Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Guima em Ter Jun 06, 2017 8:58 pm

Seguindo as coordenadas enviadas por Tony Stark, o Homem de Ferro voava a frente da Milano mostrando ao Senhor das Estrelas o caminho o qual ele deveria seguir. Logo os ventos gélidos das calotas polares articas demonstram ao heroi bilindado que ele estava proximo de seu destino. Seus sensores mostravam um grande pico de energia vindo de um ponto no meio do estado gélido americano. Quando os radares internos da armadura conseguiram isolar o local apropriado, Rhodes passou as coordanas para a Milano e iniciou o pouso...




Rhodes e o Senhor das Estrelas puderam ver uma pista de pouso em um local isolado ao lado de um conjunto de antenas proximas que emitiam sinais de altra frequencias. Proximo das antenas havia tambem uma base que aparentava ser militar. Como a torre da base não emitia nenhum comunicado sobre a aproximação de Milano, o Senhor das Estrelas pressupos que a base estava abandonada assim como a pista livre.

Pousando sem nenhum problema na pista que estava com uma fina camada de gelo, o Senhor das Estrelas abriu as comportas da Nave dizendo a todos que eles tinham chegado ao seu destino. O Homem de Ferro aguardava os demais do lado de fora enquanto ventos frios sopravam para dentro da Milano, açoitando a todos que estavam sem proteção. Restava agora o grupo decidir suas próximas ações.

_________________
avatar
Guima

Número de Mensagens : 2222
Idade : 32
Data de inscrição : 12/12/2009

Ver perfil do usuário http://www.remistico.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Pedro Malasartes em Ter Jun 06, 2017 10:07 pm

Antes de partirmos, o Senhor das Estrelas ressaltou o potencial de cada um dos super-humanos presentes e como esse conjunto de habilidades seria útil para deter o terrorista que estamos caçando. Em seguida, ele prometeu que eu ficaria com todos os créditos pela captura do terrorista e que nunca mais eu teria de lidar com ele ou qualquer daquele grupo improvisado. Aparentemente, ele se irritou com os meus questionamentos. Não vejo razão para tal reação, mas julguei melhor aparar as arestas daquela discussão.

- Calma, astronauta! Não estou em busca de crédito, mas de justiça. Na verdade, eu nem mesmo gostaria de estar dentro dessa armadura. Eu apenas questionei se essas pessoas inspiram confiança. Nós estamos falando aqui de alienígenas, deuses e experimentos do governo. Coisas que até ontem estavam muito distantes da minha realidade. É tudo novo para mim. Para não dizer assustador...

Com os jatos propulsores da armadura, acompanhei a nave do Senhor das Estrelas pelo ar. Compartilhando dados e coordenadas, logo chegamos ao nosso local de destino: uma instalação no Alasca, onde foi possível notar transmissores de alta frequência. Não tenho conhecimento técnico para compreender o funcionamento do equipamento avistado naquela base. Essa é mais a praia do Tony. Eu sou essencialmente um combatente. Mas talvez um dos samaritanos misteriosos que vieram com o Senhor das Estrelas seja cientista ou algo do tipo.
Para piorar, não existe indício de que alguém esteja ali. Está tudo muito quieto, o que pela minha experiência no fronte, não é um bom sinal. Se Hall estivesse aqui, nosso grupo já teria sido hostilizado a essa altura. Mas como não sou de perder viagem, cogitei uma investigação.

- Pelo visto, nós chegamos tarde. Hall provavelmente previu que seria rastreado. Mas talvez existam pistas aqui que possam nos indicar seu próximo paradeiro. Vale a pena investigar.

_________________
avatar
Pedro Malasartes

Número de Mensagens : 45
Idade : 33
Data de inscrição : 23/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Gláucio "Speedy" Gonzales em Sex Jun 09, 2017 6:12 pm

Sinto a dor diminuir... Eu olho timidamente para Feiticeira de Escarlate.
O irmão dela, também parece ser um sujeito muito astuto. Ele me alerta que o General não estava nem aí para cumprimento da lei e me convence a ir com eles.
Assim como vejo que não é fácil ser um herói.
Um general corrupto? Quem pensaria isso... Só aqueles grupos comunistas da América do Sul.

Em seguida  me questiono sobre.
Minhas visões são dos fantasmas dos meus antepassados ou uma magia que faz o cristal em minha espada emitir luz?
Tento sentar ao lado de Wanda na viagem e com Pietro. Eles parecem dois irmãos bem divertidos e vou papeando com eles enquanto viajamos.

-Me lembrem de não atacar nunca mais uma criatura gigante sem combinar melhor o ataque com um parceiro tão grande quanto. O Hércules recuou quanto eu ainda estava lutando...

Olho para meu próprio braço.

-...Será que estamos fazendo mesmo a coisa certa? Quer dizer...O General era um corrupto, pelo que vocês comentaram...E eu... Bem, ataquei uma criança.

Saindo pouco depois, vou conversar com o Senhor das Estrelas.

-"Homem-Estrela", tem certeza que é o lugar é esse?


_________________
avatar
Gláucio "Speedy" Gonzales

Número de Mensagens : 2572
Idade : 36
Data de inscrição : 19/01/2008

Ver perfil do usuário http://www.gonzalismoveloz.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Ricardo Sato em Sab Jun 10, 2017 5:22 pm

Hércules adentra a estranha aeronave curioso com sua forma estranha e aparelhos,mas depois de um tempo aquilo perde a graça,e o deus apenas senta-se com as costas numa parede,os braços atrás da cabeça e as pernas esticadas enquanto assovia uma velha canção grega.
Ele escuta algumas conversas e acredita que um dos homens devia ter batido forte a cabeça....quando diabos ele teria recuado se o tempo todo esteve engajado com o gigante esmeralda?...Mas isso não era importante com uma voz alta mas jovial o Leão começa a falar.

Acalmem-se meus caros,realmente seria melhor se tivéssemos alguma estratégia mas vamos deixar o que não podemos consertar no passado,não tínhamos ideia de que os outros estariam lá e nunca nos vimos,agir em conjunto seria no mínimo improvável.
Diria que nos saímos bem,noto que para alguns essa vida é coisa nova e digo...erros aconteceram e se tiverem coragem e desejo de proteger no coração esses erros serão lições que os deixaram mais fortes.

O combate deveria ser algo especial reservado aos que merecem punição por seus atos e aqueles que desejam testar sua força e determinação.Da última vez enfrentamos alguém que não queria lutar e por isso só teríamos que detê-lo,não preciso dizer que agora enfrentamos o primeiro caso e devemos estar preparados.

Fomos agraciados com grandes dons e o desejo de usá-los em prol do mundo,então lhes digo que é uma honra estar aqui...mas para não dizerem que Hércules não sabe ouvir eu pergunto,algum de vocês tem alguma estratégia de que devemos estar cientes?


Chegando ao local nada parece se mexer na base e Hércules começa a ficar inquieto e prepara-se para o combate,mas aguardará se alguém quiser criar um plano de ação.

Vocês tem certeza de que ele continua ali?

_________________
"Bom e mal, eles se apegam as memórias porque é tudo que tem."
"Eu viverei com este fato!Não você!"
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1268
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Pedro H. Oliveira em Seg Jun 19, 2017 6:13 pm

Pode ser que eu tenha exagerado um pouco no tom de voz com o Tron, na minha cabeça saiu de boa, mas nunca se sabe. A viagem até que é tranquila até o local designado por ele. Ao chegarmos, encontramos um local relativamente vazio e beeem tranquilo, o que sabemos muito bem que não é sinal de coisa boa.

- Sei lá... Se esse cara passou por aqui, significa que existe um motivo pra isso. Acho que podemos dar uma olhada por aqui e tentar descobrir mais coisas... E serio, precisamos de um jeito melhor para nos chamar, não apenas de "um bando de malucos usando fantasias!" Meu nome é Senhor das Estrelas e essa belezinha é minha velha companheira de guerra, Milano!

Não sei se esse povo vai me seguir mais uma vez ou não, mas ao termino de nossa breve conversa eu puxo minha arma e já começo a caminhar em busca de algum coisa.

- Tron - foi mal, mas esse nome ficou legal - Você consegue identificar alguma coisa por aqui? Acredito que sua armadura tenha algum tipo de sonar ou scan. Precisamos saber se tem alguma bomba ou coisa parecida enquanto caminhamos.


_________________
avatar
Pedro H. Oliveira

Número de Mensagens : 850
Idade : 26
Data de inscrição : 25/06/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Guima em Ter Jun 20, 2017 8:52 pm

A demora dos heróis em tomarem uma decisão custou um alto preço. Um drone aereo se aproximou do local onde eles estavam e lançou um missil na direção deles. Os sensores do homem de ferro notaram a aproximação do objeto voador mas ja era tarde demais, o drone possuia algum tipo de tecnologia Stealth que o deixou inivisivel dos radares e sensores. Só dava tempo de tentar fugir dos misseis...


Os misseis atingem o chão causando uma grande explosão de area. Wanda ergue um campo de força com seus poderes caóticos bem a tempo de impedir que a chama das explosões atingissem a todos, porem a onda de impacto jogou todos os heróis quilômetros longe da base. Wanda baixa seu campo e todos veem o chão calcinado pelo fogo e fumaça.

Mercurio afim de dissipar a fumaça começa a correr em circulos em uma velocidade espantosa afim de criar um redemoinho para que o vacuo sugasse a fumaça enviando ela para os ares... Quando a fumaça começa a se dissipar, os demais heróis percebem uma movimentação estranha surgir na frente dos mesmos. Um grupo de soldados usando uniformes taticos na cor amarela se aproximam com armas altamente tecnologicas. Sem dizer uma palavra ou se identificar eles começam a disparar contra os mesmos.


_________________
avatar
Guima

Número de Mensagens : 2222
Idade : 32
Data de inscrição : 12/12/2009

Ver perfil do usuário http://www.remistico.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Pedro Malasartes em Qua Jun 21, 2017 6:07 pm

Antes que qualquer plano fosse definido, o Senhor das Estrelas considerou que seria sensato sondar a área em busca de bombas e outros aparatos que pudessem ter sido programados para nos recepcionar.

- Tron é um nome duca, mas pode me chamar de Homem de Ferro. Infelizmente, as Indústrias Stark já registraram a marca. E falando em sensores, o meu acabou de alertar que...

Não tive tempo de completar a sentença. Quase que imediatamente um drone disparou mísseis contra nós. Não fosse o campo de força da garota de vermelho, alguém poderia ter perdido a vida. Para piorar as coisas, um grupo paramilitar surgiu logo em seguida e sua intenção era hostil. Aparentemente, Franklin Hall realmente faz parte de um grupo terrorista. Ele não é apenas um cientista louco em busca de atenção. Independente do caso, era o momento de revidar.

- Senhor das Estrelas, eu interceptarei os drones e quaisquer armas automáticas que eles tiverem programado. Enquanto isso, você e os outros cuidam dos terroristas.

Então ativei o modo fantasma da minha armadura, me tornando, no processo, indetectável para qualquer sistema de detecção ou mira. Resumindo, nenhum sistema tecnológico seria capaz de travar alvo em mim. Em seguida, projetei um pulso eletromagnético de médio alcance para desestabilizar drones e outros mecanismos de ataque. Creio que assim evitarei baixas desnecessárias em nossa equipe. Embora eu não tenha escolhido trabalhar com esses heróis desconhecidos, nós agora formamos um pelotão, e um soldado tem de cuidar do outro.

Nota: estou usando o modelo 39 da armadura do Homem de Ferro como referência para o equipamento que estou usando. Essa armadura contém a ghost-tech (tecnologia fantasma) do Máquina de Combate, que tem uma camuflagem que a torna invisível a olho nu e sistemas computadorizados, além de intangibilidade. As rajadas repulsoras das palmas também formam polímeros cristalinos de contenção. Por fim, essa armadura também é capaz de gerar pulsos eletromagnéticos e sua mira é precisa a ponto de atingir nanopartículas ou equipamentos miniaturizados.

_________________
avatar
Pedro Malasartes

Número de Mensagens : 45
Idade : 33
Data de inscrição : 23/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Leo Rocha em Qui Jun 22, 2017 9:22 pm

Tchalla olhava admirado a velocidade da montaria do Asgardiano. Eles já haviam percorrido uma distância considerável e a criatura se mantinha vigorosa em sua marcha. Ele se sentia honrado em escrever um novo capítulo na história dos Panteras Negras, mesmo que isso significasse ter que se lançar pelo mundo ao lado de um grupo de desconhecidos, dos quais, aparentemente apenas Odinson estaria habituado ao seu tipo de desafio.
Ele ainda tenta entender quais desígnios os deuses preparam para que ele fosse agraciado com a participação de um grupo tão diverso em sua caçada: a ruiva com pinta de espiã, que se mescla ao ambiente com a facilidade de um camaleão; o agora indigno Odinson; o andróide com sentimentos; e o Arqueiro que parece saber mais do que revela.

Arrow Espero que você entenda que nós termos permitido que você viesse conosco não significa que confiamos em você. Essa é a melhor maneira para ficarmos de olho em você e ver o que você sabe.

Em seguida, ele se vira para os outros e diz:

Arrow Nós não somos uma equipe. Não nos conhecemos. Nunca dividimos a comida e as armas. Mas estamos juntos pelo desejo dos deuses e nossas habilidades terão que se somar naquela que pode ser a caçada mais difícil que enfrentaremos. Nós não somos os únicos atrás de Hall e ele está preparado para ataques. Tentem não agir como amadores. Tentem não morrer. Tentem não atrapalhar uns aos outros e, mais importante: tentem não me atrapalhar.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4094
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Ricardo Sato em Dom Jun 25, 2017 9:44 pm

Hércules se posta a frente de seus mais delicados companheiros até que se defendam ou peguem cobertura,com os braços cruzados a frente do rosto e um sorriso.

PROTEJAM-SE COMPANHEIROS,a batalha nos chama....se quiserem tirar algo de positivo,a base não está vazia,talvez nosso alvo ainda esteja lá,não deixemos que esses asseclas nos tomem muito tempo em procurá-lo.

Assim que se certifica de que estejam bem ele força suas pernas e em um poderoso salto toma as costas dos atacantes ao mesmo tempo em que une suas mãos e as acerta contra o solo criando uma onda de choque e depois se posta para o combate socando aqueles próximos.

HA HA,malditos já que ousam proteger um monstro que recebam parte do que está destinado a ele,e já que só desejam conversar com suas armas deixem que Hércules lhes responda com os punhos...e eu gosto muito de gritar.

_________________
"Bom e mal, eles se apegam as memórias porque é tudo que tem."
"Eu viverei com este fato!Não você!"
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1268
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Pedro H. Oliveira em Sab Jul 01, 2017 10:53 am

Homem de Ferro... é assim que o Tron diz se chamar... tudo bem então! Antes que ele pudesse avisar direito o resto da equipe, somos supreendidos por um ataque de drone que nos joga longe, felizmente nossa Dama de Vermelho foi ágil e nos protegeu a tempo.

Além disso, somos surpreendidos por um exército tático que vem em nossa direção. Hércules é o primeiro a agir dando seus golpes pra afastar os caras enquanto o de Ferro fica invisível para se tornar nosso elemento surpresa.

- Galera, vamos ter que sobreviver a esses caras agora! Encontrem cobertura e tentem se aproximar aos poucos! Cavaleiro, vou te garantir segurança enquanto você avança; Ligueirinho, você consegue tirar as armas desses caras?

Enquanto distribuo as ordens, saco minhas armas e começo a retribuir os tiros. Além disso, busco um local seguro enquanto busco uma granada de energia para jogar neles caso necessário.

_________________
avatar
Pedro H. Oliveira

Número de Mensagens : 850
Idade : 26
Data de inscrição : 25/06/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Guima em Dom Jul 02, 2017 7:27 pm

O Homem de Ferro alça voo usando de uma tecnologia que o deixava invisivel a radares e dispositivos eletronicos, com essa tecnologia não seria dificil abater o drone que a pouco lançou um missil na direção deles...

Não demorou muito e o Homem de Ferro ja estava com o drone na sua mira. Prestes a dar o disparo para abate-lo, Rhodey notou uma coisa. Eram misseis do tipo JERICHO, e esses misseis eram somente fabricados pelas industrias STARK, o que aquilo significava? Mas o momento de duvida custou caro para Rhodey, antes que sua armadura pudesse alerta-lo, um dos terroristas voando com um Jetpack acertou um disparo no mesmo comprometendo sua armadura... e em seguida ele disparou novamente, porem Rhodes conseguiu desviar dos disparos... Ao que parecia o terrorista estava querendo tirar a atenção de Rhodey do Drone...


O ataque dos terroristas foi rapido e eficiente. Num ataque coordenado, os terroristas abateram primeiro a Feiticeira Escarlate e em seguida seu irmão Mercurio... Restava apenas o Cavaleiro Negro, Hercules e o Senhor das Estrelas. Sem pensar duas vezes Hercules se lançou contra os terroristas acertando o solo na intenção de causar uma onda de choque e assim derrubar o maximo possivel de oponentes, porem antes mesmo de aterrisar um dos terroristas ativou um dispositivo em seu traje e sua roupa foi tomando uma forma de armadura propelida e assim que Hercules estava prestes a aterrisar a Armadura o golpeou em pleno ar com um soco que o lançou aos céus.


Jatos plantares começaram a queimar e a armadura voou em direção do corpo do Olimpiano afim de elimina-lo em pleno ar.

Acuado o Senhor das estrelas busca uma cobertura enquanto dispara com sua pistola contra os terroristas. Ele consegue abater dois dos terroristas mas eles ainda estavam em grande numero. Se escondendo atrás de um muro de contenção, o Senhor das Estrelas amaldiçoa e prepara uma granada de luz para lançar contra seus oponentes. Porem ele teria que esperar a saraivada de disparos energeticos em sua direção ou criar uma distração para não ser atingido...

Pantera Negra juntamente de Thor, Visão, Viuva Negra e o Arqueiro que eles encontraram na sede da ONU chegam ao local graças a carruagem mistica do Deus do Trovão. Todos ali observam o Pandemonio causado pela luta entre os herois e aqueles caras de amarelo. E os Herois pareciam estar levando a pior, salvo alguns deles. O Arqueiro então ao ver os Terroristas dispara

- São a ICA: Ideias Cientficas Avançadas. Um bando de CDF maluco que se uniram e se transformaram em uma celula terrorista. Se eles estão aqui, devem saber algo sobre Hall. É melhor impedirmos.

Ele então puxa uma flecha explosiva e dispara contra o grupo que estava alvejando o Senhor das Estrelas criando a distração perfeita para Quill....



_________________
avatar
Guima

Número de Mensagens : 2222
Idade : 32
Data de inscrição : 12/12/2009

Ver perfil do usuário http://www.remistico.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Gláucio "Speedy" Gonzales em Dom Jul 02, 2017 8:34 pm

-FEiticeiraaaa! Nãoooo!

Canalhas! Calma... sou herói... não, não sou! Eu sou só um técnico de segurança e engenharia cibernética com ideias que deram certo por algum tipo de milagre!
Hércules e o velocista e até o homem de lata cairam! Vamos morrer! Vamos morrer!... Não, pera! Uma flecha! O sujeito conhece eles!

- São a ICA: Ideias Cientficas Avançadas. Um bando de CDF maluco que se uniram e se transformaram em uma celula terrorista. Se eles estão aqui, devem saber algo sobre Hall. É melhor impedirmos.

Hummm... Outros nerds, é? Talvez estejamos em casa! Saco o sabre e brilho com luzes piscantes enquanto avanço usando a capa para esconder meu braço ferido.
Avanço saltando em direção próxima de onde a flecha fez a abertura para aumentar ainda mais a dispersão que deixa Quill ainda menos vulnerável e eles olharem menos ainda para eles! Ergo então a espada diante de meu rosto.

-Não queremos usar plenos poderes da Força em vocês, entreguem-se!

E com isso ao ver a brecha formada eu torço para que Peter seja mais cooperativo que o amigo divino e trabalhe junto comigo, antes os ataque antes que percebam o que eu aprendi à duras penas: que ainda não estou pronto!

_________________
avatar
Gláucio "Speedy" Gonzales

Número de Mensagens : 2572
Idade : 36
Data de inscrição : 19/01/2008

Ver perfil do usuário http://www.gonzalismoveloz.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Ricardo Sato em Dom Jul 02, 2017 9:27 pm

Hércules era erguido no ar,não estava atordoado mas sim enraivecido,alguns de seus companheiros haviam sido pegos desprevenidos e caído e agora aqueles mortais e suas geringonças....era hora de mostrar-lhes uma verdadeira arma,não tinha consigo seu arco e suas flechas envenenadas mas não precisaria delas,ao endireitar-se no ar ele via o armadurado vindo em sua direção e teve uma ideia.

Hércules lembrou-se novamente de seus tempos nas trincheiras da guerra,uma situação agradável dentre tantas atrocidades,o olimpiano sempre fora um amante dos esportes,inúmeras vezes participante e vencedor dos jogos tão corretamente chamados de olímpicos com sua força,pontaria,agilidade e vigor.Mas um esporte havia passado despercebido por ele por muito tempo,um esporte do qual um dos soldados de Rogers,também daquela estranha terra chamada Brooklyn,falava com uma paixão que beirava o fanatismo....Baseball.

Ele jogou seu corpo para frente,que no momento era em direção ao chão e de encontro ao vilão,chegando próximo ele repentinamente empunhou seu bastão do poder,sua maça dourada e fez mira naquele que vinha pelo ar e mais ainda,naquela aglomeração deles atirando lá em baixo,em um instante a maça giraria acertando o soldado e o enviando como uma bola de metal retorcido e combustível diretamente sobre seus aliados,o humano parecia confiante em sua proteção e força,mas sua força não se comparava a de Hércules e o metal de sua armadura pouco efeito faria contra a maça de Hércules,uma maça feita de um metal lendário,forjada e encantada somente sob intervenção divina,uma arma feita de um metal que milênios depois,quando os humanos criassem um metal quase indestrutível ainda o nomeariam em honra a sua lenda....Adamantite.

Bom golpe mortal....experimente o meu!!!

Hércules então giraria o corpo e amorteceria sua queda,afinal se quisesse ele poderia saltar muito mais alto do que aquela altura e ainda sim cair facilmente de pé,logo depois avançaria para proteger seus companheiros caídos.

_________________
"Bom e mal, eles se apegam as memórias porque é tudo que tem."
"Eu viverei com este fato!Não você!"
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1268
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Nasinbene em Qua Jul 05, 2017 9:09 pm

Graças à força de Gnasher, rapidamente cruzamos os céus e nos encontramos no Alaska. Já ao longe consigo sentir o ar frio açoitando meu rosto enquanto conduzo minha carruagem... Admito que, por um breve momento, sinto falta do tempos em que eu ia combater em Jotunhein, com a brisa fria mordendo minha pele como uma saudação. Como se ela dissesse "ei, e aí Thor..."
Essa sensação de familiaridade passa logo, já que a temperatura se mantém constante, e não continua a cair vertiginosamente como acontece na terra dos Gigantes de Gelo. Aqui, o clima é apenas ameno. Nada daquele frio ao qual eu estava habituado milênios atrás.
Num instante, estamos sobrevoando uma verdadeira zona de guerra. Como de costume, se Gnasher dá sinais de cansaço, ele não demonstra. O grande problema aqui é saber qual dos lado da contenda ajudar... Me parece que alguns deles estavam pressentes na sede da ONU, mas admito que não prestei a devida atenção naquele momento. É quando o tal Arqueiro (que veio conosco a pedido de Tchalla... por mim teria virado o lanchinho de Gnasher) aponta quem são os "inimigos":

- São a ICA: Ideias Cientficas Avançadas. Um bando de CDF maluco que se uniram e se transformaram em uma celula terrorista. Se eles estão aqui, devem saber algo sobre Hall. É melhor impedirmos.

Pouso a carruagem enquanto o distinto já começa a disparar suas flechas. Agora, não há muito o que fazer. Ele ja atraiu a atenção da tla ICA pra nós. Depois vemos como isso fica e nos desculpamos, se for o caso. Apenas digo a ele:

- Não pense que mudei de ideia sobre você... se sequer piscar errado, faço picadinho de você com meu machado... Gnasher, pega eles- finalizo apontando para meu bode a direção que ele deve atacar... como de costume, o bicho não parece sequer cansado... apenas faminto. Tenho pena do que cruzar o caminho dele.
Enquanto os demais atacam, penso que não vou cometer o mesmo erro que na ONU. Nada de pegar leve aqui... é hora de mostrar a esses caras quem é o Deus aqui.
Concentro-me nas nuvens acima de mim e na carga preciosa que elas carregam... água, gelo, vento, poeira... tudo esperando meu toque, aguardando meu comando. E como se fosse a água de um lago agitada por uma mão invisível, as nuvens começam a se mover ao meu comando:

- Que a fúria dos elementos se dobre a minha vontade! É Thor Odinson quem comanda! Que o frio dos ventos árticos varra esses mortais tolos da minha presença!

Incrível como velhos hábitos são difíceis de perder... sempre que vou comandar os elementos ainda acabo soando como se tivesse acabado de vir de Asgard.. é como se a houvesse certa magia nas palavras... O que importa é o efeito: vai ser difícil esses caras se manterem no chão com a força do vento que enviei sobre eles... se por acaso sobrar alguém em pé... aí a coisa vai se tornar mais... próxima. E Jarnabjorn vai cantar...
avatar
Nasinbene

Número de Mensagens : 1241
Data de inscrição : 29/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Duda em Sab Jul 08, 2017 7:32 pm

O mundo inteiro girava e ficava mais lento ao redor de Pietro, não era aquela lentidão que estava acostumado a sentir quando usava seus poderes, mas uma lentidão que vinha acompanhada de dor e entorpecimento dos sentidos, sabia que mais cedo ou mais tarde a sua confiança excessiva iria acabar lhe ferindo, só não esperava que tão literalmente.

Ao longe conseguia ouvir a voz do Cavaleiro Negro gritando pela “Feiticeira” e no seu âmago sabia que era sua irmã que estava em perigo, logo começou lentamente, o que para um velocista iria ser uma eternidade, a criar prioridades em sua mente, para que quando o seu corpo voltasse a obedecer as suas ordens.

Primeiro iria correr até onde estava sua irmã e coloca-lá fora da linha de fogo inimigo e rapidamente avaliar os seus ferimentos.

Segundo, com Wanda fora de perigo imediato, iria correr até os agentes dessa tal de ICA e tomar de seus usuários o maior número de armas possíveis, deixando-os desarmados, utilizando de força bruta se necessário, porém quantidade nesse momento ganhava de qualidade. Caso não fosse possível desarmar os soldados, iria ficar na defensiva, tirando rapidamente outros companheiros da linha de fogo quando visse suas vidas ameaçadas por tiros, explosões e afins.

Duda

Número de Mensagens : 16
Idade : 31
Data de inscrição : 22/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Leo Rocha em Qua Jul 12, 2017 1:01 pm

Tchalla observa a disposição dos heróis no combate, bem como a dos vilões.
A proporção de inimigos era maior, mas eles não pareciam contar com as mesmas habilidades dos heróis. Isso era um fator bom.
No entanto eles tinham equipamento avançado que compensava a ausência das habilidades. Isso era ruim.
Eles dependiam destes equipamentos. Isso era bom.

Outra coisa que lhe chama a atenção é que os heróis se esforçam para atacar, porém não parecem trabalhar em conjunto. Isso era ruim.
Já os inimigos pareciam seguira uma cadeia de comando... Isso era muito bom, pois, quebrando o líder eles estariam sem organização.

Ele viu Thor convocar os trovões e ficou admirado com o poder do companheiro de lutas. Ele então gritou para Odinson:

Arrow Tente dispersá-los! Depois, se concentre nos maiores oponentes. Esses são os dignos da força de Odinson.

Em seguida, ele diz aos outros:

Arrow Viúva, você é a que pode conseguir descobrir melhor se há alguma informação oculta por aqui. Fique fora da frente de ação e veja o que consegue achar. Visão e Gavião, abram caminho e façam o maior estrago possível. Eu tenho um encontro marcado...

Enquanto os outros agem, o Pantera salta entre os inimigos, distribuindo golpes com suas adagas energéticas. Ele age e analisa as reações dos inimigos, até encontrar o que procurava: o homem responsável pelo comando dos vilões. Ele chegaria de voadora no homem e se colocaria a sua frente dizendo:

Arrow Levante e me encare como um homem.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4094
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Pedro Malasartes em Qua Jul 12, 2017 11:09 pm

Enquanto eu neutralizava os drones e demais defesas automáticas, foi possível identificar que os mísseis disparados pelas máquinas foram projetados pelas Indústrias Stark. Como eles pararam nas mãos de terroristas? Eu tenho memorandos atualizados sobre o inventário das Indústrias Stark. Afinal, eu cuidei de muitos dos protocolos de segurança da empresa. Se algo tivesse sido roubado de uma de nossas centrais de armazenamento, eu saberia. O que significa que talvez os terroristas tenham obtido o equipamento do modo tradicional: compra e venda. Mas Tony estaria vendendo armas para terroristas? Se eu estivesse falando de outra pessoa, daria o benefício da dúvida. O problema é que eu conheço meu amigo e o caráter dele nunca foi dos melhores. Com ele os negócios sempre vem primeiro. Sempre.
Enquanto eu fazia esses questionamentos, integrantes do grupo terrorista me alcançaram com jetpacks. O fato deles terem conseguido travar alvo em mim foi outra grande surpresa. Como eles conseguiram tecnologia capaz de rivalizar com o modo fantasma da armadura? Talvez Tony possa me explicar isso mais tarde. Agora eu tenho de me concentrar no confronto. Por sorte, a armadura tem um elemento importante que os inimigos desconhecem: um piloto bem treinado. Usando manobras aéreas evasivas, me esquivei de todos os disparos efetuados pelos terroristas.
Em seguida, foi o momento do revide. Utilizando os polímeros de contenção das manoplas da armadura, eu selei as jetpacks dos terroristas com camadas cristalinas. Creio que eles não conseguirão voar sem os jetpacks. No movimento seguinte, agarrei os dois no ar e os joguei contra o chão. Após cuidar dos drones e dos terroristas planadores, eu estava enfim livre para ajudar os outros. Notei que havia recém-chegados. Pelo visto, mais super-humanos decidiram se juntar a luta. Avistei o viking berserker, a ruiva estonteante, um arqueiro, um ser aparentemente cibernético e um cara vestindo um traje negro de aspecto felino. Esse último parecia ser o líder do grupo. E convenhamos, eles estavam mais organizados do que o grupo que veio a bordo da nave do Senhor das Estrelas. O conselho do Homem-Gato era o de dispersar os terroristas. Eu abracei essa ideia e imediatamente me juntei a eles, disparando rajadas repulsoras para repelir os terroristas. Se as duas divisões de super-humanos no local se tornarem um pelotão, derrotaremos mais facilmente os malfeitores.

_________________
avatar
Pedro Malasartes

Número de Mensagens : 45
Idade : 33
Data de inscrição : 23/04/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  El Cabron em Sex Jul 14, 2017 4:31 pm

~ De certa forma, aquela “reunião” de pretensos salvadores do mundo parecia estar trazendo resultados e alguns avanços. No atual momento, o sintozóide estava acompanhado por algumas figuras peculiares da raça humana enquanto dirigiam-se para o Alaska. O autômato, no entanto, permanecera em silêncio durante praticamente todo o trajeto, fazendo releituras dos dados obtidos, além de poder observar ainda mais de perto aqueles que estavam junto com ele rumando para a prisão militar que, outrora, confinava Hall.~

***

~ O local encontra-se em um verdadeiro inferno. Não apenas pelo cenário de luta entre “super seres” e homens trajados com armaduras robóticas, mas por todo o contexto que os trazia até ali.
Não tardou até que Thor, aquele se auto intitulava uma espécie de “divindade”, lançava-se aos céus, clamando não apenas pelos raios e trovões, mas também por atenção.
O segundo homem do grupo, cujas roupas faziam referência ao animal conhecido como Pantera, parecia ser mais comedido, provavelmente o mais equilibrado do grupo, procurando organizar as ações coletivas.
A mulher chamada de Viúva Negra, por outro lado, era ainda mais introspectiva do que misteriosa, assim com o rapaz denominado Gavião Arqueiro.
Eram, de fato, um grupo peculiar. ~


“Visão e Gavião, abram caminho e façam o maior estrago possível.”

~ O tempo era curto. Não havia a necessidade de haver mais mortes, tudo tinha de terminar o mais rápido possível para que então pudessem focar na busca por informações sobre Franklin Hall.
Fazendo uma breve análise a respeito da estrutura mecânica dos homens de armadura, Visão tornava-se intangível, com isso poderia lançar-se em meio ao campo de batalha e transpassar todos os adversários que enxergasse. Sua estratégia baseava-se em causar curtos circuitos nas armaduras robóticas utilizadas pelos adversários, incapacitando-os de continuarem a lutar.
O sintozóide sabia que não havia tempo a perder e, por fim, bradou utilizando o seu sistema de amplificador de voz para todos ali presentes. ~


- BASTA DE MORTES POR HOJE!

_________________
avatar
El Cabron

Número de Mensagens : 151
Idade : 27
Data de inscrição : 05/02/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Guima em Ter Jul 18, 2017 6:17 pm

Os Heróis estavam tendo uma certa dificuldade para lidar com os agentes da ICA. Porem a chegada do Pantera Negra e seu bando trouxe uma peso a favor na balança da luta. O Pantera Negra foi enfático em suas ordens porem a imagem de um líder não era o que ele transmitia e sim de um apoio tático. A ideia inicial era dispersar os oponentes uma vez que eles estavam com uma leve vantagem reunidos e coordenados. O primeiro a iniciar o plano foi o Thor que após liberar Gnasher contra os agentes da ICA invocou um vento forte e gélido pra cima dos terroristas. Instabilizados pela ventania os terroristas não perceberam o velocista furioso que correu por entre eles em uma velocidade sônica arrancando as armas e os apetrechos dos mesmos.


Logo depois o sintozoide analisando os dados de combate lançou-se num voo rasante por entre a maioria dos terroristas de maneira intangível destruindo os componentes eletrônicos de suas roupas e os demais dispositivos deixando-os inutilizados. A intenção de Visão era evitar mortes e ele bradou isso a todos para que os companheiros pudessem ouvir.


Percebendo que os terroristas estavam com seus uniformes danificados a Mulher Aranha pulou sobre eles num grande salto e disparou teias contra todos em pleno ar e depois puxou todos numa típica estilingada juntando-os num grande bolo de teia...


Aterrisando o Homem de Ferro após neutralizar os drones e os agentes com Jetpacks disparou um unirraio amplo que atingiu os terroristas presos na teia da Mulher Aranha tirando-os uma vez de combate.


Os terroristas desgarrados foram abatidos pelo Cavaleiro Negro que mesmo com um de seus braços machucados conseguiu derrotar seus oponentes. Viuva Negra e Gavião Arqueiro em conjunto acabaram abatendo os fugitivos.




Por fim Hércules pousa no chão após transformar a armadura que lutava com ele em um monte de velho amassado e retorcido que espatifou no chão segundos após o Olimpiano levantar-se.


Procurando o que parecia ser o lider no calor da batalha, Tchalla o encontra e numa voadora oportunista o desarma facilmente. Vendo que não tinha chances nenhuma contra o mascarado ele se rende frente as suas adagas de Vibranium energizadas...


Súbito o Homem de Ferro ve em seus sensores uma fonte de energia aumentado a níveis altos e de maneira rápida. A energia começa a ser contida nas enormes antenas ao lado da base como os herois haviam visto assim que pousaram com a nave do Senhor das Estrelas. Uma por uma as antenas começam a se energizar com o que parecia um tipo de eletricidade de cor arroxeada e quando chega em seu apice ela dispersa num clarão luminoso.


Algo estava acontecendo dentro da base...

_________________
avatar
Guima

Número de Mensagens : 2222
Idade : 32
Data de inscrição : 12/12/2009

Ver perfil do usuário http://www.remistico.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Gláucio "Speedy" Gonzales em Ter Jul 18, 2017 7:17 pm

-Oh, por Merlin!

O braço doí um pouco e deveria estar imobilizado, mas não posso deixar de ajudar. Na hora que vejo a energia fluindo eu tento detectar magneticamente pela base da espada uma carga semelhante de elétrons. Dessa forma repelindo qualquer ataque por meio da espada que venha a se direcionar contra mim... Fico na frente da Feiticeira de Vermelho, enquanto ela se recupera... E tento evitar que sejamos todos nós fritos pela eletricidade.

-Senhor "de Ferro", conhece alguma forma de repelir essa energia para que ela não nos atinja caso chegue à algum estágio crítico?

E continuo tentando me aproximar lenta e linearmente fazendo um escudo na direção que a irmã do velocista esta. Sabia que teríamos de avançar, mas que tem poderes exatamente para conter isso que emanava do gerador?

_________________
avatar
Gláucio "Speedy" Gonzales

Número de Mensagens : 2572
Idade : 36
Data de inscrição : 19/01/2008

Ver perfil do usuário http://www.gonzalismoveloz.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Ricardo Sato em Qui Jul 20, 2017 10:32 pm

Chego ao chão e vejo os novos guerreiros que notei do ar,abro um grande sorriso.

HA HA....por Zeus,bons olhos os vejam e bela batalha,estaria eu certo em dizer que também vieram aqui pelo tal pulha chamado Hall?

OH...como vai Odinson,me alegra e surprende vê-lo em ....Midgard,era assim que chamava?Parece que ambos encontramos estranhos companheiros não?


É então que presenciamos as torres começarem a reunir energia e então liberarem um clarão digno de Apolo,arranco do solo um grande pedaço de rocha maciça e me volto aos mortais que me acompanham.

Pergunto a vocês mortais...aqueles mais familiarizados com essa tal "ciência" de vocês.Seria de alguma ajuda tombar aquelas torres agora ou já é tarde e devemos apenas avançar?

Caso achassem que seria útil Hércules miraria um arremesso com a enorme rocha visando atingir o máximo de torres possível com seu projétil pouco afetável pela eletricidade,em caso contrário ele se prepararia para avançar contra a base.

_________________
"Bom e mal, eles se apegam as memórias porque é tudo que tem."
"Eu viverei com este fato!Não você!"
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1268
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Phelipe Peregrino em Sex Jul 21, 2017 8:31 am

As torres elétricas subiam e energizavam-se com uma força púrpura praticamente que gritava "vai dar merda". Todo mundo encara fixamente as antenas, aparentemente sem saber exatamente o que elas representam, mas o Cavaleiro Negro é o primeiro a se manifestar.

Cavaleiro Negro: Senhor "de Ferro", conhece alguma forma de repelir essa energia para que ela não nos atinja caso chegue à algum estágio crítico?

Hercules: Pergunto a vocês mortais... Aqueles mais familiarizados com essa tal "ciência" de vocês. Seria de alguma ajuda tombar aquelas torres agora ou já é tarde e devemos apenas avançar?

Spider-Girl: Não se ele já tiver atingido massa crítica. - Falei sem pensar. Vejo o olhar de alguns dos heróis vindo em minha direção e minha vontade era de me meter no primeiro buraco que encontrasse. Maldita Gwen nerd que não cala a boca! - A Lei de Ohm diz que a razão entre a tensão entre dois pontos e a corrente elétrica é constante, só de olharmos praquelas coisas, dá pra ver que estão gerando uma potência absurda. Se destruirmos ela no momento errado, a explosão resultante pode ser catastrófica... - Olho para os lados e dou de ombros. - É lei de Jaule, gente. - Ela aponta para o Thor. - Você é o Deus do Trovão, né? Não pode, sei lá... - faço uns gestos meio karate, ou Harry Potter, sei lá. Não faço a menor ideia do gesto que fiz. - ...ordenar que aqueles raios não machuquem a gente?

_________________
avatar
Phelipe Peregrino

Número de Mensagens : 1391
Idade : 28
Data de inscrição : 27/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/phelipe.peregrino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Leo Rocha em Sex Jul 28, 2017 4:30 pm

Tchalla se sentia um pouco decepcionado pelo líder do grupo ser um covarde que fugiu do combate. Ele queria um oponente digno de suas habilidades e a julgar pelo pedido de rendição do homem, isso ainda demoraria para acontecer. Como forma de descontar sua frustração, ele chuta o rosto do homem desacordando-o.
Nesse momento ele percebe os outros heróis se agrupando e confraternizando. Ele não tinha tempo pra isso. Havia alguém que merecia sua atenção. Que seria a presa digna de seus esforços.
Como uma resposta a seus pensamentos, a torre começa a pulsar de energia. Tchalla ouve as sugestões de como lidar com a situação vindas dos presentes. Nada muito impressionante até a fala da garota... Quer dizer, até a metade da fala dela...

Arrow Parece que você é o mais próximo de um cientista aqui... E ainda assim, prefere usar o poder de Thor como atalho... Temos que entrar naquele lugar e desligar o sistema por dentro. Garota-cientista, você vem comigo. O grandalhão ali também e o piloto da nave. Thor, você consegue fazer o que ela falou? Se conseguir, fique a vontade. Os outros, tentem ajudá-lo.

Ele sabia que não tinha sido muito simpático, mas não havia tempo para sutilezas. Bast exigia que ele desse o seu melhor e ele faria isso.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4094
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Nasinbene em Ter Ago 01, 2017 2:17 pm

Não foi sequer um desafio para nós derrotar esse bando de fracassados. Com os inimigos derrotados, um breve hiato na ação nos leva a "confraternizar". E o primeiro a me saudar é um rosto que não vejo a muitos séculos... Hércules. O semi-deus que ascendeu ao Olimpo e acabou sendo considerado como Deus da Força. Ao que parece, ele também me reconhece. Olhando assim, acho engraçado que ele ainda fala de forma rebuscada, como costumávamos fazer outrora. Mesmo eu, me sinto um tanto nostálgico e me pego falando quase que da mesma forma:

- Folgo em vê-lo bem e gozando de boa saúde, Filho de Zeus... Como pode ver, ainda carrego as mazelas do desentendimento com meu pai... Não obstante, ainda... Merda, levei séculos pra perder esse sotaque e olha o que você faz em cinco minutos, Hércules. Sim, era Midgard... ainda é, na verdade...

É quando as antenas se levantam e começam a manipular uma gigantesca quantidade de energia elétrica. A julgar pela coloração, e pela movimentação da energia, eu diria que é algum tipo de canalizador. Hércules sugere esmagar as estruturas, mas a garota-aranha acha que pode ser perigoso e me pergunta se posso comandar aquela eletricidade. TChalla pergunta o mesmo e, balançando a cabeça, respondo:

- Não é assim que funciona. Eu posso, de fato, comandar a eletricidade que vem lá de cima - aponto para as nuvens carregadas acima de nós - Mas essa energia da estrutura eu só poderia manipular se estivesse de posse do Mjolnir e ela fosse direcionada contra mim... A não ser...

Paro por um instante e penso sobre as implicações dos meus poderes. Se eu invocar um raio que atinja a estrutura de forma continua, as energias se mesclarão e, aí sim, estarão sob meu comando. Ou pode tudo explodir, como a garota disse... é um risco. Mas afinal, o que é a vida sem risco? Me volto novamente ao grupo e digo:

- Posso tentar algo arriscado, Tchalla. Posso invocar o poder da tempestade sobre essa estrutura, fazendo com que as energias se mesclem. Nesse momento, posso direcionar o raio para longe, drenando o poder dessa coisa. Ou vai tudo explodir, entrando em curto. De qualquer forma, acho uma estratégia válida... GNASHER, AQUI!!!

Assim que meu bode parar perto de mim, monto em seu lombo e parto rumo aos céus, pensando na minha trajetória até aqui. Posiciono o Jarnabjorn em minhas costas pra que eu possa usar as duas mãos pra manipular o clima. Era hora de mais uma vez Midgard conhecer a verdadeira extensão dos poderes de Thor... Me concentro no grande poder contido nas nuvens... na força que pode atingir temperaturas mais elevadas que a superfície do Sol... O Trovão é meu para ser controlado e manipulado... Sou Thor, o Deus do Trovão. Isso é algo que as pessoas sempre se esquecem... Apesar do Mjolnir ser uma ferramenta impressionante, ele não passa disso... de uma ferramenta. O martelo não me define... nesse momento, meus pensamentos se tornam intensos demais pra serem contidos pelos meus lábios:

- Sou Thor, Filho de Odin... Deus do Trovão. E o trovão há de obedecer aos meus comandos! SE ABRAM AO MEU COMANDO, NUVENS!!! DESPEJE SOBRE ESSA ESTRUTURA MORTAL TODA SUA FORÇA MONSTRUOSA E SEU PODER PERTURBADOR!!! ASSIM COMANDA THOR! PELA HONRA! PELA GLÓRIA! POR ASGARD!!!

Me concentro em fazer a energia circular pela estrutura e se se lançar novamente aos ceús. Isso deveria ser o bastante pra drenar o poder dali e manter a segurança dos outros... me juntarei a eles quando sentir que não há mais energia a ser drenada dali...
avatar
Nasinbene

Número de Mensagens : 1241
Data de inscrição : 29/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Pedro H. Oliveira em Ter Ago 01, 2017 6:25 pm

A chegada dos demais heróis mudou a situação no campo de batalha em que estávamos. Sem sombra de dúvidas quantidade faz a diferença por aqui! O homem de vestes negras consegue ser tão mandão quanto o Ferroso, me pergunto como deve ser legal uma discussão entre esses dois. Porém, não temos muito tempo para ficar brincando com relação a isso, já que não tivemos muito tempo para comemorarmos a vitoria contra esses agentes e as antenas começaram a emitir descargas elétricas.

Odinson leva em consideração as falas da Mulher-Aranha e segue para tentar controlar os raios.

- Só tem um problema nisso daí: não sabemos a natureza dessas descargas elétricas. E se nem mesmo os raios mágicos do Thor forem o suficiente para controla-los? Precisamos ser rápidos e desligar a fonte de energia, acho que vai ser muito mais seguro. - Saco minha arma e sigo em direção à entrada da base. - Você disse que queria invadir, então vamos nessa!

Ainda a uma distancia segura, começo a disparar contra a porta para estoura-la e seguir corredores a dentro. Eu espero que os demais me acompanhem, ou pelo menos busquem um lugar seguro caso a descarga elétrica dê muito errado e se volte contra o resto da equipe.

_________________
avatar
Pedro H. Oliveira

Número de Mensagens : 850
Idade : 26
Data de inscrição : 25/06/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo II - Gravidade Abaixo de Zero

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum