Ato 2 - A Preguiça e eu fomos feitos um para o outro.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ato 2 - A Preguiça e eu fomos feitos um para o outro.

Mensagem  Drako em Sab Mar 22, 2014 12:01 pm


Caçadora e Batwoman foram ambas para o estádio de Gotham City. Não demorou para as duas chegarem lá. Caçadora chegou primeiro, parada no edifício frente ao estádio, quando logo depois viu sua companheira de batalha.

Obviamente nenhuma das duas gostou daquilo. O que? Batman não acha que eu posso lidar sozinha e teve que mandar essa mulher? Ou ele não confia em mim o suficiente para me deixar sozinha nessa? Uma olhava para a outra com um olhar desconfiado.  Elas ficaram ali por um curto período de tempo.*


Era dia de jogo no estádio de Gotham City. A plateia estava lotada, mas não fazia nenhum barulho. O único movimento que pode se ver era das luzes estroboscópicas que faziam sua dança pelos céus.

Batwoman saca seu binóculo para averiguar como está o local.

Caçadora: E ai, o que você acha que está acontecendo lá?

Batwoman: O estádio está cheio, mas ninguém se mexe. Todos os jogadores estão caídos em campo. Não sei dizer se morreram ou não, temos que chegar mais perto.

Caçadora: Então, estamos esperando o que?

Batwoman Espere—Tem um homem, parado lá embaixo. De pé.

No meio do gramado verde, em volta de vários jogadores, estava um homem grande, parado de pé. Ele não parecia feliz, muito menos irritado. Só ficava lá, parado.


Fiquem a vontade para interagir o quanto quiserem naquele momento.

_________________
avatar
Drako

Número de Mensagens : 1853
Idade : 28
Data de inscrição : 28/04/2009

Ver perfil do usuário http://www.ds-club.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - A Preguiça e eu fomos feitos um para o outro.

Mensagem  Guima em Ter Mar 25, 2014 10:04 pm

Não demoro muito pra chegar ao estádio de Gotham City. O novo arpão que o DOE me equipou possuía precisão automática e recolhimento de cabos de duas roldanas eletromecânicas. Ele era bem mais rápido e preciso que o antigo que eu usava. O que é otimo, pois me poupa de esforços desnecessários me deixando com mais " gás" na hora em que eu realmente precisar.

Kate faz uma varredura visual e logo percebe que não está sozinha no perímetro. Um outra vigilante de Gotham também estava a espreita. Era a impulsiva da Caçadora. Pelo visto o morcego também avisara ela...


Veio assistir o jogo de camarote também? tento puxar um papo pra quebrar o gelo

Ela me pergunta o que está acontecendo lá. Eu saco meus binoculos e consigo ter um panorama do que está havendo O estádio está cheio, mas ninguém se mexe. Todos os jogadores estão caídos em campo. Não sei dizer se morreram ou não, temos que chegar mais perto.

Como eu havia dito, a Caçadora era impulsiva. E tão logo que passo a informação ela já se lança para dentro do estádio. Tento avisa-la que tem um homem lá, parado em pé mas é tarde demais. Acompanho ela, o homem era imenso e por mais que Caçadora fosse bem treinada ele poderia se dar mal num combate mano a mano com ele.

Aterriso no campo logo após ela. Me aproximo dela dizendo: Que estranho. O cara não parece esboçar nenhum tipo de reação. Só esta ai parado como se fosse uma estatua. É melhor tomarmos cuidado.

Não sei o que se passa na cabeça da Caçadora mas neste momento tento analisar a situação e enxergar o que se esconde por trás disso tudo.

_________________
avatar
Guima

Número de Mensagens : 2350
Idade : 32
Data de inscrição : 12/12/2009

Ver perfil do usuário http://www.remistico.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - A Preguiça e eu fomos feitos um para o outro.

Mensagem  Convidado em Qua Mar 26, 2014 11:54 am


Ah, que ótimo! Dia de jogo. É claro que se alguém quer mesmo aprontar alguma coisa em Gotham City, precisa de muita gente em volta. Um terrorista precisa de público. Mas, sinceramente, eu nunca vi um lugar tão cheio de gente e quieto ao mesmo tempo. Vasculho o lugar e vejo todos caídos. Pessoas em suas cadeiras numeradas devidamente desacordadas. Uma possibilidade terrível me passa pela cabeça ao imaginar que todos podem já estar mortos. O que mataria tanta gente tão rápido? Gás? Dispositivos nas cadeiras? Não... e quanto aos jogadores?

E aí, de repente, não estou mais sozinha. O vulto vermelho surge não tão distante de mim. Evito contato direto com ela, observando os presentes. Batwoman. Por que Ele a mandou? Será que sabe que estou aqui? Óbvio que Oráculo já deve ter dito alguma coisa. E aí, Ele, do alto de sua arrogância, disse que era melhor enviar outra pessoa. Só que agora eu já estou aqui, e não vou largar esse osso. Pelo visto, nem ela. Essa cor de cabelo é linda. Vadia.

Ela tenta puxar papo. Pfft. - É, mas o serviço anda mais parado do que costume. E aí, o que acha que está acontecendo lá?

Vejo ela sacar um binóculo. "- O estádio está cheio, mas ninguém se mexe. Todos os jogadores estão caídos em campo. Não sei dizer se morreram ou não, temos de chegar mais perto." E nesse momento, o Capitão Óbvio mandou um abraço!

- Então, estamos esperando o que? - Salto pra dentro do estádio. uso as arquibancadas como apoio pro arpéu e caio nas numeradas inferiores. Dois ou três saltos me colocam dentro de campo. Não demora pra ruivinha me seguir. Aí eu finalmente vejo o homem parado, sozinho, e enorme. Hmpf! Continua óbvio demais.

A Batwoman ainda pede pra tomarmos cuidado, e eu volto a me sentir com 5 anos de idade, com a mamãe dizendo que eu iria cair caso subisse na cadeira. Eu nem respondo a ruiva.

- E aí, grandão? Perdeu seu lugar na platéia e resolveu invadir o jogo?










Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ato 2 - A Preguiça e eu fomos feitos um para o outro.

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum