Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Gláucio "Speedy" Gonzales em Sex Jul 19, 2013 12:07 pm

Protagonista: Desafiador

Em alguma cidade pequena no interior do país


Boston Brand é um sujeito morto. Em uma súbita depressão ao contemplar o rosto gentil e cheio de más intenções do Superman que ele sabe perfeitamente que não é aquele que ele conheceu, sua vid... existência parece ainda mais sem propósito.

Ele resolve então se embriagar em um ambiente cheio de álcool e rancores reprimidos, onde ele mesmo possa se alimentar dessa atmosfera e das sensações de pileque dos frequentadores do bar.

Isso poderia ser tudo muito simples, sua própria vida se foi e não é difícil entender como a dos outros também podem ir, não é mesmo? Então porque ele se sente tão perdido por não ver mais Zatanna? Certamente não é só pela beleza dela em meias e cartola sim pela força de caráter que ela representava.

A Liga da Justiça é o simbolo de uma ideologia, do pensamento do modo de vida em moldes que visam transcender a mortalidade. Esse Superman parece encarar esse simbolo de forma negativa e corrupta, o encarando como um sinal de desrespeito ao próprio ideal de bondade e fraternidade e talvez seja isso que faz com que o Desafiador prefira se sentir embriagado mesmo depois de morto!

Certamente ser um cadáver não abala Boston tanto quanto saber que seus amigos podem agora ser como ele... Mas se são, onde estão?

Enquanto tropeça nas pernas que tomou emprestado, ele ouve uma voz feminina e séria falando com ele: "Patético"... Ele se vira para ver de quem é a voz...


-Isso tudo é Patético, Boston! Você melhor do que ninguém deveria entender que a morte esta longe de ser o fim. Especialmente para nós. Você flutuou tantas milhas como um cadáver até aquele bar e acha que isso foi aleatório? Bem-vindo à cidade de Bete Noir, eu o atraí até aqui e talvez isso faça de mim a culpada real por sua melancolia e estava esperando você chegar...

avatar
Gláucio "Speedy" Gonzales

Número de Mensagens : 2582
Idade : 37
Data de inscrição : 19/01/2008

Ver perfil do usuário http://www.gonzalismoveloz.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Ricardo Sato em Dom Jul 21, 2013 2:15 pm

OOOOOOOOOOOOwkay moça,um segundo por favor pra eu vestir algo mais confortável.

Desafiador checa a carteira do homem,encontra seu endereço,chama um taxi e fala ao motorista onde deixa-lo.

Quando os pneus cantam e o carro parte,e deixa em seu lugar apenas uma figura flutuante.

Duas coisas gata,um você não é responsável pela minha miséria,a única culpada é a vida...e minha vid..existência não seria tão bem acabada assim.^-

Mas se me chamou deve poder me ouvir,então desembucha....ou será que terei que pegar outra "roupa" aí por perto?

Ah e dois se acha que falas misteriosas de mulheres encapuzadas me tiram do sério você tem que botar seus pés no chão....

aparentemente de forma literal também????

_________________
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1319
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Gláucio "Speedy" Gonzales em Qua Jul 24, 2013 8:36 pm

-Eu esperava mais força de vontade e amor pela vida de alguém morto...

Ela caminha docemente pela rua ao lado dele.

-Queria que você me explicasse como era importante para você a existência dos heróis e do que você realmente ainda sente falta...

Com isso ela olha para ele, os cabelos ruivos parecem oscilar e se tornar loiros conforme bate a luz dos postes da rua.

As ruas vazias e imundas, como se ninguém saísse à noite por nada. Como se aquele lugar estivesse em estado de sítio. Ela parece curiosa



_________________
avatar
Gláucio "Speedy" Gonzales

Número de Mensagens : 2582
Idade : 37
Data de inscrição : 19/01/2008

Ver perfil do usuário http://www.gonzalismoveloz.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Ricardo Sato em Qua Jul 24, 2013 9:45 pm

Boston suspira ou o mais próximo disso que alguém que não respira pode fazer.

Olha gata...eu não gosto de falar esse tipo de coisas com estranhos,mas já que era isso que eu tava fazendo no bar,eu vou fingir que consigo ficar bêbado e que você é uma alucinação....e então vou falar "sozinho" aqui.

O que você tem pra entender hem???!!!!

Sentir falta dos amigos é a coisa mais humana que existe,ainda mais quando é um bando de caras malucos....

Um bando de pessoas loucas,que num mundo como esse ousam acreditar em sonhos,verdade,justiça e esperança....

É difícil dizer isso mas se não estivesse morto provavelmente eu nunca os conheceria,e se não os conhecesse eu jamais acreditaria   que pessoas assim realmente existiam.

Eu não sou como eles,nunca fui....não deveria nem chama-los de amigos,sabe.....

Se eu um cara tão ferrado,um "humano" tão errado sou o último "herói" por ai,talvez aquele bosta já tenha vencido.....

Não que eu não pretenda lhe chutar o rabo por isso claro...

Ta vendo eu não trago esperança....só calafrios e perda de memória....sou a tequila dos super heróis.

_________________
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1319
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Gláucio "Speedy" Gonzales em Qui Ago 01, 2013 11:40 am

-Você me conhece bem... Me chame por enquanto de Lee... Em breve poderei revelar quem eu realmente sou.

Ela flutua até perto de uma imensa casa e depois volta a caminhar pelas ruas, que parecem mais e mais desertas nessa noite e isso faz até com que o Desafiador se sentia com medo.

-Entenda... Esse lugar é uma versão da antiga cidade bíblica de Enoque, um lugar de pecado abençoado por Deus. Assim como as forças de Caim se refugiaram em Enoque também nós estamos aqui aguardando e nos protegendo...

Ela então olha para os céus com um tom sereno e assustado.

-... Nos protegendo de Deus. Eu preciso saber se você esta pronto, Boston. E me perdoe pelo que vai acontecer agora.

As sombras de um dos cantos da mansão começam a se mover e se transformam em imensos tentáculos que se contorcem e enrolam no pé do Desafiador. A mulher apenas olha para ele e esse vai sendo arrastado na direção dela pelos tentáculos que vão surgindo e o enrolando...

Ele não entende exatamente o que esta acontecendo, mas precisa pensar em sair daí rápido!

_________________
avatar
Gláucio "Speedy" Gonzales

Número de Mensagens : 2582
Idade : 37
Data de inscrição : 19/01/2008

Ver perfil do usuário http://www.gonzalismoveloz.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Ricardo Sato em Sex Ago 02, 2013 1:34 pm

Tentando romper os tentáculos e evitar ser preso pelos outros,Boston se esforçava para libertar-se.

Não vendo muito resultado ele apenas evita ser imobilizado.

É tava bom demais,já devia ta esperando,se eu tivesse sorte não tava morto né?

Se aproximando contra sua vontade ele decide usar isso em seu benefício,chegando mais perto em um último esforço jogaria sua cartada.

Já que teve tanto trabalho pra preparar essa recepção pra mim,vamos dar uma volta "juntos".

Tocando a mulher ele adentra sua consciência enquanto some do mundo,Boston sabia que ser uma entidade não tornava os outros imunes
a sua possessão.

E mesmo sem saber quem ela era,ele duvidava que ela poderia ser pior que o Espectro.

_________________
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1319
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Gláucio "Speedy" Gonzales em Ter Ago 06, 2013 12:58 pm

A descoberta da identidade da moça é o foco da possessão, ele então invade a mente da garota.

E dentro de um amontoado de sombras ele enxerga apenas um sinal...

Um imenso "S" do Superman.

Boston flutua e se sente aproximar mais do sinal, mas também sente que pode sair de dentro da alma dela nesse momento.

Ele precisa decidir rapidamente se tenta se aprofundar mais correndo o risco de novamente ser agarrado ou se foge e deixa a moça.

_________________
avatar
Gláucio "Speedy" Gonzales

Número de Mensagens : 2582
Idade : 37
Data de inscrição : 19/01/2008

Ver perfil do usuário http://www.gonzalismoveloz.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Ricardo Sato em Ter Ago 06, 2013 2:31 pm

Parte de sua consciência lhe diz para correr,mas outra o faz olhar aquele símbolo quase hipnotizado,logo ele chega a uma conclusão.

FUGIR...FUGIR...qualé,aquele símbolo mostra que ou você sabe algo do azulão ou tem alguma coisa com aquele outro puto
....de um jeito ou de outro eu tenho que saber.

E o que de pior pode me acontecer...morrer..há


No fundo ele tinha preocupações sim mas de fato,continuar só era tão ruim quanto fugir de alguma dimensão esquisita.

E se deus quiser tu não tem nada com aquela falsificação barata,por que eu sei que existem coisas piores que a morte,e algumas vão acontecer com você.

_________________
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1319
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Gláucio "Speedy" Gonzales em Qua Ago 07, 2013 8:32 am

Labaredas de fogo começam a circundar o imenso emblema kriptoniano mais famoso do universo, enquanto o Desafiador avança vencendo um terror que ele mesmo não entende porque esta sentindo.

Das sombras e das labaredas surgem duas figuras de asas e conforme ele se aproxima vê duas meninas em posturas bem ameaçadoras.



-Para trás, Boston Brand! Não deixaremos você atravessar o escudo...

Elas dizem ao mesmo tempo como se fossem um só ser.

_________________
avatar
Gláucio "Speedy" Gonzales

Número de Mensagens : 2582
Idade : 37
Data de inscrição : 19/01/2008

Ver perfil do usuário http://www.gonzalismoveloz.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Ricardo Sato em Qua Ago 07, 2013 9:19 pm

Karen...Kara...????? não sei se aprovo a mudança de visual......

Bem claramente é algum tipo de bloqueio,já vi alguns mais fortes mas poucos tão agradáveis de se olhar.

Bem se estivesse-mos lá fora (e se elas pudessem me acertar lá fora....) eu estaria muito encrencado,mas em si tratando de bloqueios psíquicos,como é que os garotos de hoje falam...ah é mesmo,vocês são noobs.

Se vocês querem brincar de kriptonianos,eu vou brincar de morcego.


Buscando no fundo de suas memórias Boston trás para sua mão espectral a idealização de algo que o morcego já usara,tornando real,pelo menos no tocante daquela batalha mental,um anel....de kriptonita.

Com as representações enfraquecidas ele colocaria toda experiência e poder adquiridos na possessão dos maiores heróis vilões do mundo em prova.

Usando dessa força ele se tornaria gigantesco pela percepção da criatura,bateria suas mãos esmagando as entidades e depois romperia o escudo com um soco.

Se não desse certo ele teria que continuar a batalha,mas a peça chave nessas lutas é surpreender,desorientar ou amedrontar
seu oponente.

Obviamente duas das mais poderosas mulheres do universo abalariam a maioria e seriam decisivas no confronto,mas Desafiador
não tinha muitas qualidades especiais,porém ser único era uma delas.

Meninas vocês não acharam que eu viria aqui sem um presente pra vocês...sei como as gatas gostam de jóias.

_________________
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1319
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Gláucio "Speedy" Gonzales em Sab Ago 17, 2013 4:13 pm

A reação das meninas é de um temor por um segundo diante da pedra esverdeada reluzente na mão do Desafiador, porém elas ainda assim avançam com raiva conforme seus medos estão sendo expostos.

Elas caem no chão desesperadas conforme ele avança, a mente de Kara tenta se fechar. Ela aliás se torna mais confusa e perdida enquanto sombras saem e labaredas de fogo tentam tocar Boston Brand sem sucesso.

A ideia da kriptonita parece ter sido bem eficiente.

Boston avança e rompe o escudo do simbolo kriptoniano e alcança uma outra sala estranha que parece um laboratório STAR.

Na frente dele surge flutuando uma mulher vestindo uma mini-saia e capa, mas não é exatamente a Supergirl.



-Como você ousa adentrar na minha alma? Não sabe que tem coisas que eu quero manter escondidas..?


_________________
avatar
Gláucio "Speedy" Gonzales

Número de Mensagens : 2582
Idade : 37
Data de inscrição : 19/01/2008

Ver perfil do usuário http://www.gonzalismoveloz.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Ricardo Sato em Sab Ago 17, 2013 8:00 pm

Ora meu bem,eu ouso porque sou ousado e se eu não peço permissão nem pros meus amigos
não vai ser agora com o mundo a beira da destruição que eu vou começar.
Além disso foi a sua mente que apareceu no meu caminho não fui eu que corri atrás,e se você veio mesmo ou sabe algo de krypton,
devia estar é me ajudando porque do jeito que tá, esse mundo vai acabar é indo pro saco também.
Sem contar que todos os preciosos últimos Kryptonianos sumiram,e ai gatinha vai ser útil pra alguma coisa ou não?


É sempre mais fácil com cooperação,e como não conhecia a moça Boston esperava que ela não fosse alguma vilã maluca.
Se fosse ele teria que forçar sua passagem aos segredos,mas uma coisa o intrigava,ela não parecia ser afetada pela kryptonita
isso quer dizer que ela não é kryptoniana,não conheceu os efeitos da pedra ou tinha alguma proteção.
Era hora de ouvi-la e em quanto isso absorver os arredores da paisagem mental em busca de vantagens.

_________________
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1319
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Gláucio "Speedy" Gonzales em Seg Ago 19, 2013 1:09 pm

-Não! Não devia! Eu sou a Supergirl! E só isso... não deveria trazer essas imagens até mim. Você deveria ficar no seu lugar, eu te chamei para me fortalecer e não para isso. Meninas cuidem dele...

Quatro Supergirl se saudam e conversam entre si, nascendo das sombras e chamas da mente da mulher de quem o Desafiador não se lembra.



As "supergirls" caem como moscas diante do anel do Desafiador, que avança em direção da mulher. Ela se vira para ele e os olhos dela brilham intensamente.

Boston vê a mulher sendo reconstruída pelo cientista T.O. Morrow, Per Dedagron e o Professor Ivo em algum lugar fora do espaço tempo e depois coberta com camadas do DNA do Superman para se tornar uma espécie de ajudante feminina dele.

-Você esta então percebendo quem sou! Eu nunca tentei penetrar na mente de alguém sem corpo. Se você quer jogar esse jogo, nós dois podemos fazer o mesmo!

Boston sente sua alma ser expelida, voltando de novo para seu corpo.



De repente ele sente seus movimentos de novo e cava com tanta força que percebe ter voltado para um lugar que não gostaria. Ele é um morto-vivo ainda, porém agora parece ter um corpo. A voz da mulher em seu ouvido continua.

-Me deixe ser a Supergirl!

_________________
avatar
Gláucio "Speedy" Gonzales

Número de Mensagens : 2582
Idade : 37
Data de inscrição : 19/01/2008

Ver perfil do usuário http://www.gonzalismoveloz.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Ricardo Sato em Sab Ago 24, 2013 3:18 am

A sensação da carne a muito lhe negada de repente enche seus nervos que não deviam existir.
Mas seja lá o que aquela mulher havia lhe feito era errado,frio e sombrio.
A raiva começou a crescer em seu peito de inicio lutando com a esperança de estar mais perto de vivo.
Mas logo essa raiva sufocou a esperança,aquela coisa havia passado dos limites em muitas formas.

Te deixar ser a supergirl????
Quem diabos você acha que é...o que você acha que é?
Não ouse sujar esse nome,com que direito algo criado por um grupo de loucos e assassinos acha que poder ser a supergirl.
Minha existência não é natural,mas a sua é uma piada,pelo menos eu vivi de verdade e você?
Talvez eu lhe desse algum respeito se estivesse vivendo a sua vida mas aqui você está,como a boneca de cordas de monstros.
Deve ser por isso que você tentou brincar com a minha mente e tudo que fez foi me dar esse "corpo",uma ridícula desculpa de vida.
Sem calor,sem pulso e sem lugar no mundo.
Se  você quer mesmo ter uma vida eu vou lhe dar uma amostra do que você quer "supergirl".


Boston lacra suas memórias e se foca nas suas emoções,tudo que sentiu na vida e fora forte o bastante pra ficar em sua alma.
Usando o link mental criado pela própria mulher ele jogaria tudo de si nela,não as memórias,mas as sensações.
Estava na hora dela saber o que era estar viva,amor,amizade,companheirismo,a sensação de cortar o ar e da alegria do público,ela
saberia como era ter uma família.
Também saberia como o homem comum tinha medo,dor,tristeza,decepção,ela saberia como era morrer...ela saberia a dor que seus
mestres espalhavam no mundo.
Se sua mente rasa,criada por aqueles bastardos,resistisse ela saberia que ser humano é mais difícil que ser super.
Ela saberia que o homem comum era forte como poucos admitem simplesmente por seguir vivendo.

_________________
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1319
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Gláucio "Speedy" Gonzales em Qua Ago 28, 2013 12:49 pm

O plano funciona, Boston se concentra em raciocinar apenas sobre as sensações que teve. Conforme os sentimentos vão se aflorando e a memória deles aumenta o corpo que ele esta possuindo começa a ceder.

E finalmente a imagem da criatura se mostra mais real...


-Eu sou Mekanique, a Mulher do Amanhã. Eu realmente queria apenas ser uma heroína apesar dos planos perversos dos meus criadores. Eu agora tenho a aparência do corpo da Supergirl, meu desejo era ser livre como ela e dessa forma poder enfrentar o mal que esta assolando nosso mundo agora. Eu sinto muito por tudo que eu fiz você sentir Boston Brand, porém eu sabia que apenas com seu poder eu conseguiria encontrar a paz comigo mesmo. Por muito tempo eu vaguei por essa cidade desde o tempo da Crise da Hora Zero, perdida... Meus criadores estão além do tempo e me enviaram para me tornar parte da vida do Superman... Conseguir a confiança do Superman Prime e o deter. Quem me programou não tem boa intenção ao fazer isso, Prime é uma ameaça tanto quanto é para os heróis que sobreviveram... Porém eu precisava estar em paz comigo mesmo para poder seguir o plano de forma honesta e não ser dominada pelos interesses deles. Minha pergunta para você Boston é... Você poderia me ajudar, tomando posse do meu corpo para que eu não manchasse o simbolo do S... Ou acredita que devo ser desativada...Deixo meu destino em suas mãos... porque sou um ser de vida artificial como pode notar e nem tenho o direito de viver. Sua decisão será minha escolha.

_________________
avatar
Gláucio "Speedy" Gonzales

Número de Mensagens : 2582
Idade : 37
Data de inscrição : 19/01/2008

Ver perfil do usuário http://www.gonzalismoveloz.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Ricardo Sato em Qui Ago 29, 2013 12:29 am

Boston estava acostumado a estar na cabeça dos outros e descobrir seus segredos,
então ele para e raciocina tentando ver a verdade.
Somente quando e se ele acredita-se em suas palavras ele responderia a mulher.

Olha gata meu problema não é exatamente com sua origem mas com o que você faz dela,ser algo criado é uma coisa,
agir como um boneco é outra.
Se você acha que pode viver sua vida ao invés dos comandos daqueles doentes,então você tem a obrigação de tentar.
Sabe com individualidade e vontade tudo é possível...seja lá o que é responsável por criar esse mundo é benevolente com aqueles que se esforçam de verdade.
Tornado vermelho é um robô mas um dos maiores corações que já conheci,Superboy até uma alma de verdade conseguiu,não custa você tentar também.
Mas se você realmente pretende se afastar de seus mestres te peço duas coisas.
Primeiro me diga o que você sabe....sobre prime,seus mestres e se puder o destino dos outros heróis.
E segundo,se seu plano é romper com seus mestres mas ainda investigar o prime,é assim que ele se chama?...
Bem porque não escolhe seu próprio nome,é provável que esse prime saiba que a verdadeira Supergirl saiu de circulação,
então porque não cria sua própria identidade.
Certa vez ouvi uma história sobre uma estátua que se tornou mulher,acho que ela se chamava...Galatéa.

_________________
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1319
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Gláucio "Speedy" Gonzales em Sex Ago 30, 2013 3:12 pm

Ela sorri, no fundo da alma ele sente como se fosse um agradecimento.

Nesse momento, o corpo deitado sobre cristais na fortaleza da solidão desperta. Uma forma de vida artificial que mistura elementos fisiológicos da Mulher do Amanhã criada por T.O. Morrow e de Mekanique antiga adversária da Sociedade da Justiça. Porém um corpo criado para se parecer com a prima do Superman, que estava morto até agora e nesse momento desperta junto da alma do Desafiador.



Supergirl: -Obrigada... Agora que você me despertou... Creio que você deve ter algum plano de ação.

E com isso Lee fica à mercê da possessão de Boston Brand para agir como melhor convir. Uma nova Supergirl criada com a imagem da antiga...

_________________
avatar
Gláucio "Speedy" Gonzales

Número de Mensagens : 2582
Idade : 37
Data de inscrição : 19/01/2008

Ver perfil do usuário http://www.gonzalismoveloz.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Ricardo Sato em Qui Set 05, 2013 7:42 pm

Boston suspira e deixa o corpo da mulher,era hora de ouvir se a tal Lee tinha algo a lhe dizer.
Na verdade ainda continuava sem nenhuma pista....talvez seguisse a dica que o despertar da nova "supergirl" lhe havia lembrado.
Ele ouviria se Lee ou Supergirl diriam mais alguma coisa,depois partiria...a batcaverna e a fortaleza da solidão.
Batman e Superman poderiam ter deixado alguma pista para trás,quem sabe até ele não encontraria com Alfred ou Jimmy Olsen.
Quem sabe os confidentes não heroicos da dupla não estariam escondidos em algum lugar longe do olhar dos inimigos...afinal
suas identidades secretas não pareciam ter vazado.

Bem garotas me digam se sabem de mais alguma coisa,pois temos lugares para ir e pessoas a possuir.

Com um novo fio de esperança um sorriso e uma piscadela Boston se preperava para continuar a busca que quase havia abandonado.

_________________
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1319
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Gláucio "Speedy" Gonzales em Seg Set 23, 2013 8:54 pm

A jovem se levanta do seu túmulo de mármore em uma imensa câmara lotada de cristais... Enrolada apenas em um lençol branco

-Você poderá encontrar o que busca em breve buscando com cuidado bem longe daqui, na cidade maldita e em Metrópolis em breve. É tudo que posso te dizer por hora.

Ela então fecha os olhos e se recolhe assustada novamente olhando para a pedra e seu lugar.

-Agora preciso mudar de roupa... siga seu caminho


_________________
avatar
Gláucio "Speedy" Gonzales

Número de Mensagens : 2582
Idade : 37
Data de inscrição : 19/01/2008

Ver perfil do usuário http://www.gonzalismoveloz.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Ricardo Sato em Seg Set 23, 2013 11:01 pm

Boston da uma boa olhada...e na sua opinião aquela roupa estava perfeita,mesmo que não adequada a qualquer lugar^^.
Seus olhares indiscretos e seu elo mental acabando lhe dão a sensação de que usar uma máscara mesmo morto era bem útil.
Não sabia se veria as mulheres novamente,nem se um encontro futuro seria amigável.
"Supergirl" poderia ter uma recaída e Lee ainda não tinha dito nada, além disso,provavelmente mesmo que ele as visse não seria visto.
A verdade é que toda a situação repleta de paranormalidade tinha acabado e ninguém podia vê-lo ou ouvi-lo normalmente...mesmo paranormais tinham dificuldade.
Porém por dentro ele só desejava que elas ficassem bem,com mais duas heroínas os heróis do mundo já eram três...e se deus quiser,subindo.

Dando um=

Tchau belezuras!!!Boa sorte que saúde vocês já tem..hahahha

Desafiador desafia o ar,ergue-se e alto no céu ele tenta se localizar...Gothan ou Metrópolis...iria para a mais próxima,se nada acha-se nas duas teria que ir ao polo,para a fortaleza.
Se chegasse a isso Boston estava feliz por não poder sentir frio.....

_________________
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1319
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Gláucio "Speedy" Gonzales em Ter Out 01, 2013 1:30 pm

O movimento dele é confuso, ele mal pensa em Gotham e esta nela.

A divisão do espaço que ele tem de percorrer fica perdida em sua mente, mas ele se pergunta onde é que tudo isso vai levar.

O Desafiador chega na Batcaverna, flutuando.

Lá ele enxerga um novo Robin e a Moça-Maravilha conversando.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------

Nota Narrativa: A partir de agora você pode postar nos Velhos Titãs. Considere também que nenhum dos dois pode te ver.

_________________
avatar
Gláucio "Speedy" Gonzales

Número de Mensagens : 2582
Idade : 37
Data de inscrição : 19/01/2008

Ver perfil do usuário http://www.gonzalismoveloz.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Peça 1,2 - Morte e vida heroína.

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum