DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Página 4 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Scorpion em Ter Nov 05, 2013 8:15 am

A luta com Kadabra já começava a irritar o Gladiador. Ele tinha logo que tirar a esteira do tempo dali, ou então alguém o acabaria fazendo antes dele.
Ver Sandman e o Dr. Meia Noite no lugar quase fez Michael sorrir. Apesar de Sandman ter sido bem frio quando se esbarraram, diferente do Homem Hora e Liberty Belle, ele não suportava o Dr. Meia Noite.
Entretanto, os dois estavam ali para ajudar e qualquer ajuda ali era muito mais que bem vinda.
GD: Átomo, prepare logo essa geringonça para transporte e...
"Droga! O Trapaceiro nocauteou Ray!"
GD: Ok, agora vocês tão se tornando uma pedra no sapato.
O Gladiador voltou a identificar quais eram as assinaturas energéticas do recinto, protegendo-se com seu campo de força. Quando identificou as quatro, ele teve de contar com a sorte.
Michael usou o gerador de Campo de Força para englobar dois dos Kadabras e usou seu raio trator para arremessá-los contra pilastras do Museu do Flash.
GD: Essa cidade é pequena demais para dois viajantes do tempo... e essa tua barbicha me irrita!
Se os dois restantes continuassem a atacar, Michael faria o mesmo com os outros dois. O arremesso seria forte o suficiente para nocauteá-los e o campo de força criado apertado o suficiente para evitar que ele pudesse criar outro à sua volta.
Se desse certo, ele agradeceria a Sandman a ajuda.
GD: Valeu! Nós quase não conseguimos, sem vocês. Agora...
Gladiador iria acordar Ray Palmer para voltarem à missão. Sandman e Meia Noite poderiam cuidar dos criminosos desmaiados.

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2303
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Convidado em Ter Nov 12, 2013 12:39 pm



Enquanto preparava os últimos detalhes para a recepção dos heróis que responderam de forma positiva à convocação, Diana refletia sobre os pontos-chave a serem debatidos na reunião. Ainda não tinha total certeza se todos estariam de acordo, mas essa, talvez, não fosse a maior das interrogações. Como Carter seria encarado depois dos tantos problemas vivenciados? De que maneira ele veria a desconfiança dos demais?

Durante a divagação, luziam novas ideias para a princesa amazona. Pô-las em prática seria um desafio interessante... teria ali um grupo explosivo, mas saberia lançar mão dos pilares necessários para sustentá-lo de forma coesa. Contava com sua irmã Donna para obter êxito nessa missão. Sem dúvida, seria ela o ponto de equilíbrio.

A água deslizava sobre o corpo desnudo da guerreira. Naquele instante, era "apenas" a mulher. A beleza encarnada de Afrodite, esculpida em formas sinuosas por Hypólita. Perfeitamente concebida. A Princesa de Themyscira, de lindeza imensurável, banhara-se suave e lentamente, purificando-se das tensões recentes. Estava, agora, rediviva, renovada. Pronta para o que viesse. Pronta para ir ter com seus amigos e seu destino.

Antes, uma última olhada no que fora seu uniforme durante anos e anos... Não há, no entanto, espaço para nostalgia. Os tempos são outros.

Diana caminha pelos corredores da Sala de Justiça e chega ao encontro dos seus amigos...



A chegada da Mulher-Maravilha interrompe os diálogos que se sucediam. Ela surpreende a todos no recinto pela sua vestimenta.

- Olá, meus amigos! É muito bom revê-los!! Sejam bem-vindos!!! - falou Diana, com um leve sorriso no rosto. Foi até o grupo de heróis, os que estavam mais próximos, e cumprimentou-os um a um com um aperto de mão e um abraço. Um beijo no rosto de Donna e um sorriso ainda mais aberto evidenciavam a felicidade da amazona ao ver sua irmã ali.

- Obrigada, minha irmã. Conto com você! – disse, ao pé do ouvido de Donna.

Ao perceber Carter do outro lado, isolado, Diana se dirige a ele, estende a mão e deseja também cumprimentá-lo com um abraço, mesmo sabendo que ele poderia ser avesso a tal saudação.

Em seguida, ela, que já havia sentido o clima pesado entre o grupo e Carter, intervém:

- Por favor, pessoal... eu gostaria de começar nossa reunião dizendo algumas coisas. Todos nós sabemos o que aconteceu envolvendo Carter, Zatanna, Ray Palmer... não precisamos fingir absolutamente nada, mas nós já vivemos coisas do tipo - ou ainda piores! Bruce, mais de uma vez, estudou e criou formas de derrotar cada membro da LJA, precavendo-se caso algum de nós se rebelasse... Hal exterminou a Tropa dos Lanternas e derrotou facilmente a Liga, quando tentamos dissuadi-lo de sua obsessão de “consertar as coisas”... a própria Liga já atentou contra a memória de Bruce, quando vilões descobriram nossas identidades secretas. Cada ação teve contornos e motivações pessoais. O momento, agora, é de nos unirmos! Por isso, Barda, Sr. Milagre, Artemis, Donna, Katanna, Cigana, Carter... - disse, olhando cada um deles - nós temos que seguir em frente! Esqueçamos as diferenças - e, creiam, aqui elas são mais sutis do que se estivéssemos na LJA... – concluiu a etapa da recepção para, em seguida, expor o conteúdo da reunião:

- Chamei vocês aqui porque quero apresentar-lhes uma nova abordagem. Criar um novo grupo, com novo conceito. Infelizmente, a LJA tomou um caminho que não tem resolvido as situações prementes... tive uma discussão dura com Gladiador e uma conversa tensa com Kara, sua nova líder, e pude notar que a equipe é avessa a atitudes mais duras. Proponho que nossa equipe seja mais incisiva, que não dependa da anuência de qualquer nação para agir e que não negocie com seus terroristas! São eles que instauram o terror na população e a coloca contra nós!

Diana estava firme no que apresentava para seus amigos, objetivando o seu apoio. Ela continua a falar, gesticulando e olhando para cada um deles:

- O governo americano reativou os Combatentes da Liberdade. Antigos companheiros nossos estão alinhados a ele – Ciborgue, Capitão Átomo e Ray, por exemplo. Não sei explicar a razão dessa associação aos Combatentes, mas eles ressurgiram, inclusive lutando ao lado de Magog, com uma atitude tirana. Eles mataram Grundy e quiseram levar seu corpo, com interesses escusos, mas a LJA impediu e tomou sua custódia. Dentro da atual filosofia, a LJA cumpriu seu papel. Agiu com diplomacia, mas não resolveu a questão. Apenas adiou o conflito... Nós agiremos com firmeza, impondo o que eles mais temem – a justiça – como, por diversas vezes, eu vi a Liga atuando! Uma justiça dura, austera, indelével... em outras palavras, uma Justiça Extrema!! É por essa razão que convoquei a todos vocês, porque, na minha opinião, vocês se alinham a esse perfil e têm exatamente aquilo de que precisamos!

Diana terminava sua exposição de ideias esperando que alguém se manifestasse, aceitando sugestões sobre a condução da equipe, a instalação na Sala de Justiça e demais pontos relacionados à formação do grupo. Ela também aguardava, ainda, a presença de Arthur e dos demais convocados que não responderam ao comunicado. No entanto, já tinha outras cartas na manga...

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Leo Rocha em Qui Nov 14, 2013 9:56 am

Gladiador Dourado, Ray Palmer, Dr. Meia Noite e Sandman:

A chegada de Sandman e Dr. Meia Noite traz mais dificuldades para os vilões em sua ação. Enquanto Meia Noite se lança na tarefa de selar as saídas do museu e evitar a fuga dos vilões, Sandman se junta ao Gladiador no combate direto. Gerando um pequeno tremor, ele consegue impedir que o Trapaceiro dê sequência à sua ação. Utilizando um golpe combinando sua habilidade com o arpéu e os dotes de pugilista treinados com o Pantera, Sandman consegue derrubar o vilão sem grandes problemas.
Vendo os companheiros, Gladiador se anima e decide encerrar a contenda rapidamente, afinal, tempo era o que eles menos tinham no momento... Ele utiliza uma estratégia de isolar a assinatura térmica identificada por seu equipamento e disparar contra ela. Kadabra mal tem tempo para puxar alguma proteção, sendo atingido em cheio e caindo inconsciente.
Michael agradece a ajuda dos recém-chegados e se dirige a Ray Palmer, acordando-o.

Arrow Eu realmente acertei em me aposentar.. O Trapaceiro me pegou de surpresa! Está tudo bem contigo? Sandman, Dr. Meia Noite! Que bom vê-los! Vieram para auxiliar no projeto de tempo-espaço?


Ele ouvirá o que os heróis tem a dizer e depois dirá:

Arrow Pode cancelar os transportes que você pediu, Gladiador. Eu me toquei agora que posso miniaturizar a esteira e poderemos levá-la com mais tranquilidade! Não sei onde estava com a cabeça que não pensei nisso antes!

Dr. Meia Noite olha para os vilões dominados e diz:

Arrow E quanto a esses dois? Vamos entregá-los às autoridades? Levá-los conosco? Interrogá-los aqui? Parece que estavam tão determinados quanto vocês para pegar a esteira. Vocês sabem o porque?

Após a conversa, cabia ao grupo a decisão dos próximos passos e estes incluíam lidar com a situação dos dois criminosos, com o entendimento com as autoridades locais e com o projeto máquina do tempo. Sandman ainda trazia consigo a inquietação sobre a possibilidade de Ray Palmer, ainda que inconscientemente, estar no centro de toda essa trama.

Nota do narrador: Dependendo das postagens, há possibilidade de atualização já no domingo.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4076
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Leo Rocha em Qui Nov 14, 2013 10:19 am

Estrela Vermelha:

Leonid se sentia um pouco melhor ao ver os Titãs. Não era a formação da qual fez parte, mas tinha ali muitos amigos. Pessoas em quem ele confiava e que poderiam ajudá-lo a resolver a parte que lhe cabe nesta trama intrincada. Ele responde às perguntas dos amigos, ressaltando a necessidade do grupo se preparar para agir com autonomia maior do que a de costume e sem o suporte que sempre contou.
Por fim, ele sugere a Cassandra Sandsmark que vá ver sua amiga Kara. A jovem aceita e segue na direção apontada por Leonid, se encontrando com Kara e Ravena. Esta última lhe pergunta:

Arrow Quem respondeu à chamada?

Arrow Gar veio Rachel. Você devia ir lá falar com ele.

Ravena abaixa a cabeça em silêncio por uns segundos e diz:

Arrow Eu preciso me concentrar para ajudar a Supergirl. Não há nada que eu possa fazer além disso no momento.

As duas continuam a conversa, no entanto, nossa narrativa retorna ao salão principal, onde Leonid conversa com Mutano e Superchoque. Os demais heróis estão empenhados na leitura do material sobre os últimos eventos, preparado por Wendy.

Arrow Então o Cyborg teve que se vender ao governo?

Arrow Não é bem assim, Superchoque. O Vic nunca se venderia. Se ele está com esses combatentes, deve ser por algum motivo. Você lembra que ele cometeu alguns erros há um tempinho atrás? Ele esteve envolvido nos eventos da morte acidental do senador Mills e foi perseguido pela polícia até se entregar e aceitar um cargo de consulto do governo. Agora parece que resolveram usar mais que o cérebro dele. Mas, se eu conheço bem o Vic, e eu conheço bem demais, ele está usando isso a nosso favor. Só pode!

Arrow Se você tá dizendo, então pode ser. Mas como vamos fazer com ele? Será que ele vai demorar a voltar pro nosso lado da briga?

Leonid ouvia os jovens conversarem e participava ativamente do debate até o momento em que seguiu para atender o chamado da Mulher Maravilha. Havia algo perigoso no ar. Lados se formavam e Leonid sentia nos ossos que a batalha se aproximava.

Em pouco tempo ele se materializava na frente da Sala de Justiça. Alguns passos e a passagem por um sistema de segurança tecno-místico o levaram ao interior do recinto, onde Diana falava com os outros heróis. Ele se surpreendeu ao ver os convocados, o uniforme da amazona e mais ainda ao ouvir seu discurso. Havia um racha na Liga da Justiça e a equipe agora se tornava duas.

Nota do narrador: Fique a vontade pra postar na nave e depois na reunião com a MM


_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4076
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Scorpion em Qui Nov 14, 2013 11:44 am

GD: Realmente, vocês chegaram em boa hora. Valeu, Sandman... e você também... Meia Noite.
Michael ainda se ressentia da briga com Meia Noite há um tempo atrás, mas até ele teve de reconhecer que a ajuda dos membros da SJA foi essencial para a vitória.
Ray Palmer sugere que Michael cancele o transporte, pois ele podia miniaturizar a esteira para facilitar a vida dos heróis.
GD: Sério? Você tem um poder maneiro desses, é um super gênio e esqueceu? Caramba, essa vai para os anais da Liga. BWAHAHAHAHA!
Voltando a se concentrar no problema, o Gladiador entra em contato com Skeets, cancelando o transporte. Então, ele se vira para os heróis.
GD: O que vocês vão fazer com ele, eu não sei. Eu não sou mais um membro efetivo da Liga e eles pouco me importam no momento. Tudo o que eu quero é a esteira pra poder corrigir o que pode vir a estar errado no tempo... e eu preciso olhar o futuro e ver se o sonho de Sandman se concretizará mesmo. Pode ser uma de nossas únicas chances.
Ele então aguarda quaisquer outras informações dos heróis e depois partirá com Ray Palmer para o laboratório das empresas Kord.

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2303
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Leo Rocha em Qui Nov 14, 2013 1:57 pm

Mulher Maravilha:

Enquanto a princesa guerreira (que não é a Xena..) fazia sua explanação, os heróis revezavam entre olhar com atenção para ela e para os colegas ao lado. A proposta era audaciosa, todos perceberam, mas aquele grupo especificamente estava acostumado a andar por entre os tons de cinza que a justiça apresentava muitas vezes. Durante a fala de Diana, Estrela Vermelha chega ao recinto e discretamente se posiciona entre os presentes. Quando o discurso acaba, alguns segundos de silêncio persistem até que a primeira voz é ouvida: Sr. Milagre.

Arrow Você está propondo a criação de uma sub-divisão da Liga da Justiça? Ou é uma equipe totalmente desvinculada?

Katana complementa:

Arrow Isso me lembra a proposta de atuação dos Renegados. Batman está apoiando esta ação?

Gavião Negro fala na sequência:

Arrow Que se dane o Batman! Eu não preciso da aprovação de ninguém para agir. Se o que você falou é realmente verdade, Diana, então pode contar comigo, contanto que eu tenha autonomia para agir do meu jeito.

Barda então fala:

Arrow Contanto que o seu jeito não nos mate. Eu não vim aqui para perder tempo. Tampouco vou me lançar a luta com um grupo que não esteja preparado ou no qual não confio. E em você, Gavião Negro, eu não confio. Podemos lutar juntos, mas se colocar a minha vida ou a de alguém aqui em risco, considere-se morto.

Carter se levanta com os olhos saltados dizendo:

Arrow Não faça uma ameaça que você não pode cumprir!

Sr. Milagre se coloca no meio dos dois e diz:

Arrow Ela não é a única a pensar assim. E antes de você chegar nela terá que passar por mim, então se certifique que VOCÊ poderá cumprir uma ameaça antes de fazê-la!

É neste momento que Donna Troy fala. Sua voz é doce e sensata como todos lembravam. Ainda que os heróis tenham a sensação de não ouví-la há tempos imemoriais, também sentem que ela esteve durante todo o tempo sussurrando em seus ouvidos. Ela diz:

Arrow Não é aqui a luta. Não é entre a gente. A liga e os demais heróis estão vulneráveis a o que quer que esteja acontecendo porque estão divididos. Temos que estar juntos. Não podemos esquecer disto. Nossas discordâncias são menores do que o que nos une.

Suas palavras surtem o efeito esperado e o grupo cessa a discussão. Alguns olhares tortos podem ser observados, mas todos parecem aceitar a alegação de que os fins justificam a presença de todos. É então que Cigana fala:

Arrow E nós temos alguma ação preparada? Se queremos impor uma mensagem referente a este grupo, devemos fazer algo como os tais combatentes da liberdade. Precisamos mostrar ao mundo quem somos em ação.

Aparentemente não havia desistência no grupo que atendera ao chamado da princesa. Havia uma instabilidade ocasionada por tantos perfis explosivos, mas havia a chance de algo novo surgir ali. Algo que poderia levar o mundo a algo novo e melhor. Diana quase sorriu ao pensar nisso.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4076
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Leo Rocha em Qui Nov 14, 2013 2:37 pm

Poderosa e Arqueiro Verde:

Seu nome é Karen Starr. Na verdade esse não era seu nome, mas se tornou quando ela decidiu viver entre o povo deste planeta. Ela é uma exilada. Uma mulher que perdeu seu planeta ainda jovem e na sequência perdeu um universo inteiro. Ela agora é a líder do maior grupo de heróis do mundo.... enquanto ele ainda existir.
Ela está conversando agora com um dos casais mais pitorescos da comunidade herói: Arqueiro Verde e Canário Negro. Após falar sobre o plano para resolver o assunto do cadáver de Grundy, ela ouve a anuência do casal. Encerrado esse ponto, ela pergunta:

Arrow Canário, você sabe como estão Ricardita e Arqueiro Vermelho?

Arrow Ricardita recebeu uma espécie de convocação na frequência dos Titãs e está indo verificar. Arqueiro Vermelho estava checando as armas no alojamento. Já estão bem melhor e prontos para ação. E você? Como está?

A pergunta demonstrava a preocupação de Dinah com a amiga e vinha em um tom sincero. Ela esperaria a resposta, mas se não viesse não repetiria a perguntaria ou forçaria uma resposta.
Momentos depois, Poderosa aciona Oráculo pedindo uma atualização sobre os heróis. A detetive virtual responde:

Arrow Você já tem as novidades sobre Asa Noturna e o Arqueiro Verde, então não preciso retomar daí. O Arqueiro já deve ter te falado, inclusive do novo Esquadrão Suicida e de como eles o ajudaram na fuga da prisão. Falando em passarinhos, Robin, Ryan Choi e Superboy estão em ação na base do Cadmus. Parece que identificaram um padrão nos roubos de artigos científicos que levaria até lá. Ainda não enviaram mais informações, mas a julgar pelos alertas de segurança que o cadmus está emitindo, parece que acertaram na mosca. Estrela Vermelha parece ter iniciado uma convocação dos Titãs. Não sei ainda o motivo específico, mas acredito que seja um reforço às fileiras. Ele está usando sua nave como base e a colocou em órbita da Terra. Poderosa.. Ele também está com a Supergirl na nave. Talvez para segurança dela mesma. Aquaman foi visto em ação no Novo México. Ele combateu três criaturas que mataram um casal e, segundo testemunhas salvou o filho adolescente deles. Depois disso eu não consegui mais informações. Lanterna Verde, Besouro Azul e o Fantasma Espacial se encontram em combate na India contra autômatos e os heróis que eles foram resgatar: Magtron e Adam Strange. Eles estão contando com apoio do herói local, Singham. Minha preocupação é que a India ainda não havia se pronunciado sobre uma proposta de adesão à coalizão do oriente, ou seja, o terreno é instavel. Azrael, Questão e Caçadora estão em Gotham investigando algo que ainda não me contaram. Asa Noturna estava retornando para casa quando avistou algo que pode estar relacionado às investigações deles e foi verificar. Robin e Batgirl se encontram na Batcaverna processando o que encontraram na Coréia. Mulher Gavião e Homem-Borracha estão atuando em uma confusão em Fawcet City. Gladiador Dourado, Sandman, Dr. Meia Noite e Ray Palmer estão no museu do Flash terminando um combate com Kadabra e Trapaceiro e levando a esteira cósmica para seguirem a teoria deles de viagem no tempo. Vixen, Hotspot, Congorila, Fera Bwana e Batwing continuam em missão na África. Poderosa.. estou recebendo agora a informação de que a Mulher Maravilha iniciou uma convocação a alguns heróis para comparecimento na Sala de Justiça. Você sabe de algo?

Arqueiro Verde dá um assobio e diz:

Arrow Muito trabalho.. Vamos começar pela direita ou esquerda?


Última edição por Raio Negro em Dom Nov 17, 2013 10:34 am, editado 1 vez(es)

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4076
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Administrador em Qui Nov 14, 2013 5:12 pm

Depois que os inimigos do Flash foram apreendidos, todos nós questionamos qual seria o melhor procedimento a ser feito a seguir. Eu concordei que os criminosos tinham de ser entregues para as autoridades de Central City, mas só depois de obter algumas respostas.

- Seria prudente interrogar os facínoras antes de partir. Com um pouco de coerção, talvez eles nos digam o que eles queriam aqui. Provavelmente, o mesmo que vocês. Falando nisso, vocês estão certos de que serão capazes de fazer isso funcionar? Jay me contou uma vez que é necessário hiper velocidade para ativar a Esteira Cósmica. Todos os nossos velocistas estão presos na Força de Aceleração e eu não creio que Jesse está em condições de fazer tal esforço agora.

Em seguida, eu comuniquei Palmer que havia um assunto importante para tratar com ele. Eu falaria com ele mais tarde no satélite. Mas era melhor preparar seu espírito, pois não sei como será a aceitação dele acerca do que tenho para lhe dizer.

- Quando chegarmos no satélite, Palmer, eu gostaria de ter uma palavrinha em particular com você. Eu tenho uma suspeita sobre a origem do Superman Primordial que envolve um antigo caso da Liga da Justiça. E você é o cerne da questão.

Com Gladiador Dourado e Ray Palmer cuidando dos preparativos para a partida, eu me encarreguei de interrogar os membros da Galeria de Vilões. Para isso, eu usarei uma versão mais branda do meu gás do sono para deixar os cretinos em um estado suscetível à sugestões subliminares. Entorpecidos pelo meu gás, eles dirão tudo o que sabem. Eu estou nesse ramo tempo o bastante para saber que alguns canalhas falam muito quando estão com sono.

Administrador
Administrador
Administrador

Número de Mensagens : 3981
Idade : 33
Data de inscrição : 10/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Scorpion em Qui Nov 14, 2013 5:54 pm

Gladiador respondeu ao Sandman.
GD: Estou esperançoso que funcione, Sandman. Skeets fez uns cálculos e tudo indica que funcionará. Na verdade não pretendemos utilizar a esteira em si, mas sim pegar emprestado o seu dispositivo de deslocamento temporal e alocá-lo na máquina do tempo de Rip Hunter. Com os conhecimentos de Skeets, do Dr. Palmer e dos cientistas da Kord, creio que podemos fazer isso dar certo. Infelizmente nós precisaremos da ajuda do Dr. Palmer no momento, Sandman, mas vocês estão convidados para irem conosco à Kord e discutirem o que tem de ser discutido enquanto resolvemos este problema. Se os cálculos de Skeets estiverem certos, o espaço/tempo pode estar sendo embaralhado enquanto conversamos.
Então, Gladiador preparou a saída dos heróis para a Kord.

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2303
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Ricardo Sato em Sex Nov 15, 2013 1:01 am

Leonid se levanta,deixando os novos titãs que atenderam seu chamado estudando e discutindo,mas antes ele da uma última resposta.

Senhores,acredito tanto quanto vocês que Vic tem seus motivos para estar lá e vai nos pedir ajuda quando precisar....porém até que ele possa voltar para nós ele será um oponente,e se não for por discordar dele,que seja para não atrapalhar seu "disfarce" eu vou revidar se tiver que enfrenta-lo......e se ele não amoleceu ele será capaz de resistir,espero que façam o mesmo,todos sabemos o quanto ele pode ser eficiente.
Não se deixem machucar,ele vai nos enfrentar esperando o melhor de nós e é isso que temos que dar.
Agora com sua licença,tenho que sair por um momento.....voltarei em breve.




Chegando ao salão Estrela ouve com atenção e apreensão,não deixando de notar a mudança visual de Diana....Leonid não se arrependia de quase nada em sua vida...talvez com exceção do uniforme vermelho e amarelo e daquele cabelo....mas isso foi no início dos anos noventa e não contava....mas a mudança de Mulher Maravilha era mais profunda e perturbadora do que todos pareciam notar.

Todos haviam entrado em um tipo de acordo e embora ele preferisse ouvir mais era a hora de se pronunciar ou deixar falsas impressões começarem.

Surgindo do canto onde estava durante um momento de silêncio Leonid se dirige a todos.


Com sua licença senhoras e senhores mas estamos colocando....como dizem por ai,os carros na frete dos bois,viemos escutar uma proposta mas agem como se tudo estivesse decidido sem nem mesmo chegarem a um acordo,já se pergunta sobre um plano de ação sendo que nem se definiu se seus objetivos são iguais.
E não,simplesmente dizer a palavra "justiça" não quer dizer que todos pensem nela da mesma forma ou com os mesmos limites.

Essa conversa é uma sequência de outra que houve no satélite,então creio que minha opinião já é conhecida....pelo menos por alguns.

De qualquer forma me explicarei melhor diante de todos............

Tenho total confiança nos corações de todos e acredito que um mundo guiado pelos ideais de todos aqui poderia ser um mundo melhor....mas o que está em jogo...o que sempre esteve em jogo é o que as pessoas desse mundo acham e não nós.

E vocês não podem acreditar que o mundo vai acolher essas idéias facilmente,a pergunta é até onde vocês iriam para força-los?
Sim,forçar é a palavra certa.........

Sei que Mulher Maravilha e Aquaman,que foram os primeiros a apresentar essa ideia,foram governantes capazes e o mais justos que conseguiram....mas com o perdão das palavras mais fortes,vocês não sabem nada sobre governar as pessoas comuns.

Mesmo que tenham tido problemas e obstáculos para subir ao poder,ambos vieram de sociedades hierárquicas onde o "direito" de governar sempre foi seu,onde as pessoas acreditavam em seguir seu rei ou rainha de direito com tudo de si.

O povo do mundo não é assim,decidir sobre crime e castigo,sobre a vida e a morte deles é totalmente diferente,a ideia deles sobre quem governa e sobre seus próprios papéis e liberdades são totalmente diferentes.

Eu já fui a "liga" de meu país,já tive em minhas mãos o dever e autoridade de decidir em instantes se para proteger muitos alguns deveriam ser sacrificados....e..eu...não desejo isso para ninguém...

Eles não são guerreiros atlantes ou amazonas colocando suas vidas a seu serviço....vocês conseguiriam dizer a eles a quem deveriam seguir,ou ainda mais importante,sem o calor da batalha...apenas decidindo em nome da "justiça" você conseguiria ter o sangue de um deles...mesmo o pior deles...em suas mãos?

Saindo dessas coisas abstratas e indo para questões mais práticas....fui criado para ser um agente militar mesmo antes de ter idade para ser um,talvez por isso eu veja algo que parece ter passado incógnito.
Superman tenta desarmar o mundo de suas mais poderosas armas...a liga nega participação e logo depois um grupo "separado" da liga tenta uma aproximação mais incisiva na política mundial......vocês não esperam que os governos achem que isso é coincidência,não é?
Mais do que isso,vocês não acham mesmo que todas as armas nucleares sumiram não é?
Algumas com certeza restaram escondidas e como vocês ainda são um grupo errante,adivinhem em que base no espaço boa parte delas vai explodir com seus amigos dentro?......

Nem pretendia tocar no assunto de que se fala de verdade e união....em um encontro secreto para dividir a liga em duas frentes que com certeza entrarão em conflito...então vou dizer algo mais pessoal.....

Como já disse,acredito nas intenções de todos,e se o mundo abrir seus braços para essa proposta eu ficarei feliz e ajudarei no que puder....mas isso é impossível,ninguém vai aceitar o governo de outros...em especial o governo de soberanos de povos diferentes.

E digo desde já,não ligo para politicagem,incontáveis vezes fui contra meus superiores para seguir o que eu achava certo,mas eu ligo para o meu povo.....se eles os abraçarem eu os levantarei em meus ombros e os saudarei,mas se eles os considerarem tiranos e clamarem por minha ajuda,então vocês terão de me matar...ou morrer tentando.

E por favor não venham me dizer que eu entendi errado,em primeiro lugar porque como eu disse não houve conversa suficiente para nos entendermos,e em segundo lugar...eu sou um deles,uma pessoa comum e é assim que isso soa aos meus ouvidos.

Não pretendo impedi-los ou revelar nada que ouvi aqui,só deixo claro o que penso....


Dessa vez se virando para Donna ele fala em um tom mais suave,porém sofrido.

Victor,acredito que contra sua vontade,já está contra nós.....e você,vai de livre escolha seguir esse caminho?
Depois de aberta a caixa de pandora não se fecha fácil....e no mínimo,nada mais será como antes.

_________________
"Bom e mal, eles se apegam as memórias porque é tudo que tem."
"Eu viverei com este fato!Não você!"
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1236
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Leo Rocha em Sex Nov 15, 2013 3:27 pm

Mensagem do Robin para todos os heróis:

Arrow Atenção! Aqui quem fala é o Robin. A Coréia do Norte está criando meta-humanos por meio de manipulação genético. Acredito que eles pretendem atacar o resto do mundo como retaliação à invasão do Superman. Preciso que todo e qualquer herói disponível responda a esse chamado. Todas as informações que coletei estão nessa amostra de sangue. É imperativo que isso seja impedido. Se isso continuar, eles podem destruir o mundo. Também fiquem atentos, pois Lex Luthor parece estar envolvido.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4076
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Dana em Sex Nov 15, 2013 11:06 pm

Nossa liberdade fundamental é o direito e o poder de decidir como qualquer pessoa ou qualquer coisa fora de nós nos afetará.
Stephen Covey

Kara acabava recebendo aos poucos as informações sobre cada uma das pessoas envolvidas com a Liga da Justiça, e decidir o que fazer acerca e tudo aquilo era difícil sim, pois, eram vários problemas, cada qual com sua urgência de resolução.

- Chamado dos Titãs? Espero que não sejam mais problemas, mas, duvido que não é isso. Bem, vou conversar com os dois, para ver qual a postura deles, mais tarde. Talvez eu precise do Arqueiro Vermelho em alguma das missões.

Ela olha com calma para Canário acerca da pergunta sobre como estava e dá um meio sorriso, nada forçado, mas, sincero pela preocupação da amiga, não havia parado para pensar em como se sentia, mesmo dentro dela estando uma grande confusão.

- Confusa e com medo de fazer alguma burrada, tirando isso, estou bem, Canário...

Aumentou um pouco o sorriso, porém, logo ficou séria de novo, sua usual postura de “durona”, cruzando os braços, quando foi mencionado que Diana estava convocando heróis para a Sala da Justiça, não era nenhuma idiota e depois da conversa que teve com a mesma já tinha em mente o que ela poderia estar fazendo sim.

- Não descarto a ideia de que ela esteja preparando o próprio time para tomar atitudes mais fortes diante dos problemas que estão acontecendo, minha conversa com ela deu a entender algo assim...

Ao que parecia o casal havia concordado com o que ela falara acerca de Grundy, pedir a Mulher Gavião para dar um fim a ele, assim que a mesma pudesse sair de sua missão e isso levava Poderosa a sua primeira decisão no meio daquela enxurrada de coisas a serem feitas.

- Irei para Fawcet city, ajudar a Mulher Gavião e o Homem Borracha, assim conseguimos com que ela venha o mais rápido possível para cá, e damos um fim ao corpo de Grundy e encerramos dois problemas, isso é claro se ela aceitar.

Descruzou os braços e respirou fundo, os dois ali pareciam prontos para um novo combate, mas, teria de ser cuidadosa com a direção para onde manda-los, pois mal haviam saído vivos de uma missão, ela não queria de modo algum ver nenhum dos dois feridos de novo.

- Oráculo contate Asa Noturna e informe-se, se ele precisa de ajuda, caso a resposta seja positiva diga que o Arqueiro Vermelho está disposição. Dois investigadores funcionam melhor do que um e toda ajuda deve ser bem vinda. Não é bom que ninguém aja sozinho, não quero perder contato com mais nenhum dos nossos.

Depois de ter feito mais um pedido para Oráculo, ela se volta para o casal e joga os braços para trás pensando no modo de usá-los agora. Gladiador Dourado, Sandman, Doutor Meia Noite e Ray Palmer já estavam encaminhados. Mulher Gavião e Homem Borracha iriam receber o auxilio dela. Robin e Batgirl trabalhariam melhor sozinhos mesmo. Aquaman estava ajudando pessoas, por hora isso era muito bom.

- Robin e Superboy estão na base do Cadmus. Arqueiro você poderia ir até lá para ajuda-los? São fortes e tem experiência, mas falta um pouco de maturidade naqueles dois, impulsividade não é bom no nosso Mundo. – Volta então seus olhos para a Canário e fala. – Você já trabalhou com a Caçadora, assim como em Gothan poderia ir pra lá ver do que se trata esta investigação deles? Não gosto do silêncio deles, e podem precisar de ajuda, também. Já que cada problema acaba revelando-se maior do que é. E Azrael é instável demais. Se as coisas ficarem ruins, pra qualquer um me contatem, peçam ajuda! Não vou perder mais ninguém aqui. Quem terminar o que foi fazer venha pra cá. Tudo bem?

Kara Estava saindo dali para pedir teleporte até Fawcet city, quando ouve pelo comunicador assim como Canário e o Arqueiro deveriam estar ouvindo, o que Robin contava sobre meta-humanos na Coreia.

- Mas, que droga é está?! – Ela olha atônita para o casal e cerra os dentes com uma expressão de poucos amigos.

- Venham comigo, tendo reunião ou não precisamos ir para a Sala da Justiça! Oráculo convoque todos os heróis disponíveis aqui na Torre para uma reunião, agora, por favor. A esta hora Diana já deve ter ouvido isso, e não vai prestar... Talvez nós precisemos de reforços, vou ver alguns nomes. – Sai dali esperando a companhia deles, era hora de uma conversa mais séria e definitiva acerca de tudo aquilo.

_________________
avatar
Dana

Número de Mensagens : 356
Idade : 36
Data de inscrição : 24/05/2012

Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/profile.php?id=100003739988649

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Leo Rocha em Ter Nov 19, 2013 8:35 pm

Gladiador Dourado, Ray Palmer, Dr. Meia Noite e Sandman:

O grupo de heróis havia triunfado no combate e agora decidia o curso de suas próximas ações. Sandman sugere iniciar ali um interrogatório dos criminosos, enquanto Ray Palmer cuidava da miniaturização da esteira e Gladiador terminava de fechar os contatos com os laboratórios Kord para início dos trabalhos. Os quatro finalmente haviam decidido os caminhos a seguir e foi de Gladiador a proposta de todos irem para as empresas kord após o interrogatório.
Antes de iniciar a abordagem aos criminosos, Sandman se aproximou de Ray e lhe pediu para reservar um momento posterior à conversa, pois acreditava que ele poderia elucidar a origem do Superman Primordial. Ray olha para ele com uma expressão surpresa e diz:

Arrow Tudo que sei é o que ele contou a toda a Liga: Que ele veio de uma Terra paralela destruída na Hypercrise e que foi arremessado no tempo-espaço até chegar aqui. Parecia que o doido achava ter conhecido um futuro onde os heróis da Liga teriam sido corrompidos e gerado guerras e destruição...

Ele para um instante e continua:

Arrow Ele dizia que o Superman iria fraquejar... Desistir de tudo.. E que depois os heróis iriam começar a brigar entre si... Na época todos pensaram que fosse loucura dele, mas agora.. Bem, to começando a temer que ele realmente tenha visto um futuro para o qual estamos caminhando. Não sei como poderei ajudar, mas você sabe que pode contar comigo.

Em seguida, Sandman rumou na direção dos bandidos, os acordou e usou uma versão do seu gás de sono para deixar os criminosos mais suscetíveis ao interrogatório. Os dois parecem tontos, mas respondem aos estímulos. Kadabra é o primeiro a falar:

Arrow Um prego... Por causa de um prego, perdeu-se uma ferradura... Por causa de uma ferradura, perdeu-se um cavalo... Por causa de um cavalo, perdeu-se um cavaleiro... Por causa de um cavaleiro, perdeu-se uma batalha... E assim um reino foi perdido... Tudo por causa de um prego...

Ele falava com a voz trôpega, mas suas palavras foram facilmente ouvidas pelos presentes. Trapaceiro se mantinha ainda quieto. Ouvindo a tudo que era dito pelo companheiro e pelos heróis.

Dr. Meia Noite a esta altura estava do lado de fora do museu, articulando a prisão dos criminosos com a força policial. A ação dos heróis havia sido encarada como positiva naquele ato, pois, salvara o museu, os policiais que estavam confrontando Kadabra e ainda terminava com os heróis integrando esforços com a polícia local para a devida prisão dos responsáveis. Desta vez os heróis sairiam bem no noticiário. Pelo menos no local...

Ray miniaturiza com facilidade o equipamento e se aproxima do interrogatório, acompanhado do Gladiador Dourado. Os dois vilões se encontravam agora a mercê deles durante o período em que o gás fizesse efeito.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4076
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Scorpion em Qua Nov 20, 2013 8:53 am

Gladiador Dourado tira as suas conclusões sobre a fala misteriosa de Kadabra.
GD: Isso faz muito sentido... ao mesmo tempo que não o faz. Kadabra deve estar falando sobre consertar, ou pior, criar uma reação em cadeia temporal. Eu estive pensando aqui... Superman é o cerne da questão. No museu dos heróis do meu tempo, conta-se a estória de que Superman foi achado por um casal de fazendeiros que andavam em sua caminhonete e viram a nave de fuga de Krypton caída. Então, eles se adiantaram e acharam a criança, enchendo-a de amor, valores morais e todo aquele escoteirismo do Super... mas e se outra pessoa o achasse? E se, misteriosamente, alguém que soubesse dos acontecimentos do tempo, como Kadabra pudesse voltar no tempo e colocar um... prego no meio da estrada? Quem teria sido o novo mentor de Superman? E se fosse alguém ganancioso, ou ruim? Tudo o que Kadabra precisaria seria... uma máquina do tempo!
Michael olha ao redor para os seus companheiros.
GD: Eu sou péssimo com esse tipo de coisa, caras. Vocês são os gênios aqui. Faz sentido o que eu tô falando, ou vocês acham que eu tô viajando na maionese?
Ele olha para Ray Palmer.
GD: Átomo, faz sentido isso? Você consegue acompanhar o meu raciocínio?
Depois da conclusão dos seus companheiros, ele fará, juntamente com Sandman e os outros perguntas aos vilões.
GD: Muito bem, Kadabra, comece a cantar! Você não invadiu o museu do Flash pra roubar bonés e camisetas! E de um viajante do tempo falido para outro, eu apostaria o calçao de combate que uso por cima das minhas calças que o seu objetivo aqui é a esteira! Só que vocês não têm os recursos que eu tenho, então você precisaria de um velocista pra gerar essa energia! Quem vocês têm?! Quem?! É o Professor Zoom?! Vocês estão com algum dos nossos em cativeiro? Fala logo, senão arranco essa tua barbicha com um puxão! Qual é o plano? Porque a esteira do tempo?

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2303
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Convidado em Qua Nov 20, 2013 11:56 pm

A situação na Sala de Justiça ficava cada vez mais tensa. O desentendimento prematuro entre Gavião Negro e Barda acirrou os ânimos, forçando, inclusive, uma atitude mais drástica de Sr. Milagre. Diana irritara-se com o rompante de Carter ao ouvir falar de um nome que, para uns, gerava medo e assombro, ou ainda desconforto, devido a seus métodos, enquanto que, para outros, fornecia entusiasmo e inspiração. Antes mesmo que pudesse reagir ao impulso de Carter, Diana viu Donna tomar sua frente a fim de amenizar os ânimos, com suas habituais sensatez e sobriedade. Na fala serena de sua irmã, a princesa das amazonas viu o clima se reequilibrar e se afastar - a princípio - a possibilidade de problemas maiores... mas Diana não havia gostado em absoluto da ação de Carter, totalmente desnecessária, em um instante em que as dúvidas sobre a formação da equipe e seus ideias se apresentavam.

Cigana interrompeu o curto tempo de silêncio e indagou sobre o planejamento de alguma ação, se já havia algum esboço e sugeriu uma estratégia... então, surgiu Leonid, o Estrela Vermelha, do canto em que ouvia a tudo, e despejou em cima do grupo e de Diana os seus pensamentos, seus questionamentos sobre o que eles criavam, ali, naquele momento. A avalanche de palavras que saía do Estrela Vermelha expunha sua posição, sua opinião. Depois da longa e dura exposição, Leonid se voltava para Donna Troy e questionava sua participação na equipe...

- Espere, Leonid... – disse Diana, se dirigindo ao herói - você falou tudo o que quis, mas agora irá me ouvir também. Não que eu deva explicações a qualquer um, mas respeito a todos que aqui vieram e, desde então, dialogam. Pois bem... se o cerne da questão é justamente o que as pessoas do mundo querem, por que não agirmos contra os testes com armas nucleares, realizados no planeta inteiro?? Por que permitir que governos de inúmeras nações sigam fazendo o que bem entendem, em detrimento da vontade da própria população? Por que seguir acreditando nessa representatividade falha, seja lá qual for o sistema de governo, mesmo sabendo que só se satisfazem seus interesses escusos? Se o que conta é apenas e tão somente a vontade dos humanos, das pessoas comuns às quais você acabou de dizer que Arthur e eu não entendemos nada de governar – muito embora eu nunca tenha ambicionado isso -, então por que você, meta-humano, não desiste de sua ação, não se exila? Por que não faz a vontade dos seus e se retira? O mundo inteiro hoje questiona e condena os meta-humanos... você acha que essa mudança de prisma, de ponto de vista, é desejo íntimo de cada pessoa deste planeta?? A Liga falhou, Leonid, quando foi omissa e permitiu que ditadores se sobrepusessem a seus povos. Quando permitiu que factoides manipulassem a mente de milhões no mundo inteiro, mesmo sabendo que não passavam de artimanhas de controle e de poder! E, mesmo quando agiu, de maneira cautelosa em excesso... ou, simplesmente, quando procurou o discurso imediato da paz, evitando qualquer enfrentamento... perdemos diversos de nossos entes: minha mãe, Lois, Sue e Ralph, Ted, o pai de Tim, a devastação de Coast City! Não chega tudo isso??? Quantos mais precisarão morrer??? Sempre confiei demais no diálogo e na bondade, mas essas e outras mortes foram mais que suficientes para me mostrar que não houve o resultado que se esperava, que minha ação não surtiu o efeito desejado... e para me indicar um novo caminho, uma nova atitude! Se nós não pudermos crer que fazemos justiça, “camarada”, é melhor procurarmos outras atividades...

Diana falava em tom respeitoso, porém muito sério. Praticamente impassível, a não ser por uma lágrima, uma solitária lágrima que lhe escorrera pelo rosto: lembrara-se da mãe, a Rainha Hypólita. Ela prosseguiu, sem se abalar com a recordação:

– Não sei se você sabe, Leonid, nem se acredita ou não – a bem da verdade, a essa altura da minha vivência, isso já não me importa, se alguém crê ou não -, mas o fato é que fui investida pelos deuses como Guardiã, Portadora da Verdade! E eu acredito, sim, nisso! É o que basta! Uma vez, J’onn me disse que eu fizesse o que eu julgasse ser o certo, não importando qual fosse o custo! E o tenho feito!! Em cada fibra do meu ser existe a graça divina da Luz Dourada da Verdade. Sem segundas intenções, sem estratégias maquiavélicas, tenho a esperança de que o amanhã será melhor, porque, hoje, tento fazer o correto. Sobre o encontro secreto, “camarada”, fiz isso única e exclusivamente porque não queria mais voltar a esse tipo de discussão, nem envolver a LJA nessa história. Eles já assumiram sua postura, e está claro para mim! Apenas não concordo e, por isso, resolvi seguir outro caminho... não se trata de uma subdivisão da LJA, como perguntou Milagre; trata-se, sim, de um grupo desvinculado, com autonomia e os heróis que possuem o perfil para tal e quiserem se alinhar. Enquanto estivemos juntos, nos respeitamos, apesar das diferenças. E não é porque trilharemos sendas distintas que perderemos a cordialidade, a consideração... No momento certo e com o grupo formado, um anúncio será realizado e todos saberão quem somos e que não há conexão entre as duas equipes. E outro ponto: se você acredita que nós entraremos em conflito, digladiaremos, então posso crer que alguns heróis padeceriam de alguma patologia, pois nos considerariam ameaças, enquanto governantes como Adão Negro e outros tiranos e seus métodos questionáveis e mentes doentias permaneceriam inabaláveis.

Apenas para concluir: você tem razão quando diz que esta é uma conversa sequencial à que ocorreu no satélite. Mas parece que não tem certeza de tudo o que despejou em cima de nós – em especial, direcionado a mim –, pois daria o braço a torcer caso seu povo nos celebrasse. Ainda assim, eu respeito sua decisão, Leonid. E não se preocupe com uma possível dificuldade de se fechar a caixa de Pandora: o Laço da Verdade de Héstia se estende ao infinito – e é INQUEBRÁVEL, portanto forte o bastante para selá-la!


Diana termina de falar com Leonid e se volta imediatamente para Carter, retomando o assunto do desentendimento entre esse e Barda:

- Quanto a você, Carter... eu lhe garanti que teria autonomia, sim, mas exigimos que você guarde respeito por todos nós! Bruce não está aqui... e nada tem a ver com esta iniciativa!! Temos um grupo, com uma filosofia se delineando, e espero que você se coadune com ela! Bruce sempre foi manipulador e, algumas vezes, extrapolava limites, por isso, quebrou a confiança de alguns. Não quebre a confiança que tenho em você! Lembre-se, Carter: ninguém, nesta sala, é seu adversário! Existem diferenças, nem todos precisam ser amigos, nem mesmo são obrigados a estarem aqui; mas, uma vez presentes, de uma coisa sagrada não abro mão: que trabalhemos de forma unida. Só assim conseguiremos algo.

Diana findava, assim, sua explanação. Sentia-se pesada, mas não tanto quanto no momento em que começara a tratar dos conflitos e situações estressantes que se apresentaram.
 
Eis que, segundos após as últimas palavras da Mulher-Maravilha, irrompe a seguinte mensagem de Robin:

- Atenção! Aqui quem fala é o Robin. A Coréia do Norte está criando meta-humanos por meio de manipulação genética. Acredito que eles pretendem atacar o resto do mundo como retaliação à invasão do Superman. Preciso que todo e qualquer herói disponível responda a esse chamado. Todas as informações que coletei estão nessa amostra de sangue. É imperativo que isso seja impedido. Se isso continuar, eles podem destruir o mundo. Também fiquem atentos, pois Lex Luthor parece estar envolvido.


Diana olha para Cigana e diz:

- Acredito que temos nossa primeira ação, Cynthia. Levantem o máximo de informações sobre a Coreia do Norte e pensem nas estratégias que podemos assumir para intervirmos nessa questão. Como vemos, a guerra está próxima... – assevera Diana, olhando rapidamente e acenando com a cabeça, em tom de despedida, para Leonid – tenho uma videoconferência com a ONU dentro de alguns minutos.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Ricardo Sato em Qui Nov 21, 2013 6:14 pm

Esta enganada mulher maravilha,em nenhum momento me alterei,apenas dei a minha opinião,aquilo que achei ser o motivo de estarmos aqui...mas ao que parece fui o único a ter uma.
Bela forma de lutar contra a tirania,um grupo onde a princesa amazona tem a palavra final,e qualquer um que discorde que saia do caminho.
Você bem disse o ponto principal da conversa,você acreditava em bondade e compreensão e agora de repente não acredita mais....por menos que isso Aquamen foi até a enfermaria ver se tinha um verme no ouvido.
Porque não paro de agir?É porque decidi protege-los,simples assim,mas não vou força-los a me ouvir.
No entanto você segue o mesmo discurso do satélite,"por eu ser um meta" ,bem o fato de ter poderes nunca me fez pensar que eu tinha mais direitos que qualquer um,não parece ser o caso com vocês.
E ao contrário do que diz,com exceção de alguns poucos lugares,o povo não é contra testes nucleares ou o que quer que seja,afinal eles RE-ELEGEM  seus governantes sabendo disso.
Se é certo ou não nunca saberemos,o que sabemos com certeza é o porque,por medo de outros países,de seres do espaço e de nós....um medo que será confirmado pelo jeito.
Eu deixei claro que apesar de não concordar com o método eu não desconfiava do coração de ninguém aqui....mas isso foi antes de saber que perdas pessoais tinham tanto peso em sua atitude.
Não me venha falar de perdas,sou um titã e um soldado,temos salões em honra a nossos amigos caídos e se fizéssemos estátuas para cada perda pessoal que tivemos precisaríamos de um satélite no espaço para elas.
Perdas são o preço que pagamos pelo privilégio de ajudar o próximo,e quanto aos deuses que lhe deram sua missão,eles não são deuses de ninguém além de amazonas e alguns monstros e vilões,não são nada além de lendas e temas de desenhos para o povo.
Meus parabéns,você conseguiu seu exército general e tenha certeza que para o resto do mundo vocês estarão declarando uma guerra,mesmo que não queira.
Eu já vivi mais guerras do que muitos.....não será bonito,dusvidânia e boa sorte.


Leonid cumprimenta os heróis e se vira para partir,já ouvira muito e sabia que não se encaixaria ali,ele poderia teleportar-se, mas daria a chance a qualquer um que desejasse lhe dirigir a palavra,não era o dono da verdade,apenas tentava abrir os olhos dos presentes.
Sairia a passos largos e lentos,ciente de que fez o que pôde e esperando não ter que enfrentar heróis em combate nunca mais,uma esperança fútil que já dava por perdida mas ainda uma esperança.

_________________
"Bom e mal, eles se apegam as memórias porque é tudo que tem."
"Eu viverei com este fato!Não você!"
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1236
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Convidado em Qui Nov 21, 2013 8:27 pm

Tem algo sobre Karen Starr que é fácil esquecer quando se conhece pouco a guria. Pra aqueles que tem menos contato com ela, como um dia tive, é fácil cair na falsa primeira impressão que ela é uma heroína casca grossa e esquentada, impulsiva até. A verdade é que a Poderosa é dona de um coração enorme, do tamanho do coração do primo, e rapidamente está se tornando uma líder no mesmo estilo.

Esses últimos tempos foram difíceis. Foi só depois de pisar novamente no satélite e contar todo o ocorrido pra Karen e Dinah que consegui relaxar pela primeira vez no que parece ter sido muito, muito tempo. Não ouso soltar a mão do meu passarinho, e ele não da sinal algum que vai soltar a minha.

Mesmo assim, não é hora de relaxar. A Poderosa está visivelmente carregando um enorme peso nas costas e, conforme me atualizo quanto aos acontecimentos que rondaram a Liga enquanto estive longe, percebo porque. Arthur e Diana tinha que dificultar as coisas, é claro. Mas até aí... membros da realeza, não? Príncipe e princesa. Se Clark ainda estivesse por perto, teriam eles percebido quão arrogantes estão soando?

Acompanho quieto enquanto Oráculo dá todas as informações e Karen reage.


Poderosa: Robin e Superboy estão na base do Cadmus. Arqueiro você poderia ir até lá para ajuda-los? São fortes e tem experiência, mas falta um pouco de maturidade naqueles dois, impulsividade não é bom no nosso Mundo.
Arqueiro Verde: Sem problemas. Vou separar rápido meu equipamento e já estou de partida.
Poderosa: Você já trabalhou com a Caçadora, assim como em Gothan poderia ir pra lá ver do que se trata esta investigação deles? Não gosto do silêncio deles, e podem precisar de ajuda, também. Já que cada problema acaba revelando-se maior do que é. E Azrael é instável demais. Se as coisas ficarem ruins, pra qualquer um me contatem, peçam ajuda! Não vou perder mais ninguém aqui. Quem terminar o que foi fazer venha pra cá. Tudo bem?

Conforme Dinah acena com a cabeça, ela finalmente solta minha mão. Trocamos olhares e eu dou aquele sorriso de que a vejo novamente quando chegarmos em casa. É ingênuo, com minha idade e com todo o mundo indo pro inferno, me sentir invencível quando estou frente a frente com Dinah Lance?

Karen estava já se movimentando, requisitando teleporte. O peso do mundo nas costas da guria.

Arqueiro Verde: Hey, Karen...

Dinah para e olha pra mim. Dessa vez, não retribuo o olhar e continuo olhando para a Poderosa.

Arqueiro Verde: Não precisa parecer tão preocupada. Não consigo me lembrar, mas você já foi convidada para as Reuniões do Chili na casa do Arqueiro?  Quando resolvermos tudo, vamos reunir todo mundo lá em casa, como nos velhos tempos. Tenho uma receita nova de Chili que preciso mostrar pra vocês todos! Vamos chamar todo mundo mesmo, Liga, Titãs, até o babaca do Aquaman...


Dinah esboça uma risada. Realmente, que assunto ridículo pra trazer à mesa com a situação como estava. Mas eu não podia não dizer nada e deixar Karen com aquele peso enorme nas costas. Apoio, foi o que ela pediu. Bom, não sei se consegui me expressar direito, mas ela pode contar com todo o apoio do Arqueiro Verde que precisar.

Arqueiro Verde: Vai dar tudo certo, Karen.

E é óbvio que nesse momento a mensagem terrível de Robin soa nos comunicadores. Por estar na base com Asa Noturna, Robin e Batgirl, eu já tinha uma noção e uma suspeita de que a Coréia só traria problemas. Mas ouvindo isso, por comunicador geral... adiciona uma nova gravidade à ameaça. Karen se exalta na hora. Não sei o que a indigna mais, a previsão da ameaça da Coréia ou o fato de eles usarem retaliação em cima do primo dela como desculpa. Parece que, se eu tinha conseguido pelo o menos aliviar um pouco a tensão, tudo foi pro inferno de vez.

Poderosa: Venham comigo, tendo reunião ou não precisamos ir para a Sala da Justiça! Oráculo convoque todos os heróis disponíveis aqui na Torre para uma reunião, agora, por favor. A esta hora Diana já deve ter ouvido isso, e não vai prestar... Talvez nós precisemos de reforços, vou ver alguns nomes.

Eu e Dinah acompanhamos ela. Ajudaríamos com tudo que tivéssemos. Pensei em dizer mais uma vez que tudo ia dar certo, mas olhei pra Dinah e ela concordou comigo: falar algo assim mais uma vez agora seria forçar a barra.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Leo Rocha em Seg Nov 25, 2013 10:11 pm

Poderosa e Arqueiro Verde:

Poderosa já estava terminando de encaminhar a divisão das missões entre os heróis quando recebeu a mensagem de Robin sobre os metahumanos nortecoreanos e sua ligação com Luthor. a tentativa de amenizar o clima feita pelo Arqueiro Verde havia conseguido arrancar um breve sorriso das duas heroínas, que agora se esvaia com a percepção da gravidade que a situação adquiria.
Rapidamente Karen convoca uma reunião com os heróis presentes no satélite. Ela sentia a necessidade de alinhar as ações destes heróis antes de partir para uma das ações mais difíceis que irá encarar como líder da Liga da Justiça: confrontar a Mulher Maravilha e sua nova equipe.

********************

Na sala de reuniões, a tensão é grande e os heróis presentes tentam em silêncio se preparar para as palavras que irão ouvir. O casal Homem-hora e Liberty Belle ainda não havia contado a mais ninguém sobre as limitações que os impediriam de continuar a agir. Ainda assim, não se furtaram a comparecer para apoiar a equipe. A jovem Rajada, recém-iniciada no super-heroísmo, se encontrava ainda questionando se estava preparada para o desafio que aceitara. Ela esperava não cometer mais erros como o que cometeu na ação no cemitério, mas honraria o nome de seu pai se lhe pedissem para fortalecer as fileiras da Liga. Jade estava pesquisando sobre o que ocorria com os Lanternas Verdes para que apenas Kyle Rayner estivesse disponível no setor 2814. Arqueiro Vermelho já havia preparado sua aljava e aguardava para saber qual seria a proposta de ação. Ele se sentia aliviado por Ollie ter retornado e agora sentia que eles poderiam enfrentar qualquer situação, pois estavam novamente reunidos como uma família. Mestre Judoca estava sentada ao lado de Rajada e parecia tentar tranquilizar a garota. Canário Negro entrava no lugar junto do Arqueiro Verde e Poderosa.
O suspense era notório e todos aguardavam a manifestação do trio, principalmente de Poderosa. Quem rompe o silêncio é Jade, que diz:

Arrow Já estamos cientes da mensagem de Robin. O que você quer que façamos? Como podemos ajudar?

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4076
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Leo Rocha em Seg Nov 25, 2013 11:03 pm

Mulher Maravilha, Estrela Vermelha e Fausto:

Enquanto Estrela Vermelha fala, os presentes no recinto ouvem com total atenção. Gavião Negro cruza os braços em um claro sinal de discordância, enquanto Sr. Milagre se mantém próximo a Barda analisando o conteúdo da fala. Donna se mantém calada, abaixando a cabeça constrangida ao ouvir a fala que Leonid direciona a ela.
A resposta da Mulher Maravilha também prendia a atenção dos presentes e trazia mais elementos para consideração sobre a formação do grupo em questão. Ao final da explanação, chega o comunicado de Robin sobre a questão na Coréia do Norte. Diana então comunica ao grupo que esta seria a primeira missão e pede a eles que se preparem.
Leonid faz uma última fala reforçando suas convicções sobre o quão nociva seria a ação mais incisiva de um grupo de heróis neste contexto e, vendo a saída de Diana da sala, também inicia sua partida. Quando está prestes a sair, ele é abordado pelo Sr. Milagre que diz:

Arrow Eu entendo o que você diz... Eu cresci num mundo onde a guerra era uma constante. Não posso permitir que isto ocorra neste planeta. Eu e Barda Queremos ajudá-lo.

Ele então se vira para o grupo e diz:

Arrow Lamento companheiros, mas Estrela Vermelha tem razão. Esse não é o momento para divisões e tampouco para perder a cabeça. Agora é hora de reunirmos a Liga da Justiça.

Gavião Negro diz:

Arrow Não deixe a porta bater na sua traseira ao sair. Se você não tem peito para fazer o que é preciso, talvez seja melhor não ficar no caminho.

Barda se vira, mas a mão de Sr. Milagre em seu braço lhe diz que não é o momento para o combate. Os demais heróis conversam ainda entre si, mas decidem continuar no grupo.

********************************

Em outra sala, Diana acabava de receber as confirmações do Detonador, Justiceira e Acrata. Faltava ainda a resposta de Fausto. Ele sempre era uma incógnita e dessa vez não seria diferente.

Arrow Fausto... sigo aguardando sua resposta, sei da sua dificuldade de trabalhar em grupo, mas já o fizemos no passado e, a meu ver, foi algo positivo. Você tem características e habilidades que avalizam sua eficácia. Ter alguém que domine magia é sempre importante...

Ela aguardava a resposta e os argumentos dele. Tinha ouvido sobre a perda de Barda e Sr. Milagre. Não poderia abrir mão de mais ninguém.

*******************************

Após a conversa com Fausto, Diana abre o canal de comunicação com a ONU. Os representantes da organização aguardavam o que ela tinha a dizer. Ela respira fundo por um breve segundo e abre a voz. O que ela diria naquele momento mudaria totalmente a história do mundo e dos heróis.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4076
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Ricardo Sato em Seg Nov 25, 2013 11:57 pm

Surpreso pelo apoio de Senhor Milagre e Barda,Leonid acaba esboçando um sorriso involuntário e se volta a eles.

Muito me alegra sua resposta,de fato quem mais vê a guerra é quem menos quer lutá-las,mas ao contrário do que diz Gavião Negro,estes são sempre os melhor preparados....e os que tentam encontrar primeiro o lado mais justo.

Não estou agindo com a liga...em parte por causa dessa divisão,eles estarão muito ocupados com brigas entre si e em convencer a opinião pública,para prestar atenção aos detalhes.

Como por exemplo a fúria crescente do povo contra metas....não sei se foram informados,mas foi confirmada manipulação emocional nos atentados aos heróis,parece que Mulher Maravilha prefere considerar a mudança popular como esquemas de seus governantes ao invés de investigar isso.

Estou reunindo uma equipe de titãs para esclarecer os culpados,e já temos alguns planos em andamento.
Mas não é porque chamei os Titãs que estou me restringindo a eles,se desejarem,sua ajuda seria valiosíssima.

Em verdade estava mesmo atrás de alguém que pudesse me dizer se isso poderia ser coisa de Darkside.
Já ouviram falar em criaturas semelhantes a vermes mas capazes de controlar emoções?


Caso Barda e Milagre decidissem ajudar,Leonid os transportaria para a nave e os colocaria a par das situações que os titãs estavam investigando,incluindo o que aconteceu na Korea e com os Combatentes,mas primeiro falaria com Cassandra.
Ao menos ela tinha o direito de saber do que aconteceu no salão da justiça......e decidir o caminho que seguiria.
Leonid não invejava a decisão que ela teria de tomar,seria o amor a Diana ou o coração cheio de amor pela liberdade dos titãs o vencedor da disputa?

_________________
"Bom e mal, eles se apegam as memórias porque é tudo que tem."
"Eu viverei com este fato!Não você!"
avatar
Ricardo Sato

Número de Mensagens : 1236
Idade : 33
Data de inscrição : 06/03/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Convidado em Ter Nov 26, 2013 1:52 am

Outra vez o comunicador apita
pque será que ela não me deixa em paz? essas brigas entre poderosos na maioria das vezes não passa de disputas territoriais. Bem uma coisa é certa, o Super pirou, mas fez oque tinha que fazer, só espero que ele tenha acabado com todas as Bombas H

Fausto... sigo aguardando sua resposta, sei da sua dificuldade de trabalhar em grupo, mas já o fizemos no passado e, a meu ver, foi algo positivo. Você tem características e habilidades que avalizam sua eficácia. Ter alguém que domine magia é sempre importante...

Droga será que eu to pensando direito? quem é bom o suficiente pra dar um gelo na Mulher Maravilha?

Aqui é a secretária eletrônica apos o sinal diga seu... opa pera ai errei, apos o bibe deixe sua mensagem e o Fausto responde mais tarde, se for a mulher maravilha outra vez, ainda estou averiguando se devo ou não tomar parte dessa luta, entro em contato em breve  

Fausto não podia sentir o quão engraçado ele fora ao fingir ser uma secretaria eletrônica, a falta de sentimentos atrapalhava muitas vezes, mas não nessa. pensar bem nas ações, antes de tomar, ser frio o suficiente para saber aguardar, ele sentia que algo estava errado, uma perturbação na magia, os espiritos do inferno estavam agitados, ele só imaginava quanto trabalho o Jhon deveria estar tento, com tantos demonios possuindo garotinhas por ai( nesse momento mesmo sem ter sentimentos apenas por gosto ele dá um sorriso)

bem, espero que ela(MM) saiba oque esta fazendo. pensou devaneando, onde estaria o Azul? ele não aparecia ja faz tempo, tempo demais para um cara que fala tanto de divida e de proteção, e de pagar com a vida se necessário.
seria necessária uma decisão rápida tomar ou não partido da Mulher Maravilha, uma coisa era certa, deixar o Grundy morto nas mãos do governo não era uma boa ideia.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Administrador em Ter Nov 26, 2013 4:56 pm

Kadabra está em estado de vigília. Nós só temos alguns instantes antes que ele adormeça completamente. Melhor aproveitar o tempo restante para obter o maior número de respostas possível. Mas eu creio que todos nós já compreendemos a charada nessa altura. A Galeria de Vilões foi enviada para o Museu do Flash com um propósito sinistro. A provável intenção do grupo era usar a Esteira Cósmica para viajar no tempo e impedir que o destino de um determinado herói se concretizasse.
Considerando que essa conspiração está girando em torno do Superman, não é difícil imaginar que era a origem dele que os vilões tencionavam alterar. No entanto, esse me parece um trabalho encomendado. Duvido muito que os membros da Galeria de Vilões tenham planejado isso.
Então o importante agora é descobrir a identidade do contratante da Galeria de Vilões. Só que o Gladiador Dourado continua insistindo em fazer as perguntas que não nos interessam mais, como o que trouxe eles até o Museu do Flash ou o que eles querem com a Esteira Cósmica. Tudo isso é dedutível! Só existe uma razão para alguém buscar uma máquina do tempo! Viajar no tempo e mudar o futuro, é claro! Só o que importa agora é o nome de quem pagou pelos serviços da Galeria! Gladiador Dourado está longe de ser um detetive, então sua falha é aceitável.
Após indagar Kadabra e Trapaceiro a respeito do indivíduo que organizou aquele esquema, bem como sua localização, eu travei diálogo com Ray Palmer. Aguardei essa conversa por tempo suficiente. Finalmente, confirmarei ou não minha hipótese.

- Consultando os arquivos da Liga da Justiça, eu soube que anos atrás, o Doutor Destino distorceu um dos seus sonhos recorrentes, Doutor Palmer. Por meio desse pesadelo, Destino criou uma realidade alternativa onde a Liga da Justiça governava os Estados Unidos com mão de ferro. Talvez não tenha sido por acaso que vilões manipuladores de sonhos tenham sido recrutados para causar aquela doença do sono. Meu palpite é que o Superman Primordial veio do mundo que Doutor Destino construiu através da sua psiquê, Doutor Palmer. E agora nossos inimigos estão movendo os ponteiros para que nosso mundo fique cada vez mais parecido com o lugar de origem do Superman Primordial. Assim será mais influenciar o Primordial, dando a impressão de que este mundo terá o mesmo fado do dele. Superman Primordial é um iludido e nós temos de mostrar a verdade para ele. Se ainda existe algum vestígio daquele cenário em sua mente, talvez seja possível conectar você e Primordial para desbaratar esse equívoco.

Eu espero que Palmer tenha entendido minha teoria, porque é a terceira ou quarta vez nos últimos minutos que explico essa linha de pensamento para alguém. Não sei se terei paciência para expor meu raciocínio novamente.

Administrador
Administrador
Administrador

Número de Mensagens : 3981
Idade : 33
Data de inscrição : 10/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Leo Rocha em Sab Nov 30, 2013 10:13 am

Gladiador Dourado, Ray Palmer, Dr. Meia Noite e Sandman:

Após a fala de Kadabra, Gladiador conclui que a intenção da viagem no tempo que os vilões buscavam era provocar uma reação em cadeia a partir de algum evento crucial na história, como a chegada do Superman à Terra. Ele apresenta a idéia a seus compenheiros, aguardando suas impressões. Ray Palmer é o primeiro a falar:

Arrow Isso é possível... Não seria a primeira vez que tentariam algo assim, mas realmente é uma possibilidade um tanto quanto assustadora. Só que fazer isso implicaria em ter conhecimento do evento a ser alterado e acredito que nenhum destes dois tem esse conhecimento. Ou será que tem?

Ele se aproxima dos dois prisioneiros e pergunta:

Arrow Vocês iriam alterar qual evento?

Kadabra responde:

Arrow Nós íamos saltar no tempo.. estão alterando o tempo.. nossos futuros não existem mais... Não há para onde voltar... Então, vamos seguir adiante rumo ao passado... Pra escapar da anomalia temporal, nós vamos para o passado..

Gladiador então fala:

Arrow Muito bem, Kadabra, comece a cantar! Você não invadiu o museu do Flash pra roubar bonés e camisetas! E de um viajante do tempo falido para outro, eu apostaria o calção de combate que uso por cima das minhas calças que o seu objetivo aqui é a esteira! Só que vocês não têm os recursos que eu tenho, então você precisaria de um velocista pra gerar essa energia! Quem vocês têm?! Quem?! É o Professor Zoom?! Vocês estão com algum dos nossos em cativeiro? Fala logo, senão arranco essa tua barbicha com um puxão! Qual é o plano? Porque a esteira do tempo?

Agora é o Trapaceiro quem responde. Ele dá uma risada, estranha pela forma lenta que vem, influenciada pelas substâncias químicas em ação. Ele diz:

Arrow Nós não conseguimos encontrar nenhum velocista... Então íamos dar o nosso jeito... íamos usar outra fonte de energia pra simular a força necessária... Kadabra tinha feito os cálculos... Talvez explodisse a cidade, mas quem liga...

Em poucos segundos os vilões adormecem, sendo entregues pelos heróis aos policiais. É nesse momento que Sandman se aproxima de Ray Palmer e fala:

Arrow Consultando os arquivos da Liga da Justiça, eu soube que anos atrás, o Doutor Destino distorceu um dos seus sonhos recorrentes, Doutor Palmer. Por meio desse pesadelo, Destino criou uma realidade alternativa onde a Liga da Justiça governava os Estados Unidos com mão de ferro. Talvez não tenha sido por acaso que vilões manipuladores de sonhos tenham sido recrutados para causar aquela doença do sono. Meu palpite é que o Superman Primordial veio do mundo que Doutor Destino construiu através da sua psiquê, Doutor Palmer. E agora nossos inimigos estão movendo os ponteiros para que nosso mundo fique cada vez mais parecido com o lugar de origem do Superman Primordial. Assim será mais influenciar o Primordial, dando a impressão de que este mundo terá o mesmo fado do dele. Superman Primordial é um iludido e nós temos de mostrar a verdade para ele. Se ainda existe algum vestígio daquele cenário em sua mente, talvez seja possível conectar você e Primordial para desbaratar esse equívoco.

Ray o olha surpreso com o que ouvia e diz:

Arrow Isso.. Isso.. Não faz o menor sentido! Eu estava ativo na época em que o Prime apareceu por aqui. Depois eu sofri a invasão da minha mente por parte do Gavião Negro e Zatanna. Isso sim foi uma manipulação da minha mente, mas ainda assim, não vejo relação com o aparecimento do Prime. Eu entendio que você esteja tentando ajudar, mas não tenho nada a ver com o Prime e tampouco permitirei que mexam com a minha mente de novo. Aceitei ajudar como um consultor à Liga, mas não irei me submeter a nada que interfira em minha mente.

Dr. Meia Noite se aproxima dos companheiros dizendo:

Arrow Vocês receberam a mensagem do Robin? Parece que ele enviou através dos canais principais compartilhados pela Liga e pela Sociedade. O garoto é novato, mas parece ter aprendido com o Batman sobre como fazer uma entrada chamativa. Vou contatar Poderosa e ver se ela precisará de algo.

Ele se afasta e emite uma mensagem a Poderosa perguntando se ela precisaria deles para algo.

Após estes contatos, o grupo segue para a filial das Empresas Kord, onde o Gladiador havia solicitado que fosse preparado o equipamento para tentarem a viagem no tempo. Assim que Ray Palmer devolve a esteira cósmica ao seu tamanho natural, ele se junta a Skeets nos cálculos e na preparação da esteira. O grupo passaria a noite naquele trabalho. Quando a manhã raiasse, Ray chamaria os companheiros e diria:

Arrow Está pronta. Agora precisamos testar. Alguém tem alguma sugestão?

Arrow Eu tenho.

Uma voz é ouvida na sala, quando os presentes se viram para identificar seu dono, eles descobrem que Rip Hunter se encontra entre eles.



Arrow Precisamos conversar sobre o tempo e o espaço. Alguns dos ecos da hypercrise ainda estão reverberando pelos universos e pelo tempo. Alguns expatriados se encontram perdidos e alterando a história por onde passam. Eu não podia envolvê-los antes deste momento, mas agora que concluíram o projeto da máquina, é hora de conversarmos e unirmos forças.

_________________
avatar
Leo Rocha

Número de Mensagens : 4076
Idade : 38
Data de inscrição : 14/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Scorpion em Seg Dez 02, 2013 9:35 am

Há! Muitos ali poderiam achar que Michael não era um detetive, mas até mesmo Ray Palmer, que era um gênio havia considerado que a teoria de Michael sobre "o prego" era bem válida. Entretanto, o plano dos vilões era bem mais violento e sórdido, envolvendo a morte de milhões de pessoas. Felizmente os heróis impediram os planos dos vilões e a cidade poderia respirar aliviadamente, mesmo que no fim todos fossem achar que o mérito era do Lanterna Verde...

INDUSTRIAS KORD

Michael observava Ray Palmer e Skeets trabalhando em conjunto. Aquilo o deixara feliz... um gênio do calibre de Ray ajudando o robô amigo do Gladiador Dourado fazia com que todas as expectativas fossem positivas. Michael via na sala da diretoria um porta-retratos, coma foto dele e de Ted Kord. Não do Besouro Azul e do Gladiador Dourado, mas de Michael Jon Carter e de Theodore Kord... os mortais, os amigos, os irmãos.
GD: Não consigo deixar de pensar que é culpa minha, Ted. Se eu não tivesse feito o que fiz... se eu não tivesse tentado ser o que eu não era... você ainda estaria aqui, cara. Felizmente, a máquina está quase pronta e eu vou conseguir ajeitar tudo, Ted. Você vai ver, eu vou ajeitar e então você poderá rir novamente, cara.
Entretanto, muitas coisas da missão poderiam dar erradas, então MIchael gravou um vídeo e ligou para o advogado da Kord, entregando em suas mãos.
GD: Preste muita atenção, senhor Johnson. Neste envelope há um DVD que deve ser enviado à Poderosa, da Liga da Justiça. Ele deve ser enviado assim que a máquina do tempo for testada por mim, o senhor entendeu? Assim que eu testar a máquina, você deve enviar o vídeo para ela, a atual líder da Liga. Ela saberá como passar aos meus companheiros e... poucos amigos que fiz lá. As indústrias Kord continuarão no meu nome, visto que eu não haverei morrido, estando apenas em "viagem". Eu fui bem claro?
Dizendo isso, Gladiador ficou sozinho com seus pensamentos e adormeceu sobre sua mesa. Na manhã seguinte, ele acordou com um bipe, com sua secretária dizendo que a máquina estava pronta para ser testada. Gladiador vestiu seu traje de combate pela manhã lentamente, como se fosse um pai de família vestindo um terno para trabalhar, antes de descer para o café da manhã. Enquanto olhava o seu guarda-roupa, ele viu uma foto dos tempos antigos da LJI. Viu também pendurada a sua antiga gola-alta... a que todos achavam ridícula. Ele deu uma risada, quase que irônica ao pensar em quanto aquela gola-alta era feia... mas o saudosismo o fez vestí-la.

Quando Michael desceu para encontrar com Sandman, Dr. Meia Noite e Ray Palmer, ele trajava seu antigo traje da LJI, o mesmo traje que usava quando Maxwell Lord apresentou-o a Ted e aos demais.
GD: Então, senhores? Ela está pronta?
Skeets: "Lock and Load", senhor!
Ray: Está pronta. Agora precisamos testar. Alguém tem alguma sugestão?
Rip: Eu tenho.

Todos olharam para o novato.

GD: Mas que porcaria de segurança é essa?
Skeets: Dr. Hunter?
GD: Hunter?! Que Hunter?? Rip Hunter?
Skeets: Rip Hunter.
Rip: Precisamos conversar sobre o tempo e o espaço. Alguns dos ecos da hypercrise ainda estão reverberando pelos universos e pelo tempo. Alguns expatriados se encontram perdidos e alterando a história por onde passam. Eu não podia envolvê-los antes deste momento, mas agora que concluíram o projeto da máquina, é hora de conversarmos e unirmos forças.

Michael caminhou até a máquina, calmamente, olhando seus controles... ele ainda lembrava como usá-los. Gladiador fez um sinal com a cabeça para que Skeets entrasse na máquina e o robô obedeceu.
GD: Isso é um tanto interessante, senhor Hunter, mas eu creio que eu já saiba a solução...
Michael então criou um campo de força ao redor dos heróis ali, impedindo-os de sair.
Skeets:Michael, o que está fazendo?
GD: Você não percebe, Skeets? Nós somos a anomalia! Nós somos os viajantes do tempo aqui. Nós estamos ajudando a causar tudo isso... e nós vamos consertar!
Skeets: Pra onde nós estamos indo, Gladiador?
GD: De volta pra casa, Skeets... de volta pra casa. Vamos convencer Michael Jon Carter a nunca apostar contra seus resultados na faculdade.
Gladiador apertava rapidamente os botões para ativar a numeração cronológica e começar a viajar.
Skeets: E como você pretende se auto-convencer, Michael?
Gladiador ativou a alavanca para começar a aceleração do tempo.
GD: Adeus, companheiros! Obrigado, Ray! Desculpe se tive de usá-lo, mas foi necessário.
Michael pousou a mão sobre a alavanca de salto temporal.
Skeets: O senhor não me respondeu... e se o senhor mais jovem não topar essa idéia?
Gladiador olhou Skeets com um tom sombrio.
GD: Então temo pelo pior... teremos de matar o jovem Michael Jon Carter!

Dizendo isso, Gladiador saltou para seu século original, para a data em que o cretino de seu pai o convenceu a apostar contra seus próprios resultados...

_________________
avatar
Scorpion

Número de Mensagens : 2303
Idade : 31
Data de inscrição : 04/07/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Administrador em Seg Dez 02, 2013 8:00 pm

Em nenhum momento eu disse que os criminosos conheciam a origem do Superman. Mas Átomo não tardou em ressaltar que eu fui equivocado em acreditar que os vilões planejaram o curso de ação sugerido, pois seria necessário conhecimento prévio da vida do Superman. Na verdade, eu apenas mencionei que tudo apontava para a direção do Homem de Aço. Sem mencionar que se existe um sindicato de vilões trabalhando em conluio, pode muito bem existir alguém que conheça a biografia do Superman. Como Lex Luthor, por exemplo. Aliás, sendo uma versão alternativa do Superman, o chamado Primordial não saberia de tais detalhes? Ele não poderia ter compartilhado suas informações com nossos inimigos? Mas tudo bem... ...deixarei que me tratem como um tolo... ...por enquanto.
Por sinal, Átomo também não entendeu minha teoria sobre a dimensão onírica criada pelo Doutor Destino. Ele alegou que estava ativo quando o Superman Primordial surgiu pela primeira vez, mas de modo algum eu afirmei que a criação do Superman Primordial ocorreu naquele instante. Minha hipótese é de que o Superman Primordial foi criado junto com a realidade alternativa projetada pelo Doutor Destino. Só depois ele escapou para o nosso mundo. Mas Palmer não compreendeu esse detalhe sutil. Então chega de perder tempo...

- Pelo visto, você não entendeu minha teoria, Palmer. Você disse que Gavião Negro e Zatanna manipularam sua mente para que você voltasse para a Liga. Já te ocorreu que eles fizeram isso justamente porque sabiam de seu elo com o mundo natal do Superman Primordial? Isso fazia de você um aliado valioso. Mas não tenho a intenção de te incomodar com essas questões. Vejo que você e o Gladiador Dourado estão ocupados com coisas mais importantes. Então voltarei para o satélite para auxiliar Poderosa.

Eu tenho de aperfeiçoar minhas habilidades sociais. Eu estou sendo pouco persuasivo. Se quero mesmo evitar uma batalha desnecessária, tenho de encontrar uma maneira de convencer esses heróis. Mas os membros da Liga da Justiça possuem o hábito de tratar os heróis de fora como amadores e indignos de atenção. Não é à toa que a Poderosa está enfrentando uma oposição tão forte agora que assumiu a liderança da Liga. Embora ela tenha sido escolhida democraticamente, os integrantes da Liga da Justiça sempre terão mais respeito pelos veteranos, em especial, aqueles que representam a chamada "Trindade". A Mulher-Maravilha provou isso recentemente. Isso jamais aconteceria na Sociedade da Justiça. Nunca tivemos uma mesa redonda de conferências onde alguns entram e outros não. A Sociedade tem eleições periódicas para definir cada líder. Quando Senhor Incrível foi eleito, por exemplo, ninguém questionou seu direito de liderar. Mas eu tenho de aceitar que a Liga da Justiça é como um clubinho privado com número limitado de sócios.
Informado pelo Doutor Meia Noite sobre a tensão no Oriente, eu ressaltei que Poderosa precisaria de nossa ajuda em um momento tão crítico. Então recomendei que o Doutor Meia Noite solicitasse transporte.
Hora de ser útil, pra variar. Cansei de seguir pistas que não levam a lugar algum. Gladiador Dourado e Ripe Hunter estão lidando com variáveis demais para eu assimilar. Não sou necessário aqui. Afinal, eu já vi o futuro. Enquanto eles analisam tais possibilidades, concentrarei minha atenção no presente, que é a nossa prioridade. Em seguida, eu cumprimentei Rip Hunter pelo auxílio que ele nos prestou quando enfrentamos Per Degaton e aguardei o retorno para o satélite.

Administrador
Administrador
Administrador

Número de Mensagens : 3981
Idade : 33
Data de inscrição : 10/10/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: DEFCON 4: O novo, o velho e a justiça

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum