CENA 1.4 - MALDIÇÕES [DONOVAN e DANTE]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

CENA 1.4 - MALDIÇÕES [DONOVAN e DANTE]

Mensagem  Scorpion em Sex Nov 14, 2014 6:45 pm


Donovan e Dante apareceram em meio à uma trilha coberta por neve. Ao longe, os heróis podiam ver um enorme castelo, envolto pela névoa do lugar. Ambos sabiam que aquele não poderia ser outro, senão o tal castelo onde o vampiro residia. Entretanto, para chegarem lá, os heróis teriam de percorrer uma longa trilha pela neve, e assim o fizeram.
Tendo muito tempo para se conhecerem, eles logo puderam ver como tinham coisas em comum. Ambos possuíam uma herança demoníaca, entretanto, suas ambições eram completamente diferentes. Enquanto Dante exterminava demônios por dinheiro, Donovan o fazia por se considerar responsável pelo sangue que corria em suas veias. Enquanto Dante era esbanjador e tinha muitas ocupações fúteis, Donovan desconhecia o valor da riqueza e era acostumado à diversos tipos de votos e sacramentos. De fato... tão parecidos e tão diferentes.

Enquanto estavam chegando cada vez mais perto do caminho, os heróis puderam ouvir algum ruído estranho que poderia representar perigo. Foi quando eles viram, sentado em cima de uma pedra, uma criatura feia, mas ao mesmo tempo cômica.


Chupacabra: Hmmm... Objeto brilhante, brilhante... Doug gosta de objeto brilhante!
Ele estava em suas mãos com algo que... uma das pistolas de Dante! Mas como aquela pequena criatura conseguira roubar uma das armas de Dante sem que ambos percebessem.
Dante: Hey! Isso é meu, feioso!
Chupacabra: Eu não ser feioso! Eu ser Doug! Eu ser Chupacabra! E objeto brilhante agora ser de Doug! Se quiser de volta, vem tomar de Doug! Hahaha!
Então, a criaturinha mostrou a bunda para os heróis numa atitude rude e bateu nela para provocá-los, mas antes que pudessem fazer algo, o Chupacabra sumiu rapidamente numa nuvem de fumaça.
Com raiva, Dante queria de qualquer forma recuperar uma de suas pistolas! Então, eles foram em uma direção aleatória. Com seus sentidos apurados, Dante logo conseguiu ouvir uma cantoria infantil que lembrava a voz do tal Doug. Quando chegaram, eles surpreenderam o pobre Chupacabra que quase morrera de susto. Ele estava de frente para uma árvore, guardando a pistola de Dante em seu tronco oco. Junto dela, outros objetos brilhantes, mas sem valor, como taças, panelas e espelhos. Quando Doug os viu, ele quase morreu do coração.
Chupacabra: Eu tenho muitas coisas brilhantes, brilhantes, brilhAAAAHHHHHH!!! Não, não! Por favor! Não machuquem o Doug! Doug não fez por mal! Doug só gosta de coisas que brilham!
O medo de Doug parecia ser genuíno e Donovan até se apiedou de sua alma. Então, Doug apontou pra trás dos heróis...
Chupacabra: Oh-oh! São os cachorros maus! Vocês chamaram os cachorros maus pra pegar o Doug?

Por trás dos heróis, 10 criaturas que eram notoriamente lobisomens, com olhos vermelhos se aproximavam pela neve, babando e grunhindo... atrás deles, um enorme lobo negro vinha também. Parece que a viagem já havia começado mal para os heróis...



_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2458
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENA 1.4 - MALDIÇÕES [DONOVAN e DANTE]

Mensagem  Drako em Sab Nov 15, 2014 12:35 pm

Fomos teletransportados pro lugar da missão, todo escuro e cheio de neve. Agora sim parece que as coisas vão ficar divertidas. Esse lugar parece ser frio, mas eu não sinto calor, muito menos frio. O caladão que deve estar fodido, com essa pouca roupa que ele usa.  Ao longe a gente vê um Castelão com mó pinta de filme de Vampiro, com certeza é pra lá que a gente vai ter que ir. Começamos a viagem e tento puxar assunto com o cara, andando de lado, olhando pra ele enquanto falo.

Dante:
Então, qual é a parada dessas bolas gigantes ai penduradas. Vou te falar, já vi umas meninas de garbo e elegância fazerem coisas com um treco desses que tu não iria imaginar. Mas olhando bem, as bolinhas delas eram menores. Enfim, eu sou Dante.

Não faço ideia do que esse cara faz, mas parece forte. A Blue pelo visto soube dividir bem as duplas. Acho que estamos chegando, o Castelo está mais próximo. Por mim eu saltaria o resto, mas não sei o caladão acompanharia.

Escuto um ruído, será algum demônio? To afim de ação. O que é aquilo sentado numa pedra? Que porra de bicho feio! Haha

Chupacabra:
Hmmm... Objeto brilhante, brilhante... Doug gosta de objeto brilhante!

Ele ta segurando uma pistola, tem armas de fogo nesse mundo? Ela me parece familiar até, parece muito com a Ebony-- Oque? O.o  Desgraçado pegou a Ebony!

Dante:
Hey! Isso é meu, feioso!

Chupacabra: Eu não ser feioso! Eu ser Doug! Eu ser Chupacabra! E objeto brilhante agora ser de Doug! Se quiser de volta, vem tomar de Doug! Hahaha!

Como que ele a pegou sem eu notar?! Maldito ta mostrando a bunda pra mim e batendo nela! Eu não posso deixar barato que um bicho qualquer roube minha menina e ainda faça algo que eu faria! Puxo a Ivory e começo a atirar, mas ele já tinha sumido na fumaça. Argh!!!

Dante:
Você ser bicho morto quando eu te pegar!! Eu vou atrás daquele nanico, oh caladão! Se tu quiser seguir, vá em frente.

Esse merda não vai fugir de mim nem por um decreto! Vou na direção que ele sumiu na fumaça e tento usar meus sentidos pra achar aquele bostinha. Ao longe consigo ouvir uma cantiga infantil, deve ser o tal do Doug. Sigo a direção do som até uma grande árvore. Olha lá na base dela se não é o filho da mãe. Ta cheio de treco inútil lá. Surpreendo ele, o pego pela perna, e levanto, deixando-o no alto e de cabeça pra baixo.

Chupacabra:
Eu tenho muitas coisas brilhantes, brilhantes, brilhAAAAHHHHHH!!!

Dante: Te peguei, safado! Então, seu merdinha! Mamãe horrenda não te ensinou que não se deve roubar as armas de seres super poderosos com uma espada na costas?

Chupacabra: Não, não! Por favor! Não machuquem o Doug! Doug não fez por mal! Doug só gosta de coisas que brilham!

Dante: Ah é, pois o Dante gosta muito de dar lições em pequenos seres feiosos que roubam as coisas dele. Ta merecendo umas palmadas pra aprender, Smeagol!

Ele ta realmente cagado de medo, acho que com isso deve ter aprendido a lição. Vou faze-lo prometer não cruzar com a gente de novo e o solto. Olho pro treco e ele ta apontando pra trás da gente, com moh carão de que viu o catiço.

Chupacabra:
Oh-oh! São os cachorros maus! Vocês chamaram os cachorros maus pra pegar o Doug?

Dante: Cachorro?! Não cara, ele até tem cara de cão, mas ta comig—

Olho pra trás e vejo 10 lobisomens de olhos vermelhos, parece até carta de Yugi-Oh, se aproximando sorrateiramente pela neve, babando e grunhindo. Lá atrás deles tem um lobão negro. Agora sim! Solto o Doug que cai de cabeça na neve.

Dante:
Se esconde ai Doug, você tem sorte de eu não te jogar de comida pra esses poodles. –me viro pro caladão— Então velho, pelo visto quis vir comigo. Que tal uma competição? Cinco lobos genéricos pra cada um, quem vencer primeiro tem direito de castrar o Lobão principal? Topa! Achei que sim!


Botem a música pra tocar!

Faço o gesto de adeus, tocando os dois dedos na testa, e salto, já girando com a Rebellion, para cima do primeiro lobo. Passo por ele, com a espada em punho. Um segundo depois e o sangue dele jorra num jato para cima. Volto pra ele e o corto com dois movimentos para cima e para baixo. Cai algumas botas de sangue no meu rosto. Eu sorrio e olho pro próximo alvo.

Uso o meu poder demoníaco e transformo a Rebellion no modo demônio da Ophion. Arremesso a garra dela no próximo lobo, que prende em sua carne, puxo-a de volta, e trás minha próxima vítima até mim. Quando ela volta, Rebellion já está em sua forma normal, enquanto o bicho está indefeso. Uso então um movimento que eu acho de Hacker, que consiste em uma rápida sucessão de quatro cortes com a espada. É bem estilo de se ver. Quando o lobisomem cai no chão, pouco atrás de mim, já está morto, enquanto eu paro na pose do último corte. Eu sou tão foda que não sei nem descrever.

Ophion modo anjo agora. Lanço no terceiro lobo, mas diferente do modo demônio, esse modo me leva até meu alvo. A garra também gruda na carne, mas ela puxa a sua base até o lobo, comigo junto. Me seguro nele, que tenta me morder, me arremesso por baixo de suas pernas, saindo do outro lado, me agarro de novo e monto nele. O lobo fica louco, tentando me morder e me arrancar de lá a todo custo, o que faz com que ele corra pelo local.

Dante:
Hi-Yo Silver!!!

Saco Ebony e Ivory e atiro nos outros 2 lobos que são da minha cota. Eles não vão morrer só com isso, mas é bom que já faz um bom estrago neles. Adoro atirar com minhas meninas. Enquanto o Silver corre pra lá e pra cá, os outros dois lobos estão tomando chumbo.  Aproveito quando ele passa perto deles para fazer um corte em cada. Vejo que os outros começam a correr atrás do Silver, hora de cair fora. Enfio a Rebellion na cabeça dele, que cai de cara no chão, se arrastando por alguns metros. Salto para trás, aproveito o movimento que provavelmente tem alguma coisa que vai contra as leis da física (Comigo é isso ai mesmo), giro fazendo um ventilador da morte em direção ao meu quarto lobo, cortado fora sua cabeça.

Já “pouso” dando o impulso pra frente, indo direção ao meu ultimo alvo. Saco do compartimento do meu casaco a Revenant. Ela é uma shotgun, com mais poder de fogo que minhas meninas, mas com menos alcance. Aproveito que o Lobo está com o bocão aberto tentando dar uma boa mordida na minha cabeça, e coloco minha arma na boca dele. Saiu esquisita essa frase ne?

Dante:
Bye Bye.

Todas minhas armas tem a habilidade de concentrar o seu poder antes de atirar, e eu faço isso. Concentro o tiro da Revenant, por um curto espaço de tempo, e a libero. Um poderoso tiro que mais parece uma bomba é solta dentro do bicho, que explode de dentro pra fora. Mais entranhas me sujam. Paro um segundo para me limpar. Será que o Caladão fez o trabalho dele? Espero que sim.

Olho lá para trás, pro Lobão, que parece ser o líder da matilha.


Dante: Ei, totó! Parece que é a sua vez de brincar!

_________________
avatar
Drako

Número de Mensagens : 1857
Idade : 28
Data de inscrição : 28/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.ds-club.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENA 1.4 - MALDIÇÕES [DONOVAN e DANTE]

Mensagem  Convidado em Ter Nov 18, 2014 8:51 pm

Após o brilho novamente os envolver, apenas um piscar de olhos, Donovan Baine se vê em outro local. O ar frio, o sol fraco e as montanhas mostram que é algum ponto do Leste Europeu (será que há Europa nesse mundo?). Com certeza um local ideal para um Darkstalker se sentir em casa. E conforme apontado por seu companheiro de viagem, seu covil deve ser o castelo a frente. Enquanto caminham, Dante puxa conversa com Donovan,que apesar do frio e terreno pedregoso, não sente nenhum desconforto, graças a sua herança dhampir.

Donovan: Meu nome é Donovan Baine, Caçador de vampiros, destruidor de monstros. Sou um Monge, e também algo mais. Este é meu rosário de oração, minha "mala" como os monges a chamam. Ela me ajuda a controlar o poder de Dhylec, e principalmente sua sede de sangue. E a me controlar também.

Enquanto caminham, Donovan se sente levemente distraido, algo no ar do local parece mexer com seus instintos... não, não com os instintos, mas com seu sangue. Uma forte onda de preocupação começa a tomar conta do Caçador, quando um som o desperta. Uma criatura medonha e anti-natural se encontra na estrada. A velocidade da criatura é notável, somente superada pela rápida decisão de Dante de segui-la. enquanto Donovan vê o mercenário perseguir a criatura, deixa escapar um suspiro de impaciência. Será que ele não vê que isso pode ser uma armadilha? Mas ele não pode deixá-lo sozinho, isso seria ainda pior. Sem mais o que fazer, resolve segui-lo e ajudar como for.
Enquanto corre, percebe que esse não é um humano comum. Sua velocidade e resistência são acima do normal, e logo eles chegam ao que parece ser o "esconderijo" da criatura. Várias peças dentro do tronco brilham e se destacam, mas nada que impressione ou chame a atenção, exceto pela própria pistola de Dante. Ao que parece sua ligação com a arma é tão forte como a sua própria com Dhylec.
A discussão que se segue é tão divertida como ouvir Felicia e Jon Talain arguindo, mas a chegada repentina de várias criaturas logo acaba com a brincadeira. Lobisomens, com certeza, mas muito mais feios e putrefatos que qualquer um que ele já tenha visto. Sua aparência é assustadora, e com certeza são selvagens, mas não parecem ter poderes extraordinários, então talvez não esteja tudo perdido.
Ao ouvir a proposta de Dante, não pode deixar de soltar um sorriso pelo canto da boca:
- Muito bem Dante. Eu pego os da esquerda.
Um pequeno mantra escapa dos lábios de Donovan, ao mesmo tempo em que sua espada gigantesca salta para suas mãos e ele avança em direção ao primeiro inimigo. A besta avança de forma selvagem, mostrando as presas e rosnando. Um ataque simples, que Donovan evita com uma finta seguido do ataque de Dhylec entre as costelas da criatura, separando seu torso na altura do abdome. O Caçador de monstros sabe que sua lamina magicamente tratada tem as mesmas propriedades da prata pra esses seres, portanto é mortal.
Ele avança correndo em direção ao segundo, saltando no último instante e, com um golpe de alto a baixo, crava a lamina quase até o meio da criatura. Dois inimigos caídos. Ainda há três mais.
Dois lobisomens o cercam, tentando pega-lo entre eles. Mas isso é algo que na verdade favorece ao Darkstalker. Com uma palavra de comando, arremessa sua espada ao ar, saltando sobre ela, e usando o Killshread Surf avança entre ambas aberrações, causando cortes e lacerações neles. Emenda um Killshread Dive que extermina um, e com uma palavra de comando, um relâmpago dá cabo do outro.
Afinal, apenas um resta em seu caminho. Esse parece uma pouco mais esperto, circulando e rosnando como um predador, e pondo-se distante do inimigo e sua lamina fatal. Mas isso não basta para o preservar. Correndo em sua direção, Donovan avança, deslizando no último instante e chutando a criatura com força, para em seguida usar um golpe de espada em seu ventre e finalizar seu movimento em pé, invocando o poder do Ifrit para envolver a criatura em uma bola de chamas.

[img][/img]

- Por tudo que importa, aceite sua passagem para o Inferno.

Sem se preocupar com o que restou do inimigo, vira-se em direção ao lobo maior, seus olhos fixos na fera, pronto para atacá-lo. Com a visão periférica, percebe que seu colega também cumpriu sua parte e parece pronto para o ataque.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENA 1.4 - MALDIÇÕES [DONOVAN e DANTE]

Mensagem  Scorpion em Qua Nov 19, 2014 11:02 am

Dante e Donovan resolveram começar uma aposta sobre quem matava mais rápido seus 5 lobisomens. Entretanto, a aposta acabaria por ser interrompida.
Donovan usou diversos de seus poderes e dos poderes de Dhylec para ir partindo os lobisomens ao meio. Realmente, aquelas criaturas eram um passeio no parque para o caçador de demônios. Elas ofereciam pouca resistência quanto aos golpes da arma e aos ataques energéticos. Logo, Donovan acabou derrotando rapidamente os seus cinco.
Dante foi um pouco menos objetivo que Donovan. Seus golpes ganhavam em estilo, mas demoravam mais tempo para serem executados, como quando resolveu surfar em um dos lobisomens. Ele também percebeu que as criaturas eram extremamente resistentes a balas e que elas pouco as atrasavam, então ele investiu mais nas transformações de sua espada, o que se mostrou infinitamente mais efetivo.
Porém, a aposta foi burlada, pois enquanto matava o último lobisomem, Dante sentiu uma enorme pancada em suas costas, o que o levou ao chão. Aquele enorme lobo era muito mais rápido do que seus primos de duas patas, além de pesar mais de uma tonelada. Ele estava sobre Dante, quando deu um uivo muito agudo e então resolveu morder o ombro do ainda atordoado Dante. Entretanto, quando foi mordê-lo, o lobo ganiu. Ele havia levado um bom choque de energia lilás. Quando se deram por conta, Doug havia usado seu cajado para disparar um pequeno relâmpago que atrasou o bicho.
Doug: Solte ele, cachorro do mal!
Mas ele não havia desistido de Dante. Entretanto, Doug havia conseguido tempo para que Dante se recuperasse do atordoamento. Agora Dante estava segurando a boca do animal, próxima a seu rosto. Algo tinha de ser feito logo. A baba da criatura caía sobre Dante e o meio-demônio sentia a força que o animal fazia.
Nesta hora, Donovan acabava de matar seu último lobisomem.
Doug agachou-se próximo à cabeça de Dante, como um treinador num ringue que manda seu lutador levantar para mais um round. Doug parecia ter se esquecido que Dante tinha um lobo de quase 2 toneladas sobre seu peito, querendo engolir sua cabeça.
Doug: Levanta logo! Pára de brincar! Cachorro mal chamar amigos! Aqui vai ficar cheio de peludos fedidos comedores de gente! Não dá pra dormir agora, senhor! Levanta!
Donovan podia ouvir diversos uivos, incluindo de lobos gigantes. Aquela leva de monstros foi fácil, mas pela quantidade dos uivos que davam pra ser ouvidos, haveriam muitos mais do que os primeiros. Ficar ali era um convite certo para a derrota...

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2458
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENA 1.4 - MALDIÇÕES [DONOVAN e DANTE]

Mensagem  Convidado em Qua Nov 19, 2014 11:32 am

Donovan encerra o combate, eliminando o seu último adversário. Após lançar uma breve oração pela alma de seus inimigos, volta-se ao lobo gigante, mas se depara com o mesmo sobre o corpo de Dante. Por um segundo pensa que a criatura irá morde-lo, infectando-o com sua maldição, mas o estranho "Doug" evita isso, dando tempo para Donovan invocar seus poderes mágicos e invoca a Blizzard Sword sobre o lobo gigante.
Embora não seja muito efetivo contra um inimigo não atordoado ou resistente como esse, espera ser o suficiente para arremessar o adversário longe e lhes dar tempo de atacá-lo.
Sem tirar os olhos da criatura, começa a contorná-la enquanto fala para Dante:

- Meus ataques mais eficientes são golpes de espada, e parece que os seus também. Use-os. Vamos atacar juntos e eliminar esse ser de uma vez por todas para pegarmos o que nos interessa, o Oberath.

Tomando distância, corre em direção a criatura, usando Dhylec a frente, visando acertar seus membros para dificultar tanto o ataque como a fuga do monstro, e contando que seu companheiro de viagem faça sua parte.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENA 1.4 - MALDIÇÕES [DONOVAN e DANTE]

Mensagem  Drako em Sex Nov 21, 2014 7:09 pm

Ao explodir a cabeça do último lobisomem eu sinto uma porrada nas costas. Fiquei meio atordoado, e senti que seria mordido, mas fui salvo por alguma coisa. O Feioso do Doug me salvou. Foi o tempo suficiente pra que eu me defendesse da segunda investida. Agora eu estava no chão, segurando a boca do cachorro dos infernos.

Dante:
Nossa! Que diabos você comeu, pulguento? Sua boca fede a chorume!

A baba dele está sujando a minha roupa, e isso tá me irritando. Ele é forte, mas eu sou mais, consigo sair daqui, não vai dar tanto problema, só preciso... Doug se abaixou do meu lado, me lembrou como o Mickey gritava pro Rocky em Rocky I.

Doug:
Levanta logo! Pára de brincar! Cachorro mal chamar amigos! Aqui vai ficar cheio de peludos fedidos comedores de gente! Não dá pra dormir agora, senhor! Levanta!

Olho pra ele com uma cara do Nicolas Cage no meme “Don´t you say?”  Escuto um monte de uivos vindo da floresta, claro que essa merda vai feder. Esse bicho é pesado, deve ter mais de 1 tonelada. Só preciso de um chute bem dado nele que—

Vejo o bicho voar longe.

Era o caladão, que até que fala bastante, devo admitir. Ele me fala pra continuar usando minha espada. Espada? Não!

Dante:
Você me deixou puto, seu cuzão.

Uso o poder angelical da minha mãe, unido a Rebellion e a transformo em Osiris.


Como esse cão sarnento é rápido, vou tratar de usar velocidade também. Osiris é uma das minhas armas mais rápidas, podendo ser usada tanto para defesa quanto ataque, além de acertar vários inimigos ao mesmo tempo. Uso o impulso das “asas” de anjo e vou até ele, começando com uma sequencia de ataque que eu chamo de “Cleaver”. Vários cortes de foice, terminando com um poderoso corte para baixo diretamente à frente do inimigo.

_________________
avatar
Drako

Número de Mensagens : 1857
Idade : 28
Data de inscrição : 28/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.ds-club.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENA 1.4 - MALDIÇÕES [DONOVAN e DANTE]

Mensagem  Scorpion em Seg Nov 24, 2014 2:39 am

Para aquela dupla, não foi difícil vencer aquele lobo gigante. Apesar de grande e pesado, o lobo havia se aproveitado da distração de Dante e Donovan para atacar, mas ele estava longe de ser um adversário à altura perto do que os dois caçadores enfrentavam constantemente. Entretanto, uma horda daquelas criaturas podia ser extremamente mortal, então, combinando seus ataques, o lobo pereceu mediocremente.
Doug: Temos que fugir! Rápido! Doug conhece caminho rápido para o castelo! Correr, correr para não ser apanhado! Correr!
O pequeno diabinho começou a correr pelo meio da mata. Ele podia ter se utilizado dos seus poderes de teletransporte, mas não o fez. De qualquer forma, era confiar naquele pequeno ou arriscar-se com os lobos que estavam chegando. Sendo assim, os heróis acabaram por seguir Doug, que parecia muito menos ameaçador. No fim, Doug não estava mentindo. Ele acabou levando os heróis para as proximidades do Castelo, onde eles viram os portões de entrada.


Doug: Castelo ser lugar perigoso, mas lobos não vir aqui. Se querer entrar, Doug não entra junto. Doug conhecer 3 entradas para o Castelo, cada uma levando a lugares horripilantes diferentes! Doug mostrar as entradas, mas Doug não entra. Doug vai pra sua casa, dormir quentinho em sua cama. Podem entrar pelo portão, podem entrar pelo cemitério e podem entrar pela chaminé da cozinha. Não tentar entrar de outra forma. Castelo ter proteção mágica contra ladrõezinhos... Doug já tentou e Doug não achar legal.
Doug então levaria os heróis pelas entradas que eles escolhessem, mesmo que quisessem se separar. Depois, Doug faria um aceno de mão e sumiria numa nuvem de fumaça fedida. Os heróis deviam decidir por onde seguiriam.

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2458
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENA 1.4 - MALDIÇÕES [DONOVAN e DANTE]

Mensagem  Drako em Dom Dez 21, 2014 7:12 pm

Vencemos o Lobão juntos, mas uma matilha aparece logo atrás. Doug se apavora e grita pra gente fugir. Eu dava conta deles, já lutei com hordas maiores, mas se o feioso insiste tanto, eu vou atrás. Ele vai pelo meio da mata, realmente conhece o caminho. Não estava mentido, nos deixou na entrada do castelo.

Doug diz que o Castelo é perigoso, apesar de não ter lobos. Tem três entradas, o portão, o cemitério e a chaminé, mas o diabinho não vai com a gente porque tem medo de lá.

Dante:
Agora que eu estava começando a ter menos raiva de você, seu pulha?

O pequeno Doug então se afasta, acena pra gente em despedida e vai embora. Olho pro cara que veio comigo, Donatello ou algo do tipo, abro um sorriso e escolho meu caminho.

Dante:
Não sou cara de entrar pelos fundos, mano. Vou entrar pelo portão principal, que é por onde eu mereço ser recebido. Se vem comigo ou não a escolha é sua.

Abro o portão principal com as duas mãos e entro.

Dante:
I am here, bitches!

_________________
avatar
Drako

Número de Mensagens : 1857
Idade : 28
Data de inscrição : 28/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.ds-club.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENA 1.4 - MALDIÇÕES [DONOVAN e DANTE]

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum