferro são sua comida, e a dura pedra por ele moída; aos reis abate, à cidade arruína, e a alta montanha faz pequenina. - De novo, a menina não soube responder. - Tempo. Quem é o homem por trás de todo o plano de ataque?  

Agora era a hora da última charada.

Chris: Sem asas volita, sem vozes ele ulula, sem dentes mordica e sem boca murmura. - Ela, novamente, se encolheu. Demorou um pouco pensando e, por fim, mais uma vez, admitiu não saber a resposta. - Vento. - Chris respondeu aliviado. Até agora, havia conseguido terminar o jogo com todos os dedos inteiros. Mas estava para fazer a pergunta mais difícil de todas, uma que poderia desencadear a ira da menina, e poderia não acabar bem. - Minha última pergunta... - Ele respirou fundo. - Qual é a fraqueza do seu super-poder?

_________________
avatar
Phelipe Peregrino

Número de Mensagens : 1417
Idade : 28
Data de inscrição : 27/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/phelipe.peregrino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Pedro H. Oliveira em Seg Out 09, 2017 4:46 pm

Galahad havia se unido à Isao para lutar contra a horda de criaturas que havia invadido a escola. Assim como seu companheiro de turma, Daichi era um espadachim, então fazia com que aquela combinação fosse bem interessante, mesmo que os estilos de luta fossem bem diferentes - Isao usava uma técnica mais precisa e calma se comparada à de Galahad, que era algo mais veloz (por usar duas espadas) e bem mais imprevisível e impreciso.

Quando o outro espadachim da o grito pedindo por espaço para fugirem, Daichi se afasta o máximo que pode do meio da confusão e pediu para os demais fazerem o mesmo, então ele ergueu as mãos e desferiu seu ataque

- BLAZE RAIN!!!!

Uma serie de flechas e lanças foram surgindo ao redor de Daichi e seguiam ferozmente contra os monstros e acertando eles e abrindo espaço para conseguirem fugir


_________________
avatar
Pedro H. Oliveira

Número de Mensagens : 868
Idade : 26
Data de inscrição : 25/06/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Guima em Seg Out 09, 2017 9:07 pm

Sou pego em cheio pelo golpe do Kabane bombado. Quando eu abro os olhos vejo que estou cravado numa parede longe dele... A passos lentos ele avança. Como ele me acertou? Eu nem vi o golpe...

Segundos depois a dor vem lancinante. O impacto do golpe foi tão grande que meu corpo não processou a dor imediatamente. Me movo pra sair da parede e pedaços de reboco e cimento caem enquanto me mexo. Meu corpo dói... parece que fui atingido por aquela maças de demolição... Eu absorvi bem o golpe mas se eu receber outros desses acho que vou quebrar alguns ossos... Se eu não estivesse em modo fierce com certeza eu teria fraturas multiplas ou teria morrido.

Seja como for, o Kabane tem uma força que rivaliza a minha, podendo até ser superior. Mas isso não me assusta... Na verdade isso me deixa mais empolgado...

Aí Kabaço! Esse é o melhor que pode fazer? Alongo meu pescoço e estralo meus nervos...Olho pro inimigo e vejo que ele carregava o corpo de um aluno morto e isso me deixa puto, puto de raiva.

Mexeu com o cara errado... Ta preparado? Porque eu vou cair matando.


Fito ele por uns instantes antes de atacar. Aquele coração amarelo exposto... É ali que vou acertar. Vou trespassa-lo com meus punhos. Maldito... Você vai morrer.

ROCK CRUSHER!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


_________________
avatar
Guima

Número de Mensagens : 2280
Idade : 32
Data de inscrição : 12/12/2009

Ver perfil do usuário http://www.remistico.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Drako em Seg Out 09, 2017 9:43 pm




O ataque de Touka acertou Ray em cheio, que não teve tempo de desviar completamente. Os projéteis o pegaram nas costas quando tentou fazer o rolamento, causando uma dor excruciante. Sua camisa foi totalmente cortada na parte de trás e o sangue escorria constantemente, pingando na grama que gradativamente se tornava carmesim. Deveria fazer algo quanto aquilo ou se a luta durasse muito poderia sangrar até a morte.

A raiva tomou conta de Callitri, eletricidade começa a se tornar física no ar. Seu olho brilhava uma luz azul, com faíscas. Ele se levanta aos poucos, com dificuldade e lentamente. Quando finalmente se põe de pé, ele lança seu potente ataque (-20 de MP).

Ray: Kaminari no haru!!!

Um raio enorme cai dos céus repentinamente, com uma incrível potência de 20 mil volts. Touka só pode olhar para cima, colocando as “asas” vermelhas na frente do ataque para tentar se proteger. O ataque lhe acertou em cheio. Kaneki estava mais atrás e deu um pulo instintivo para longe.

Kaneki: TOUKAAAA!!

Quando o raio toca o chão ocorre uma explosão e o calor queima a grama de onde eles estavam. Ao voltar o olhar para onde a menina estava, puderam vê-la caída em volta de um círculo de fogo que começava a se espalhar. Ray observava o resultado do seu ataque, procurando saber se tinha derrotado a garota.

O Kagune* de Touka era desproporcional, um lado é maior que o outro, o que impossibilita que ela use para o voo. É como as barbatanas do Nemo. Por isso, como teve que se proteger rapidamente, apenas um lado do seu corpo teve o dano diminuído. Ao olhar com mais cuidado, Ray nota que o lado esquerdo da garota está com a pele queimada, sua roupa estava cinzenta e com fumaça e ela sangrava pela boca. O lado direito estava protegido pelo Kagune que tinha se cristalizado, tomando uma forma de defesa.

Foi tudo que Ray pode notar até o momento em que ele recebe uma canelada no nariz, jogando-o de novo ao chão. Foi bem rápido, num momento ele estava atrás da Touka, no outro estava lhe aplicando um golpe. Ele para na frente do Ray.


Kaneki corre até a amiga e pega ela nos braços. Ela tosse sangue enquanto ele a chama pelo nome, até que Touka abre os olhos. Ken se volta para Ray e grita de lá.

Kaneki: Ray! Vai embora daqui! Eu não devia ter deixado você me seguir! Achei que existia a chance de você me ajudar a fugir daqui com a Touka, mas eu esqueci como ela pode ser cabeça dura.

Ele para de falar quando ela o puxa pela blusa. Ambos se olham e a menina balança a cabeça negativamente. Seu olhar queria dizer para ele não tentar fugir e lutar. Mas Kaneki também é cabeça dura.

Kaneki: Ray, se ela se levantar daqui vai tentar te matar. Vai embora, por favor! Quer respostas? Eu te digo! Nós dois... nós somos de um clã chamado Kagune que jurou lealdade ao próprio demônio! Ele usou nosso clã para esse ataque! Eles são maquinas de matar, mas a gente nunca quis isso para a nossa vida. Queríamos fugir desde sempre, mas fomos forçados a nos infiltrar aqui ou seriamos assassinados.

Touka se apoia no ombro do Kaneki e começa a se levantar.

Kaneki: Nós não somos maus, mas eu sei que existe maldade dentro da gente. Touka está usando disso como combustível para cumprir a nossa missão. Eu não posso pará-la porque não há mais volta, se fugirmos morreremos de qualquer jeito, no junto eu já sabia disso. Então eu peço de novo, vá embora! Porque se algo acontecer com ela e você for o responsável... eu vou te matar...

Touka se levanta. Seu Kagune se “descristaliza”.


Touka: Chega disso, Ken! Que droga! Vamos mata-lo juntos! Se eu tiver que matar todos os alunos dessa universidade para podermos viver juntos, é isso que eu vou fazer!

Ela bate a asa mais uma vez e lança outra rajada de projeteis na direção de Ray. A garota sabe que um combate corpo-a-corpo seria desvantajoso, ainda mais no seu atual estado, então tentará lutar a distância, com suas penas de energia.



MP do Ray: 50

Off: Mais um check de agilidade. Dessa vez ela está machucada e você está de pé, então precisa somar um total de 20. Joga um D20, sua agilidade é 12.

*Kagune são as coisas que brotam das costas deles, no caso dela é a Asa. Também dei o nome do clã deles de Kagune, referente à habilidade que eles tem.

_________________
avatar
Drako

Número de Mensagens : 1759
Idade : 28
Data de inscrição : 28/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.ds-club.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Scorpion em Seg Out 09, 2017 11:25 pm

O raio que desceu dos céus fritou a menina e se não fosse pela defesa de última hora dela, o pior poderia ter acontecido. De fato, Ray não queria ter matado a garota... diferente do que ela sentia por ele.

Porém, Kaneki resolveu enfiar uma joelhada em seu nariz e ir socorrer a amada. Ele entendia aquilo... era amor de verdade. Kaneki se arrependia de ter chamado Ray para ajudá-lo, mas agora era tarde. Bem tarde... porque Ray poderia até deixar os dois saírem dali, mas a garota parecia instigada a matar todos na escola.

Ray: Não fale bobagens, garota. Você não vai nem passar por mim, o que te faz achar que iria conseguir encarar professores e outros alunos mais avançados? O que quer que tenha dominado a sua mente te deixou maluca ou prepotente...

Ele olha para Kaneki.

Ray: Você teve foi sorte de ter sido eu a vir, Kaneki... eu posso gerar eletricidade não letal também...

Esperava que Kaneki tivesse entendido o toque. A única maneira dele tirar Touka dali era com ela apagada ou morta... e Ray podia apagar a garota que já estava bem ferida. Bastava conseguir chegar perto dela o suficiente... Essa seria a única chance daqueles dois saírem vivos daquele inferno e irem tocar a vida em outro canto.

Porém, a menina parecia não querer deixar Ray sair vivo dali... ela se preparou para lançar um ataque contra ele. Ray trincou os dentes uns nos outros e se pôs a correr na direção dela. Iria tentar desviar das penas correndo para a frente e esquivando quando visse uma. Ele percebeu que a menina não queria a luta corpo-a-corpo... e ele sabia o porquê.

Ray: Pode vir, garota!

Quantidade aleatória (1,20) : 18

Nota: Mesmo esquema! Vou rolar os dados e ver o que consigo. Aí faço o post baseado no sucesso ou fracasso.
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2403
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Scorpion em Seg Out 09, 2017 11:39 pm

Ray correu em direção à garota. Ela estava ferida e não teve tanto talento dessa vez para lançar aquelas malditas e dolorosas penas.
O sangue correndo pelas costas formava um caminho rubro na grama, mas não era hora para pensar naquilo. Ray havia corrido como uma maluco por entre as penas, mas aquilo era justamente para jogar com o sentimento da menina... ela teria certeza de que acertaria Ray, mas na verdade, não conseguiu ferí-lo!

Então, quando conseguiu se aproximar dela, Ray agarrou a cabeça dela e deu seu golpe mais fraco, com intensidade o suficiente para desacordá-la por um bom tempo, mas não para matá-la.

Ray: RAIMEI!!!! -5MP

Um choque de alguma potência diretamente no cérebro deveria ser o suficiente para apagar a garota que já estava ferida. Porém, Ray não desviou a sua atenção de Kaneki e manteve o corpo eletrificado, para caso o garoto tivesse intenções de atacá-lo por trás.

Se conseguisse desmaiar Touka, ele falaria para Kaneki sem olhá-lo nos olhos... estava se sentindo traído e achou o ataque dele bem covarde.

Ray: Ela não está morta... apenas desmaiei ela. Vai acordar com uma baita dor de cabeça, mas vai acordar...

Esta era a deixa para Kaneki fugir com ela sem ser caçado e sem que a garota resolvesse impedí-lo. Ray começou a andar de volta para onde estavam os colegas, mas enquanto andava, falou de maneira ameaçadora para Kaneki.

Ray: Kaneki... Considere não ter usado uma voltagem letal em Touka um ato de misericórdia. Eu sei como é perder alguém que se ama...

Ele olhou por cima do ombro e os olhos faíscavam de eletricidade e ira...

Ray: Mas você me ameaçou de morte... Se você dá valor a sua vida e à de Touka, pegue ela e parta. Nunca mais volte, entendeu? Porque a próxima vez que eu colocar o meu olho em você, eu vou te cobrar essa ameaça... e aí, eu vou querer ver você cumprí-la.

Ray partiu... Mas ainda com o olhar periférico Para Kaneki, caso ele do querer lutar.

Ray: Porque ninguém ameaça a mim, minha escola ou meus amigos. E isso não foi uma ameaça... foi uma promessa. Caiam fora!

O herói elétrico estava pilhado de raiva. Quando saísse dali, ele se poria em corrida para se juntar aos amigos, mas não chegaria já chegando... ele ficaria escondido, usando as habilidades de furtividade que estava aprendendo nas aulas extras e analisaria o ambiente.


Última edição por Scorpion em Ter Out 10, 2017 3:55 pm, editado 1 vez(es)

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2403
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Nasinbene em Ter Out 10, 2017 2:37 pm

Harry, Isao e Yamamoto se encontravam no meio dos tais Kabanes, logo após o choque de seu ataque ter deixado os zumbis meio esparsos. Um pouco zonzo, Harry levanta do chão fumegante, e vê os dois outros garotos lutando e abatendo zumbis com uma técnica bastante refinada. O plano de Harry era inicialmente garantir um ponto seguro, uma base de onde Isao e Yamamoto pudessem atacar e correr para a proteção de seu campo propulsor. Harry chega a, de fato, erguer os braços e assumir a postura do Explosion Field... No entanto, antes de acionar o poder ele pensa por um momento... Desolado, ele baixa os braços e murmura:

- Não vai funcionar...

Harry percebe uma falha crítica em seu plano. Poderia sim, manter o campo em pé e proteger os companheiros, mas isso os impossibilitaria de atacar. Eles não se moviam rápido o bastante pra atacar num piscar de olhos... mas talvez o estranho homem ali, parado assistindo a tudo pudesse. Quando finalmente Isao anuncia que deveriam sair dali, Harry concorda plenamente. Daichi inclusive colabora, criando uma chuva de espadas flamejantes para que o caminho estivesse livre. Porém,  outra coisa preocupava Harry. O estranho homem ali, parado, não parecia ser do tipo que permitiria uma retirada tranquila. Harry pensou bem e decidiu o que fazer. Tinha aprendido com o erro da batalha do dia do Incidente, em que se esgotara rápido demais... Dessa vez, não partiria pro tudo ou nada. Harry se posiciona na direção tal homem e estende seu punho direito na direção dele. Ele então fecha seus olhos e numa fração de segundo seu campo propulsor o envolve completamente... A energia aumenta e Harry a direciona ao seu punho direito... Nesse momento, ele usa a versão reduzida do seu golpe devastador:

- Isao, Yamamoto, protejam-se... CANNONBALL!!!! (- 20 MP)

O feixe de energia deixa o punho destruindo tudo em seu caminho, enquanto a força do golpe faz com que os pés de Harry sejam arrastados um pouco no chão. A energia provavelmente atingiria alguns kabanes no caminho e destruiria o patrimônio da UH, mas o momento era tão extremo quanto as medidas tomadas. Harry então correria até Isao e Daichi, seguraria os dois pelos braços e levantaria voo mais uma vez. Uma vez no ar, diria para Isao:

- Isao, você será meus olhos... me guie para onde devo ir

Seguiria as orientação que o companheiro desse à risca. É provável que ele estivesse cogitando voltar para a sacada de onde tinham saído...
avatar
Nasinbene

Número de Mensagens : 1262
Data de inscrição : 29/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Drako em Qui Out 12, 2017 8:10 pm




Harry, Isao e Yamamoto se encontravam cercados de Kabanes. Não pensaram muito bem antes de se jogarem na ação e isso lhes causou problemas. Isao perfurava o coração pulsante dos zumbis com sua perfeita arte com a espada enquanto se lembra de alguns anos atrás, quando treinava com seu mestre Shang Chi. Ele sente que o vilão parado próximo a eles poderia se preparar para um ataque e sugere que saiam de lá.

Daichi concorda que eles deveriam sair de lá, porém quis se livrar primeiro do máximo de distrações possíveis antes de partirem. Ergue as mãos e dispara um de seus ataques especiais. Com o Blaze Rain (-30mp) uma incrível quantidade de flechas e lanças se formam ao redor de Daichi e se lançam na direção dos monstros, dilacerando-os e perfurando seus corações. Com isso, o número de inimigos foi reduzido consideravelmente.

Harry por sua vez se preocupou com o vilão que até então só observava. Imaginando que uma retirada não seria tão fácil com aquele homem parado ali, McFly usa uma versão reduzida do seu ataque principal, o Cannonball (-20mp) na direção do inimigo. A energia passa do punho do jovem e voa ferozmente até os adversários, jogando o resto dos Kabanes para longe e acertando o homem de máscara, que também é arremessado. Aproveitando a brecha, Harry tenta chamar os companheiros para subirem em suas costas para voarem dali, mas é percebe que o vilão não tinha ido muito longe. Os três notam que ele tinha usado algo que saia de suas costas para se prender ao chão e não voar para longe.


Era algo que vinha de suas costas, de um vermelho pulsante e com presas. Ele não expressou nenhuma reação, mas tocou com a mão esquerda no braço direito. Parecia ter algo errado com um dos seus membros.

Foi então que ele se preparou para atacar. Sua “cauda” foi lançada velozmente até a direção dos três garotos. Mas alguém a chuta para longe, salvando-os.


Era o diretor Drayden, que veio ao auxilio deles.

Drayden: Noro, o silencioso, membro do clã de assassinos Kagune. O que faz aqui na minha universidade?!

O diretor era enorme e se posicionava na frente deles. Ele vira seu rosto para trás e olha para os alunos.

Drayden: Eu cuido dele, jovens. Procurem um lugar seguro.

Eles estavam surpresos, mas balançam a cabeça afirmativamente. Quando se viram para fugir de lá, Harry sente algo estranho.

Off: Teste de percepção para o Harry. Lança um D15. Sua inteligência é 13, somatório de 20.

Caso Harry perceba, ele vai avisar para Daichi e Isao que tem algo errado com o diretor. Isso fará com que eles se virem para trás rápido o suficiente para que evitem o ataque que está vindo pelas costas de vocês e desviem. Se isso ocorrer, Isao fará um teste de agilidade. Lance um D20, sua é agilidade 26 se somar 40 você vai poder dar um ataque direto no diretor. Se tirar 20 é um ataque crítico.

Caso Harry não for bem sucedido, Isao e Daichi serão perfurados pela mão do diretor que tomará uma forma afiada como uma espada. Não será mortal, mas eles vão ter que lutar o resto da batalha com uma perfuração no estômago.




Jay, Akane e as outras meninas viram em primeira mão o poder do homem de branco que se encontrava no dormitório feminino. Ele atacava com sua cauda as garotas dali e o próximo ataque seguia até Jay, que se vê obrigado a desligar sua barreira para poder esquivar. Ele pula para frente de Ceresa, mas é acertado pelo Kagune. Quando a luz branca que envolvia o prédio desparece, uma horda de Kabanes corre pelas escadas, subindo um por cima do outro, como uma multidão de meninas adolescente que corre desesperadamente para ver seu ídolo. Eles escutam gritos femininos vindo dos andares de baixo até que os bichos chegam até eles.

Antes disso, Akane consegue escapar facilmente da investida do vilão. Quando as garotas pedem por um plano, ela tenta bolar algo sozinha. Pede para Jay tentar ofuscar a visão do vilão. Para que Mumei tome conta de Asuna, da qual ela deu palitinhos de chocolate para que possa energizar e se proteger. E para Ceresa dar um suporte enquanto ela e Morgiana iriam lutar com o cara.

Porém, Alburn tem outra ideia. Ele ativa o seu Light Rain (-20MP) e uma infinidade de esferas de luz são lançadas contra os monstros e o vilão. As luzes conseguem derrotar os zumbis que tinham subido até o andar deles, mas o vilão se protege com o seu Kagune. Após o seu ataque terminar, Jay percebe que foi cortado na região do abdômen, mas sua resistência e treinamento conseguiram lhe salvar de um ferimento mais grave.

Ceresa olha para Alburn com preocupação, mas sabe que tem trabalho a fazer. Ela junta seus braços para frente, os expande para os lados e grita.


Ceresa: VERNIER!!

Dois círculos azuis aparecem em baixo de Akane e Morgiana e a luz deles as envolve. Agora a agilidade das meninas estava duplicada. Elas correm numa grande velocidade até o vilão. O homem retorna seu Kagune para a forma ofensiva e se prepara para correr contra elas, mas nota que suas pernas sangravam. O ataque de Jay tinha o acertado, afinal.

Akane reúne as chamas em seu punho (-10mp) e Morgiana aumentava a massa muscular de sua perna. Ambas chegam até o homem num piscar de olhos.

Akane: Moeru ken!!!

Morgiana: Powerful kick!

Akane acerta o soco flamejante na barriga do homem, enquanto Morgiana o acerta no pescoço. O ataque das duas combinadas com a agilidade aumentada foi potente. Elas não puderam ver, mas o vilão cuspia sangue por dentro da máscara enquanto foi jogado para longe. O impacto o joga para dentro de um dos quartos, entrando pela parede.

Todas as meninas ali e Jay comemoram. O ataque combinado deles foi um sucesso.

Mas comemoraram prematuramente.

Ele se levanta, tinha parado em cima da cama de um dos quartos. O sangue pingava pela máscara que ele usavam. Sai pelo buraco da parede, tira a máscara, cospe o sangue e a coloca de novo.

???: Faz muito tempo que eu não vejo meu próprio sangue.

Começa a andar até o grupo. Seu Kagune começa a pulsar e expandir, como se estivesse juntando algo.

???: Meu nome é Tatara. Saber o nome do seu assassino é uma pequena compensação pela bravura que mostraram agora. As outras meninas daqui de dentro não tiveram a mesma sorte.

A cauda do homem já estava toda expandida, até que ela murcha para a forma normal, expelindo uma fumaça roxa que ia em direção a eles.

Tatara: Uma informação útil. Todo nosso clã já nasce com nossos Kagunes, que são esse membro da qual eu ataquei vocês. Essa é a nossa habilidade. Porém, de tempos em tempos, alguém do nosso clã copula com pessoas de outros clãs, nascendo mestiços com duas habilidades.

A fumaça segue mais e mais até eles.

Tatara: Eu sou um mestiço. E como devem ter percebido essa fumaça que eu solto é toxica e venenosa. Se respirarem ela, apodrecerão de dentro para fora. Então vocês têm duas escolhas. Morram com o meu veneno ou fujam e deem as costas para mim. Não importa qual das opções vocês vão escolher, mas eu vou adorar mata-los de qualquer forma.





Chris sentou frente a frente com a garota assassina e começou seu jogo de charadas. Ele sabia que tinha a vantagem cerebral contra ela e não titubeou em usá-la.

Chirs: Bom...  Menu nome é Chris. Qual é o seu? Todo mundo tem um nome, e eu acho que as pessoas precisam se conhecer para jogarem juntas, não concorda?

???: Eto.

Ela estendeu a mão para apertar a mão dele, mas foi um movimento brusco que fez com que Chris arregalasse os olhos e uma gota enorme de suor descesse da sua testa até o queixo. Ele a cumprimenta também e começa. Faz a primeira pergunta. Ela olha para cima, toca o dedo no queixo pensando. Não tinha ideia. Ela levanta os ombros e balança a cabeça. Stone pede sua recompensa. “Qual é o real objetivo de vocês aqui na escola?”

Eto: Matar vocês e destruir tudo! Esse é o nosso trabalho! Eu gosto, é sempre muito divertido.

Segunda adivinhação. Ela olha para o garoto, parecia retorcer o nariz e fazer força para pensar. Novamente não sabia. “Quais são os poderes dos vilões que estão atacando a UH?”

Eto: Hum... nosso clã tem poderes iguais, mas diferentes. Todos nós nascemos com um Kagune que dá uma poder. Menos o Tatara que tem dois.

Terceira charada. A garota começa a ficar chateada. Ela deita as costas no chão, e dá um soco no piso que abre um buraco enorme. Bufando ela diz que não sabia. “Como nós podemos destruir essa barreira?” Ela responde ainda deitada.

Eto: Ninguém daqui de dentro pode desfazer a barreira. Tem que derrotar um dos irmãos Bin e eles estão do lado de fora.

Quarta pergunta. Eto continuava deitava e bufava. Não estava nem um pouco feliz de perder tudo até agora. Novamente não soube responder. “Quem é o homem por trás de todo o plano de ataque?”

Eto: Saaacooo. Hmpf. É o Lucifer-sama. Ele é nosso salvador. Hein, hein! Você sabe? Existe um monstro que anda livre por ali. Não é uma história de terror, ele existe!! Dizem que ele é careca e tem a força capaz de destruir a Terra com um soco. Ele caça pessoas do nosso povo e as mata, por isso somos obrigados a ficarmos escondidos. Lucifer-sama é o único que sobreviveu após encontrar essa criatura terrível. Ele jurou que vai nos libertar do limbo.

Chris sabia claramente de quem ela falava, mas nunca imaginou que a figura dele seria algo tão importante ao ponto dos vilões se esconderem em um lugar para não serem encontrados ele. Quinta e última charada. Novamente ele venceu. Como era tão bom nisso? Nem Stone sabia. Ainda sentado em frente a garota, ele deu sua última cartada. “Qual é a fraqueza do seu super-poder?”.

Ela levantou o tronco sem mexer as pernas, como se estivesse possuída, e parou o rosto a milímetros do rosto do Chris. Seu sorriso macabro estava lá ainda.

Eto: Só posso ficar transformada por 30 minutos. Essa é a minha fraqueza.

Finalmente ela se levanta e fica de pé frente ao menino.

Eto: Não quebrei nenhum dos seus dedos. Uma pena. Vamos começar a brincadeira de verdade agora? Tô frustrada!

Enquanto isso, Ash foi jogado por metros pelo corredor após o ataque do Kabane gigante que tinha aparecido. Ficou cravado na parede e foi salvo por estar em seu modo Fierce, mas a dor não o poupou, e ela era excruciante. Por pouco não quebrou nenhum osso. Esforçou-se para levantar do buraco que abriu na parede.

Alongou o pescoço e vê que o bicho carregava o corpo de um aluno. Aquilo o irritou. Resolve então partir para o ataque. Corre até o bicho e lhe dá um soco especial. Rock Crusher (-5mp) acerta em cheio o Kabane. O impacto cria um ar violento em volta do bicho, que solta o corpo que ele carregava. O monstro é empurrado para trás, mas seus pés continuavam firmes, formando um caminho de onde ele foi arrestado no chão por uns 30 centímetros.

Até que o ataque para e Ash olha para cima. O monstro urra para ele, que pode sentir todo o bafo putrefato e a saliva pingando em seu rosto. Kabane levanta o braço e dá uma “marretada” em suas costas. Evans dessa vez consegue reduzir o impacto, mas ainda assim é jogado para o chão.

Ash sente o impacto do solo, mas logo percebe que está sendo levantado pela cabeça. O bicho o pega pelos cabelos e o levanta o máximo que pode. O poder de Evans começa a se esvair, pois tinha perdido a sua conexão com o solo. Sem saber o Kabane tinha explorado a sua fraqueza.

Se o jovem não se soltasse rapidamente, sua força do modo fierce se esgotaria e ele estaria indefeso e perto da morte.




Ray desviou dos ataques de Touka e partiu entre os projéteis até a direção da garota. Quando a alcançou, a agarrou pela cabeça e deu seu ataque mais fraco, Ramei (-5mp), diretamente no cérebro da jovem que se debatia, mas parou repentinamente. Ela cai no chão e Callitri se afasta, dando a entender que era para eles fugirem.

Kaneki apressa-se até o lado da amiga. Se abaixa e pega ela no colo. Ele passa a mão no rosto dela, tirando o cabelo de frente de seus olhos.

Ray: Kaneki... Considere não ter usado uma voltagem letal em Touka um ato de misericór—

Kaneki: Ray...

Uma gota cai em cima da bochecha da menina. E mais uma... E mais uma... Eram uma lágrimas.


Kaneki: O coração dela... parou...

Ele a abraça forte, olhando para o alto. Em sua mente ele relembrava os bons momentos que eles estavam juntos.


Ele grita... era um misto de dor e ódio. Sua cabeça entra em parafuso, ele não sabe o que pensar, ele não sabe o que fazer, não sabe o porquê viver. Até que algo estala em sua cabeça enquanto ele grita.


Em outros cantos da universidade, Eto, Tatara e Noro sentiram algo diferente.

Eto: Nosso príncipe despertou... finalmente!

Kaneki continuava a gritar até que Ray nota algo crescendo de suas costas. Elas batem no chão e levantam uma cortina de poeira que voa ferozmente até Callitri, que se protegem com o braço. Quando ela começa abaixar, Kaneki estava de pé, ao lado do corpo de Touka, olhando para o antigo colega de classe.


Kaneki: Devia ter me escutado quando eu disse para fugir daqui.

Uma coisa estava clara para Ray, o Kaneki que ele tinha conversado até agora estava morto junto com Touka. A expressão que o garoto passava era totalmente diferente daquela tristeza e insegurança apresentada até agora. Não, seu olhar passava ódio e insanidade.

Ken tinha dito que existia maldade dentro dele e a morte de Touka foi o estopim para libertá-la. Lúcifer e o clã Kagune tinha infiltrado os dois com o objetivo de que algo acontecesse com a garota e enlouquecesse o rapaz, liberando assim seu lado maligno. O que saiu melhor do que o esperado, pois um aspirante a herói tinha ceifado a vida do grande amor do garoto que será o sucessor do líder do clã Kagune.

Já não existia mais dúvida em sua mente, de agora em diante sua missão será matar Ray Callitri. E o primeiro ataque começava agora!



MP: 60 MP: 40 MP: 45 MP: 10 MP: 50 MP: 60 MP: 25 MP: 50

_________________
avatar
Drako

Número de Mensagens : 1759
Idade : 28
Data de inscrição : 28/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.ds-club.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Ricardo Sato em Qui Out 12, 2017 11:42 pm

Ufa,obrigado professor Cole,eu teria me ferrado nessa sem o treinamento....belo golpe garotas.

Tudo é muito rápido,a estratégia das garotas parecia ter dado certo e seu ataque conseguiu render algum tempo...mas não estavam com sorte e o homem não havia sido derrotado,apenas ferido e se aproximava com seu discurso de vilão e seu nome,Tatara.
Jay tem que pensar rápido,quando o inimigo dá mais uma cartada com seu segundo poder.

Caiam fora daqui,eu vou chamar a atenção dele,cubram seus rostos com um pano molhado,vocês precisam salvar as outras garotas,vou segurar esse pulha um pouco mas preciso de ajuda.Vou tentar tirar aquela máscara dele...se ele teve que recolocar é porque a fumaça é tão ruim pra ele quanto pra nós,mas se alguém puder ajudar a fazer isso a distância seria bom.

Ceresa um pouco mais de agilidade me ajudaria muito e se der Mumei me busque depois que ajudar as outras garotas e vocês estiverem seguras...e se não der paciência,me larga aqui e eu tô falando sério,não sabemos o quão longe isso pode atingir e não podemos ariscar.


E Ceresa...

Jay começa a estender a mão como se fosse tocar o rosto da garota,mas então se dá conta do que fazia e para a mão estendida ainda no ar mudando sua posição para um "joinha" a frente dela enquanto dá um sorriso.

...depois que sairmos dessa eu queria te falar uma coisa,valeu?

Ele então foca sua atenção no oponente,por mais cruel que fosse a visão do domo cobrindo a UH havia dado uma ideia a Alburn,com certeza ele não poderia dar um novo Shield of Light....mas ele não precisaria de 40m se fosse rápido,somente de uns três e talvez ainda tivesse força para isso.

Jay nota quando algo parece chamar a atenção de Tatara para fora da janela e avança prendendo a respiração e usando a fumaça como cobertura,seu avanço permitiria que as garotas recuassem com mais segurança ao chamar a atenção do vilão para um alvo que se aproximava agilmente e se seu plano desse certo logo a fumaça iria parar de se espalhar e se dissipar....ele esperava que antes do seu fôlego acabar,novamente confiando no seu treinamento árduo.

Ao se aproximar ele tentaria danificar ou arrancar a máscara,se as garotas já não tivessem feito isso e então estender sua mão no que parecia um golpe de empurrão,na verdade Alburn tentaria uma versão localizada de seu escudo de luz,uma esfera saindo de sua mão e englobando apenas Tatara,com a fonte do veneno isolada o corredor deveria ficar livre logo.

Mas é claro que havia a chance dele conseguir escapar,se recuasse o corredor estaria isolado pela esfera e protegido de seus ataques,se fosse pego mas conseguisse fugir ainda sim perderia tempo,se fosse pego e estivesse com a máscara os dois ficariam ali por um tempo,na melhor das hipóteses ele seria preso e morto pelo próprio veneno.Todos estes e muitos outros cenários passavam pela mente de Jay,mas de umas coisas ele tinha certeza,um que ele estaria ali imóvel mantenho a barreira e se perde-se o fôlego podia morrer e dois,em qualquer cenário as meninas tinham mais chances de escapar.....então valia a pena o risco.

_________________
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1319
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Phelipe Peregrino em Sex Out 13, 2017 8:41 am

Chris respirava fundo, tentando manter a calma. Ele havia vencido o jogo das charadas, e isso rendeu algumas informações. Descobriu que os monstros foram ali única e exclusivamente para matar, e isso era uma informação útil, além do nome do vilão que arquitetou aquilo tudo.

Porém, tirando isso, não via como poderia usar a maioria das coisas que a menina - Eto - lhe contara. Descobriu que a barreira não poderia ser desfeita por dentro. Que saco! Isso não ajudava em nada. A pergunta sobre os poderes dos vilões lhe rendera menos ainda. Esperava que ela fosse enumerando os indivíduos e descrevendo seus ataques, dessa forma ele saberia quantos são e como se preparar, mas, ao invés disso, teve uma resposta quase genérica por parte da menina. Já a resposta que ele mais queria ouvir - a fraqueza dos poderes dela - foi a mais frustrante de todas! "Apenas 30 minutos?! Poderia muito bem ser 1 ano, não faria diferença!" Afinal, 30 minutos, 1 hora, 1 ano... Ele não acreditava realmente que conseguiria mantê-la distraída por tempo o suficiente para que seus poderes fossem desativados. "Que saco!"

Eto: Não quebrei nenhum dos seus dedos. - Ela se levantou. - Uma pena. Vamos começar a brincadeira de verdade agora? Tô frustrada!

Chris permaneceu sentado por um instante. Todas as informações girando em sua cabeça. Ash estava em combate contra um outro Kabane anormalmente poderoso. Os outros companheiros lutavam contra os Kabane-zumbis na barricada. E ele olhava a menina de baixo, como se ela fosse um gigante diante dos seus olhos. "Pensa, Chris!" Ele permaneceu sentado, não por qualquer outro motivo, mas por sentir suas pernas congeladas. "Alguma coisa do que ela disse tem que servir!".

Eto: Nosso príncipe despertou... Finalmente!

Chris: Não é mesmo uma história de terror... - Chris disse em um tom sombrio, enquanto se levantava. Seja lá o que ela queria dizer com a história do príncipe, ele precisava queimar um último cartucho. - Ele existe, sim. - Deu um passo firme à frente. Medos são irracionais e enraizados. Todo mundo era preza e predador. E, se Chris agora era a preza, Eto havia dado o nome do predador. - Tão real quanto eu e você. E eu posso dizer isso porque eu o vi. Eu o conheço. Não há cabelo em sua cabeça, assim como não há compaixão em seu coração por criaturas como vocês. Ele desce dos céus como um raio, e divide as nuvens com um dedo. Ele abre os mares com seu grito e sustenta montanhas sob suas cabeças. Ele tem vários nomes aqui em cima... "Homem do Amanhã", "Raio da Esperança", "National Man"... Mas o que eu mais gosto dentre seus nomes é "Flagelo dos Kabane". Seu clã cai diante de seus olhos como porcos no abatedouro. Eu sei. Eu o conheço. - Chris deu mais um passo. Ele precisava soar assustador, e certo do que falava. Agora, ele estava frente à frente com a menina, e pode constatar que, a diferença de tamanho entre eles nem era tão grande assim. - "Lucifer-sama". Seu salvador... E ele já me contou essa história uma vez... Sobre o ser que fugiu de suas mãos, covarde e escorregadio como um rato. Ele me contou como ele busca terminar o que começou, e esmagar essa criatura com suas próprias mãos. E contou sobre como esmagaria todos que ficarem em seu caminho. A única coisa que impediu até hoje, era saber o nome. E agora você me deu esse nome. Lucifer dos Kabane. E o monstro careca já sabe, porque ele ouve tudo. Não me surpreenderia se ele já estivesse indo atrás do seu Lucifer-sama. Não me surpreenderia se ele já estivesse morto!

Ele parou um segundo tentando ler alguma reação no rosto enfaixado da menina. Depois, ele mudou a postura, para uma menos agressiva.

Chris: Eu posso te ajudar. - Ele ofereceu a abriu os braços de uma forma amigável. - Eu posso salvar você das mãos dele. Posso proteger você. Ele irá chegar a qualquer momento, sei disso. E quando chegar ele não será detido por essas barreiras. Como você mesma disse, ele pode rachar a Terra com um soco... Mas eu posso te ajudar. Posso te proteger.

_________________
avatar
Phelipe Peregrino

Número de Mensagens : 1417
Idade : 28
Data de inscrição : 27/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/phelipe.peregrino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Scorpion em Sex Out 13, 2017 7:26 pm

Ray tinha se preparado para partir, quando...

Kaneki: O coração dela... parou...

Aquilo fez com que Ray parasse onde estava, ainda de costas. O jovem havia usado seu ataque mais fraco... Raimei era uma técnica que Ray usava para atordoar e desmaiar pessoas, no entanto... o calor da excitação talvez tivesse feito com que o Relâmpago Azul fritasse o cérebro de uma amiga. Ele olhou por cima do ombro e se virou lentamente...

Em seu âmago, Ray sentiu uma dor muito forte. Heróis não matam... Heróis salvam. Ele havia lido em um dos livros enquanto estudava que "não era sobre não matar quando pudesse, mas sim sobre não matar, mesmo quando esta fosse a única opção". Era aquilo? Era um assassino? Por mais que estivesse apenas se defendendo e que tivesse tido todo um cuidado para não matá-la... a verdade era que ela morreu. Nem mesmo Ray conhecia a extensão de seus poderes... ele só sabia que eles vinham aumentando gradualmente de forma assustadora.

Ray: Kaneki...

Ray apenas falou dessa maneira. Ele não podia imaginar a dor que o colega ali estava sentindo... Ray Calitri havia matado vários amigos, mas Satsuke, o amor de sua vida, ainda estava viva... seus pais estavam vivos... Ray não tinha perdido ninguém que valessem um mundo de lágrimas.

Então, a transformação de Kaneki começa! A onda de poder faz com que Ray tenha de usar os dois braços para se proteger e não ser arremessado.

Ray: Kaneki, pare! Nós ainda podemos tentar salvá-la! Eu posso...

Ele não iria ouvir. Quem quer que estivesse ali, dentro de Kaneki, agora tinha o poder absoluto sobre o jovem.

Ray apenas fechou o olho bom... sentia-se culpado pelo que aconteceu. Conseguiria trazer Kaneki de volta à tona? Conseguiria fazer a razão brotar em sua mente novamente, a paz em seu coração? Nem mesmo Ray conhecia esta palavra.... "paz".

Kaneki: Devia ter me escutado quando eu disse para fugir daqui.

Ray: Eu... eu não poderia. O que quer que você e Touka tinham dentro de vocês, é um mal que eu não posso permitir que parta e se espalhe. Eu... eu sinto muito, Kaneki. Sinto pela sua dor... sinto pela sua perda... mas se tem de ser assim...

O jovem abriu o olho bom... O poder eletrostático já fagulhava, dando pipocos em contato com o ar.

Ray: então será. Eu serei o seu oponente, Kaneki! Venha ter a sua vingança, ou encontrar a sua paz ao lado de Touka.

Ele fechou o punho, que pipocava em eletricidade também. Fagulhas azuladas dançavam por todo o corpo de Ray, ameaçadoramente... mas nada que Kaneki temesse. Quando ele correu para cima de Ray, Kaneki criou enormes tentáculos vermelhos em suas costas e saltou para cima do herói elétrico.

As costas de Ray pingavam sangue ainda, em grossos rios vermelhos... mas agora não era hora de sentir dor. Era a hora de tentar trazer Kaneki à razão, de tentar salvar ao menos a alma do amigo. Ray pôs-se em corrida para cima dos tentáculos de Kaneki. Ele esperava os tentáculos atacarem para então saltar para um lado... para o outro.... Lembrava-se das aulas do Sportsmaster... de esquivar das bolas de queimada... das Aulas do Professor Dragon, antecipando os movimentos do oponente... imaginar onde ele estaria 1 segundo antes de estar e sair dali.

Estava funcionando!

Nota: Numero do dado (14) Somando: 26

Ray conseguiu esquivar de 1... de 2... esquivou do terceiro até chegar perto o suficiente do combate corpo a corpo com Kaneki. Ele não pôde deixar de cair uma lágrima de seu olho bom por Touka... a menina que agora fazia parte da decoração do lugar. Droga! Ray realmente não queria tê-la matado! Será que todos os que passam perto de Ray Callitri tinham destinos ligados à morte?

Ray: Droga, Kaneki! Eu não...

Deu um soco no rosto do amigo com o punho eletrificado...

Ray: fazer...

Deu mais dois... esquerda-direita! Como Dragon ensinava!

Ray: ISSO!!!

O punho brilhou com uma potente luz azul! Em sua mente ele pensou "me perdoe por Touka..."

Ray: KAMINARI NO PANCHIIIII!!! - (Thunder Punch - 10MP)

O punho elétrico de Ray fez um arco, maximizando a eletricidade e visando acertar bem no queixo de Kaneki! Ray depois disso daria um salto para trás! Ficar próximo de Kaneki era suicídio e o herói não achava que Kaneki cairia após aquela sequência...
Ray Callitri entendia que...

...Aquela luta estava apenas começando...

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2403
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Nasinbene em Sex Out 13, 2017 9:51 pm

O golpe que Harry havia desferido no estranho homem mascarado tinha sido efetivo... O braço direito pendia sem movimento na lateral do corpo, morto, bobo... Quebrado...
Mesmo os kabanes no caminho do Cannonball tinham sido destruídos ou lançados pra longe. O estranho homem apenas não tinha sido lançado longe por conta de uma estranha cauda escarlate, e apesar de ferido, não esboça nenhuma reação... A não ser direcionar a estranha cauda contra os jovens, num ataque rápido e mortal. Harry já tinha certeza de que seriam feitos em pedaços quando o diretor Drayden intervém... Numa manobra rápida e arriscada, Drayden chuta a cauda pra longe, evitando assim o ataque mortal. Em seguida, ele se posiciona entre o homem e os garotos, passando a intimar o assassino silencioso. Enquanto ele fala com o homem (que Harry agora sabia se chamar Noro) Harry pensa que era estranha a presença do diretor ali... Ele deveria estar ao lado dos demais professores lidando com a ameaça principal e não ali, junto deles... Isso, somado à desconfiança que Harry já alimentava desde a visita de Jay ao gabinete do diretor começa a formar um quadro de suspeita na mente de Harry... Assim, quando o diretor manda que os garotos saiam dali, Isao e Daichi obedecem sem hesitar... Harry no entanto olha pra trás antes de fugir... A tempo de previnir os amigos de um ataque vindo do próprio diretor! Harry sabia que a agilidade dos companheiros seria o bastante pra garantir que eles pudessem desviar do ataque, então rapidamente avisa os dois:

- Isao, Yamamoto... Cuidado, saltem para os lados!

Harry também rola no chão, garantindo que não seria atingido pelo ataque... Olhando de frente para o diretor e para o tal Noro ele diz aos amigos:

- Eu sabia que não era coincidência! Esse cara não é o diretor! Jay avisou um deles... Por isso o ataque repentino! Isao, Daichi... Cuidem do nosso "diretor"... Vamos ver se arranco um grito do silencioso ali...

Imediatamente, Harry se lança numa corrida na direção de Noro, desviando-se do diretor e de possíveis ataques da cauda de Noro. Quando estivesse a alguns metros dele, Harry fecha os olhos e ativa seu poder mais uma vez... Voando como um míssil na direção de Noro, assim que Harry sentisse o contato com o inimigo ele bateria os pés no chão, direcionando o voo para o alto, na direção da redoma... Mesmo com os olhos fechados, Harry sabia que ia cada vez mais para o alto... E quando finalmente sentisse que as costas de Noro atingisse a redoma, soltaria o inimigo e se lançaria de novo na direção do solo, deixando que a gravidade cuidasse dele...
avatar
Nasinbene

Número de Mensagens : 1262
Data de inscrição : 29/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - Ano letivo começa...

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum