DEFCON 4: Equação mortal

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Leo Rocha em Dom Ago 18, 2013 10:16 am

Conner, Tim e Ryan são teleportados a uma distância segura da sede do Cadmus.
O local onde a Liga estivera há alguns meses enfrentando monstros criados por Dabney Donovan com a aprovação governamental, agora tinha voltado a uma certa rotina e, tendo sua localização exposta, assumiu a função de base para o núcleo administrativo-gerencial do Cadmus.
Os grandes segredos que ali estavam provavelmente agora se encontravam escondidos em outros covis secretos, mas ainda havia muita informação ali e talvez essa seja a questão principal ali. Isso ou a possibilidade do Cadmus ainda esconder à vista de todos algum segredo mais cabeludo. Usar uma tática assim não seria algo tão improvável...
A estrutura física foi construída na região montanhosa de Metrpólis, seguindo na direção de Gotham. Esta área possui um reforço em sua segurança tanto na aparelhagem, quanto nos soldados bem treinados que a guardam. A entrada principal para o complexo, localizado no interior da estrutura montanhosa, é na parte de trás da região, no pé do monte Kirby.
A primeira vista, os heróis percebem que há uma guarda ostensiva no local e que passar por ela sem ativá-la exigirá perícia redobrada.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4092
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Convidado em Qua Ago 28, 2013 1:07 am

Tim procurava fugir do raio de visão dos guardas assim que seus pés tocavam o solo.

De um ponto seguro, passava a analisar a guarda montada e os sistemas de segurança, com o auxilio de um binóculo que havia retirado do cinto de utilidades. Os olhos atentos procuravam por cada misero detalhe que lhe chamasse a atenção. Sua mente treinada já  buscava decorar o perímetro, preparando-se para o que ia enfrentar.

- A segurança está bem intensa... Depois do que aconteceu aqui, imaginei que não seria assim... Afinal, o mais lógico a se fazer seria levar as coisas mais importantes para longe, e com isso diminuir o contingente daqui. A não ser... – Ele parava de falar, e cerrava os olhos levemente.

O pior de tudo aquilo era não saber pelo o que esperar, ou como proceder.  Poderia invadir, e esperar pelo Libra no interior, mas se estivesse errado, as coisas só complicariam para o lado da Liga.  Talvez, esperar pelo primeiro movimento de Libra fosse a jogada mais adequada.

- Acredito que se esperar pelo primeiro movimento dele seja mais... Sensato. Kon, ganhe altura e dê uma olhada melhor no perímetro, só tome cuidado para não ser pego pelos sistema de defesas dele... Quanto mais alto, melhor. – Disse, baixando o binóculo e voltando o olhar para o amigo.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Pedro H. Oliveira em Sab Ago 31, 2013 8:34 am

- Entendido Red Robin!

Discretamente, levanto voou verticalmente até me encontrar entre as nuvens. La de cima, começo a observar tudo o que acontecia naquela base, assim como tentava localizar todos os guardas, saber suas posições e arsenal.

Por curiosidade, uso minha visão de Raio-X para tentar ver alguma coisa do lado de dentro da base. Assim que localizar algo importante, caso consiga, irei notificar os demais imediatamente.

_________________
avatar
Pedro H. Oliveira

Número de Mensagens : 850
Idade : 26
Data de inscrição : 25/06/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Leo Rocha em Qua Set 04, 2013 9:30 pm

Red Robin, Superboy e Ryan Choi iniciam sua ação nos arredores do Cadmus. Enquanto Ryan e Tim se mantém no solo acompanhando a movimentação dos guardas, Conner sobe aos céus, onde tenta enxergar algo dentro do complexo. Infelizmente, parece que as paredes do local são cobertas com chumbo, pois, Conner não consegue enxergar nada lá dentro, porém, sua audição parece surtir mais efeito que a visão.
Ele consegue captar rapidamente a seguinte transmissão:

Arrow Estamos nos arredores, Calculador. Vamos iniciar a operação.

Essa era a confirmação que eles esperavam, porém era pouco para precisar o que estava rolando. A transmissão era feita numa frequência codificada e isso dificultava manter o monitoramento dela. O que seus sentidos lhe diziam, no entanto, que era necessário agir.

**************************

Um portal se abre dentro do Cadmus, abrindo caminho para a entrada de quatro visitantes não esperados:


Libra


Homem-Angulo


Caveira Atômica


Tumulto

Assim que eles entram no local, Libra diz:

Arrow A operação tem que ser rápida. Vocês precisam retirar o pacote e transportar para o destino. Vamos fazer isso rápido.

O grupo seguia em direção à uma câmara localizada na parte inferior do prédio, quando um alarme tocou gerando uma movimentação dos soldados do local e possibilitando que os heróis identificassem que suas suspeitas haviam sido confirmadas: o Cadmus estava sob ataque.
Cabia agora a eles traçar a melhor linha de ação diante do acontecido.


Última edição por Raio Negro em Sab Set 07, 2013 4:35 pm, editado 1 vez(es) (Razão : melhoria no fim do post)

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4092
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Pedro H. Oliveira em Sex Set 13, 2013 12:45 pm

A visão do local estava prejudicada pelas paredes de chumbo, felizmente pude escutar algumas coisas e pelo que parecia, o Cadmus estava sendo atacado.

Por isso, desço em velocidade para me encontrar com Red Robin, quando escuto o alarme tocando.

- Estão atacando a sede do Cadmus de dentro para fora. Aparentemente é o Libra junto com algumas pessoas. E então, posso ir com tudo?

Aguardo a ordem do Tim para poder agir o mais rápido possivel

_________________
avatar
Pedro H. Oliveira

Número de Mensagens : 850
Idade : 26
Data de inscrição : 25/06/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Convidado em Ter Set 17, 2013 3:43 pm

Tim acompanhava os guardas com o binóculo. Não conseguia, todavia, notar nada de diferente... Até ouvir a voz de Conner, ao mesmo tempo que ouvia a voz do amigo, o alarme passava a urrar, assim como os gritos dos guardas, que agitavam-se, transformando tudo em uma enorme cacofonia.

Apesar da situação já um tanto quanto complicada entre a Liga e o Cadmus, não havia tempo para ser amistoso ou tentar ser amigável com eles. Havia subestimado o Libra, e não podia se dar ao luxo de lhe dar tempo. Cerrou o olhar, conforme respondia ao amigo, guardando o binóculo – Sim, entra com tudo e chega neles o mais rápido possível. Estamos logo atrás de você....Vamos, Ryan!

Passou a correr na direção da entrada, levando a mão nas costas, sacando seu Bo com a mão direita, o mantendo retraído ainda. A mão esquerda já procurava o cinto de utilidades, procurando por bombas de fumaça e luz. Um ataque direto não era inteligente, ainda que alguns deles, provavelmente, fossem deslocados para o interior com a entrada do Libra, mas ainda assim, não era a abordagem ideal. Mas precisava chegar rápido ao Libra, e para isso, precisava criar distração – Não se prenda a mim, Eléktron! Entre o mais rápido que puder para ajudá-lo!

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Leo Rocha em Seg Set 23, 2013 5:04 pm

Superboy se lança na direção da entrada do Cadmus, passando rapidamente por um grupo de guardas que dispara contra o borrão que avistam invadir o local. Ele segue pelo interior da instalação seguindo o som dos disparos e, quando chega ao local onde estão Libra e seus companheiros, ele tem uma enorme surpresa ao ver qual era o "pacote" que eles tinham ido buscar...



Preso em um tubo de êxtase, Superboy vê seu ex-melhor amigo, que julgava morto, sendo raptado pela vilã conhecida como Tumulto. A surpresa tira seu tempo de reação, dando ao Caveira Atômica a chance para desferir um golpe certeiro em seu rosto, que o atordoa por um instante. Libra então diz:

Arrow Homem-Angulo, leva o pacote. Os outros, pra cima dele!

************************

Do lado de fora, Tim Drake se vê cara a cara com os soldados que ainda ficaram na entrada. Ryan Choi rapidamente encolhe o suficiente para penetrar na instalação sem maiores problemas e Tim segue adiante. Algumas bombas de luz e fumaça ajudam a criar maior vantagem para o jovem vigilante. Ele consegue chegar até a primeira parte da instalação, mas é confrontado por um grupo de 12 soldados com armaduras e armas potentes. Eles se lançam ao combate disparando contra Tim.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4092
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Pedro H. Oliveira em Seg Set 30, 2013 12:34 pm

Aquilo foi uma surpresa para mim. Não esperava vê-lo ali, e ainda por cima vivo!

Mal tive tempo de pensar quando um soco veio em minha direção, jogando-me no chão.

- Cara, você se meteu com a pessoa errada... - Uso a mão esquerda para limpar a boca a procura de sangue ou qualquer outra coisa. Logo em seguida vou em toda velocidade para cima Caveira Atomica desferindo um ataque usando quase toda minha força.

-Então! Vocês tem 5 segundos para deixar ele ai! Se não o fizerem, vão desejar terem morrido no ataque ao Planeta Diario!

_________________
avatar
Pedro H. Oliveira

Número de Mensagens : 850
Idade : 26
Data de inscrição : 25/06/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Convidado em Seg Set 30, 2013 3:38 pm

O coração rufava contra o peito.

Ainda que estivesse tão acostumado com aquele tipo de situação, era impossível conter a agitação. Era impossível conter o corpo sendo inundado por adrenalina. Mas ainda assim, Tim tentava manter o controle. Clarear os pensamentos. Usar aquele fluxo de adrenalina a seu favor, de modo racional. Caso falhasse, se entregaria aos seus instintos, já afinados por anos de treinamento e experiência.

As bombas de luz e fumaça os desnorteavam, garantindo o primeiro acesso. Movimentava-se com rapidez entre eles, acertando um ou outro com o seu Bo. Procurava sempre acertar pontos que os deixariam fora de combate, preferindo sempre joelhos e pernas. Em alguns casos, o golpe na cabeça era necessário... Mas sempre com força proporcional, que arrancaria no máximo alguns dentes ou deslocaria a mandíbula, nada que fosse machuca-los realmente.

Ryan desaparecia em meio a confusão, o que era bom. Conner tinha reforço. Mas ele precisava chegar até eles... E rápido.

Avançou assim que teve oportunidade, e viu-se cercado por doze soldados fortemente armados, e como se não bastasse, usavam armaduras. Com um rápido olhar, conseguia ver os pontos frágeis nas couraças, do qual poderia acertar com o bastão... Mas lutar contra os doze era arriscado demais, principalmente quando os disparos começavam.

Tim saltava entre eles, ao invés de procurar se afastar, avançava na direção, em movimentos de ziguezague, para dificultar a mira...Sempre saltando e girando no ar. A intenção era simples, atingir o meio deles, assim dificilmente iriam atirar nele, pois acertariam uns aos outros.

O bastão girava nas mãos, e por conta das armaduras, ele se soltava mais... Atingindo-os com mais força. Procurava pontos frágeis na armadura, como a parte dos ombros, cotovelo e região de trás dos joelhos. Era difícil, e era mais um trabalho para proteção, de apagar incêndio, do que uma solução definitiva.

Incêndio... Isso era uma boa ideia.

Para ele, o tempo parecia parar... O bastão girava e girava em seu punho, acertando os guardas com baques secos. Os gemidos de dor se misturavam ao alarme da segurança. Robin se encolhe no chão, e salta a tempo de livrar-se de algum disparo... Estava arriscado demais, precisava agir rapidamente. No ar, ele gira habilmente, usando a cabeça de um dos soldados como apoio para uma estrela no ar. Em meio ao giro, ele solta o bastão, agarrando um sinalizador e atirando para o teto. A intenção era acertar um dos detectores de fumaça... As trancas que o sistema de segurança havia acionado poderiam ser abertas caso conseguisse ludibriar o alarme de incêndio. Não o bastante, com o chão molhado e todo aquele metal na armadura dos guardas, seu taser resolveria a situação. Colocaria os doze para dormir, e ainda teria o caminho um pouco mais livre, caso obtivesse êxito.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Leo Rocha em Seg Out 14, 2013 6:27 pm

Golpes rápidos e precisos fazem com que Red Robin se mantenha como uma ameaça real aos soldados, mesmo estes portando armamento de alta tecnologia. No entanto, o jovem detetive sabia que não conseguiria manter esse ritmo por muito tempo. Ele então aproveita uma das brechas para acionar o alarme de incêndio da unidade. Porém, ao contrário da água que ele esperava que caísse, foi acionado um sistema de sucção de ar. Parece que a equipe do cadmus, achou mais seguro retirar o oxigênio do local para extinguir incêndios ao invés de usar a tradicional água. Ele percebe as câmaras sendo fechadas e o ar da sala rapidamente sendo sugado. Se ele não fizesse nada rápido, iria cair desmaiado em poucos segundos, vítima de sua própria armadilha.
Ele nota alguns dos soldados caindo enquanto o tempo escorre como areia numa ampulheta.

*****************************
Superboy avança com ira contra o Caveira Atômica, socando-o com força maior do que a que usa normalmente. Seu coração e sua mente estavam confusos ao ver que Dubilex estava vivo, mantido em extase e, neste exato momento, sendo sequestrado por vilões com fins escusos. Ele descarrega essa ira e frustração no Caveira, enquanto Tumulto salta sobre suas costas desferindo socos contra sua cabeça.
Homem-Angulo abre um portal para transportar Dubilex e Libra, que carrega a câmara de êxtase. Enquanto a luta segue, eles atravessam. Se Conner olhasse por um instante com atenção, poderia ver que junto com eles, Ryan Choy também seguia pelo portal...

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4092
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Pedro H. Oliveira em Dom Out 20, 2013 6:29 pm

Enquanto eu seguia atacando um dos bandidos, outro membro daquela gangue me atacava pelas costas e desferia golpes na cabeça. Pode-se notar o quão covardes esses caras são! Quem ataca outros pelas costas?

- Pela ultima vez... libertem-no! - Pego o Tumulto em minhas costas e o arremesso contra o Caveira Atomica para que consiga derrubar ambos ao mesmo tempo.

Caso consiga sucesso nesse ataque, sigo procurando pelos demais. Nesse momento vejo que Ryan Choy seguiu pelo portal atras dos raptores de Dubilex.

Agora eu eu estava um pouco mais calmo, sigo para o portal com o objetivo de saber o que estava acontecendo. Tentar entender como Dubilex estava vivo e o que estava fazendo aqui... e o que eles querem com meu velho amigo!

- Red Robin, encontrei uma pista e preciso segui-la, mas se isso acontecer, terei que deixa-lo sozinho por um tempo! Precisa de ajuda?

Caso Tim possa se virar sozinho, passo pelo portal. Caso ele precise de ajuda, vou o mais rápido possível ajuda-lo e depois seguir para o portal

_________________
avatar
Pedro H. Oliveira

Número de Mensagens : 850
Idade : 26
Data de inscrição : 25/06/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Convidado em Qui Out 24, 2013 1:30 am

O corpo girava habilmente no ar, o disparo era perfeito. Enquanto aproximava-se do solo, ouvia a sirene disparar... O que o fazia sorrir brevemente. Entretendo, o sorriso morria, pois ao invés de água ele sentia o ar ser sugado pelos dutos.

Que tipo de lugar matava os funcionários em perigo, ao invés de salvá-los? Cadmus sempre conseguia surpreender. Os guardas iriam morrer logo em seguida, precisava ajuda-los também. Ao invés de agilizar as coisas, tinha piorado tudo.

Tinha pouco tempo. Pouquíssimo tempo.

Primeiro de tudo, forçava-se a manter a calma. A agitação o faria respirar mais forte, e isso significaria morte certa. A prova disso eram os guardas caindo.

- Não, eu estou bem...Prossiga, Conner... Não os perca! – Disse, enquanto projetou o corpo para frente e correu até a porta. Não iria ser um peso para a missão, tinha muito em jogo. Manteve-se atento aos guardas, mas acreditava que eles estavam mais preocupados em se salvar, do que em ataca-lo.

Assim que chegou diante da grande porta, que dava acesso ao próximo cômodo/corredor, levou a mão ao cinto de utilidades e pegou o explosivo mais potente que possuía, usando o adesivo que este possuía para aderi-lo na região mais fraca da porta.

A respiração já estava mais lenta, respirava como se estivesse embaixo d’água... Enchia os pulmões de ar e os soltava lentamente, isso lhe garantiria alguns minutos a mais.

Afastou-se da porta com um rolamento longo para o lado, e apanhou o detonador.

Sua vida inteira dependia daquele mísero botão.

Tinha muito em jogo, se aquela aposta fosse furada, que pelo menos Conner conseguisse respostas. Ajudasse Kara. E amenizasse as coisas na Liga.

Valia a pena...

Fechou os olhos e apertou o detonador.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Leo Rocha em Dom Nov 03, 2013 10:22 am

Tim Drake era um humano. Bem treinado, com conhecimento e habilidades muito acima da média, mas ainda sim um humano... E a proximidade da morte naquele momento lhe cuspia isso no rosto. Ele recebe a mensagem de Conner e responde que conseguiria continuar sem o amigo. Ele não queria ser um peso para a missão e sabia, ou acreditava que conseguiria sair da armadilha mortal em que estava sem contar com a ajuda deste.
A carga explosiva é plantada e, após alcançar um lugar seguro, ele a dispara. Em poucos segundos ele sente o ar novamente invadindo o ambiente e pode respirar aliviado mais uma vez. Ele olha ao redor e percebe que os soldados se dividem entre auxiliar seus companheiros e retomar suas posições de combate. Ele então inicia uma cautelosa corrida rumo ao próximo nível da base, quando escuta uma voz gritar:

Arrow Pare agora e se explique! Por que você está invadindo o Cadmus?

Em um salto o dono da voz chega à frente Red Robin.



O Guardião, herói vinculado tradicionalmente às ações do Cadmus estava à sua frente e exigia explicações imediatas.

****************************

Num golpe rápido, Superboy consegue arremessar Tumulto contra o Caveira Atômica. Essa ação lhe dá o tempo necessário para se lançar na direção do portal, interceptando Libra e Homem-Angulo enquanto eles saíam em um galpão. Ao perceber a situação, Libra se vira e acerta o jovem herói no peito em um golpe que mistura um soco e um disparo energético. Superboy sente o golpe e é lançado para trás com a mão no peito. Libra então diz ao Homem-Angulo, enquanto se prepara para um combate:

Arrow Proteja a carga e a leve até o local seguro. Se puder, traga reforços. Agora vá!


_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4092
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Pedro H. Oliveira em Sab Nov 09, 2013 9:03 pm

Eu pude sentir aquele golpe em meu peito! Não sei mais o que esta acontecendo por aqui. Tenho muitas perguntas e quase nenhuma resposta, mas isso esta para mudar!

- Você acha que pode sozinho contra mim?

Ele era bom, fui detido por um golpe dele... Não posso deixar isso acontecer novamente, por isso devo ser mais cauteloso e evitar seus ataques.

Uso minha velocidade para ataca-lo, me movendo em sua volta e desferindo socos em todo seu corpo e ao mesmo tempo, não deixando ele saber minha próxima localização e movimento

_________________
avatar
Pedro H. Oliveira

Número de Mensagens : 850
Idade : 26
Data de inscrição : 25/06/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Convidado em Qua Nov 13, 2013 8:28 pm

O ruído da explosão e a lufada de ar eram como um bálsamo sob a pele queimada.

Tim respirava profundamente, e abria os olhos...Sentindo o ar encher os pulmões.

Mais do que depressa, ele se levanta e corre em direção aos corredores. Eles estavam fugindo, e ele provavelmente não chegaria a tempo... Mas isso não significava que não deixariam algum rastro para trás.

Os ouvidos zuniam, não só pela explosão, como pela mudança drástica na pressão do ar... Praticamente ausente, e em seguida abundante. Mas o zunido não era o suficiente para que ele não ouvisse. No momento que ouvia a voz, ele apanhava um disco com um grande “R” amarelo nele, mas não o disparava. Sentia falta do Bo que havia ficado para trás.
Olhava rapidamente o Guardião de cima a baixo, cerrando levemente o olhar.


- Seu sistema de segurança é tão falho assim, que vocês só conseguiram me identificar? Seu telhado foi para os ares! E enquanto você perde tempo tentando me parar, tem um portal aberto bem no coração desse lugar, e eles estão levando o que quer que vocês se preocupam em guardar tão bem... Você pode vir comigo e ajudar a detê-los, ou me atrasar por alguns minutos e ser um péssimo “guardião” – Respondia em tom de voz ligeiramente elevado, sempre projetando a rouquidão que parecia já uma característica dele, ao seguir os treinamentos do morcego. Sem esperar por resposta, ele tentava circular o Guardião e correr pelo corredor. Mantinha-se atento, caso ele atacasse... Mas esperava que ele ao menos tivesse bom senso.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Leo Rocha em Qui Nov 14, 2013 4:48 pm

Superboy:

Conner percebe que Libra não era um simples vilão fantasiado. Ele tinha poderes e esses poderes poderiam fazer frente aos seus, pelo menos se o pegassem de surpresa como aconteceu antes. Mas agora era outro momento e ele não seria pego de surpresa novamente. Ele olha para Libra com seriedade quando diz:

Arrow Você acha que pode sozinho contra mim?

Arrow Acho que teremos que descobrir isso..

Superboy se lança na direção de Libra e o circula em supervelocidade, golpeando diversas vezes. Ele se surpreende ao perceber que Libra consegue defender alguns dos socos, sendo atingido por outros.E se anima ao perceber que está levando vantagem no combate. Sacando sua lança com o símbolo da balança, Libra gera mais uma explosão de energia, partindo de seu corpo e se expandindo de forma a interromper a ação de Superboy. A lança brilha mais uma vez e Libra investe com alta velocidade contra Conner, golpeando-o numa estratégia bem parecida com a que o herói usou contra ele. Enquanto golpeia, Libra diz:

Arrow Você não é tão bom quanto pensa. Você não é ele...

Ao dizer isso, ele acerta uma joelhada na barriga de Conner e outra no rosto. Ele então salta, tomando distância e apontando a lança na direção de Superboy. Ele diz:

Arrow Fique caído, por favor. Eu tenho um trabalho para terminar e você está me atrasando.

**********************

Red Robin:

Arrow Seu sistema de segurança é tão falho assim, que vocês só conseguiram me identificar? Seu telhado foi para os ares! E enquanto você perde tempo tentando me parar, tem um portal aberto bem no coração desse lugar, e eles estão levando o que quer que vocês se preocupam em guardar tão bem... Você pode vir comigo e ajudar a detê-los, ou me atrasar por alguns minutos e ser um péssimo “guardião”.

O Guardião olha para o jovem e diz, enquanto corre ao lado dele:

Arrow Já estou ciente disso. O que eu quero saber é porque a Liga da Justiça está participando de outra invasão ao Cadmus. Há alguns meses atrás vocês invadiram este complexo e agora voltaram na mesma noite em que ele está sofrendo ataque. O que vocês sabem sobre a situação?

os dois chegam ao local onde o portal fora fechado. No entanto a sala não estava vazia, dentro dela Caveira Atômica e Tumulto se levantavam após terem sido derrubados por Superboy.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4092
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Leo Rocha em Sex Nov 15, 2013 3:28 pm

Mensagem do Robin para todos os heróis:

Arrow Atenção! Aqui quem fala é o Robin. A Coréia do Norte está criando meta-humanos por meio de manipulação genético. Acredito que eles pretendem atacar o resto do mundo como retaliação à invasão do Superman. Preciso que todo e qualquer herói disponível responda a esse chamado. Todas as informações que coletei estão nessa amostra de sangue. É imperativo que isso seja impedido. Se isso continuar, eles podem destruir o mundo. Também fiquem atentos, pois Lex Luthor parece estar envolvido.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4092
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Convidado em Dom Nov 24, 2013 1:00 pm

Tim corria o mais rápido possível. Sua capa açoitava o ar em fúria, conforme ele suas passadas ecoavam pelo corredor.

Ainda sentia um pouco de dificuldade para respirar, pelo período brusco de ausência que passou, entretanto, a respiração controlada logo o colocava nos trilhos.

O fato do Guardião estar mais solicito a sua causa era recebido com alívio, aquela missão estava sendo um desastre... Ao menos para ele.

Esperava ao menos que Conner estivesse obtendo mais sucesso.

- Tem um grupo de criminosos cometendo furtos e roubos em diversos locais... E esses crimes parecem interligados. Conectei os pontos e cheguei aqui... – Ao entrar na sala, ele logo vê Tumulto e Caveira Atômica levantando-se – E aparentemente, tarde demais. – O final da fala soa mais rouco, conforme ele cerra levemente o olhar.

Dois pesos pesados. Precisava ser esperto, ou acabaria morto...  Ele corria na direção de ambos, aproveitando que estavam levantando, usaria do elemento surpresa. Enquanto corria, jogava na direção deles bombas de luz. Mais do que normalmente usaria. Principalmente na direção do Caveira Atômica. Seu capuz trabalhava a toda para reduzir o impacto da luz em seus olhos, ainda que Tim olhasse, por aqueles milésimos de segundo, para baixo. Ao aproximar-se, tentaria circular Tumulto e agarrá-la pelas roupas, em suas costas... Teria pouco tempo até ela agarrá-lo, mas talvez, se o Caveira fizesse o que ele havia imaginado – Entendi porque vocês não vão a Gotham! Não iriam durar cinco minutos! – Gritava, na esperança de que Caveira disparasse uma rajada em sua direção, e acertasse em cheio Tumulto.

O coração rufava contra o peito, qualquer golpe que ele recebesse em cheio, iria nocauteá-lo... Se não pior. Não contava com Guardião, apesar do conhecimento de suas habilidades... Precisava dos dois apagados, e a caminho da Liga, o que provavelmente o incomodaria.

No momento em que agarrava as roupas de Tumulto, se pendurando e tentando a qualquer custo fugir de suas mãos, ouvia a voz familiar, e nada agradável, de Damien. Ainda odiava ouvi-lo intitulando-se como Robin, por mais águas que tivessem se passado por baixo da ponte. Mas o chamado era grave demais para que Tim ficasse dando valor a questões pessoais...  E aquilo era infinitamente pequeno perto do que Damien falava. Não tinha como responde-lo, mas seu tempo se tornava ainda mais curto. Precisava acabar com aquilo logo e juntar-se a ele... Depois que ajudasse Conner, é claro. Era muita coisa, e o tempo era mínimo.

- Um pouco ocupado agora... Vou encontrá-lo assim que possível, R. - Era horrível usar seu antigo codinome de radio para dirigir-se a ele. Mas ele engolia o desconforto. O ignorava. O passado não tinha mais importância. Seu tom de voz era baixo. Usava o comunicador interno, utilizado pela família morcego... Direcionado não só a ele, mas a todos que atuavam a sombra de Bruce.  

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Pedro H. Oliveira em Ter Nov 26, 2013 4:21 pm

Libra parecia ser um adversário muito mais difícil do que eu poderia imaginar. Seu ultimo ataque me acertou em cheio e me colocou no chão. Apesar de doer muito pouco, aquela joelhada no meu rosto não havia passado em branco e isso me deixava com muito mais raiva e vontade de derrota-lo.

- Então quer dizer que estou lhe atrasando? Sinto informa-lo que ainda nem comecei a me aquecer!

Sigo voando em toda velocidade em direção ao seu peito e acerto-o com tudo jogando-o contra a parede.

- Você esta certo. Não sou "Ele" e isso não é uma coisa boa para você, sabe por que? - Coloco minha mão em seu pescoço e dou um "leve" aperto, enquanto que, com a outra mão, seguro a mão de Libra que porta sua lança.

- Vou te contar um segredo: O Superman pode ter ido embora do planeta para superar a dor que a raça humana causou nele e por ter perdido uma grande amiga como Lois Lane, mas diferente dele, eu ainda não extravasei essa raiva. - Começo a concentrar minha visão de calor em meus olhos, apenas para assusta-lo. - E por sua causa - e de seus companheiros - eu estou com mais raiva ainda, então... por gentileza... - quebro sua mão. - Poderia me informar o que diabos esta acontecendo? Se não quiser cooperar, posso usar sua outra mão e pés para adquirir as informações que quero. E caso isso não me agradar, seu pescoço será o próximo!

A vontade de mata-lo era gigantesca, essa sensação é a mesma que senti quando segurei o homem-bomba sobre Metropolis! Eu sei que aquilo é errado, mas se for para garantir a paz no final da historia e tudo ficar bem, não me importo de matar esse cara.

- Ahh e mais uma coisa, se pensar em usar seus poderes novamente. - Deixo minha TT preparada para qualquer alteração em seu campo de energia - você vai se queimar e MUITO!

_________________
avatar
Pedro H. Oliveira

Número de Mensagens : 850
Idade : 26
Data de inscrição : 25/06/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Leo Rocha em Sab Nov 30, 2013 11:18 am

Superboy:

A arrogância de Libra, aliada ao sucesso de seus golpes despertam em Superboy a ira que ele tenta conter há muito tempo. Ele investe contra Libra segurando o pescoço do vilão e apertando a mão em que ele portava a lança. A pressão que Conner faz começa a quebrar os ossos da mão de Libra, fazendo-o soltar a lança. Mesmo sem saber, Superboy havia conseguido diminuir o poder de fogo do vilão, pois, aquele dispositivo também possibilitava a Libra drenar a energia de seus oponentes e usar contra eles. O vilão geme de dor e olha com expectativa para os olhos vermelhos do Superboy. Ele então diz:

Arrow Nada mais nos diferencia. Vocês matam cada vez mais. Tentam decidir o que é melhor para o mundo. Uma hora vão começar a pegar o que acharem que deve ficar sob a tutela de vocês. Aí, a última barreira cairá.

Quando escuta a ameaça, Libra diz:

Arrow Isso não será necessário. Isso aqui são só negócios. Eu fui contratado pelo Calculador para um serviço. Eu tinha que trazer o feioso pra cá assim que completasse a extração. Agora é esperar que ele entre em contato. Mas parece que com você aqui não vai rolar..


Homem-Angulo se preparava para abrir um portal que sugasse Superboy para algum lugar distante. Ele esperava ganhar alguns segundos para escaparem e poderem colocar as mãos na bolada combinada. Ele aproveita que Superboy estava interrogando Libra pra se esgueirar, porém, antes de conseguir agir, é atingido por um golpe que não consegue descobrir de onde veio. Ele cai desmaiado e em poucos segundos podemos enxergar quem o atingiu, Elektron.

Ryan Choi emite uma mensagem para o Superboy:

Arrow Homem-Angulo foi detido. Conseguimos deter a fuga. Agora é aguardar a transmissão do Calculador e tentar alcançar seu esconderijo através dela. Ele deve colocar alguns desvios no caminho, mas continuarei rastreando. Assim que chegar ao fim disso, enviarei as coordenadas pra vocês.

Em pouco tempo, o comunicador de Libra toca. Do outro lado da linha, o Calculador fala:

Arrow Conseguiram o ítem?

Libra olha para Superboy e responde:

Arrow Com certa dificuldade.

Arrow Resistência metahumana?

Arrow Sim, mas conseguimos escapar.

Arrow O ítem será resgatado em breve. Foi um prazer trabalhar com você novamente.

Ryan Choi se lança nas ondas de transmissão antes do último click. Ele agora tentaria levar a cabo seu plano de localizar a origem dos roubos. Libra olha para Superboy e diz:

Arrow Estamos mortos. Ele vai mandar coisa pesada. Já sabe que falhamos.

Um estrondo é ouvido e o galpão é invadido por 6 robôs gigantes. Eles chegam disparando sem nenhum aviso. Sua intenção é clara: exterminar todos os presentes no galpão.





_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4092
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Leo Rocha em Sab Nov 30, 2013 11:36 am

Red Robin:

O Guardião ouve a explicação de Red Robin sobre os roubos e fala:

Arrow Recebi alguns informes sobre alguns desses roubos. Vamos encerrar essa tentativa e depois continuamos a troca de informações.

Ao encontrarem Tumulto e Caveira Atômica, Red robin arremessa granadas de luz no ambiente, cegando Tumulto e distraindo por uns instantes o Caveira. Guardião se lança na direção do Caveira, golpeando-o com o escudo, enquanto Tim se lança às costas de Tumulto. Com uma provocação, ele chama a atenção do Caveira e, Guardião percebendo o estratagema, se afasta do vilão dando espaço para que este dispare. O Caveira Atômica dispara em dois lados, tentando atingis os dois heróis. Com um disparo, ele acerta Tumulto, nocauteando-a. O outro disparo é interceptado pelo escudo do Guardião, que na sequência dispara um raio congelante no rosto do monstro, acertando a barriga dele com o escudo em seguida e o derrubando.
Ao ver Red Robin respondendo à mensagem, ele diz:

Arrow Pode deixá-los conosco. Parece que você tem algo importante para resolver.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4092
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Pedro H. Oliveira em Sab Dez 07, 2013 7:04 pm

- Somos parecidos? Serio mesmo? Por que eu não vejo o Coringa ou Darksaid tentado melhorar o mundo, muito pelo contrario.

Libra finalmente começa a falar e por causa disso entrega bastante coisa, principalmente o nome de seu contratante, agora é só uma questão de tempo até Elektron encontra-lo e derrota-lo, principalmente depois da ligação feita pelo mesmo avisando que tudo estava certo... bem, nem tão certo assim.

Pude ver em seus olhos como Libra tinha medo, sem hesitar ele disse ao Calculador que tudo estava de acordo com o plano, mas pelo visto as coisas não correram como queríamos e um grupo de 6 robôs entrou no armazém em que estávamos. Libra dizia que nenhum de nos sairia vivo daquele lugar...

- Se fosse fácil, não teria a menor graça! - Dou um golpe em Libra para que o mesmo caia desmaiado no chão. - Depois eu volto para te levar para a cadeia!

Ao larga-lo, salto na direção de um dos robôs e caio com tudo em cima dele, dando-lhe um soco. Após isso, pego-o e jogo contra outra maquina.

Não irei me conter até ter certeza que todas tenham caído e apos elas, será a vez do Calculador!

_________________
avatar
Pedro H. Oliveira

Número de Mensagens : 850
Idade : 26
Data de inscrição : 25/06/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Convidado em Seg Dez 09, 2013 10:13 pm

Assim que Tumulto é atingida, Tim salta para trás, afastando-se dela ao mesmo tempo em que ela caia... Lançava um imobilizador em sua direção. Logo que atingia seu corpo, ela era envolta por “tentáculos” metálicos na altura dos antebraços. Aquilo a conteria um pouco.

Assim que Robin aterrissava, via Guardião tomando conta do Caveira.

- Adoraria, mas não posso abrir mão de uma missão assim... – Ele aproximava-se de Tumulto, direcionando o comunicador ao satélite, ao mesmo tempo que colocava um rastreador preso nela – Tenho um pacote, pode subir...

Sabia que aquilo irritaria o pessoal do Cadmus, mas não podia se dar ao luxo de não levar nada pra casa depois daquela invasão, alguém para ser interrogado sempre ajudava...Mas sabia que com isso, teria pouco tempo ali. Por isso ele levantava-se devagar, deixando a capa esconder por completo seu corpo. Prontamente, já respondia, antes que Guardião falasse algo, esperando que o pessoal de cima fosse rápido – Sei que não é o mais correto... Mas estamos em dois, e pegamos dois. Vamos dividir a carga. – Acionava a câmera do capuz, com um toque discreto no cinto de utilidades. Olhando em volta atentamente, buscando detalhes do que o Cadmus escondia ali... Existe uma máxima entre detetives: “Um crime sempre deixa vestígios”. E era justamente isso que ele procurava, antes que fosse impedido... Por isso o vídeo. Tudo o que queria era uma olhada rápida, afinal Conner e Ryan haviam chego a tempo. E mais do que isso, no mínimo eles estariam precisando de ajuda - Obrigado pela ajuda, Guardão...- Dizia, enquanto solicitava teleporte para si, para a localização de Conner .

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Leo Rocha em Qua Dez 11, 2013 7:17 pm

Superboy:

Conner arremessou o robô contra outro, sendo atingido por disparos de 3 dos outros robôs. O quarto robô se lança contra ele transformando o braço numa broca e a lançando contra o peito do herói. A broca faz um barulho terrível ao tocar o peito de Conner e ele, apesar de não se machucar, se sente incomodado pelo aparelho. Numa jogada rápida, ele se livraria do ataque, mas ou outros robôs já teriam se colocado em posição, formando um círculo ao redor dele. Eles então formariam uma rede de lasers tentando bloquear a saída do herói do círculo. Então os visores dos robôs começam a piscar numa sequência de cores (azul, verde, amarelo, vermelho) e a emitir um bip cada vez mais alto. O que faria Conner agora?

Caso consiga escapar, qual será o próximo passo do Superboy?

*******************************

Red Robin:

Red Robin já havia conseguido imobilizar Tumulto e prepará-la para a viagem quando o teleporte foi acionado. Parecia que desta vez as defesas do Cadmus não impediram o efeito do aparelho. O Guardião ainda tentou falar algo, mas não fez nenhum movimento brusco para impedir o transporte. Tim entenderia se ele tentasse e sabia que ele poderia atrapalhar realmente se se lançasse a esta missão. A imobilidade dele seria uma aprovação ou haveria mais por trás disto?
Chegando ao satélite, ele levou tumulto às celas e foi revisar a gravação enquanto a vilã não acordava.

As imagens mostravam o laboratorio onde Dubbilex estava. O local continha material para suporte vital e criogenia. Também existiam nos monitores informações sobre a aparelhagem, porém os dados que apareciam nas telas na filmagem mostravam apenas as deconexões dos aparelhos.
A destruição do local atrapalhava também na identificação de pistas, mas possibilitou que uma prancheta fosse esquecida no chão. Aproximando a imagem, Tim percebe que na prancheta havia anotações sobre a atividade cerebral de Dubbilex e emissão de ondas cerebrais. Também havia informações sobre as taxas de plaquetas em sua corrente sanguínea, sinalizando uma baixa expressiva nas mesmas.

De posse das informações, ele tinha agora que decidir os próximos passos. Na cela, Tumulto acordava e gritava tentando entender onde estava. Da sala, ele poderia conversar com ela pelo auto-falante, ir diretamente à cela e interrogá-la cara a cara ou conversar com outros heróis primeiro. O que ele faria?

************************

Ryan Choi:

Ryan continuava tentando encontrar a localização do Calculador. Ele já havia transitado por vias de informação de 12 países, mas ainda não havia chegado ao fim da transmissão, porém, Ryan não iria desistir enquanto não cumprisse a missão.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4092
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Leo Rocha em Sab Dez 14, 2013 6:37 pm

Superboy e Red Robin recebem a seguinte mensagem do Estrela Vermelha na frequência do Titãs:

Boa noite a todos,eu sou Lenid Kovar,o Estrela Vermelha.

Há pouco tempo mandei um chamado aos titãs pedindo ajuda para lidar com ameaças ao povo de nosso mundo e em decorrência dos novos fatos apresentados a pouco eu devo dizer a todos vocês que..........Absolutamente nada mudou.

Eu estive presente na reunião onde mulher maravilha fundou esse grupo dissidente da liga,mas pela velocidade desse pronunciamento só posso dizer que não importavam as respostas dos convocados isso aconteceria de qualquer forma.

Talvez estejam se perguntando como eu posso dizer que nada mudou já que foi um acontecimento tão bombástico para o mundo....eu digo que nada mudou,porque nada mudou para nós.

Muitos de vocês sempre se perguntaram se ansiavam ou temiam o dia em que teriam que dar um passo a frente e tomar o lugar de seus ídolos e mentores no bom combate,bem...esse dia chegou.

Não porque eles morreram,não porque o tempo nos forçou a ir em frente,não porque eles se tornaram fracos,não nada disso....mas simplesmente porque as ameças continuam a nossa volta.

Perigos que as pessoas do mundo não são capazes de ver,de acreditar e principalmente não podem vencer,e seus ídolos estão ocupados com os problemas com que as pessoas sempre lidaram sozinhas...política,propaganda e guerra.

Nesse momento todos estão se perguntando de que lado estão,seja por afinidade,respeito,crença ou laços...eu digo para pararem com isso,tais pensamentos só iriam nos dividir.

Não estou dizendo que vocês não devem ter sua opinião,muito pelo contrário o que estou tentando dizer é que nós temos um poder que a liga jamais teve,uma força só nossa,uma ideia que já foi dita de várias formas mas que se resume em um único sentimento....TITÃS UNIDOS.

Nós podemos ter opiniões diferentes,nos podemos não nos dar bem sempre,pessoas com personalidades fortes como Granada e Devastadora tinham rivalidades grandes,droga eu mesmo até hoje ainda tenho vontade de chutar o Wally pro outro lado da galáxia....mas no fim,na hora que realmente importa sabemos que estaremos lá uns pelos outros.

Eu já duvidei disso,eu já quis duvidar disso...mas alguém sempre surge pra te dar esperanças,mesmo que não seja a pessoa que você espera.

Então eu peço,vamos ter nossas opiniões mas não vamos deixar que elas nos separem,não vamos deixar que elas nos façam deixar de ajudar as pessoas com aquilo que elas não podem enfrentar.

Não pretendo lutar contra ou a favor de nenhum dos lados,pelo menos até que um deles ultrapasse o limite do que acredito ser justiça ou que ajuda-los também nos ajude a resolver nossos problemas e missões.

Vou lhes fazer uma proposta,todos que puderem e quiserem responder,digam agora sua opinião,aqueles que decidirem partir e se aliar a poderosa ou Mulher Maravilha que vão,mas para os que decidirem ficar que essa seja a última vez que essa opinião foi dita.

Vamos esquecer nossas diferenças e fazer o nosso trabalho.

Eu começo......

Acredito que mesmo que seja bem intencionada a atitude de Mulher Maravilha está errada e causará conflito,não posso me posicionar quanto a Poderosa por que ela ainda não se posicionou,mas pelo pouco tempo em que a vi,me parecia que seu coração estava no lugar certo.

No entanto,a experiência,confiança e o fato de ter entendido que o conflito na liga era inevitável,deu a Diana duas grandes vantagens surpresa e o primeiro golpe.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4092
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: Equação mortal

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum